Category Mercado Imobiliário

Índice de Variação de Aluguéis Residenciais varia 0,36% em novembro

O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) varia -0,36% em novembro de 2022, o que representa uma desaceleração em relação à taxa mensal de 0,10% registrada no mês anterior. Com o resultado, a taxa acumulada em 12 meses passou de 11,56% em outubro para 10,28% em novembro.

 

Entre outubro e novembro, o aluguel residencial apresentou queda nas cidades de São Paulo (de -0,69% para -0,32%), Belo Horizonte (de 0,86% para -1,21%) e Porto Alegre (de 1,10% para -1,13%). A única cidade a registrar alta foi o Rio de Janeiro, onde a variação saltou de 0,04% para 1,55%, conforme ilustra o gráfico do release.
 

As taxas interanuais (novembro 22 / novembro 21) desaceleraram para as seguintes cidades componentes do IVAR: Porto Alegre (de 10,33% para 8,79%), Belo Horizonte (15,66% para 13,13%) e São Paulo (de 10,68% para 9,48%). Já para a cidade do Rio de Janeiro (12,07% para 12,16%) a taxa interanual acelerou.

O IVAR foi desenvolvido para medir a evolução mensal dos valores de aluguéis residenciais do mercado de imóveis no Brasil. Ver mais sobre a metodologia do índice no Box incluído ao final deste release.

A próxima divulgação do IVAR ocorrerá em 06 de janeiro de 2023.

Vogue Square Fashion Hotel by Lenny Niemeyer investe R$ 6 milhões em retrofit e retoma forte rota de crescimento

Em 2 anos de revitalização, empreendimento que conta com administração própria, e forte trabalho de Revenue Management, sai de prejuízo, faz melhorias e se consolida no RJ

O Vogue Square Fashion Hotel by Lenny Niemeyer, hotel conceito localizado na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, dentro do complexo de luxo Vogue Square, vai encerrar 2022 tendo concluído seu retrofit com investimentos acima R$ 6 milhões. Foram quase dois anos de revitalizações para entregar aos hóspedes um empreendimento praticamente novo, sem perder a essência de serviços de alto padrão, o que o posicionou no cenário nacional, quando inaugurado em 2016.

A entrega do retrofit, que contemplou não apenas os apartamentos e áreas comuns, mas também o centro de convenções, vem junto com nova fase de gestão do empreendimento, que optou por administração própria e internalizada, e com um forte trabalho de gestão pessoas, processos e tecnologia, além de uma estratégia de revenue management. Isso tirou o empreendimento de um cenário deficitário, até meados de 2021, para um superávit, que viabilizou as melhorias.

Ao longo dos últimos dois anos, o hotel com 222 apartamentos divididos em três categorias e um centro de convenções para aproximadamente 1.000 pessoas, saiu de uma taxa média de ocupação de 30 % para mais de 85%, mesmo tendo aumentado sua diária média. Além disso, atualmente tem um RevPar de cerca de R$ 300,00;

“Mesmo com a pandemia, conseguimos manter o equilíbrio financeiro do empreendimento com estratégia eficiente e hoje os efeitos dela já não nos afetam”, destacou Rodolfo Oliveira, CEO da XR Advisor, empresa que vem conduzindo o processo de mudança na gestão como sócio operador. “Um dos diferenciais desse modelo é que um gerente geral conectado com o mundo atual e pessoas, aliado a processos e tecnologia fazem com que tenhamos uma otimização ampla nos resultados e com o essencial olho de dono”, completou.

Detalhes do Retrofit

Os R$ 6 milhões investidos contemplaram a modernização dos elevadores, além de uma repaginação dos apartamentos em relação a persianas, estofados, banheiras, piscina, sistema de tubulação de ar, mobília. O centro de convenções também recebeu melhorias no espaço e também na mobília e o contato com os hóspedes teve um incremento na experiência oferecida: com investimento em marketing olfativo.

E as melhorias não vão parar por aí. Nas próximas semanas, toda a mobília do lobby será trocada já com foco nas festas de final de ano e “vamos oferecer ainda mais experiências aos hóspedes, no que se refere à gastronomia e relacionamento de alto padrão”, reforçou Oliveira, que já vislumbra novos investimentos para o empreendimento em 2023. “Um hotel de sucesso, além da evolução contínua na entrega dos serviços, precisa estar em constante melhoria e saber onde investir e como captar recursos é a fórmula mágica dessa operação”.

Even lança empreendimento no bairro do Brooklin com lazer absoluto e serviços exclusivos

A Even lançou no último sábado, dia 03/12, o Joaquim, um empreendimento localizado em região privilegiada no bairro do Brooklin. Com 92 unidades, divididas em duas de tipo Garden e 90 com quatro dormitórios (168,50 m²), o projeto tem lazer que vai além das expectativas, com quadra esportiva, sauna seca, sala de massagem, piscinas adulto, infantil e coberta com raia de 25 metros, safe storage, entre outros. A região está repleta de área verde, com o recém-inaugurado Parque Bruno Covas, que margeia o Rio Pinheiros, e o Parque do Povo que oferecem infraestrutura para caminhadas, exercícios e ciclovias.

Para oferecer o máximo de conforto aos seus clientes, o rol de serviços exclusivos do condomínio inclui personal trainer, car-wash, carregamento de carros elétricos, expedição e minimercado autônomo, além do SmartHome Even, que integra gestão condominial inteligente, oferta de serviços, gestão de entregas e a promoção de comunidade entre vizinhos.

“O Joaquim e sua gama de serviços reforçam nosso conceito de projetar espaços e produtos para atender as demandas de nossos clientes, colocando-os sempre em primeiro lugar”, explica Marcelo Dzik, diretor de incorporação da Even. “A planta do Joaquim é inteligente e bem integrada, com espaços amplos e bem divididos: perfeita para famílias.”

Com projeto de arquitetura da Königsberger Vannucchi Arquitetos Associados, a fachada do Joaquim é elegante, contemporânea e transmite uma sensação de acolhimento através de texturas e materiais com aspecto de madeira, tons neutros e quentes. A volumetria é rica em detalhes que desvendam diferentes impressões a cada novo olhar, seja pedestre ou de um ponto de vista mais distante, sempre com muita personalidade.

Inserido em uma região que está em constante renovação, o Brooklin combina seu lado tradicional com a modernidade de um dos maiores centros corporativos da cidade. Está localizado estrategicamente próximo a importantes pontos de São Paulo e no seu eixo de crescimento e valorização, oferecendo ampla gama de lazer e consumo de alto padrão. A 3 minutos do Shopping Morumbi, 7 minutos da estação Brooklin de metrô e a 20 minutos de bike do Parque do Povo, o Joaquim está localizado estrategicamente na cidade.

Ficha técnica

Incorporação e Construção: Even Construtora e Incorporadora

Projeto de Arquitetura: Königsberger Vannucchi

Projeto de Paisagismo: Núcleo Arquitetura da Paisagem

Projeto de Decoração: Sala2 Arquitetura e Design

Endereço: R. Joaquim Guarani, Nº 322 – Brooklin

Terreno: 3.411,15 m2

92 Unidades Residenciais:

Tipo – 90 Unidades

168,50 M² | 4 Dorms.

2 Vagas por Unidade

Garden – 2 Unidades

Final 3: 244,58 M² | 4 Dorms.

Final 4: 295,24 M² | 4 Dorms.

2 Vagas por Unidade

Venda de novos imóveis acumula alta de 13,5% no ano, aponta indicador ABRAINC-FIPE

O número de novos imóveis vendidos no Brasil acumula um crescimento de 13,5% nos oito primeiros meses de 2022, quando comparado com o mesmo período do ano passado. Ao todo, 110.033 unidades foram comercializadas de janeiro a agosto deste ano. Os dados fazem parte de um levantamento realizado com 18 empresas associadas à ABRAINC (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias) em parceria com a FIPE (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas).
 

O segmento de Médio e Alto Padrão (MAP) mantem-se como o destaque. Nos oito primeiros meses de 2022, os imóveis do tipo acumularam uma alta 87,4% nas vendas e atingiram 30.441 unidades comercializadas.
 

Por sua vez, os dados do segmento Casa Verde e Amarela (CVA) comercializou 77.458 moradias. O CVA segue em recuperação ao longo do ano, refletindo as medias que foram implantadas no decorrer de 2022 e proporcionaram uma melhora nas condições de financiamento as famílias de baixa renda e que um número maior de famílias possa realizar a compra de uma moradia digna.
 

Ao longo dos oito primeiros meses de 2022, 75.544 novos empreendimentos foram lançados em todo o Brasil, de acordo com o levantamento.
 

No período, também foram entregues 56.556 unidades, o que aponta um crescimento de 18,4% em relação ao observado no mesmo intervalo do ano passado. Os empreendimentos do CVA foram responsáveis pela maior parcela das unidades entregues com 50.683 imóveis (alta de 17,6%), e os do MAP registraram 5.373 entregas e um crescimento de 14,8%.
 

O presidente da ABRAINC, Luiz França, destaca que o setor da incorporação imobiliária segue com um bom desempenho e os indicadores refletem uma gradual melhora no ambiente econômico: com queda no desemprego, arrefecimento nos custos da construção, aumento da renda das famílias, entre outros indicadores. Com esse cenário, aumenta a expectativa positiva para lançamentos de novos empreendimentos nos próximos meses, o que indica que os players do setor se mantêm confiantes no mercado e enxergam boas perspectivas para o setor em 2023”, afirma o dirigente.

ABNT lança Norma de Garantias de Edificações

Documento conta com diretrizes para o incorporador, construtor ou prestador de serviços da construção estabelecer as condições e prazos de garantias

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) realizará no dia 12 de dezembro, às 14h, no Secovi-SP, o lançamento da norma ABNT NBR 17170 Edificações — Garantias — Prazos, com transmissão ao vivo pelo YouTube.

O evento será realizado em parceria com a Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (ABRAINC), Câmara Brasileira da Habitação (CBIC), COBRACON, Secovi-SP e Sindicato da Industria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) e tem como objetivo apresentar as características da norma, que conta com diretrizes para que o mercado estabeleça condições, prazos e garantias em edificações.

Para o presidente da ABNT, Mario William Esper, o documento representa um marco na cadeia produtiva da construção civil brasileira em prol da qualidade. “Para o cliente, seja o usuário ou proprietário de qualquer tipo de edificação, esta Norma é um instrumento de referências técnicas e de diretrizes no que diz respeito às garantias, em conjunto com o manual de uso, operação e manutenção das edificações e documento específico fornecidos pelo construtor, incorporador ou prestador de serviços de construção em edificações de toda natureza de uso”, explica.

A ABNT NBR 17170 foi elaborada no Comitê Brasileiro de Construção Civil (ABNT/CB-02), pela comissão de estudo de Garantias das Edificações (CE-002140:003) e estará disponível no ABNT Catalógo, logo após o lançamento.

5 bairros de luxo em São Paulo que são os queridinhos dos estrangeiros para residir

O mercado imobiliário em São Paulo tem recebido cada vez mais estrangeiros, na cidade já são cerca de 360 mil imigrantes, segundo a prefeitura da cidade. Diversos fatores podem explicar este crescimento, dentre eles, a questão cambial, pois pela alta do dólar, o real se desvalorizou e consequentemente o valor dos imóveis ficou mais atrativo para investidores estrangeiros.
 

“Realizamos um levantamento que constatou o crescimento de 30% na busca de imóveis por estrangeiros frente ao mesmo período de 2021. Cada vez mais visualizamos o interesse no mercado imobiliário de luxo” aponta Lucas Melo, Diretor Executivo da MBRAS.

Pensando nisso, a MBRAS, Boutique Imobiliária de alto padrão trouxe 5 bairros mais procurados pelos estrangeiros, confira:

Jardins


Uma das regiões mais valorizadas da capital paulista, que conta com diversos apartamentos luxuosos, além de uma área com muito verde e tranquilidade, é considerado um bairro misto, com opções diversas tanto para o dia quanto à noite. O bairro conta também com uma enorme variedade de gastronomia e comércios de utilidades.

A região ainda tem acesso fácil aos bairros corporativos de São Paulo, sendo uma ótima opção para quem quer morar em uma área mais arborizada para descansar após um longo dia de trabalho. Além de ser um bairro integrado que permite a realização de atividades a pé.

Itaim Bibi


Um dos bairros de luxo mais conhecidos de São Paulo e um dos mais procurados. O local conta com diversas opções de apartamentos e casas de luxo, que chegam a custar mais de R$ 100 milhões e ainda conta com o Shopping Iguatemi, um dos melhores de São Paulo.

Além de oferecer uma vasta opção de entretenimento e restaurantes renomados de São Paulo. O bairro é referência também pelos seus amplos escritórios, que abrigam grandes empresas do mercado, sendo um dos bairros mais procurados por investidores. A região também abriga o Parque do Povo, um dos mais conhecidos e frequentados de São Paulo e o famoso Clube Pinheiros, único a treinar esportes olímpicos na cidade.
 

Vila Nova Conceição
 


A região conta com uma das melhores localizações para quem busca um bairro limpo, iluminado e arborizado. Além de possuir as melhores escolas de São Paulo localizadas na região.

O bairro ainda conta com parques e praças próximos como o Ibirapuera e a Praça Pereira Coutinho, que facilitam o lazer dos moradores da região. Outro ponto positivo do local é o fácil acesso da Faria Lima e ao bairro do Jardins, que permitem um trajeto rápido até os centros corporativos.

Pinheiros
 


O bairro tem uma das melhores localizações da capital paulista e diversos prédios novos e modernos, além de oferecer diversas opções de lazer, gastronomia, mercado e proporcionar diversas escolas ao redor.

Além disso, o bairro conta com opções para famílias, com diversos parques e praças para aproveitar os dias ensolarados de São Paulo, como o Parque Vila Lobos, Praça Panamericana, entre outros.
 

Cidade Jardim
 


Um bairro nobre que está em expansão nos últimos anos, principalmente pela ótima qualidade de vida presente na região, além disso, o bairro conta com apartamentos incríveis e muito verde, além de ciclofaixas para pedalar e manter uma rotina mais saudável.

A região conta com diversas opções de lazer, com as últimas reformas no parque Bruno Covas e a limpeza do Rio Pinheiros, o bairro ficou ainda melhor para quem quer praticar exercícios e caminhadas ao ar livre, além de contar com diversos shoppings de luxo ao redor, como Cidade Jardim e JK Iguatemi.

Preços de imóveis em Curitiba registram maior alta em comparação com as demais cidades do Index Imovelweb

Segundo relatório mensal de preços de outubro do Imovelweb,um dos maiores portais imobiliários do País, Curitiba registrou, no acumulado de 2022, o maior incremento de preços dos imóveis em comparação com as demais cidades analisadas pelo Index – Belo Horizonte, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo. No caso do aluguel, o aumento foi de +17,9%, acima do Rio de Janeiro (14,5%), Belo Horizonte (11,2%), São Paulo (9,6%) e Brasília (7,1%). Já para as propriedades à venda, no acumulado de 2022, o incremento de preço foi de 12,2%, ficando acima das demais regiões – Brasília (5,7%), São Paulo (4,6%), Belo Horizonte (3,2%) e Rio de Janeiro (2,0%).

Já nos últimos 12 meses, o valor do aluguel em Curitiba subiu 23,2%, muito acima da inflação e do ajuste do IGP-M. Na análise dos imóveis à venda, o preço aumentou 7,9% em termos reais no mesmo período.

Análise mensal

No mês de outubro, o valor médio do aluguel mensal em Curitiba ficou em R$ 1864 para os apartamentos de dois quartos. Já para os imóveis à venda, o preço médio ficou em R$ 8.389 por m².

Segundo o relatório, para as propriedades em locação, Matriz é a região mais cara, com um aluguel mensal médio de R$ 2.154. Pinheirinho é a mais econômica, custando R$ 1.370 por mês.

Valores do aluguel nas demais regiões de Curitiba:

RegiãoValor do aluguel (R$)
PINHEIRINHO1.370
BOQUEIRÃO1.409
BOA VISTA1.425
CIDADE INDUSTRIAL DE CURITIBA1.696
CAJURU1.752
FAZENDINHA-PORTAO1.768
SANTA FELICIDADE2.055
MATRIZ2.154

Na análise por bairros, Campina do Siqueira tem o maior preço para locação: R$ 2.991 por mês. Por sua vez, Cachoeira é o mais barato com um aluguel médio mensal no valor de R$ 1.062.

ALUGUEL – BAIRROS MAIS BARATOS E MAIS CAROS
Mais baratos (R$)
CACHOEIRA1.062
CAMPO DE SANTANA1.072
SITIO CERCADO1.154
Mais caros (R$)
PRADO VELHO2.841
CENTRO CÍVICO2.905
CAMPINA DO SIQUEIRA2.991

Para os imóveis à venda, Santa Felicidade fecha o mês de outubro como a zona mais cara de Curitiba com um valor de R$ 10.278 por m². Bairro Novo tem o m² mais barato, custando R$ 3.557.

RegiãoValor do m²
BAIRRO NOVO3.557
BOQUEIRÃO5.286
PINHEIRINHO5.422
CAJURU5.994
BOA VISTA7.050
CIDADE INDUSTRIAL DE CURITIBA7.231
FAZENDINHA-PORTAO8.320
MATRIZ9.788
SANTA FELICIDADE10.278

No caso dos bairros, Campina do Siqueira é o mais caro, registrando um preço médio de R$ 12.024 por m². Augusta é o mais barato na hora da compra de um imóvel com o m² no valor de R$ 3.134.

IMÓVEIS À VENDA – BAIRROS MAIS BARATOS E MAIS CAROS
Mais baratos (R$)
AUGUSTA3.134
CAMPO DE SANTANA3.146
CACHOEIRA3.257
Mais caros (R$)
BATEL11.281
BIGORRILHO11.628
CAMPINA DO SIQUEIRA12.024

Rentabilidade

O índice de rentabilidade imobiliária relaciona o preço de venda e valor de locação do imóvel para verificar o tempo necessário para recuperar o dinheiro utilizado na aquisição do imóvel. O relatório de outubro apontou um índice de 4,63% bruto anual, o que significa que são necessários 21,6 anos de aluguel para reembolsar o investimento de compra, 8,1% a menos que um ano atrás.

Pinheirinho e Cajuru são as regiões que oferecem maior retorno para os investidores.

Rentabilidade por região:

RegiãoRentabilidade
SANTA FELICIDADE3,5%
CIDADE INDUSTRIAL DE CURITIBA4,0%
MATRIZ4,4%
BOA VISTA4,7%
BOQUEIRÃO4,8%
FAZENDINHA-PORTAO4,9%
CAJURU5,7%
PINHEIRINHO5,9%

Os dados do relatório mensal de preços do Imovelweb, também chamado de Index, são gerados com base em 100% dos imóveis listados no portal, seja aluguel ou venda, mostrando o preço médio das propriedades.

Pesquisa ABRAINC-Brain aponta que 31% dos brasileiros têm intenção de comprar imóvel

Três em cada dez brasileiros podem estar em busca de um novo imóvel, seja para investimento, sair do aluguel ou simplesmente ter um novo lar. É o que indica um levantamento feito pela Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (ABRAINC) e a Brain Inteligência Estratégica. Os dados foram apresentados nesta quarta-feira (30/11) durante o webinar “Mercado Imobiliário: Comportamento do Consumidor e as Tendências para 2023”.
 

A pesquisa revela que 31% dos entrevistados desejam adquirir um novo imóvel. Com 4% já iniciando a visita a imóveis e stands de vendas e 7% estão realizando buscas pela internet. Os outros 20% estão somente com a ideia e não começaram a procura.
 

Os números indicam que 2023 deve manter o mercado aquecido como neste ano e abrir novas oportunidades de investimentos para o setor. Entre os entrevistados que possuem intenção de compra, 33% querem sair do aluguel; 20% estão em busca de uma residência maior; 10% querem ir morar sozinho; 7% buscam uma mudança de região; 7% se casaram ou vão se casar e querem um novo lar; 7% querem um imóvel mais novo e 16% por outros motivos.
 

A pesquisa ouviu 1.200 pessoas em todas as regiões do Brasil com perfil de renda superior a R$ 3 mil. As entrevistas ocorreram entre os dias 1º a 27 de novembro.
 

Durante o webinar, Marcelo Gonçalves, sócio e consultor da Brain Inteligência Estratégica, relatou que, apesar de uma ligeira redução da intenção de compra em 6%, quando analisada a pesquisa anterior, o cenário é positivo. Pois, o comportamento macroeconômico, com tendência de redução na inflação e no desemprego, é normal um otimismo e perspectivas de novas aquisições. “Não é uma intenção baixa, porque estávamos com níveis muito altos. Ela ainda é muito significativa”, explicou.
 

Para o presidente da ABRAINC, Luiz França, os dados indicam a perspectiva de um futuro promissor no mercado imobiliário brasileiro com boas perspectivas de crescimento. Ele lembrou que o déficit habitacional e o consequente desenvolvimento social e econômico do Brasil terminam mantendo o setor aquecido. “A minha visão é muito positiva. Temos um déficit habitacional de 7,8 milhões de moradias e necessidades para 11,5 milhões de moradias para os próximos dez anos. Estes números não deixam dúvidas de que este setor deve continuar crescendo”, finaliza.
 

Participaram ainda do webinar o diretor de assuntos econômicos da ABRAINC, Renato Lomonaco; o CEO do Grupo Patrimar, Alex Veiga; a presidente do Conselho de Administração da BRZ, Eduarda Tolentino; o diretor-executivo da Longitude, Guilherme Bonini; o presidente do Grupo A. Yoshii, Leonardo M. Yoshii; e a CEO da Mitre Vendas, Sophia Marthins.

Empreendimento oferece oportunidades: moradia conectada com natureza e investimento

Localizado em Tijucas (SC), Reserva Royal é um loteamento residencial idealizado com conceitos inovadores e de sustentabilidade.

Com um projeto urbanístico sustentável, o empreendimento Reserva Royal pretende transformar a vida de seus futuros moradores em Tijucas, Santa Catarina. Localizado estrategicamente na região de maior valorização imobiliária do país, o empreendimento foi idealizado pela Verde & Azul Urbanismo para ocupar espaço em harmonia com o meio ambiente, promovendo o bem estar e a saúde das pessoas por meio de esportes, estudo, segurança e praticidade no acesso à conveniências, restaurantes e outros aspectos da convivência em comunidade inclusos no projeto, se tornando uma excelente opção de investimento imobiliário em Santa Catarina.

O Reserva Royal nasce com um investimento inicial de R$ 158 milhões e um VGV inicial estimado da ordem de R$ 522 milhões, com a possibilidade de proporcionar aos futuros moradores um verdadeiro “banho de floresta” a partir da preservação de um maciço florestal de mais de um milhão de metros quadrados, além de opções de lazer e recreação em espaços projetados especialmente para garantir conectividade com a natureza exuberante da região.

O empreendimento está localizado distante menos de uma hora de dois grandes aeroportos — Florianópolis e Navegantes — e 20 minutos de algumas das mais belas praias da Costa Esmeralda e de Balneário Cmaboriú. A posição geográfica privilegiada coloca Tijucas como bola da vez do mercado imobiliário, que classifica a vizinha Itapema com o quarto m² mais valorizado do país – segundo índice FipeZap – atrás apenas de Balneário Camboriú (1º), São Paulo (2º) e Vitória (3ª).

“Estamos oferecendo um produto imobiliário que não existe no Brasil. Santa Catarina já é referência no mercado imobiliário vertical e com o Reserva Royal passará a ser referência no mercado horizontal”, destaca Rudi Bayer, diretor da Verde & Azul Urbanismo. Mais do que números, o Reserva Royal surgiu da idealização do CEO da Verde & Azul Urbanismo, empresário Luiz Carlos Gallotti Bayer, em deixar um legado com a melhor ocupação do espaço localizado na propriedade secular da família Gallotti Bayer, a Fazenda Santos Anjos.

O lançamento do empreendimento está marcado para o próximo dia 10 de dezembro, quando serão disponibilizados 290 lotes para venda, com média de 360m². A EGGS Soluções Imobiliárias coordena as atividades que serão realizadas das 9h às 21h no Salão Paroquial da Igreja São Sebastião (Rua Marechal Deodoro, 30 – Centro, Tijucas).

TRADIÇÃO FAMILIAR

O Reserva Royal é um sonho que o CEO da Verde & Azul Urbanismo, Luiz Carlos Gallotti Bayer, pretende consolidar em Tijucas, com o aproveitamento de uma área riquíssima em natureza que faz parte da secular Fazenda Santos Anjos. A área foi adquirida quando o pai de Luiz Carlos, João Bayer Filho, e seus irmãos davam continuidade aos negócios iniciados pelo Coronel João Bayer, que além de empresário, exerceu cargos políticos na cidade.

As atividades empresariais da família tiveram início com uma pequena casa de comércio, depois migraram para os setores de indústria e transportes (frota de barcos), chegando a compor um verdadeiro império de negócios nas décadas de 1920 e 1930. Assim, João Bayer trouxe para a cidade as novidades que encontrava mundo afora: o primeiro automóvel, a primeira bicicleta, o gramofone, o rádio e a motocicleta.

O empresário traz no sobrenome as duas principais famílias de Tijucas – Gallotti e Bayer – que fazem parte da história do município desde o final do século XIX e início do século XX. A contribuição das famílias ao desenvolvimento de Tijucas é inegável. De um lado, o jovem casal João Henrique Bayer e Mathilde Klann Bayer, que se estabeleceram em Tijucas, no ano de 1893. Do outro, Benjamin Gallotti e Maria Vieira Gallotti, imigrantes italianos que foram naturalizados brasileiros em 1883.

Parte dessa história está exposta em casarões que fazem parte do patrimônio histórico. O Casarão Bayer se tornou o primeiro hotel do município de Tijucas. Rico em detalhes arquitetônicos, o imóvel está localizado na Rua João Bayer e é um espaço dedicado à memória da família, mas também guarda o acervo da Academia Tijuquense de Letras.

O Casarão Gallotti foi construído em 1898 a pedido de Benjamin Gallotti para abrigar sua família. Comerciante, Benjamin também foi coronel comandante da Brigada de Infantaria da Guarda Nacional da Comarca de Tijucas. Tombado pela Fundação Catarinense de Cultura (FCC), o imóvel foi doado pela família Gallotti à Prefeitura de Tijucas, e passou por uma restauração em 2009 para sediar o Centro Cultural Benjamin Gallotti e o Museu Tijucas.

Os seus descendentes ainda continuam atuando diretamente para o desenvolvimento de Tijucas. Como exemplo, podemos citar o Instituto Mathilde Bayer que contou com diversas atividades de cunho social visando dar oportunidades à juventude de Tijucas. Assim, o Reserva Royal mantém o legado das famílias tijucanas, que não encontram limites para sonhar alto.

Condomínio horizontal agrega fazenda urbana e agrofloresta para os moradores, em Goiás

Perspectiva da Área Parqville Figueira

Iniciativas inéditas nesse tipo de projeto contemplam três grandes vertentes que estão pautando a vida do brasileiro nos últimos anos: a maior busca de contato com a natureza, a sustentabilidade e a alimentação natural. Um dos benefícios será a produção de alimentos no “quintal” de casa

Uma pesquisa da CNI (Confederação Nacional da Indústria) com uma amostra de dois mil entrevistados constatou que 98% dos brasileiros estão preocupados com o meio ambiente e, diante disto, já estão mudando a forma de definir seu estilo de vida e aquilo que consomem. Os reflexos desse comportamento já atingem os mercados de todos os segmentos, que agora vêm agregando práticas sustentáveis em seus processos produtivos e desenvolvendo produtos com benefícios ou, pelo menos, menor impacto ambiental.

Com o mercado imobiliário não é diferente. Empreendimentos que sejam concebidos com a preocupação em mitigar seu impacto com o meio natural e trazer avanços de eficiência energética, gestão hídrica, entre outros recursos, vêm ganhando a adesão dos consumidores. Além da preocupação ambiental, o isolamento social imposto pela Covid-19 trouxe outro ingrediente – as pessoas compreenderam definitivamente o quanto a presença da natureza pode fazer diferença em sua qualidade de vida.

Isto se comprova pelo resultado de pesquisa realizada em 2021 pela Brain Inteligência Estratégica sobre a jornada de compra, com 850 consumidores no país, indicando que mais da metade dos consumidores brasileiros (57%) declararam estar disponíveis a pagar mais para morar em um lugar arejado e conectado com o meio ambiente.

O advento da Covid-19 acabou também consolidando uma transformação que já estava em curso: a forma como o consumidor lida com sua saúde. Outra pesquisa, coordenada também pela Brain em parceria com a Associação de Promoção de Orgânicos (Organis) e a Unir Orgânicos, concluiu que o consumo de orgânicos cresceu em todo país após a pandemia, e o Centro-Oeste tornou-se a região com maior consumidores desse tipo de alimento.  O aumento na região foi de 129% no período 2019-2021 em comparação com o triênio anterior. 

São esses anseios que a CINQ Desenvolvimento Imobiliário buscou atender com o desenvolvimento do Parqville Figueira, condomínio horizontal que será implantado na Avenida São Paulo, em Aparecida de Goiânia (GO).  Além de contar com toda a estrutura que tradicionalmente já faz parte de empreendimentos dessa natureza – serão três complexos para esportes, com piscina para prática de natação e hidroginástica, academia, quadras esportivas (tênis, beach tennis e poliesportiva), campo de futebol gramado adulto e infantil, playground para crianças, pet parq, salão social, capela ecumênica, ciclovias, alamedas de pedestres, entre outros equipamentos – ele também traz, de forma inédita, a primeira agrofloresta e fazenda urbana em sua área comum.  

As 295 famílias que ocuparão o local contarão, em seu “quintal”, com uma unidade de produção de alimentos orgânicos. Com uma área de 1.100 m², a fazenda urbana do Parqville Figueira terá uma capacidade de produção de 100 cestas por semana, com 10 itens cada. Isso equivale a 1.000 itens (pés de hortaliças) semanais e 4.000 que poderão ser colhidos mensalmente. Embora  a manutenção da fazenda urbana seja feita por um trabalhador especializado contratado para esta finalidade, os moradores poderão “colocar a mão na massa” se desejarem e o condomínio também poderá realizar atividades de educação ambiental e alimentação saudável. Os produtos serão comercializados pela associação aos moradores, a preço de custo. 

A iniciativa nasceu após missões técnicas internacionais promovidas pela CINQ nas quais sua equipe conheceu seu funcionamento nos Estados Unidos. “As fazendas urbanas têm sinergia com a cultura do goiano, que tem raízes ligadas ao campo e valoriza iniciativas sustentáveis”, comenta Eduardo Oliveira, diretor da empresa, que desenvolve em Goiânia e região metropolitana a linha de condomínios horizontais Parqville com o propósito de resgatar os valores simples, porém essenciais, para as pessoas. 

Além da fazenda para plantio de orgânicos, o condomínio será o primeiro a ter uma agrofloresta urbana exclusiva para os moradores, um sistema de recuperação ambiental que combina espécies arbóreas com espécies alimentares e aumentará a produção de alimentos no condomínio. Na fase inicial, enquanto as mudas das espécies arbóreas estão pequenas, são plantadas hortaliças, mandioca, pimenta, tomate, banana, alfaces, rúculas, agrião, cenouras, beterrabas, couve-flor, brócolis, couves e outras que precisam receber sol. Nas fases seguintes, as espécies alimentares serão as frutíferas e culturas de meia sombra que se desenvolvem bem sob as árvores que crescem. Serão 2.700 mudas plantadas inicialmente, já na fase de obras do condomínio, em uma área de 2,4 hectares.

Preservação

Eduardo Oliveira explica que a agrofloresta foi incluída no projeto após a empresa descobrir dois olhos d’água até então desconhecidos durante suas prospecções técnicas e ambientais dentro da área. Para preservá-los foi necessário criar um raio de 100 metros de mata – inexistente na concepção inicial – e a agrofloresta foi a técnica escolhida para o reflorestamento. De acordo com especialistas, a mistura das espécies é a melhor forma de promover o desenvolvimento natural de uma floresta, considerada uma das melhores alternativas para reflorestamento urbano. Em simbiose, as espécies se desenvolvem, com a biodiversidade contribuindo para o enriquecimento do solo, a produção de alimentos, entre outros benefícios. 

Eduardo  explica que a solução desenvolvida partiu da visão da empresa de atuar dentro dos princípios de sustentabilidade e responsabilidade ambiental, o que acabou gerando outros benefícios para os moradores. “Além da produção de alimentos, a agrofloresta aumentará a cobertura verde do condomínio, que já tem uma outra mata preservada”, conta Eduardo. 

Serão duas Áreas de Preservação Permanente (APP), mais quatro Áreas Públicas Municipais (APM), que juntas somam 113.174,16 m2. Para se ter ideia dessa dimensão, ela corresponde a 1,5 vez a área de um dos parques mais visitados de Goiânia, o Parque Vaca Brava. Dessa soma, não fazem parte a arborização das ruas e alamedas que serão implantadas no condomínio. “É a partir delas que todo o contorno urbanístico foi planejado”, informa Eduardo Pinheiro, um dos sócios da CINQ Desenvolvimento Imobiliário.

Jardins de chuva

Outro diferencial ambiental do projeto é a drenagem sustentável adotada – informalmente chamada de jardins de chuva – técnica que vem sendo resgatada em novos projetos onde há área disponível para se implantar valas e trincheiras de infiltração. No Parqville Figueira ela será integrada ao paisagismo com a função de absorver as águas das chuvas, que retornarão ao seu ciclo natural.

Estes elementos construtivos – valas e trincheiras – são projetados em desnível em relação às ruas, de modo a direcionar a captação das águas pluviais para si. A execução se dá com uma vala escavada na terra, preenchida com materiais granulares como pedras de mão, brita, areia etc. A engenheira civil Fernanda Almeida, que assina o projeto de drenagem sustentável, explica que essa é uma técnica altamente eficiente para gerenciar a água da chuva de modo a imitar a natureza. Ao invés de ser direcionada para os córregos por meio da tubulação, onde ganha velocidade, a água é direcionada para recarregar o lençol freático.