Author admin

Virada Cury acontece neste fim de semana com descontos que chegam a R$ 100 mil

Nos dias 04 e 05 de dezembro, acontece mais uma edição da Virada Cury, a maior campanha de descontos promovida anualmente pela construtora. Durante 48 horas, a companhia oferece facilidades e promoções, auxiliando a aquisição de quem busca sua casa própria. Estão disponíveis apartamentos de 1 ou 2 quartos, a partir de R$ 158.900 mil. Este ano, os descontos chegam a R$ 100 mil e, pela primeira vez, a construtora inclui um lançamento, o Urban são Cristóvão, entre as opções de compra durante a campanha. Também estão disponíveis imóveis no Cury Ramos, na Zona Norte do Rio, e Completo Guanabara, em São Gonçalo.

“A Virada Cury é uma oportunidade de aproveitar descontos imperdíveis, no último evento do ano. Nesta edição, estão sendo disponibilizados imóveis diferenciados, com infraestrutura, em localizações de fácil acesso a transporte e comércio. Por isso, neste fim de semana, convidamos a todos a visitar os stands do Urban São Cristóvão e do Completo Guanabara, para conhecer os empreendimentos e aproveitar as ofertas”, diz Leonardo Mesquita, vice-presidente comercial da Cury.

Nos dois dias do evento, quem visitar os stands Urban São Cristóvão e do Completo Guanabara ainda contará com uma programação especial. As atividades começam às 9h e as vendas não tem hora para acabar, pois os corretores atenderão até o último cliente. Os interessados também podem obter informações e tirar dúvidas sobre as condições e ofertas com uma equipe de vendas especializada na página da promoção .

A Virada Cury está na quarta edição e a expectativa é repetir o sucesso de venda dos anos anteriores. Em edições anteriores, já foram registradas 120 vendas em um final de semana.

Confira abaixo alguns dos imóveis participantes da Virada Cury:

Urban São Cristóvão: apartamentos de 1 e 2 quartos, a partir de R$ 215 mil. O empreendimento tem opção de suíte e lazer completo com bicicletário, piscina, praça de convivência, praça de encontro, playground, salão de festas, salão de jogos, academia, lavanderia, rooftop, brinquedoteca, pet care e cross fit externo. Pertinho da Av. Brasil, fácil acesso ao Centro e transporte para os principais pontos da cidade do Rio. Mais detalhes, clique aqui . .

Stand de vendas: Campo de São Cristóvão, 344 – São Cristóvão. Rio de Janeiro – RJ

Cury Ramos: unidades de 1 e 2 quartos com opção de suíte e amplo lazer, contando com churrasqueira, espaço fitness e play. Apartamentos a partir de R$ 182 mil. Perto da Av. Brasil e principais vias do Rio de Janeiro, fácil acesso aos shoppings da região. Informações aqui.

Stand de Vendas: Rua Cardoso de Morais, 235, Bonsucesso. Rio de Janeiro – RJ

Completo Guanabara: apartamentos de 1 e 2 quartos, com amplo lazer e fácil acesso às barcas e à Ponte Rio-Niterói. Perto do comércio e conveniência da região. Informações aqui.

Stand de Vendas: Rua Dr. Alberto Torres, Lote 2c, Neves. São Gonçalo – RJ

Mercado Bitcoin e Even realizam live sobre parceria para aceitação de BTC e ETH para pagamento de imóveis

O Mercado Bitcoin, maior corretora de criptoativos da América Latina, e a Even, uma das maiores construtoras e incorporadoras do Brasil, realizam nesta segunda-feira (06/12) live para abordar a recém-anunciada parceria entre as empresas para a utilização de Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH) nas compras de apartamentos e outros imóveis.

Fernando Feller, head de novos negócios imobiliários, do Mercado Bitcoin, e o CFO da Even, Carlos Wollenweber, falarão ao vivo, a partir das 17 horas, no canal da exchange no YouTube, e abordarão os detalhes sobre a aceitação de criptomoedas pela construtora, em que os clientes podem pagar até 100% do valor total dos empreendimentos usando esse tipo de ativo.

O mercado das criptomoedas nunca foi tão popular quanto agora. Segundo o levantamento Blockchain LATAM Report, realizado em oito países da América Latina, 45% dos brasileiros indicam que estão ganhando ainda mais confiança depois de ler e compreender sobre criptos. O estudo indicou ainda que 32% dos brasileiros acreditam que o uso das criptomoedas pode aproximar as economias mundiais e 31% falaram que os criptoativos podem facilitar o intercâmbio internacional de dinheiro.

Parceria Even e Mercado Bitcoin

Dia: Segunda-feira (06/12)

Horário: às 17h

Link

Venda de imóveis residenciais no Rio de Janeiro cresce 44% no acumulado do ano

De janeiro a novembro deste ano, a venda de imóveis residenciais na cidade do Rio de Janeiro apresentou crescimento de 44%, em comparação com o mesmo período do ano passado, superando 40 mil unidades vendidas, somando aproximadamente R$ 30 bilhões em negócios.

Somente no mês de novembro, o crescimento nas vendas de imóveis na Zona Sul foi de 18%, em comparação ao mesmo mês do ano passado, totalizando 848 unidades. Já na Barra e no Recreio houve uma queda de -11%, em relação ao mesmo período de 2020, com um total de 596 unidades.

Entretanto, essa queda registrada na Barra e no Recreio não é vista com preocupação por Fred Judice Araujo, co-fundador e head de Produto, Marketing e Dados da HomeHub, plataforma de tecnologia imobiliária que atua por meio de franquias conectadas em rede, com uma operação no modelo “figital” (físico e digital). “A base de comparação dos últimos 4 meses do ano passado é alta, refletindo a retomada do mercado após a queda inicial por conta da pandemia e o baixo patamar de juros, de 2% ao ano na época. Por isso, é normal vermos alguns bairros oscilarem e até encontrarem uma certa estabilidade nas vendas em um alto patamar”, afirma.

De acordo a última pesquisa da Abecip, o crédito imobiliário no país alcançou a marca histórica de R$ 203 bilhões financiados ao considerarmos os últimos 12 meses até outubro. Com isso, podemos notar que mesmo com a inflação em alta, com o IPCA acumulando 10,67% nos últimos 12 meses e com a consequente alta dos juros, as pessoas têm recorrido ao crédito imobiliário para comprar o seu imóvel, é o que aponta os números do setor frente aos anos anteriores.

Venda de imóveis por bairro


Ao analisar a participação dos principais bairros da Zona Sul do Rio de Janeiro referente às vendas acumuladas de janeiro a novembro, o crescimento registrado foi de 62% em relação ao mesmo período de 2020, somando 8.834 unidades. Os bairros com maior participação no total de transações foram Copacabana, com 25,4%, seguido por Botafogo e Flamengo com 12,9%, Leblon 9,0%, Ipanema 8,7% e Laranjeiras 7,1%. Todos os demais bairros analisados, juntos, somaram 23,9%.

De janeiro a novembro, todos os bairros analisados no estudo tiveram crescimento expressivo nas vendas, de no mínimo 2 dígitos, em relação ao mesmo período do ano anterior, sendo: Urca +173%, Flamengo +153, Gávea +135%, Leme +118%, Santa Teresa +99%, Glória +92%, São Conrado +89%, Catete +88%, Lagoa +65%, Humaitá +60%, Botafogo +57%, Jd. Botânico +55%, Laranjeiras +52%, Barra +48%, Jd. Guanabara +45%, Copacabana +44%, Ipanema +43%, Recreio +35% e Leblon +28%.

A análise foi elaborada pela área de inteligência da HomeHub, e teve como base a arrecadação de ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Imóveis) da Prefeitura do Rio de Janeiro.

Confira abaixo os gráficos das vendas do período:

Housi chega a Salvador com o lançamento do Porto Privilege na Barra

O boêmio Porto da Barra foi o local escolhido para a implantação da primeira Housi da capital baiana. A novidade, que traz o ineditismo da moradia por assinatura, será oficializada nesta quinta-feira, 25 de novembro, durante o lançamento do Porto Privilege by Housi. A iniciativa é da Carozo Desenvolvimento Imobiliário, em parceria com a Giro Empreendimentos e a APS Engenharia Estratégica, com previsão de entrega em 2024.

Sob a gestão da Housi, as unidades contarão com um processo para locação 100% digital e sem burocracia, imóveis mobiliados e diversos serviços e facilidades agregados, como limpeza, manutenção, suporte 24hs, Netflix, IFood, personal trainer, entre outras dezenas de soluções que otimizam o dia a dia dos moradores. Para o investidor que compra o apartamento com a finalidade de alugar para rentabilizar, a Housi atua como uma plataforma de gestão patrimonial eficiente, proporcionando tranquilidade ao proprietário e uma rentabilidade que pode atingir 50% a mais que locações tradicionais.

De acordo com Francisco Carozo, CEO da Carozo DI, a Housi surgiu com o propósito de ressignificar a forma de morar. A tendência é desapegar da residência fixa e desfrutar da liberdade de morar em locais diferentes, por quanto tempo desejar. A ideia é optar pela moradia temporária, usá-la como um serviço e aproveitar diferentes experiências.

Para concretizar esse novo marco, o projeto do Porto Privilege conta com 14 andares, sendo 13 pavimentos com 106 unidades residenciais e o Rooft, em um terreno de 722,06 m². A planta apresenta 40 quartos/sala com 29,48m², 64 studios premium com 19,87m² e 2 loft com 42,46m² e 59,02m², todos mobiliados e decorados por meio da HousiDecor.

Unir o conceito da Housi à força da Carozo é ingressar no mercado de Salvador com o pé direito. E o maior beneficiado é sempre o consumidor final. Proporcionamos uma experiência única, tecnológica e sofisticada de moradia. O mundo hoje funciona por demanda. As pessoas não querem mais ter a posse e, sim, a experiência, o serviço. A Housi chegou para cumprir esse papel no mercado imobiliário, oferecendo moradia por assinatura, sem burocracia, tudo em menos de um minuto”, explica o CEO da Housi, Alexandre Frankel.

Lazer na Moradia

Para unir bem-estar, trabalho e diversão, o empreendimento conta com academia, espaço gourmet, piscina com deck molhado e borda infinita, bar, sala de jogos, espaço zen, academia, lounge, pet place, lavanderia, coworking, bicicletário, guarderia de pranchas, ferramentaria, depósitos, além do espaço Grab and Go – local onde o consumidor adquire alimentos e bebidas, que já ficam prontos e embalados, poupando o tempo do pedido e da espera pela preparação. Além disso, terá 9 vagas de garagem, sendo 7 comuns e 2 privativas.

Alta tecnologia construtiva

O engenheiro Alexandre Pedral, fundador da APS Engenharia Estratégica, construtora responsável pela obra do Porto Privilege, destaca a alta tecnologia que será adota para erguer o empreendimento. “A aplicação de inovações construtivas objetiva identificar de forma preventiva qualquer problema que venha a ocorrer e solucioná-lo sem atrasar o cronograma, aumentando a produtividade no canteiro de obra”.

A Tecnologia da Informação dentro da moderna engenharia permite, por exemplo, utilizar as ferramentas de softwares para visualizar as plantas de um projeto em 3D, com as interfaces interligadas. Essas técnicas ainda oferecem outros benefícios como a energia fotovoltaica, reuso de águas pluviais, utilização de equipamentos economizadores de água, esquadrias com tratamento acústicos, dentre outros.

“O residencial vai agregar inovação construtiva, além de estar sendo preparado para se adaptar às futuras atualizações tecnológicas. Seguimos os avançados procedimentos para atender aos mais exigentes requisitos técnicos em todas as fases da obra. A meta principal do projeto de engenharia é oferecer qualidade e segurança, propiciando maior durabilidade da edificação e sua fácil manutenção, evitando problemas antes recorrentes em edifícios antigos”, detalha Alexandre Pedral.

Atrativo para investidores

Do ponto de vista do investidor, a Housi tem se tornado atrativa por todas as facilidades de gestão citadas e, em especial, por um aspecto: a rentabilidade. Francisco Carozo observa que, com o investimento da plataforma em inteligência artificial, a Housi conta com algoritmos que acompanham as oscilações do mercado, identificando o melhor preço para cada momento, garantindo a atratividade do imóvel e, portanto, a contínua ocupação. “Essa é uma grande sacada para buscar o melhor preço de acordo com cada período e não deixar o imóvel sem alugar. Quando um imóvel é plugado na plataforma da Housi, ele passa a integrar diversas outras frentes digitais, como Airbnb, Imóvel Web, Zap, o que garante um amplo alcance e uma alta procura”, informa.

A escolha do Porto da Barra para abrigar a chegada da Housi à Salvador é um atrativo adicional, na visão dos investidores. Afinal, morar na Barra não é só charmoso. O bairro é reconhecido por ter uma excelente localização, uma infraestrutura completa na vizinhança, acesso fácil para qualquer lugar da cidade e uma vista que dispensa comentário. “Para completar, especialistas atestam que imóveis bem localizados levam a uma apreciação média de 7% ao ano. Além do investidor estar protegido contra a inflação, por meio do aluguel, ele tem uma rentabilidade adicional relacionada à localização do imóvel”, conclui Francisco Carozo.

A plataforma funciona como gestão patrimonial por meio HousiPay – sistema de pagamentos de contas de consumo, que garante ao investidor zero de preocupações. Tudo do imóvel pode ser acompanhado pelo celular num dashboard simples e objetivo.

Perfil de uma nova demanda

Segundo Alexandre Frankel, a Housi entende que a verdadeira moradia é a casa que acompanha a pessoa ao longo da sua vida. As pessoas não querem mais necessariamente comprar a sua própria moradia, mas usá-la como um serviço. A pessoa contrata pelo prazo que quer e pode se mudar de acordo com cada momento da vida e suas necessidades. Mudou de trabalho? É só procurar a Housi mais próxima. Uma ideia revolucionária, que está alinhada com os novos hábitos e principalmente a nova geração.

Nova parceria

A Carozo Desenvolvimento Imobiliário, pioneira em Salvador na parceria com a plataforma Housi de São Paulo, anunciou recentemente que estende suas atividades no mercado imobiliário baiano. “Vamos promover para a Housi a prospecção de novos negócios e a busca de parceiros interessados em oferecer produtos inovadores num mercado de alta procura e em franco crescimento”, revela Ivana Caroso, presidente do Conselho de Administração da Carozo DI.

O que o Síndico pode decidir sem convocar assembleia?

Por José R. Iampolsky, CEO da Paris Condomínios

Ser síndico não é uma tarefa fácil. Apesar de recentes transformações e das informações e materiais disponíveis atualmente, ainda surge uma dúvida: até que ponto o síndico pode tomar decisões sozinho?

Essa é uma dúvida muito comum, afinal, viver em condomínio é fazer um eterno exercício de tolerância e respeito, uma vez que se conhece e se convive com pessoas de diferentes temperamentos, gostos e hábitos, que compartilham os mesmos espaços. É pensar na necessidade coletiva.

Sendo assim, o síndico tem uma grande responsabilidade: procurar a harmonia e zelar pela segurança e patrimônio de todos os moradores, levando sempre em conta a decisão da maioria.

Frequentemente, por falta de conhecimento, muitos destes gestores acabam ultrapassando os limites de sua autoridade dentro do condomínio.

Por isso, para evitar situações de conflito, medidas extremadas ou até processos judiciais, o síndico precisa ter ciência do que ele pode decidir por conta própria, sem necessidade de uma assembleia.

Veja o que ele pode fazer:

Contratar ou demitir funcionários, desde que a decisão não interfira nas contas do condomínio.

Media conflitos entre moradores, desde que haja imparcialidade.

Cobrar os devedores do condomínio, nos termos acordados pela convenção condominial, de maneira amigável. O síndico também poderá contratar uma empresa especializada em cobrança para não ter que se preocupar com mais essa função.

Mas é preciso atentar para as formas de cobrança que serão executadas por essa empresa contratada. Se for na forma garantida, a empresa irá adiantar a receita do condomínio. Nesse caso, a cobrança deve ser aprovada em assembleia, pois será cobrada uma taxa de serviço.

Porém, em caso de cobrança extrajudicial, não haverá custos para o condomínio e a empresa ficará responsável de cobrar essas cotas condominiais atrasadas, sendo desnecessária a realização de assembleia para a aprovação do serviço.

O síndico pode comunicar o número de unidades inadimplentes, mas sem identificar o morador inadimplente.

Ele pode aplicar advertência e, na reincidência, multar os moradores que estejam infringindo as regras, desde que esteja previsto na convenção do condomínio.

A ele também é permitido executar obras emergenciais, como um cano que estourou ou um vazamento de gás, que necessitam de reparo imediato, porém é preciso considerar o valor da obra.

Caso a obra seja de baixo custo, o síndico poderá agir sem necessidade de convocar assembleia. Na possibilidade de custos mais elevados, ele também poderá tomar as medidas necessárias, mas precisará convocar a assembleia para a prestação de contas dos valores gastos.

Outra ação importante que ele pode fazer sem necessidade de reunir os condôminos é executar campanhas de conscientização sobre os mais diversos temas.

Ele pode ainda entrar na unidade em caso de urgência e emergência (incêndio, vazamentos, entre outros). Embora seja sempre indicado esperar por ajuda profissional (bombeiros, polícia, Samu), existem circunstâncias em que a ação rápida pode evitar ocorrências bastante sérias e graves.

Como se pode observar, este profissional pode agir com autonomia em diversas situações. No entanto, sempre que houver alguma dúvida para a tomada de decisões importantes para o condomínio, o ideal é levar o assunto para votação.

Lançamentos de imóveis crescem 49,4% e vendas sobem 14,6% no acumulado de 2021

O Indicador ABRAINC-Fipe do último trimestre móvel (junho, julho e agosto de 2021) mostra que a tendência positiva do setor se manteve firme no período. De acordo com 18 empresas associadas à ABRAINC (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias), foram lançadas 35.836 unidades ao longo do último trimestre móvel (junho, julho e agosto de 2021), o que corresponde a uma alta de 28,5% na comparação com o mesmo período do ano anterior. Com o resultado, o número de unidades lançadas atingiu 78.877 imóveis no acumulado do ano (janeiro a agosto de 2021), o que equivale a uma alta de 49,4% sobre igual intervalo de 2020. Já nos últimos 12 meses, encerrados em agosto de 2021, os lançamentos envolveram 147.159 novas unidades disponibilizadas, aumento de 34,6% ante o período precedente.

Comparativamente, foram comercializadas 38.403 unidades no último trimestre móvel, o que representa um incremento de 1% em relação ao volume transacionado no mesmo período de 2020. No balanço parcial de 2021, de janeiro a agosto, as vendas envolveram 97.318 unidades – alta de 14,6% em relação ao mesmo período de 2020. Finalmente, nos últimos 12 meses encerrados em agosto de 2021, as 150.928 unidades comercializadas pelas incorporadoras contribuíram para um acréscimo de 19,9% nas vendas sobre o intervalo anterior. Nos respectivos horizontes comparativos, as vendas líquidas, excluindo-se as unidades distratadas no mesmo período, também foram positivas: altas de 4,4%, no último trimestre móvel, 17,4%, no acumulado do ano, e 23%, nos últimos 12 meses.

Segmentação 

No campo residencial, os empreendimentos enquadrados no Programa Casa Verde Amarela (CVA) mantiveram sua representatividade em lançamentos (73,3%) e vendas (82,5%) nos últimos 12 meses. Em termos de unidades lançadas, o segmento registrou uma queda de 13,5% no último trimestre móvel, contrastando com alta de 14,4% no acumulado do ano, e de aumento de 16,1%, nos últimos 12 meses. Já em relação às vendas, o recuo de 3,6% no último trimestre móvel contrastou com acréscimos de 13,5% no acumulado do ano e de 21% nos últimos 12 meses.

Comparativamente, o desempenho do segmento residencial de Médio e Alto Padrão (MAP) tem se destacado no mercado. O último trimestre móvel apresentou uma elevação de 266,7% sobre o mesmo período de 2020, subsidiando uma alta de 217,7% no acumulado do ano, e um avanço notável de 135,7% em 12 meses, encerrados em agosto de 2021. Já as vendas registram um crescimento de 25% no trimestre móvel, ante igual intervalo do ano passado, um aumento de 20,3% de janeiro a agosto de 2021, e uma alta de 16,9% nos últimos 12 meses.

Construtora investirá R$ 400 milhões em unidades habitacionais populares

Perspectiva Teen – Crédito: Divulgação

A Sociedade de Propósito Específico (SPE) TEEN Imobiliário investirá R$ 400 milhões na Zona Leste de São Paulo (SP), para erguer 2,7 mil unidades habitacionais populares nos bairros da Mooca e Anália Franco.

O investimento se dará por meio da primeira parceria público-privada (PPP) habitacional do país, que tem o objetivo de entregar, ao todo, mais de 25 mil apartamentos populares na cidade.

Um dos aspectos econômicos e financeiros diferenciados será a modelagem de obtenção de crédito para os futuros moradores. Isso porque a própria TEEN vai orientar as famílias junto à Caixa Econômica Federal, que inclui subsídios em função da classe de renda. O foco está em atender interessados com faixas de renda entre um e seis salários mínimos, com enquadramento nos programas habitacionais da Cohab (Companhia Metropolitana de Habitação de São Paulo).

A empresa realizará, ainda, um trabalho social, antes e depois da ocupação dos apartamentos, e será a responsável pela manutenção predial por até 20 anos. “Trata-se de outro diferencial na comparação com modelos tradicionais”, avalia o arquiteto e urbanista Gustavo Partezani, executivo da TEEN. “Após a entrega das chaves, as construtoras praticamente deixam de ter vínculo com os condôminos. Nós, ao contrário, apoiaremos inclusive a organização dos futuros moradores”.

Outro lote da PPP em São Paulo (SP), no bairro de Heliópolis, com expectativa de construir mais 1,1 mil unidades habitacionais, também ficará a cargo da TEEN Imobiliário.

ABRAMAT: Indústria de Materiais de Construção segue otimista

A ABRAMAT (Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção) divulga nesta quarta-feira, 01, a nova edição do Termômetro da Indústria de Materiais de Construção. A pesquisa de opinião realizada com as lideranças do setor indica que as empresas associadas estão otimistas sobre os resultados de novembro. A apuração indicou que 13% esperam um desempenho muito bom, 39% bom e 39% regular. Somente 9% dos associados têm expectativas negativas quanto aos resultados do mês.

O termômetro de novembro também aponta a projeção para o último mês do ano. O estudo indica que a expectativa sobre dezembro é muito boa para 4% dos associados, enquanto para 22% o mês deve ser de bons resultados. A regularidade nas vendas foi o resultado mais apontado, com 65%. Novamente, apenas 9% dos associados têm expectativas negativas para dezembro.

A pesquisa traz os dados consolidados de outubro de 2021, indicando que o mês foi de resultados positivos para setor, com 26% dos associados considerando o período muito bom, 30% bom e 43% regular.

Sobre o nível de utilização da capacidade instalada da indústria de materiais, em novembro a utilização da capacidade industrial atingiu 80%. Já as pretensões de investimento apresentaram aumento de 6 p.p. sobre outubro, com 83% das indústrias de materiais indicando investimentos nos próximos 12 meses, seja para aumento da capacidade produtiva, seja para modernização dos meios de produção.

Os dados apurados indicam um final de 2021 positivo para a indústria de materiais de construção. Em julho desse ano revisamos para cima a expectativa de crescimento do faturamento do segmento para 8%, algo que deve se confirmar ou até ser superado. A construção desse resultado vem sendo registrado no termômetro da ABRAMAT, com avaliações majoritariamente positivas feitas pelos nossos associados ao longo de todo o ano“, revela Rodrigo Navarro, presidente da ABRAMAT.

Imóveis comerciais devem ter nova configuração devido à pandemia

Foto: Diego Pisante

Home office e a necessidade de adaptações à realidade pandêmica devem determinar novos rumos no setor da construção civil.

Os quase dois anos de pandemia de COVID-19 foram determinantes para reconfigurar as necessidades de empresas quando o assunto são os imóveis comerciais. Tanto as possibilidades de trabalho remoto quanto o cuidado com colaboradores, clientes e qualquer pessoa que transite pelos escritórios têm gerado novas demandas do setor, o que deve impactar em futuros lançamentos. 

Segundo o engenheiro civil Maurício Wildner da Cunha, da Construtora Andrade Ribeiro, de Curitiba, a busca por mais qualidade de vida, algo que movimentou a sociedade neste período, gerou nova visão sobre os empreendimentos comerciais. Cunha aponta algumas características que podem surgir nos próximos lançamentos: ambientes com maior circulação de ar; áreas de convivência maiores, com mais iluminação natural; áreas de carga e descarga independentes das zonas de circulação de usuários; e espaço de atendimento ao público com limitações de contato ou mesmo que tenham atendimento remoto. 

“Empreendimentos com fachadas envelopadas com vidro para maior iluminação podem ser uma tendência aplicada à construção civil para melhorar a qualidade de vida no trabalho. Além disso, a renovação de ar com filtragem também pode ser uma tendência, bem como áreas comuns amplas com paisagismo. Outro ponto é o automatismo de catracas e elevadores, evitando o contato com as superfícies”, avalia o engenheiro. 

Aplicação na prática 

Cunha cita como exemplo de construção com essas características o AR3000, edifício localizado no bairro Cabral, em Curitiba. O projeto, da Construtora Andrade Ribeiro, foi planejado para ter ventilação natural em todos os conjuntos, bem como renovação de ar automatizada. “O hall de entrada tem pé-direito triplo, garantindo um ambiente com excelente qualidade do ar, além muita área para circulação dos usuários, o que dificulta aglomerações”, explica. 

Além disso, o empreendimento conta com bicicletários, o que oferece aos usuários opção de um meio de transporte mais alternativo e, assim, evitar o uso de transporte coletivo. “Soma-se a isso a localização privilegiada, em área de características residenciais e de fácil acesso, evitando as concentrações de veículos e pessoas”, afirma. 

O edifício possui a certificação LEED Platinum, da organização norte-americana United States Green Building Council (USGBC) para fomentar práticas sustentáveis de construção. A classificação leva em consideração requisitos como localização e transporte; espaço sustentável; energia e atmosfera; e qualidade ambiental interna. 

Demanda 

Segundo o engenheiro, ainda que a pandemia tenha trazido impacto para o setor, por causa da migração de trabalhadores para o modelo remoto, com o avanço da imunização a situação tende a melhorar e a procura por imóveis comerciais pode aumentar. “Hoje acreditamos que apenas uma pequena parte dos trabalhadores continuarão em home-office. Logo, a demanda por salas comerciais deve retomar”, afirma. 

Even é a 1ª incorporadora a aceitar pagamento até 100% em criptomoedas

A Even, uma das maiores construtoras e incorporadoras do Brasil sai na frente ao aceitar criptomoedas para a compra de seus imóveis com limite acima da média do mercado imobiliário, podendo chegar até a 100% do valor total dos empreendimentos.

As operações da Even serão realizadas em parceria com o Mercado Bitcoin, a maior plataforma de criptomoedas e ativos digitais da América Latina, que conta com mais de três milhões de clientes. “Entre as alternativas, poderão ser utilizados o Bitcoin, uma das criptomoedas mais conhecidas quando falamos em investimentos deste segmento, e a Ethereum, segunda mais popular do mercado e muito utilizada para a realização de aplicações descentralizadas”, explica Marcelo Dzik, Diretor Executivo de Incorporação da Even.

De acordo com o executivo, a iniciativa visa atender a demanda crescente desse mercado. “Queremos facilitar a vida dos nossos clientes e oferecer a possibilidade de pagamento ágil nesse tipo de moeda que tem crescido bastante ou em outras que venham a surgir”, reforça. Todos os empreendimentos da companhia estarão disponíveis para essa modalidade.

O mercado das criptomoedas nunca foi tão popular quanto agora. Segundo o levantamento Blockchain LATAM Report, realizado em oito países da América Latina, 45% dos brasileiros indicam que estão ganhando ainda mais confiança depois de ler e compreender sobre criptos. O estudo indicou ainda que 32% dos brasileiros acreditam que o uso das criptomoedas pode aproximar as economias mundiais e 31% falaram que os criptoativos podem facilitar o intercâmbio internacional de dinheiro.

FonteBlockchain LATAM Report