PlanRadar participa de feira de construção modular em SP e ministra painel sobre o custo do retrabalho em obras

Plataforma de gestão de obras e documentos na construção disponibiliza função ‘SiteView’, que utiliza IA para gerar imagens em 360º dos projetos

A PlanRadar, plataforma global que é referência em gestão integrada de projetos e documentos para a construção civil, participa da Expo Construção Offsite, maior evento de negócios do setor de construção modular do Brasil e da América Latina, que ocorrerá em São Paulo dos dias 4 a 7 de junho de 2024, no Sambódromo do Anhembi, na zona norte da capital paulista. 

A companhia apresentará sua solução pioneira de SaaS, que integra em uma única plataforma a modelagem digital 3D dos canteiros de obras, e a gestão dos contratos e documentos em geral associados aos empreendimentos. A ferramenta é colaborativa e permite o envio de imagens, áudios e mensagens, além da criação de grupos de trabalho, com atualizações em tempo real do andamento de cada etapa. 

Com uma interface prática, compatibilidade com os principais sistemas operacionais e dispositivos mobile, a PlanRadar possibilita elevar o nível de segurança de todos os colaboradores envolvidos em cada projeto, como também prevenir falhas e defeitos em estruturas, agilizar os trâmites documentais, a gestão de insumos e as ordens de compras, elevando a produtividade e a economia de cada projeto. 

Além das demonstrações da plataforma nos quatro dias do evento, a PlanRadar participa ainda da programação do Focos 2024 (Fórum da Construção Offsite), que levará uma série de palestras sobre novidades e tendências do mercado de construção modular. Com tema  “O Custo do Retrabalho em Obras”, a apresentação será ministrada pelo consultor de vendas Guilherme Trivellin, no dia 6 de junho.  

IMAGENS EM 360º

Uma inovação disponibilizada pela PlanRadar para o mercado brasileiro é a funcionalidade SiteView, que utiliza inteligência artificial para permitir aos usuários capturarem imagens em 360º de um projeto, enquanto caminham pelo local, criando um registro visual ainda mais detalhado de todas as etapas da construção. Considerada uma das 100 empresas com potencial de se tornar unicórnio (valor de mercado de US$ 1 bilhão), a companhia vem ampliando sua participação no país.

EXPO CONSTRUÇÃO OFFSITE 2024

Dedicada a público de engenheiros, arquitetos, investidores e profissionais em geral do setor da construção, a Expo Construção Offsite é realizada ao ar livre, ao longo de quatro dias, reunindo as principais tecnologias e serviços para os mercados da construção modular, construção em containeres, módulos habitacionais, sistemas light steel e wood framing e tiny house.

Quando: 04 a 07 de junho de 2024, das 13h às 20h

Onde: Sambódromo do Anhembi (Av. Olavo Fontoura, 1209 – São Paulo-SP)

Direcional Engenharia promove grande feirão de imóveis por todo o Brasil com descontos e brindes especiais

Evento acontece entre os dias 24 e 26 maio com oportunidades únicas para compra de imóveis e o sinal no momento da compra pode valer o dobro de desconto na aquisição dos apartamentos

O que seria maior que um Feirão de imóveis, a Direcional Engenharia pensou e vai promover nos dias 24, 25 e 26 de maio, o Feirãozão. Serão apartamentos com descontos especiais, entrada facilitada, uso do FGTS, menores juros do mercado imobiliário nacional e condição especial em que o sinal do cliente pode valer até o dobro.

São unidades de 1, 2 e 3 quartos, stúdios e até casas em São Paulo – Capital e Interior, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Bahia, Amazonas, Ceará, Pernambuco, Goiás e Distrito Federal. São estandes de vendas e lojas da Direcional espalhadas por todo o Brasil, além de estruturas montadas em shoppings prontas para recepcionar os clientes.

Cada pessoa que comprar um apartamento dentro do Feirãozão, nas regiões do país onde a empresa atua, vai ganhar uma Alexa, da Amazon ou outros brindes especiais nas vendas repassadas ou vendas realizadas através da tabela direta.  

“Entendemos que este é o momento exato para promovermos um feirãozão com descontos imperdíveis para os nossos clientes. Queremos dar sequência ao crescimento de vendas, vindos do primeiro trimestre deste ano com números expressivos. Todos os consultores imobiliários estão preparados para atender e apresentar os mais de 100 empreendimentos por todo o Brasil, que estão com condições e brindes especiais para quem realizar a compra nesse último final de semana de maio. É a grande oportunidade de adquirir um imóvel com qualidade e preço acessível, marcas da Direcional”, afirma Adriano Nobre, diretor Comercial e de Incorporação da Direcional.

As peças publicitárias do Feirãozão contam com a participação de Tadeu Schmidt. O apresentador de televisão e jornalista é garoto propaganda da Direcional Engenharia.Para visualizar todos os empreendimentos participantes da promoção e os locais onde o Feirão acontecerá, basta acessar o link.  

Com o apoio da IA e Big Data fintech lança plataforma integrada de serviços financeiros para administradoras e imobiliárias

Com o uso de tecnologias inovadoras, como inteligência artificial e big data, a WohPag, especialista em soluções financeiras no segmento condominial e imobiliário, está expandindo suas possibilidades de serviço, ao lançar uma plataforma integrada de gestão de recebíveis e pagamentos para esse segmento do mercado. O objetivo é se tornar uma verdadeira “boutique de serviços financeiros”, a partir da oferta de soluções customizadas para empresas de todos os portes, dentro deste setor.

Segundo Marcelo Assunção, CEO da fintech, o uso de Inteligência Artificial e Big Data garante a personalização, performance e segurança das integrações entre as diferentes plataformas envolvidas. Ele afirma: “Isso permite que os clientes contratem uma variedade de produtos, como consórcios, seguros, cartões multi benefícios, além de crédito consignado, diretamente por meio do internet banking da WohPag e até mesmo do portal de suas administradoras”.

A partir desse lançamento, que está em fase de testes finais e em breve começará a funcionar, a fintech planeja ampliar suas receitas em até 400% até o final de 2024, compartilhando esses resultados com suas administradoras-parceiras. Além de suas ofertas tradicionais, que incluem contas digitais, emissão de boletos, liquidação de pagamentos e crédito para condomínios, a nova plataforma visa simplificar processos, reduzir custos operacionais e levar aos usuários uma variedade de produtos para aumentar a agilidade e a comodidade no ecossistema condominial.

“Levamos quase um ano para elaborar um processo de credenciamento e selecionar as melhores empresas de cada segmento, considerando tempo de atuação no mercado, especialização e qualidade técnica, avaliação de usuários e clientes, preços e condições comerciais, entre outros. A ideia é  oferecer uma ampla categoria de produtos e serviços para os condomínios de nossas administradoras-parceiras e todas as pessoas relacionadas a esses condomínios”, explicou Assunção.

A fintech espera que essas parcerias contribuam para a redução ainda maior de tarifas e despesas, facilitando a vida dos condôminos, funcionários e fornecedores, além de trazer novas oportunidades de negócios.

Mercado de multipropriedade ultrapassa marca de um milhão de frações

Esse e outros dados relevantes integram estudo que será divulgado em maio; pela primeira vez, relatório destaca dados sobre hábitos de viagem do mulltiproprietário brasileiro

Caio Calfa e Fernanda Nogueira, diretora da Caio Calfat Real State Consulting

Tomadas de decisão mais embasadas e melhor compreensão do mercado. Esses são dois dos principais benefícios de trabalhar orientado por dados. Outra grande vantagem desse recurso crucial é a possibilidade de se antecipar aos anseios do cliente, por meio de insights valiosos sobre seu comportamento e necessidades. É com esse entendimento que a indústria da multipropriedade comemora o lançamento de mais uma edição do estudo “Cenário do Desenvolvimento de Multipropriedades no Brasil”.

Idealizado e produzido pela Caio Calfat Real Estate Consulting, o estudo, único do setor, é reconhecido por traduzir em dados uma visão mercadológica ampla, apresentando cenários, números globais e revelando perspectivas que podem guiar os negócios. Pela primeira vez, o documento contempla o lado do usuário da multipropriedade, ou seja, o multiproprietário, com dados de pesquisa realizada em parceria com a Mapie.

“O resultado do estudo neste ano é tão relevante que, na minha opinião, ele é a segunda melhor notícia depois da sanção da lei de multipropriedade, e terá impacto direto no sucesso do desempenho do setor no Brasil”, antecipa Caio Calfat, diretor-geral e fundador da Caio Calfat Real Estate Consulting, um dos maiores especialistas do segmento na América Latina e responsável pela produção do estudo com base em informações coletadas em banco de dados próprio e junto aos agentes do setor.

O otimismo de Caio Calfat se explica porque, termos mercadológicos, os resultados do “Cenário do Desenvolvimento de Multipropriedades no Brasil” revelam a maturidade dessa indústria e crescimento geral do mercado, a começar pelo Valor Geral de vendas (VGV) de R$79,5 bilhões, crescimento de 33% na comparação com os R$59,9 bilhões de 2022.

Já o valor médio da semana cresceu 14,4%, saindo de R$ 39.006,00 para R$45.000,00. Embora a maioria dos empreendimentos se enquadre nessa média, o estudo mostra aumento em projetos com faixa de renda maior até um teto que tem valores semanais acima dos R$ 80.000,00, o que demonstra a busca por novos nichos de clientes. “O VGV recorde tem como principal razão esse aumento no número de multipropriedades voltadas para um público que tem condições de pagar mais caro no valor das frações” resume Calfat.

Outra boa notícia é a alta de 11,1% na oferta de empreendimentos que operam neste modelo em território nacional, saindo dos 180 registrados em 2022 para 200 multipropriedades em 2023, localizadas em 89 cidades e 19 estados brasileiros.

Desse total, 112 estão prontas, 72 em construção e 16 em fase de lançamento. A região Sul segue na liderança de oferta, com 63 projetos, seguida de perto pelo Nordeste, 60. Em terceiro lugar está a região Sudeste, com 43 projetos. O Centro-Oeste tem 26 e Norte conta com 6 empreendimentos. região Sudeste, com 43 projetos. O Centro-Oeste tem 26 e Norte conta com 6 empreendimentos. O estudo revela que, em 2023, a multipropriedade chegou a 8 novos destinos brasileiros: Atibaia (SP), Barra de São Miguel e Maragogi (AL), Conde (PB), Itá (SC), Porto Belo (SC), São Francisco de Paula (RS) e Tijucas (SC).

Entre os 116 empreendimentos do mercado corrente – segmento que reúne projetos operantes no mercado de multipropriedades há menos de cinco anos e que possuem estoque de frações inferior a 95% – há 812.847 frações e as unidades habitacionais somam 25.370. O valor médio da semana registrou R$ 42.133,00, o que representa 19,4% a mais do que no ano anterior.

O número total de frações apresentou crescimento de aproximadamente 19%, atingindo um volume de mais de 1 milhão de frações disponíveis em pouco mais de 10 anos. Do total mapeado, 44% estão em estoque, índice que já era esperado diante do crescimento na oferta geral. “A pesquisa comprova que a multipropriedade segue com uma tendência positiva de crescimento e entra em uma nova fase, com produtos diferenciados e gestão mais profissionalizada, enquanto a curvatura de vendas indica qualificação no modelo de captação e vendas tem se qualificado”, finaliza Calfat.

Hábitos de viagem do multiproprietário brasileiro: capítulo inédito

Caio Calfat e Carolina Sass de Haro

O novo capítulo do relatório “Cenário do Desenvolvimento de Multipropriedades no Brasil” trata, de forma pioneira, sobre o perfil e consumo do usuário da multipropriedade.

Para incorporar este importante capítulo ao estudo, a empresa estabeleceu parceria com a Mapie, reconhecida consultoria de turismo com expertise no desenho de produtos, serviços e experiências no cliente final, detentora de um qualificado e extenso banco de dados resultante de estudos sobre o viajante brasileiro em diferentes áreas, como luxo, lazer e corporativo. “Saber se o perfil do multiproprietário ajuda a entender a motivação de compra da multipropriedade”, explica Carolina Sass de Haro, sócia da Mapie. Ao todo, ele soma respostas de 879 cientes de todo o País, o que garante ao estudo um índice de confiança de 90% e margem de erro de 2,76%.

Nesta primeira edição, a pesquisa conduzida pela Mapie mostra que o comportamento de viagens nacionais a lazer do multiproprietário é similar à do turista doméstico em termos de quantidade de viagens (2 a 3 por ano), gasto médio com transporte, hospedagem e extras (entre R$ 3 mil e R$ 5 mil) e preferência por destinos de sol e praia (84,97%). O nicho de parques temáticos e aquáticos também tem relevância e segmento registrou 69,43% da preferência dos respondentes, o segundo lugar após sol e praia.

O Nordeste se destaca como o destino mais apreciado (26,7%), seguido de Olímpia (12,9%), cidade paulista na qual parte da base de clientes respondentes já possui frações. A estada média é de 4 a 10 dias, o que coloca os multiproprietários à frente do viajante de lazer tradicional. A preferência é por hotéis de quatro estrelas e resorts all inclusive, com garantia de segurança, conforto e qualidade.

Relaxamento e descanso são os principais motivadores da viagem (89,33%), o que confirma a importância de ter produtos, serviços e experiências criados para atender a esses anseios. O estudo também destaca a necessidade de direcionar esforços de comercialização para quem mora no entorno, já que 48,94% – praticamente 1 a cada 2 multiproprietários – utilizam veículo próprio. Não se deve, entretanto, desconsiderar quem vive mais longe, já que 45,4% dos respondentes preferem viajar de avião.

Em termos de perfil de compra, o estudo mostra que a maioria dos clientes adquire apenas uma fração com o objetivo de usar a totalidade de diárias disponíveis. A maior parte dos respondentes já utiliza o programa e declara bom nível de satisfação geral, requerendo atenção especial apenas à taxa de manutenção/condomínio cobrada.

A pesquisa aponta para um público predominantemente masculino (60,52%), residente na região Sudeste (82,26%) e com faixa etária entre 30 e 49 anos (66,78%). O perfil econômico revela uma maioria de indivíduo com renda familiar entre R$ 7.101,00 a R$ 22.000,00 (54,61%) que mora em imóvel próprio quitado (61,55%). Eles são, em sua maioria, proprietários e sócios (28,78%) atuando como profissionais autônomos (20,98%) ou em empresas de 1 a 10 funcionários (20,49%).

Na hora de escolher o destino, o planejamento envolve principalmente o cônjuge/companheiro (89,96%) e filhos (45,56%), o que demonstra um interesse compartilhado na experiência de viagem em família. A propaganda boca a boca tem grande peso na decisão de conhecer um novo local (48,18%) abaixo apenas da oferta de promoções de voos ou hotéis (57,34%).

A maioria dos multiproprietários (54,53%) pretende reservar suas futuras viagens de lazer diretamente com os fornecedores, enquanto 40,52% planejam comprar com agências de viagem online ou buscador. Quando o assunto é antecipação de reserva, o hotel resort ou pousada tem mais menções que o bilhete aéreo (85,51% x 68,07%).

Vantagens de comprar um imóvel pronto ou construir a preço de custo no litoral de São Paulo

Especialista esclarece dúvidas sobre a opção de compra de imóveis e construir a preço de custo no litoral paulista

O mercado imobiliário está em constante evolução, as demandas dos compradores estão cada vez mais diversificadas, a questão de comprar um imóvel pronto ou construir a preço de custo tornou-se um dilema comum para os investidores. No litoral de São Paulo, onde a busca por propriedades à beira-mar não fica por trás, a decisão dos consumidores na hora da compra pode ser ainda mais crucial. 

Comprar um imóvel pronto pode ser mais fácil, mas isso não significa que você não vá precisar se preocupar com adequações na estrutura. Por outro lado, a construção a preço de custo por meio da sociedade em conta de participação, tem se tornado uma alternativa inovadora, isso porque essa modalidade de contrato possibilita a formação de uma sociedade confidencial entre os sócios – ostensivo e participante.   

De acordo com Henrique Lima, coordenador de qualidade da A3 Construtora, o comprador deve avaliar o que é mais vantajoso para a questão financeira dele. “Tem que se basear no seu custo de oportunidade, antes de adquirir o patrimônio”.  

Para oferecer uma perspectiva aprofundada sobre o assunto, Henrique compartilha a sua análise sobre as vantagens de comprar um imóvel pronto ou construir a preço de custo através da SCP (sociedade em conta de participação) no litoral paulista. 

Comprar um imóvel pronto 

Conveniência Imediata: Um dos principais benefícios é a possibilidade de se mudar para a nova propriedade imediatamente após a compra, sem a espera associada à construção. “Um dos aspectos atrativos na compra de um imóvel pronto é a conveniência imediata, pois não há necessidade de aguardar meses ou até anos pela conclusão da construção; em vez disso, os compradores podem se mudar para sua nova propriedade praticamente assim que a transação for finalizada” comenta. 

Inspeção Antecipada: Para Henrique, os provedores podem realizar inspeções detalhadas antes da compra, garantindo que estejam cientes de quaisquer problemas estruturais ou questões de manutenção. “A inspeção detalhada permite uma avaliação do estado da propriedade, identificar quaisquer possíveis problemas estruturais ou questões de manutenção para a tomada de uma decisão. Isso proporciona tranquilidade, garantindo que estejam cientes de todos os aspectos do imóvel antes de formalizar a compra.”, pontua. 

Custos Fixos: Os custos totais são previsíveis, uma vez que o preço de venda é estabelecido e os custos de construção já foram incluídos pelo vendedor. “Ao adquirir um bem construído, os compradores podem ter uma visão detalhada dos custos totais. Não há surpresas relacionadas a custos de construção adicionais ou imprevistos, o que proporciona uma previsibilidade financeira. P, podendo evitar risco de estouro de orçamento ou custos inesperados durante o processo de aquisição”, explica. 

Planejamento imobiliário: Normalmente, um dos principais problemas para quem considera comprar apartamento na planta na região litorânea é ter de esperar para se mudar e começar a usar o imóvel. É claro que aguardar meses pela sua construção exige paciência, mas isso também permite que haja mais tempo para planejar melhor os detalhes importantes para a nova vida da família. “Um dos maiores benefícios de adquirir um imóvel pronto é a capacidade de visualizar e planejar seu espaço imediatamente. Os compradores podem se concentrar no que realmente importa: transformar uma casa em um lar.”, observa Henrique 

Construir a preço de custo por meio da SCP (Sociedade em conta de participação) 

Transparência e Controle: A transparência é uma prioridade, os requerentes têm acesso total às informações sobre os custos de construção, materiais e mão de obra, garantindo a confiança durante o processo. “Há mais controle sobre as decisões de design e acabamento, garantindo que suas necessidades e preferências sejam atendidas de maneira precisa”, comenta Henrique. 

Alta rentabilidade: Uma das principais vantagens de embarcar nesse negócio é a rentabilidade que ele proporciona aos investidores, que pode chegar até 100% do valor gasto para construir. “Além disso, existe uma economia considerável no empreendimento imobiliário, que também pode corroborar com a valorização do imóvel”, aponta. 

Colaboração e Comunidade: De acordo com Henrique, ao adotar a abordagem na construção do imóvel a preço de custo por meio da modalidade em conta de participação, as construtoras e os sócios têm a oportunidade de colaborar mais estreitamente, criando um senso de parceria ao longo do processo. “Essa colaboração resulta em um ambiente de trabalho harmonioso e eficiente, em que todas as partes envolvidas estão alinhadas com os objetivos comuns de qualidade e eficácia”. 

Diante dessas considerações, Henrique conclui que não há uma resposta definitiva sobre qual é a melhor opção, pois cada caso é único e depende das circunstâncias individuais do comprador.  

“Não há uma resposta definitiva sobre qual é a melhor alternativa entre comprar um imóvel finalizado ou construir a preço de custo, pois cada caso é diferente”. 

Ele incentiva os compradores a realizarem uma análise cuidadosa de suas necessidades, objetivos e recursos financeiros antes de tomar uma decisão. 

“É importante fazer uma análise minuciosa de suas necessidades, objetivos e recursos financeiros antes de tomar uma decisão na compra de um imóvel no litoral paulista. Cada cliente é único, é fundamental garantir uma experiência satisfatória e um investimento sólido. Ao considerar todas as variáveis envolvidas, os compradores podem fazer uma escolha informada que se alinhe com a sua situação financeira”, finaliza.  

Vem aí: Afonso Pena 1050, um novo capitulo na história do edifício que abrigou o Othon Palace Hotel em BH

Um dos endereços mais icônicos da cidade ganha uma reconfiguração para se reintegrar à paisagem urbana. O edifício localizado na Avenida Afonso Pena, 1050, onde funcionou o Othon Palace, se prepara para receber um novo conceito de ocupação, sintonizado com o futuro.

Quem passa pela avenida Afonso Pena, em frente ao prédio que abrigou o Othon Palace Hotel, pode notar algo de diferente na fachada, que já revela algumas pistas de como será o futuro daquele local. A imponente construção, que faz parte da história da capital mineira, se prepara para ganhar uma nova identidade e adianta o que será um dos projetos de ocupação mais interessantes e inclusivos da cidade.  Trata-se do Afonso Pena 1050, um novo empreendimento, desenvolvido a partir de um extenso processo de estudo e pesquisas, levando em consideração as necessidades dos tempos atuais e das pessoas dentro das grandes cidades. O projeto vai de encontro ao processo de reorganização urbana, revitalizando os centros das grandes cidades, que assumiram contornos essencialmente comerciais nos últimos anos, permitindo agora uma reocupação de forma ordenada.

Assinado pela Play Arquitetura em parceria com a Ar.Lo Arquitetos, o projeto do Afonso Pena 1050 tem como ponto de partida a valorização e o respeito pela história da edificação, evidenciando sua conexão com a cidade, com os moradores e também com os visitantes. Desta forma, o projeto considera a vocação primordial do prédio, que sempre foi a hospitalidade. Construído em 1978, o projeto original é assinado por Raul de Lagos Cirne, reunindo 295 habitações ao todo. Ao longo de 40 anos, foi uma forte referência no setor hoteleiro em Minas Gerais, recebendo inúmeros hóspedes ilustres.

Para ganhar a identidade e refletir o conceito do novo projeto, o prédio passará por um completo retrofit, um processo que tem por objetivo restaurar prédios antigos de forma a preservar a arquitetura original, e também adequá-lo à legislação vigente. A adaptação da estrutura inclui a remodelação das partes internas, além da recuperação de peças icônicas do mobiliário. Dessa forma, o prédio será transformando em um edifício de uso misto, ou seja, abrigando diferentes modalidades de ocupação. Dos 19 pavimentos anteriormente destinados a quartos de hotel, alguns serão transformados em apartamentos de 1, 2 e 3 dormitórios, outros em flats, e o restante serão mantidos como quartos de hotel. Além disso, as áreas comuns serão abertas ao público e ainda contarão com diversas operações comerciais, incluindo bar, café, restaurante, coworking, espaços para eventos, rooftop com a piscina, entre outros. A ideia é que o novo empreendimento se destaque ao oferecer um novo modelo de viver mais leve e conectado com o futuro.

“O futuro das cidades passa pelo aproveitamento cuidadoso e humano de seus espaços (ruas, avenidas, praças e parques) e edifícios públicos, bem como dos edifícios e casas privadas. Parto do princípio que o melhor lugar pra se viver é exatamente aquele onde a vida privada, a vida social e pública se misturam e se autoalimentam. E isto acontece nas áreas mais adensadas das cidades, como o centro e bairros já consolidados, onde há uma maior diversidade humana e social. Além disto devemos considerar um outro fator que consolida um bom desenvolvimento urbano: o equilíbrio entre modernização e conservação; a importância da memória como criadora de laços simbólicos e de cidadania. Ações e empreendimentos voltados à preservação, conservação e revitalização, são ações conscientes de que um bom futuro se constrói com respeito ao existente e ao passado. Este projeto de retrofit leva tudo isso em consideração”, aponta Marcelo Alvarenga, da Play Arquitetura.

Um dos destaques do Afonso Pena 1050 será a sua conexão com a natureza.  Localizado em frente ao Parque Municipal, que oferece uma linta vista de qualquer uma das janelas, a proposta é que, internamente, o paisagismo também seja um elemento bastante presente, desde a recepção até as demais áreas comuns, possibilitando que o público possa usufruir desta relação com o verde e de seus benefícios.

“Um grande desafio deste projeto de retrofit foi criar uma distribuição equilibrada e atrativa de seus usos, tirando o máximo proveito do potencial dos pavimentos, tanto dos pavimentos tipo, destinados ao uso residencial e de hotelaria, como dos pavimentos  diferenciados – como o terceiro, o quarto e o último – que receberão áreas comerciais, abertas ao público. Um edifício de uso misto, precisa dar vida continuada e longa a todos os seus espaços e acredito que este seja o diferencial deste projeto e também o seu maior desafio”, destaca Marcelo Alvarenga.  

As obras de instalação e adaptação do Afonso Pena 1050 terão início após aprovação do projeto e trâmites legais junto aos órgãos responsáveis e a expectativa é que o Afonso Pena 1050 fique pronto em aproximadamente 12 meses após o início das intervenções. Em breve, será disponibilizado um site com todas as informações sobre o projeto bem como o lançamento comercial do empreendimento.

Expo Construção Offsite chega à sua quinta edição como a mais importante feira do setor modular da América Latina

mpressoras de casas em funcionamento, projeto residencial impresso em 3D, casas inteligentes, soluções para hotelaria e setor popular de moradias são alguns dos destaques do evento, que ainda contará com escola e os mais expressivos especialistas da construção modular

A Expo Construção Offsite chega à sua quinta edição consolidada como a mais importante feira da América Latina quando o assunto é construção modular. Mais encorpada, ocupando quase toda a extensão do Sambódromo do Anhembi, em São Paulo, o evento, que acontecerá entre os dias 04 e 07 de junho, inova mais uma vez e leva para suas instalações uma das mais importantes novidades tecnológicas do setor – a impressora 3D de casas. Considerada uma das aplicações mais promissoras das tecnologias aditivas, a impressão 3D economiza tempo e dinheiro, tornando os investimentos em projetos habitacionais, por exemplo, mais atraentes. A tecnologia, que será exposta pela empresa 3DPrintek, é importada da Rússia e produz paredes em camadas, seguidas por reforço e preenchimento com concreto. O equipamento também permite uma ampla gama de tarefas, desde a impressão no local de construção até a impressão de partes componentes de edificações (pré-fabricados) ou pequenas formas arquitetônicas em condições de fábricas ou áreas cobertas

“A impressora produz um concreto leve, até 10 vezes mais que o tradicional, possibilitando a produção de blocos de variados tamanhos, densidades e formatos, explica Marcos Bueno, CEO da Expo Construção Offsite. “O concreto leve produzido pela impressora possui excelente isolamento térmico e acústico e apresenta um baixo custo de manutenção. A tecnologia, aplicada neste sistema, utiliza uma fórmula de mistura homogênea de concreto leve à base de aditivo, cimento e areia, que aumenta sua durabilidade e impermeabilidade. O processo permite reduzir em até 70% a demanda de material a ser utilizado na construção, alcançando o mínimo de desperdício na cadeia de suprimentos, além de ser um material mais eficiente e sustentável”.

Durante a Ecos 2024, o público acompanhará ao vivo a impressão de módulos (paredes), balcões, vasos, assentos e diversas outras estruturas em concreto

A Expo Construção Offsite também terá uma casa toda construída por meio da impressora 3D para visitação. Com 57m², a casa desenvolvida pela Cosmos 3D conta com uma sala, cozinha, banheiro e pode ter dois quartos, ou um quarto e um escritório. Para o modelo que será exposto, foram necessários oito dias para a conclusão da casa, sendo quatro dias para o processo de impressão, dois para a montagem e outros dois para acabamentos e decorações. Por ser controlada por um software moderno e um robô, a impressora utilizada pela Cosmos 3D chama a atenção pelo grau de precisão, reduzindo o desperdício a quase zero. A tecnologia permite a construção de casas de aproximadamente 50m² em 20 horas. O potencial de produção, quando aplicado em larga escala, é de 10 casas por mês, totalizando 120 casas por ano, com uma mão de obra de dois a três funcionários trabalhando em um turno padrão (8h/dia)

A apresentação das impressoras 3D na ECOS 2024 sinaliza para o setor uma solução para a escassez de mão de obra na construção civil, além de confirmar a superioridade da tecnologia, que permite produzir centenas de casas e habitações populares em um prazo muito exíguo e com um custo menor, oferecendo também redução de tempo, liberdade geométrica e boa qualidade. Outro projeto que estará em exposição na ECOS 2024 é a Cabana Container, apresentada pela empresa Compass e assinada pelo arquiteto Breno Lima. Ideal para o setor de hotelaria, o projeto utiliza um container marítimo, possui isolamento térmico e acústico, fachadas com janelas amplas e espaços abertos que favorecem a luz natural.

Como nas edições anteriores, a Escola Expo Offsite irá oferecer treinamentos inovadores e práticos para a construção de projetos modulares. Com a crescente demanda por soluções habitacionais rápidas, sustentáveis e acessíveis, a escola tem como objetivo capacitar profissionais para atender a essa necessidade em constante crescimento. Os cursos são ministrados por profissionais experientes do setor e engenheiros renomados. Durante os quatro dias de evento, os participantes aprenderão sobre produção e montagem de painéis de light steel e wood framing, e acompanharão a montagem de espaços de coworking, gamer e maker. O treinamento da Escola Expo Offsite é inédito, acontece apenas durante a ECOS, e visa capacitar a próxima geração de profissionais do setor modular. Podem participar do treinamento profissionais da indústria modular, estudantes do setor de construção civil, empreendedores e entusiastas da construção offsite

A edição deste ano do evento também marca o retorno do FOCOS – Fórum da Construção Offsite, um expressivo seminário com especialistas representativos do setor da construção Offsite do Brasil. O encontro contará com 20 palestrantes que, juntos, entregarão para o público conteúdos e novidades sobre o cenário da construção modular no país. Os participantes terão a oportunidade de conhecer as últimas tendências do setor e de como a tecnologia está sendo aplicada para atender às demandas crescentes por habitação acessível e sustentável. Entre os principais temas deste ano estão: a crise habitacional, eficiência energética na construção civil, o uso dos painéis Lightwall, a implantação da filosofia Lean Enterprise, a impressão 3D na construção modular, entre outros assuntos.

Confira a programação:

04 de junho

10h – 10h10 /Abertura FOCOS

10h10 -10h50 /Gilberto de Freitas (ITIE – Instituto de Tecnologia e Edificações)

Tema: Fabricantes de Edificações e Componentes – Os Novos              Protagonistas do Mercado

10h50 – 11h30 / Jose Carlos Martins (CBIC)

Tema: O Futuro da Construção Passa pelo Offsite – Como Materializar a Idea.

11h30 – 12h10 / Edison Tateich (CMC)

Tema: Soluções Modulares: de banheiro a salas de aula, tudo pronto na fábrica.

12h10 – 12h30 / Coffee

12h30 – 13h / Abertura ECOS

13h – 14h / Tarcis Antunes (Tecnoframe/SteelCorp)

Tema: Atuação da indústria em parceria com as construtoras na transformação da construção civil

Daniel Gispert (Steel Coorp)

Tema: Atuação da industria em parceria com as construtoras na transformação da construção civil

14h – 14h40 / Felipe Basso (TECVERDE)

Tema: Construção Industrializada em Madeira

14h40 – 15h00 / Encerramento

05 de junho

10h – 10h10 / Abertura

10h10 – 10h50 / Nelson Zanocelo (Saint Gobain)

Tema: Bild Neori: Um case de sucesso com Fachada Leve Painelizada

10h50 – 11h30 / Arlindo Mendonça (Basf)

Tema: Eficiência Energética na Construção Civil: Soluções para Isolamento de Alto Desempenho

11h30 – 12h10 / Silvia Scalzo (CBCA)

Tema: O diálogo entre as estruturas de aço e a construção modular

12h10 – 12h30 / Coffee

12h30 – 13h 10 / Ludy Milla Alves Pego (SENAI)

Tema: BIM e sua Interface com a Industrialização da Construção

13h10 – 13h50 / Fábio Luis De Gerone (Sto Andre)

Tema: Como construímos o prédio de uma fábrica completa de 2.500m² em apenas 120 dias usando sistemas construtivos industrializados.

13h50 – 14h20 / Eduardo Buzzi (Terracotta)

Tema: A industrialização da construção como uma alternativa de combate ao déficit habitacional

14h20 – 14h50 /    Marcus Fernando Araújo (Lightwall)

Tema: ModuLight: uso dos painéis Lightwall para acelerar a construção modular

14h50 – 15h00 / Encerramento

06 de junho

10h – 10h10 / Abertura

10h10 – 10h50 / Renan Hessel (Espaço Smart)

Tema: Digitalizando a Construção Civil e as Operações de construção em Light Steel Frame com uma plataforma de negócios omnichannel.

10h50 – 11h30 / Otto Griese  (M-TEC)

Tema: Impressão 3D de forma Modular

11h30 – 12h10 / Guilherme Trivellin (Planradar)

Tema: O Custo do Retrabalho em Obras

12h10 – 12h30 / Coffee

12h30 – 13h10 / Paulo Oliveira (ARATAU)

Tema: Construção Modular: Um caminho para Industrialização e para a Construção 4.0

13h10 – 13h50 / Alexandre Soares (Visia)

Tema: A Implantação da filosofia Lean Enterprise na Construção Modular

13h50 – 14h20 / Breno Lima (Embaixador ECOS )

Tema: Construção Modular e suas possibilidades

14h20 – 14h50 / Marco Antonio Barros Gonçalves

Tema: Construção Micro Habitação Modular usando Containers Marítimos

14h50 – 15h / Encerramento

A Expo Construção Offsite 2024 promete impactar mais de 12 mil pessoas que passarão pelo Sambódromo do Anhembi. Serão 4 dias de muito aprendizado, networking e apresentação das novidades, produtos e serviços de mais de 120 marcas que estarão na feira. A expectativa é que o volume de negócios gerado durante e após o evento seja em torno de R$ 600 milhões.

“Eu vejo a construção modular como um setor em evolução que, sem dúvida, representa o futuro da construção civil”, afirma Bueno. “Até 2019, a construção modular era desconhecida do consumidor brasileiro. Hoje, o crescente número de indivíduos e empresas que estão tomando conhecimento dessa forma de construção e a vendo como a opção mais rentável para construir ou expandir seus negócios é evidente. Estamos buscando formas mais sustentáveis e com melhor custo-benefício para tornar mais acessível a possibilidade de se ter uma casa própria, expandir os negócios e proporcionar mais moradias para a crescente população”, finaliza o gestor

Expo Construção Offsite 2024:

Realização: De 04 a 07 de junho – Das 13h às 20h          

Av. Olavo Fontoura, 1209 – Santana, São Paulo – SP

Entrada: Gratuito

Credenciamento: Gratuito para a exposição – www.expocontrucaooffsite.com.br

 Setor de Construção apresenta aumento de 17% no volume de vendas no 1T2024

Quando avaliado o Valor Geral de Vendas (VGV), a performance representa um aumento na movimentação financeira na economia do segmento. A pesquisa também apontou uma tendência de valorização dos imóveis, com aumento de 10,99% no preço médio do metro quadrado

O Senior Index, relatório da Senior Sistemas que divulga indicadores de mercado, aponta para uma alta de 17% no setor de construção civil no 1T2024 quando comparado com o mesmo período de 2023. O VGV segue o mesmo comportamento, apresentando alta de 28% no período.

“O bom desempenho do setor nesses meses iniciais do ano reforça a tração do segmento para o restante de 2024”, comenta Rafael Bahr, Head de Produto da Senior Sistemas. De forma paralela, a ABRAMAT reforça o cenário positivo, já que 70% de suas indústrias associadas afirmam pretender realizar investimentos nos próximos 12 meses do ano. 

Em linha com o crescimento do setor, a empregabilidade também se mostra fortalecida. Os primeiros 3 meses de 2024, apresentaram aumento nas vagas formais de 16,85%. Para Rafael Bahr, as novas regras do Programa Minha Casa Minha Vida aqueceram o mercado imobiliário e podem ter refletido no aumento de demanda de mão de obra.

“Entendemos que existe uma retomada do setor e a tendência é que o cenário se mantenha positivo o ano todo, gerando oportunidades em diferentes áreas”, completa o executivo.

Dados por região  

Dentre as regiões com melhor performance de crescimento, o relatório destaca Paraná, Mato Grosso e São Paulo, com 31%, 27% e 26%, respectivamente.

Valor do metro quadrado  

Os imóveis estão valendo mais. Segundo o Senior Index, enquanto no 1T2023 o preço médio do metro quadrado era R$6.758,14, no mesmo período desse ano, o metro quadrado está valendo, em média, R$7.500,54, um aumento de 10,99%.

Acesse o relatório completo aqui: www.senior.com.br/senior-index-dados-construcao-brasil

Região da Faria Lima registra metro quadrado residencial mais valorizado de São Paulo

O entorno da Avenida Brigadeiro Faria Lima, centro financeiro de São Paulo, registrou o metro quadrado residencial mais valorizado da cidade em 2023, conforme dados do Índice de Preço Real (IPR), estudo da Loft que acompanha mensalmente o preço do metro quadrado de todos os apartamentos da cidade. O potencial de valorização é resultado de uma demanda crescente, sobretudo, de pessoas de 30 a 45 anos que trabalham em bancos, gestoras de investimentos ou startups com sede na própria Faria Lima ou arredores. 

O público da região busca residências de alto padrão cercadas pelos melhores restaurantes, bares descolados e outras avenidas relevantes, como a Berrini, além dos Shoppings JK Iguatemi, Vila Olímpia e Iguatemi, do Parque do Povo e do Esporte Clube Pinheiros. Com facilidade de acesso às principais vias da capital, a localização também permite rápido acesso ao Aeroporto de Congonhas. É um verdadeiro centro cosmopolita que reflete a o melhor da atmosfera vibrante da capital paulista. 

Na paisagem dinâmica da região, destaca-se um edifício que se assemelha a uma obra de arte. O FLOAT by Yoo da SKR supera às expectativas mais exigentes. Em torre única com 14 andares, o empreendimento abriga apenas 29 apartamentos que são banhados o dia todo pelo sol e não se tocam, com paredes totalmente independentes. Os elevadores chegam a cada andar como se estivessem numa varanda, em um projeto meticulosamente pensado para refletir contemporaneidade através dos traços modernistas propostos por Ângelo Bucci (SPBR). Os espaços de convivência complementam a experiência, fugindo do óbvio, com a assinatura do Yoo Studio, o maior estúdio de design do mundo. 

Como o nome diz, o FLOAT Foi desenhado para dar a sensação de flutuar sobre a cidade aos moradores, como se os cômodos fossem pétalas ligadas ao centro do edifício. Trata-se do primeiro projeto residencial totalmente desenhado por Ângelo Bucci na cidade e o segundo em parceria com a SKR, pois o arquiteto assina também o retrofit do Nomad, localizado em Moema.  

De acordo com o fundador e CEO da SKR, Silvio Kozuchowicz, o FLOAT eleva a arquitetura de São Paulo em todos os níveis. “A arquitetura capta um desejo e, a partir dele, transforma nossas vidas. Nesse processo de trabalho coletivo, através dos traços do arquiteto Ângelo Bucci, uma vida de interação, criatividade e convivência se faz possível. Alcançamos o lugar mais alto que poderíamos almejar com este projeto”, afirma. 

A fachada marcante do FLOAT traz à Vila Olímpia um projeto cosmopolita que poderia estar localizado nas mais interessantes cidades do mundo. Minimalista, a comunicação visual do edifício apresenta linguagem gráfica urbana e é assinada pelo escritório Nitsche Arquitetos. Os símbolos e pictogramas sobre concreto aparente, os números das unidades em aço inox e os painéis em madeira e chapa perfurada resultam na combinação perfeita entre luz, sombra e reflexo, que rendeu ao projeto o LADAWARDS (Prêmio internacional Latin American Design Awards), o mais relevante reconhecimento de design da região, na categoria Enviromental Design.  

Para proporcionar uma experiência singular de moradia, cada planta é única. As metragens variam entre 61 m² e 70m² nos apartamentos tipo. Há opções duplex de 113 m² a 123 m² e coberturas, que vão de 117 m² a 138 m². Todas as unidades do FLOAT contam com 2 vagas de garagem.  

Nas áreas de convivência, há lounge, lounge estar e externo, solarium, espaço fitness, deck uma piscina contornada por um belo paisagismo em painéis verdes, canteiros ajardinados e áreas arborizadas, que trazem a natureza para dentro do projeto.  

Sofisticado, ousado e criativo, o FLOAT surpreende também pelo design. A curadoria de mobiliário das áreas comuns destaca peças assinadas e exclusivas, alinhadas ao perfil exigente da região.  Logo na recepção, elementos únicos, como a luminária Guarda-chuva, de Ana Neute, e a poltrona Lou Read, de Philippe Stark, harmonizam todo o ambiente. Já o Lounge traz toques de contemporaneidade com a luminária Zeppelin 2, de Marcelo Wanders e Flos; a luminária Tombo, de Guilherme Wentz; a luminária IC Light Floor, de Michael Anastassiades; e a poltrona C28, de Marcus Ferreira, da Carbono.  

Intimista, o Lounge Estar é valorizado com muita personalidade, a partir da luminária Twiggy, de Marc Sadler, da Foscarini; do banco Mocho, de Sergio Rodrigues; da mesa Lena, de Decarvalho Ateliter e das poltronas 720 Lady, de Marco Zanuso, da Cassina; e Ipanema, de Jorge Zalszupin.  No Lounge Externo, o design de interiores conta com a luminária Carambola, de Carol Gay; a mesa Log M, de Paola Navone, da Gervasoni; a poltrona Re-Trouve, de Patricia Urquiola, da EMU; e a banqueta Barstool, de Christophe Pillet.  

Reconhecimento

O FLOAT é um empreendimento singular. E tudo na história do edifício ressalta essa característica. O projeto foi premiado pelo America Property Awards2019/2020, um dos prêmios de arquitetura e design mais renomados do mundo, nas categorias “Melhor Residencial Vertical” e “Melhor Campanha de Marketing”, e foi reconhecido pela Premiação IABsp 2022, do Instituto de Arquitetos do Brasil/SP, como Edificação Residencial. Conquistou também o Master Imobiliário 2023 na categoria Empreendimento Residencial e foi selecionado para compor o Top 10 da GA, Global Architecture Document2022, dentre os 129 homologados na categoria de edificações.  

Apenas 12% dos imóveis à venda em Belo Horizonte e região metropolitana anunciam ter acessibilidade, aponta levantamento da Netimóveis

Divulgação de infraestrutura de acessibilidade em imóveis disponíveis para locação também tem baixo percentual

Levantamento realizado pela Netimóveis, maior rede de imobiliárias associadas do Brasil, revela que apenas 12% dos imóveis à venda em Belo Horizonte e região metropolitana destacam ter acessibilidade. No segmento de locação, o cenário é similar: 10% dos imóveis disponíveis para aluguel anunciam ter infraestrutura voltada para a mobilidade de pessoas com dificuldade de locomoção ou alguma deficiência. Esses números, porém, não necessariamente indicam a ausência de acessibilidade nos imóveis, mas uma lacuna na divulgação desse diferencial.

“Essa baixa representação na divulgação dos recursos de acessibilidade é uma questão crucial. Destacar a acessibilidade dos imóveis não apenas informa e orienta potenciais compradores ou locatários com necessidades específicas, mas também contribui para promover um ambiente mais inclusivo e consciente, fomentando uma cultura de inclusão no mercado imobiliário”, destaca a vice-presidente da CMI/Secovi-MG (Câmara do Mercado Imobiliário e Sindicato da Habitação de Minas Gerais), Flávia Vieira.

O artigo 58 da Lei Brasileira de Inclusão (LBI), de 2015, determina que os novos empreendimentos residenciais assegurem a acessibilidade nas áreas comuns e, na área interna, quando solicitado pelo comprador, sem custos adicionais. Uma das exigências, por exemplo, é ter cômodos com área suficiente para manobrar uma cadeira de rodas. A norma não afeta prédios já construídos.

Na avaliação de Flávia Vieira, a implementação de filtros de busca nos sites e portais imobiliários, destacando se os imóveis são adaptados e acessíveis a pessoas com dificuldades de locomoção, pode representar um importante aliado para a inclusão. “Com a implementação desses filtros, a busca por moradias adaptadas poderá ser mais eficiente e inclusiva, promovendo a realização do direito à moradia digna para todos os cidadãos”, afirma.

Além da lei, a NBR 9050 complementa a legislação ao estabelecer diretrizes técnicas a serem seguidas na construção civil para garantir a acessibilidade de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. Em Belo Horizonte e região metropolitana, a conformidade com essa norma é pré-requisito para avaliação e aprovação de novos projetos junto às prefeituras dos municípios. Só na capital mineira, mais de 40 mil pessoas têm algum tipo de deficiência motora, conforme a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Construção civil se adapta
Na concepção de espaços acessíveis, uma série de elementos devem ser cuidadosamente considerados durante o processo de construção, como as dimensões e proporções mínimas dos ambientes, a construção de rampas e calçadas com inclinações adequadas para facilitar a locomoção, a garantia de larguras mínimas em portas e corredores, a disposição de balcões e mobiliário em alturas acessíveis, bem como a implementação de sinalização tátil para orientar pessoas com deficiência visual, entre outros aspectos relevantes. Além disso, a preocupação com a acessibilidade não se restringe apenas às pessoas com deficiência, mas também abrange idosos, gestantes, pais com carrinhos de bebê e diversos outros grupos.

Para o arquiteto urbanista Alexandre Nagazawa, sócio-diretor da Bloc Arquitetura Imobiliária, aproveitar a acessibilidade como um diferencial de mercado pode ser uma estratégia inteligente, especialmente considerando o envelhecimento da população brasileira e a crescente demanda por imóveis adaptados. “Uma cidade acessível melhora a qualidade de vida de todos os seus habitantes, facilitando a locomoção e o acesso a serviços e oportunidades”, avalia. 

Ele destaca, ainda, a necessidade de arquitetos e profissionais da construção civil se manterem atualizados sobre as últimas revisões da norma, já que ela pode ser revista periodicamente para refletir avanços e mudanças nas práticas de acessibilidade e na legislação. “É importante que os arquitetos e urbanistas também considerem princípios de design inclusivo em seus projetos, indo além dos requisitos mínimos da norma para criar espaços que sejam acessíveis e acolhedores para todas as pessoas”, afirma.