Category Mercado Imobiliário

Condomínio totalmente orientado à base de dados é implantado em João Pessoa

A startup EEmovel, maior plataforma de dados imobiliários da América Latina, em parceria com a CRN Arquitetura, desenvolveu o conceito do primeiro condomínio totalmente baseado em dados do Nordeste. O projeto, que teve início em 2019, foi comprado pela construtora Tropical e o empreendimento foi implantado na região de Cabedelo, em João Pessoa, capital do estado da Paraíba.

Dentre os benefícios de um condomínio baseado em dados desde sua concepção, a economia é o que se destaca à primeira vista, por ser um produto muito focado em um público qualificado. Neste caso, 30% do empreendimento foi vendido antes mesmo do início da campanha de marketing, impactando em uma economia na verba destinada para essas ações.

Cruzando dados públicos com números da própria plataforma, a startup realizou um estudo para definir a melhor localização, a área construtiva, a quantidade de unidades e uma estimativa do volume do público, a faixa de renda, da quantidade de pessoas na região com potencial de compra e a rentabilidade do empreendimento.

Após o estudo, as empresas parceiras levaram a ideia para um escritório de arquitetura, que fez o projeto com base no fluxo migratório que existe na cidade e outros dados que ajudaram no desenvolvimento do produto. A construtora Tropical comprou a proposta e iniciou o trabalho.

“Nós fizemos o caminho contrário do tradicional. Com o estudo, sabemos onde reside o público-alvo, os lugares que essas pessoas frequentam e seus estilos de vida. Sabemos quantos são empreendedores, quantos são médicos, quantos são executivos, etc, então, a estratégia de marketing, é muito mais assertiva. Um volume considerável de unidades foi vendido antes mesmo das publicidades, justamente por atingirmos os clientes certos. Não fizemos nada além de oferecer para as pessoas o que elas já precisam ou gostariam”, pontua Guilherme Carnicelli, head de desenvolvimento imobiliário da EEmovel.

A EEmovel ressalta que mesmo utilizando dados públicos de cartórios e outras instituições públicas para cruzar as informações com os levantamentos da plataforma, esses dados não são divulgados. A startup ainda afirma que não tem acessos a quem são as pessoas que eles analisaram e muito menos sabem a sua renda. A análise é feita apenas em cima de uma quantidade existente e considerável de pessoas na faixa etária escolhida e com potencial de compra naquela região. A LGPD é cumprida em sua totalidade.

Ranking das Maiores Construtoras do Brasil entra na reta final das inscrições

Premiação de 2022 acontece no mês de abril, em São Paulo, na retomada do evento no formato presencial

A INTEC Brasil, plataforma especializada em dados técnicos e inteligentes de obras em andamento pelo país, recebe até o fim deste mês as inscrições das empresas interessadas em participar do ranking que premia anualmente as 100 maiores construtoras do Brasil. As inscrições para a premiação de 2022 podem ser feitas através do site http://100maioresconstrutoras.com.br/.

O Ranking INTEC das 100 Maiores Construtoras do Brasil visa apresentar e homenagear as principais construtoras que se destacaram no ano anterior. O setor é um dos mais importantes de todo o mundo – emprega 7% da população mundial e movimenta cerca de US$ 10 trilhões anualmente, segundo dados do McKinsey. Após a edição virtual de 2021, o evento volta a ser presencial em 2022, em uma cerimônia que será realizada na capital paulista, no dia 27 de abril.

“É um momento especial voltar a celebrar pessoalmente a entrega desse prêmio tão importante para o mercado da construção, que passou pela pandemia e se recuperou de maneira acelerada. É também uma comemoração da vitória do setor frente à Covid-19 e à crise gerada por ela”, afirma Bruno Silva, CEO da INTEC Brasil. A celebração contará com a presença de CEOs, presidentes e diretores das principais construtoras do Brasil, além de outros convidados importantes do segmento.

Mais de 120 empresas já se inscreveram para o ranking de 2022, que avalia a metragem construída no ano de 2021, além de outros critérios rigorosos como idoneidade e reputação. Para este ano está prevista também uma nova categoria, que premiará os destaques do ABC paulista. “A gente tem orgulho de pesquisar a integridade das construtoras antes mesmo de aceitar qualquer inscrição, para garantir a credibilidade do ranking”, completa Silva. Em janeiro começa a fase de contabilidade das obras já inscritas, para formação da lista final.

AABIC recomenda a condomínios discutir em assembleia a locação de curta temporada por aplicativos

Orientação envolve a possibilidade de inserção de regras para essa modalidade de aluguel na convenção condominial

A Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo (AABIC), maior entidade representativa do setor no Estado, emitiu uma circular orientando administradoras e condomínios quanto à abordagem mais adequada para o aluguel por temporada, popularizado nos últimos anos por aplicativos que conectam locatários e proprietários. Como a permissão ou a proibição desse modelo de locação não é um assunto pacificado na Justiça brasileira, a recomendação é de que cada condomínio incorpore à convenção regras pertinentes ao assunto.

A questão tem gerado dúvidas e controvérsias, opondo proprietários que defendem a liberdade para usufruto dos bens conforme suas necessidades e aqueles que veem nesse tipo de locação uma transgressão às normas de convivência, por colocar em risco a segurança dos condomínios com o aumento de circulação de pessoas nas áreas comuns, por exemplo.

Disputas judiciais relacionadas a esse tema já chegaram ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), instância máxima do Judiciário quando se trata de questões não constitucionais. Na decisão mais recente, de novembro de 2021, a 3ª Turma da Corte proibiu o modelo de aluguel por temporada curta em condomínios exclusivamente residenciais. Segundo o argumento vencedor no processo, o estado de ânimo de quem utiliza um imóvel como moradia não é o mesmo de quem se vale do espaço para férias ou para atividades de mais curto prazo. Outra turma de ministros do STJ já julgou outro processo nessa mesma linha. “Esses julgamentos, contudo, não têm força vinculante, ou seja, não valem para aplicação automática pelos juízes em casos semelhantes, mas pode ser uma tendencia”, explica José Roberto Griache Júnior, presidente da AABIC.

No caso analisado pelo STJ em novembro passado, o proprietário de um imóvel disponível para locação por temporada em um aplicativo solicitou a anulação de assembleia condominial que proibiu aluguéis por menos de 90 dias. O proprietário teve ganho de causa na primeira instância e perdeu na segunda (Tribunal de Justiça) e na última (STJ).

Enquanto a jurisprudência não está consolidada, portanto, a AABIC orienta os condomínios a se ampararem no que estabelecem suas respectivas convenções. Se não houver previsão nesse documento, a recomendação é de que seja convocada assembleia específica para os condôminos discutirem a pauta. Vale lembrar que a alteração da convenção, conforme a o artigo 1.351 do Código Civil (Lei 10.406/02), requer a aprovação de pelo menos dois terços dos proprietários das unidades que constituem o condomínio.

Na avaliação do presidente da AABIC, a inserção da permissão ou proibição da locação por temporada curta na convenção é o mais adequado, pois garante maior segurança jurídica para as partes envolvidas. “Até que o tema controverso seja completamente pacificado por novo julgamento com força vinculante ou por alteração de lei, é recomendável tratar do assunto de forma expressa na Convenção de Condomínio, adaptando-se à vontade democrática dos condôminos, de forma a permitir ou vetar o uso de aplicativos”, diz Graiche Júnior.

Virada Cury acontece com condições especiais na aquisição e imóveis novos em São Paulo

No próximo fim de semana, dias 11 e 12 de dezembro, acontece mais uma edição da Virada Cury, a maior campanha de descontos promovida anualmente pela construtora. Durante 48 horas, a companhia oferece facilidades e promoções no stand do Cidade Mooca, auxiliando a aquisição de um imóvel novo. Estão disponíveis apartamentos de 1 ou 2 dormitórios, com opção de varanda e lazer completo partir de R$ 156 mil.

Com subsídio de até R﹩29 mil reais e escritura e ITBI grátis*, os empreendimentos participantes em São Paulo estão localizados em pontos estratégicos da cidade, próximos ao transporte público e centros de comércio. Além disso, todos possuem lazer completo, com diversas opções de entretenimento.

“As condições oferecidas nesta edição da Virada Cury são exclusivas e imperdíveis. Ofereceremos imóveis em regiões centrais, como o Dez Canindé e o Flow Barra Funda, e também opções no bairro como o Dez São Miguel. Queremos mostrar que é possível estar de casa nova em pouco tempo. Fica o convite para que todos conheçam os nossos empreendimentos e ouçam as propostas que selecionamos para esse fim de semana,” afirma Leonardo Mesquita, Vice Presidente Comercial da Cury Construtora.

A Virada Cury está na quarta edição e a expectativa é repetir o sucesso de venda dos anos anteriores. Em edições anteriores, já foram registradas mais de 400 unidades vendidas em um final de semana. Os interessados também podem obter informações e tirar dúvidas sobre as condições e ofertas com uma equipe de vendas especializada na página da promoção.

Confira abaixo alguns dos imóveis participantes da Virada Cury:

https://www.i-maxpr.com/newsystem/data/assets/1033/1194/88d/88d41776a756aa5c6132d731b6a820ealow.jpeg

Dez Canindé: apartamentos de 2 dormitórios e lazer completo, conta com mercadinho, piscina, churrasqueira, espaço gourmet, fitness, bar, espaço multifuncional, espaço mulher, espaço baby, oficina, estúdio livre, praça de jogos, espaço pet, entre outros. Fica próximo a pontos como o estádio Canindé, Shopping D e a estação Portuguesa Tiete, além de fácil acesso para a Marginal do Tietê. A partir de R$171 mil. Para mais informações, acesse o site do empreendimento.

https://www.i-maxpr.com/newsystem/data/assets/1033/1194/541/541c4cc0c440e9c6824b480f0c016ff9low.jpeg

Dez São Miguel: apartamentos de 2 dormitórios e amplo lazer, com praça de convivência, home-office e oficina, dentre outros espaços; e conta ainda com uma ampla opção de lazer como salão de festas, churrasqueiras, fitness, sala de ginástica, pet place, praça de apoio, playbaby, playground, salão de jogos, brinquedoteca e espaço gourmet. Próximo à estação São Miguel e ao Assaí Atacadista e cercado de comércio e serviços na região como farmácias, supermercados, restaurantes, bancos e outros comércios. A partir de R﹩156 mil. Para mais informações, acesse o site do empreendimento.

https://www.i-maxpr.com/newsystem/data/assets/1033/1194/b9c/b9cb5f25f6acd6163116761fd37a4bbelow.jpeg

Flow Barra Funda: apartamentos de 2 dormitórios e lazer completo, com piscinas adulto e infantil, easy market, churrasqueira, playground, brinquedoteca, sala de jogos, fitness, área pet, bicicletário, oficina, lavanderia e até co-working e food square . Próximo ao terminal Barra Funda e pontos como o Allianz Parque e os shoppings West Plaza e Bourbon. A partir de R﹩215 mil. Para mais informações, acesse o site do empreendimento.

Serviço:

Quando: 11 e 12 de dezembro.

Onde: Cury Cidade Mooca – Rua da Mooca, 1290 – Mooca

Pausa no financiamento imobiliário: como funciona o sistema e quando vale a pena solicitar

Com a crise econômica acelerada pela pandemia, o orçamento de milhares de famílias foi afetado. Uma solução para aliviar o bolso de financiadores e mutuários que adquiriram a casa própria foi a pauta no financiamento imobiliário que alguns bancos passaram a oferecer. Um exemplo foi a Caixa Econômica Federal que suspendeu em março de 2020 o pagamento de, aproximadamente, 2,5 milhões de clientes pelo prazo de até 180 dias.

A oferta foi iniciada pela CEF e recebeu a adesão de várias instituições financeiras. Mas a solução levanta dúvidas a respeito das dívidas a longo prazo. Para saber se o processo é viável para o financiador, a CrediHome, plataforma de crédito imobiliário, tirou algumas dúvidas em relação à facilidade.

O que é a pausa no financiamento imobiliário?

Trata-se de uma maneira de pausar o pagamento das parcelas do financiamento imobiliário por até 6 meses, alternativa que surgiu em razão das problemáticas influenciadas pela crise do coronavírus. Essa medida não tem o poder de eliminar a dívida em si. Na verdade, há a suspensão do pagamento das prestações que serão diluídas nas parcelas futuras.

Terminado esse período, em 29 de setembro de 2020, a própria CEF anunciou a substituição da pausa no financiamento imobiliário pelo sistema de redução temporária na prestação. A nova regra determinou que os clientes teriam duas alternativas para escolha: solicitar 50% de redução do valor por até 3 meses, ou fazer o pedido de diminuição de 25%, com a duração de até 6 meses.

Quem pode solicitar a pausa?

A pausa no financiamento imobiliário está disponível para pessoas físicas que fecharam contrato de financiamento imobiliário e que estão com o pagamento em dia ou em atraso de até 180 dias.

Além disso, pessoas que usaram o valor correspondente ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) também têm o direito de pedir a pausa. Os clientes classificados como pessoa jurídica que apresentam o contrato em dia ou com atraso de até 60 dias também têm o direito de requerer a pausa.

Quais são os riscos?

Os clientes que pediram a pausa no financiamento terão que arcar com parcelas mais caras, uma vez que o valor que ficou suspenso é considerado como saldo devedor e será incorporado às próximas prestações a serem pagas. Além disso, caso não haja amortização, o valor total aumentará, uma vez que há a incidência de juros sobre um montante maior.

Como o juro determinado no contrato continua a correr, o saldo devedor é corrigido com o passar dos dias. Isso significa que, ao adiar o pagamento, o valor da dívida cresce.

Quais são os cuidados?

É importante deixar claro que a pausa no financiamento não é uma renegociação das prestações ou uma anistia e sim uma prorrogação da dívida. Sendo assim, a partir do prazo escolhido pelo cliente, o valor das parcelas é recalculado, levando em consideração a taxa de juros definida originariamente no contrato.

Por outro lado, a renegociação ou o refinanciamento das dívidas possibilita o agrupamento de contratos em uma nova operação de crédito, tendo como base alterações no contrato original, no que se refere às condições específicas, como prazo, carência, número de parcelas e taxa de juros.

Direcional Engenharia e XP assinam acordo de investimento em startup

A Direcional Engenharia e a XP Inc. assinaram hoje um acordo de investimento na startup de crédito imobiliário Direto. Criada pelo Grupo Direcional, a Direto pretende ampliar sua atuação ao estruturar uma solução completa para oferta de crédito, conectando todos os envolvidos na compra, venda e financiamento de imóveis.

O acordo, comunicado hoje por meio de fato relevante antes da abertura do mercado, marca a entrada da XP no negócio com aquisição de 49,9% do capital (quarenta e nove vírgula nove porcento). A operação está condicionada a algumas etapas, dentre as quais a aprovação pelo Conselho de Administração Econômica (Cade).

A Direto reunirá o know how e a eficiência da Direcional no mercado imobiliário e a tecnologia e a experiência da XP no mercado financeiro. Com operação independente dos dois grupos associados e equipe própria em São Paulo e na sede em Belo Horizonte, a Direto ofertará três soluções iniciais complementares. A primeira delas será a concessão de empréstimos, inclusive em parceria com outras instituições financeiras, para aquisição de imóveis novos e usados por pessoas físicas. Outra frente de atuação, será o home equity, modalidade em que o imóvel entra como garantia de empréstimo. Além dessas, para construtoras e incorporadoras, a Direto trabalhará com a aquisição de carteiras de recebíveis, encurtando o ciclo de caixa das empresas e liberando capital de giro na operação.

Pelo acordo, caberá à Direcional atuar na originação de clientes e na formação do time com expertise no mercado imobiliário e em análise de crédito. A XP tratará da estruturação de soluções de funding, bem como auxiliará na captação de clientes e no desenvolvimento de estratégias e ferramentas tecnológicas de relacionamento e jornada de atendimento.

A iniciativa surge no momento em que o mercado imobiliário tem se aberto a novas perspectivas, especialmente quanto ao chamado home equity. Além disso, as empresas ressaltam que a ideia da parceria é buscar utilizar diversas fontes de recursos para o crédito imobiliário. “Nossa intenção é maximizar oportunidades de financiamento que o mercado já oferece, mas em uma nova escala e capacidade de relacionamento com clientes em que a tecnologia e a rede de distribuição da XP podem proporcionar”, afirma Ricardo Couto, executivo da Direto.

“Esse deal marca a entrada da XP no mercado de crédito imobiliário, ofertando produtos financeiros inovadores para este setor e que têm total sinergia com a nossa base de clientes. Para isso, vamos contar com a expertise da Direcional, uma parceira de longa data da XP”, destaca José Berenguer, CEO do Banco XP.

Ricardo Ribeiro, CEO da Direcional, acredita que “superadas as condições precedentes, teremos uma empresa única, capaz de unir pontas de um mercado enorme, estimado em trilhões de reais pelo Banco Central. De um lado, temos adquirentes ou proprietários de imóveis e, de outro, empresas do setor em busca de recursos para seus empreendimentos, além de investidores em busca de oportunidades seguras, com garantia imobiliária. E nós os aproximaremos de uma maneira inovadora. É um negócio em que todos só têm a ganhar, com a atuação por meio de uma plataforma asset light que une a experiência de mais de 40 anos de mercado imobiliário da Direcional, com o conhecimento e a capacidade da XP de desenvolver soluções para o mercado financeiro.”

Índice aponta preço médio de imóveis em construção de 21 cidades

Luiz Prado e Wagner Dias, fundadores da Hiperdados (Foto: Rafael Hupsel)

De acordo com o novo levantamento do Índice Hiperdados, preço médio dos imóveis subiu 0,22% entre outubro e novembro na capital paulista

Hiperdados – proptech que melhora a rentabilidade de incorporadoras e construtoras através de data science e inteligência artificial desde a prospecção do terreno até a conclusão do empreendimento imobiliário – divulgou o Índice Hiperdados de novembro de 2021. O levantamento é realizado mensalmente e indica os preços médios de unidades habitacionais em construção em 21 cidades brasileiras. O índice é composto por informações provenientes de  incorporadoras imobiliárias, que fornecem os dados à proptech com o objetivo de ter uma informação estruturada sobre o mercado de imóveis no Brasil. 

O levantamento levou em conta o valor do metro quadrado dos lançamentos entre os dias 1° e 30 do mês passado em cidades nos estados de São Paulo (Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano, Diadema, Guarulhos, Osasco, Barueri, Sorocaba, São José dos Campos, Campinas, Jundiaí, Mogi das Cruzes, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto e Praia Grande), Paraná (Curitiba e São José dos Pinhais) e Santa Catarina (Florianópolis, Balneário Camboriú e Itajaí). 

Os imóveis residenciais em construção nessas localidades foram divididos em quatro frequências de acordo com seus valores por metro quadrado: até R$6mil, de R$6mil até R$11mil, de R$11mil até R$16mil e valor acima de R$16mil. 

No Índice Hiperdados deste mês foi possível comparar as variações de valores do metro quadrado nos meses de outubro e novembro deste ano. Os dados permitem que incorporadoras tenham um “termômetro” de preços dos imóveis em construção nos municípios.

CIDADEPreço médio do metro quadrado médio em outubroPreço médio do metro quadrado em novembrovariação do preço entre outubro e novembro
Balneário Camboriú – SCR$ 18.973R$ 19.3772,13%
São Paulo – SPR$ 9.962R$ 9.9840,22%
Florianópolis – SCR$ 9.835R$ 9.9080,74%
Itajaí – SCR$ 9.771R$ 9.623-1,51%
Curitiba – PRR$ 9.037R$ 9.1050,75%
São Caetano – SPR$ 8.203R$ 8.2130,12%
Santo André – SPR$ 7.680R$ 7.8662,42%
Barueri – SPR$ 7.537R$ 7.6871,99%
Campinas – SPR$ 7.659R$ 7.475-2,40%
Mogi das Cruzes – SPR$ 6.692R$ 6.7921,49%
Osasco – SPR$ 6.374R$ 6.4461,13%
Praia Grande – SPR$ 6.166R$ 6.3252,58%
Jundiaí – SPR$ 6.099R$ 6.1300,51%
São Bernardo do Campo – SPR$ 6.149R$ 6.102-0,76%
Diadema – SPR$ 5.661R$ 5.7381,36%
São José do Rio Preto – SPR$ 5.806R$ 5.738-1,17%
Guarulhos – SPR$ 5.538R$ 5.6572,15%
São José dos Pinhais – PRR$ 5.572R$ 5.519-0,95%
São José dos Campos – SPR$ 5.395R$ 5.5021,98%
Ribeirão Preto – SPR$ 5.435R$ 5.381-0,99%
Sorocaba – SPR$ 4.929R$ 4.9710,85%

Panorama de lançamentos

A cidade com maior valor do m² no mês de novembro foi Balneário Camboriú – SC, enquanto o município com o menor preço por m² foi Sorocaba – SP. Das três capitais listadas no levantamento, Curitiba – PR é a cidade em que o preço de imóveis por m² foi menor. 

Entre os valores listados no Índice, a faixa que mais predominou entre todas as cidades listadas foi a de imóveis no valor de R$6 mil a R$11 mil por m². O município que mais lançou imóveis acima de R$16 mil foi Balneário Camboriú, com 56,26% do total de empreendimentos anunciados no último mês. 

Outras informações na plataforma

Além das informações presentes no índice, a Hiperdados também disponibiliza dados sobre o mercado imobiliário em sua plataforma. Incorporadores podem ter acesso a dados sobre terrenos, quadras, bairros, questões legislativas, facilidades em torno daquele determinado local, e inúmeras outras informações. 

Com o uso de Inteligência Artificial, a plataforma permite que incorporadoras avaliem também quais são os melhores terrenos para a construção de seus empreendimentos, e também a possibilidade de gerenciar seu landbank e fazer a gestão de recebíveis desde o início da obra até a entrega das chaves. 

Além da big data de 16 milhões de dados disponíveis na plataforma, a proptech também está aprimorando seu machine learning, que visa compilar os dados armazenados na plataforma e os transforma em informações agregadas que são de interesse de players do mercado imobiliário.

Condomínio Terroir Vale dos Vinhedos fortalece a vocação singular da região

Terrenos com excelência em infraestrutura, assinada pela Lex Empreendimentos, estão em área que conta com uma reserva natural e parreirais

Em um dos lugares mais charmosos da Serra Gaúcha, a Lex Empreendimentos Imobiliários está erguendo o Condomínio Terroir Vale dos Vinhedos. Os 56 lotes permeiam uma reserva natural e parreiras que, no futuro, poderão, inclusive, produzir as uvas para a elaboração de vinhos e espumantes pelos próprios condôminos. “Por isso, escolhemos o nome Terroir, queremos fortalecer a identidade e a singularidade destas terras e da conveniência que será oferecida aos moradores”, explica Ivo Siviero Filho, um dos sócios da Lex.

Terroir é uma palavra que só existe na língua francesa e pode ser traduzida como terreno, solo, chão. E o terroir da região do Vale dos Vinhedos é reconhecido internacionalmente, tanto que o local ostenta a primeira indicação geográfica reconhecida do Brasil. Em 2002, obteve do INPI o registro de Indicação de Procedência (IP) e, em 2012, teve concedida a Denominação de Origem – a primeira DO de vinhos do Brasil. Os 13 hectares do Condomínio Terroir Vale dos Vinhedos estão localizados exatamente nesse entorno – a cerca de 120 quilômetros de Porto Alegre -, e só a mata nativa ocupa quase ¼ da área.

Os terrenos têm entre 800m² e 1.250m², com valores a partir de R﹩ 650.000,00. A infraestrutura será dotada de ruas pavimentadas com PVS, rede elétrica subterrânea incluindo rede de dados e internet, iluminação com lâmpadas de led, rede de água e estação de tratamento de esgoto. Caminhos arborizados darão acesso à área social com quiosque, quadra poliesportiva, quadra de tênis, parque infantil, pet place, clube com salão de festas, espaço gourmet para eventos e degustações, fitness e brinquedoteca. “Também idealizamos uma cave para a guarda de vinhos e espumantes. Afinal, sendo coerente com o que nos inspirou neste empreendimento – a valorização da relação profunda entre o solo e um microclima que origina o nosso terroir -, queremos que os condôminos e seus convidados desfrutem muito do local”, afirma Ricardo Siviero, também sócio da empresa.

Exatamente para proporcionar bem-estar e conforto, o condomínio vai dispor de serviço “pay-per-use”. Fornecido pelo Hotel Laghetto Riserva Vale dos Vinhedos, o condômino poderá solicitar café da manhã, camareira e lavanderia mediante o pagamento dos serviços. A percepção de valor do empreendimento, que recebeu investimento de R﹩ 17 milhões, fez com que ainda na fase de pré-vendas em torno de 40% dos terrenos tivessem sido comercializados.

QuintoAndar compra Velo e amplia seu portfólio de soluções para imobiliárias

O QuintoAndar, a maior plataforma de moradia da América Latina, anuncia a aquisição da Velo, uma das empresas mais inovadoras no segmento de garantia locatícia no Brasil. Os produtos da Velo vão complementar as soluções de negócios que o QuintoAndar já oferece às imobiliárias, promovendo uma experiência completa que permite acelerar a realização de negócios com mais segurança e menos dor de cabeça.

Fundada em 2019, na cidade de Blumenau, por Alberto Stein, Bruno von Hertwig, Anderson Felício e Paulo Cantoli, a Velo surgiu para facilitar de forma totalmente digital e humanizada o processo de locação de imóveis por meio de fiança digital. Com foco em oferecer a melhor e mais rápida experiência para as milhares de imobiliárias parceiras que tem em todo o território nacional, a empresa garante o pagamento em dia e reduz o impacto da inadimplência às imobiliárias e locadores, pagando em 2 dias ao invés de 2 meses como é a média do mercado.

O QuintoAndar vem investindo em produtos e ofertas que apoiam as imobiliárias em suas transações de aluguel e compra e venda. Em Março de 2021, a proptech anunciou a incorporação da Casa Mineira e o seu Portal de classificados, expandindo a visibilidade e alcance das imobiliárias parceiras, por meio do seu marketplace. Já em Setembro de 2021, a incorporação da Atta levou uma experiência aprimorada e com rapidez para os serviços financeiros. A combinação destes produtos com a oferta da Velo ajudam solucionar as principais dores das imobiliárias, permitindo que elas foquem na parte mais importante do processo, o atendimento aos clientes.

“Nós somos obcecados em oferecer a melhor experiência possível para nossos clientes, estamos investindo em levar o mesmo para os nossos parceiros. Quando olhamos para os altos níveis de satisfação dos clientes da Velo, ficamos impressionados como eles estão resolvendo a dor dos seus clientes”, diz o cofundador e CEO do QuintoAndar, Gabriel Braga. “A Velo é a empresa que mais cresce no seu segmento, cinco vezes no último ano, exatamente por conta da qualidade da sua solução e a capacidade de execução de seu time vai nos ajudar a construir uma oferta única e totalmente pensada para as imobiliárias, contribuindo para a conversão e rentabilidade com rapidez”, complementou.

Como parte do QuintoAndar, a Velo continuará sendo comandado por seus co-fundadores. As imobiliárias parceiras continuarão sendo atendidas pelos times atuais e não haverá interrupções ou impactos nos serviços prestados.

“Ficamos muito entusiasmados com a estratégia clara que o QuintoAndar tem para potencializar o crescimento das imobiliárias, essa estratégia comunica com o que sempre defendemos e acreditamos, juntos vamos ajudar ainda mais nossos clientes. A complementaridade da nossa experiência vivenciando o dia-a-dia das imobiliárias parceiras com o expertise deles vão permitir fazer o que sempre imaginamos em uma escala muito maior: simplificar e facilitar os processos e transações para todos os elos da cadeia de moradia”, disse o cofundador e CEO, Anderson Felício.

Construtora paranaense abre captação de investimentos com retorno de até 16% ao ano para investidores

Campanha na plataforma da CapRate para o Best Life Residence do Grupo Baucon, em Curitiba (PR), oferece lotes de investimentos a partir de R$1 mil com retornos que variam de 15% a 16%

Grupo Baucon, há mais de 40 anos atuando na área de construção e incorporação de empreendimentos imobiliários em todo o estado do Paraná, acaba de abrir uma rodada para levantar investimentos na plataforma CapRate. O grupo paranaense busca levantar investimentos para subsidiar o início das obras do Best Life Residence, que estará localizado no Bairro Atuba, região nordeste de Curitiba.

Com cotas a partir de R$1 mil, a aplicação deve gerar ao investidor um retorno de 15% a 16% ao ano no prazo de 18 meses. Ou seja, se o investidor aplicar R$1 mil, dentro de 18 meses ele terá de volta seu valor corrigido, o que lhe garante receber R$1.233,24. 

Em um outro cenário, onde o valor aplicado pelo investidor seja de R$15 mil, dentro do mesmo período ele receberá R$18.740,36, rentabilidade de R$3.740,36.  

Para efeito de comparação, se o investidor aplicar R$1 mil no CDI, dentro do mesmo período ele receberia apenas R$1.116,92, ou seja, ao investir no Best Life Residence por meio da CapRate, o investidor assegura o dobro de rentabilidade.

“Investir no Best Life Residence é uma oportunidade única, pois a CapRate garante um retorno superior aos oferecidos em todo o mercado de renda fixa e assegura que o empreendimento saia do papel, gerando empregos para construção do edifício, renda aos trabalhadores e fomentando a economia da capital paranaense”, explica Paulo Deitos, cofundador da CapRate.

Como investir no Best Life Residence

O investidor que procura ter maior segurança nos seus investimentos em imóveis tem na CapRate a alternativa mais confiável que existe no mercado. E o que é melhor: com simplicidade e sem complicação. 

Para conhecer o projeto do Best Life Residence, o investidor interessado deve acessar a página página do empreendimento na CapRate e escolher o empreendimento que está com captação aberta para destinação de aportes. 

Na página do empreendimento de Curitiba, é possível acessar as perspectivas do projeto do Grupo Baucon, conferir relatórios e até mesmo fazer simulações de rentabilidade de acordo com o número de cotas que pretende investir. 

Investimento único em imóveis

A Cap Rate, plataforma peer-to-peer lending (P2P) do ramo imobiliário (Crédito Privado), é a primeira do segmento a atuar como Sociedade de Empréstimo entre Pessoas (SEP) autorizada e regulamentada pelo Banco Central (BC) no Brasil. Com isso, a empresa torna-se a única do setor a ser autorizada e regulamentada pelo Banco Central (BC). 

Com esta certificação, além de ter maiores vantagens em rentabilidade, o investidor tem uma camada a mais de segurança de um órgão regulador. Operando como SEP, a Cap Rate analisa diretamente a viabilidade econômica do empreendimento, saúde financeira da incorporadora, análise de arquitetura, engenharia do projeto e análise mercadológica.

Diferente dos outros P2P Lending do segmento imobiliário, não precisa de um “banco de aluguel”. Isso torna o processo da CapRate mais confiável, rápido e seguro, tanto para os investidores, quanto para os tomadores de crédito.