Startup cria Ifood das concreteiras no Brasil para atender demanda da Construção Civil

Startup cria Ifood das concreteiras no Brasil para atender demanda da Construção Civil

No setor da construção civil, prazos são fatores determinantes para garantir o bom desempenho de uma obra. Para tanto é fundamental que a empresa invista em planejamento, bons fornecedores, qualificação da mão-de-obra e também recursos tecnológicos com o objetivo de evitar atrasos, além de se tornar um diferencial na hora de conquistar a confiança de potenciais clientes.

Levando esses fatores em consideração, uma dupla de brasileiros criou um aplicativo para intermediar a compra e venda de concreto no país. A plataforma facilita o acesso das fornecedoras aos consumidores e construtoras que estão mais próximas de sua localidade. Batizado de “Concrete Já, a plataforma permite a realização de orçamentos em diversas concreteiras disponíveis num raio de 35Km. O app é o 1º do tipo no Brasil e foi fundado em 2019. 

“A tecnologia para construção civil é uma grande aliada no desenvolvimento da gestão de obra. Com isso, os usuários e as construtoras também podem agendar a concretagem e efetuar o pagamento pelo aplicativo de forma rápida e prática, além de acompanhar o andamento do pedido. Esse processo tecnológico facilita as concreteiras na comercialização do seu produto de forma ágil e transparente ”, explica Donizeti da Silva, sócio diretor da startup.

Alta demanda para as concreteiras

Para as empresas que atuam no ramo da construção civil escolher uma concreteira que atrele atendimento de qualidade com compreensão técnica, ouvindo as necessidades do empreendimento, faz toda a diferença. Para tal, é fundamental seguir alguns pontos como, por exemplo, conhecer o histórico da concreteira e também os projetos já executados por ela; além de realizar testes com laboratórios terceiros a fim de validar a qualidade do concreto que está sendo oferecido.

Em geral, as empresas de serviços de concretagem possuem procedimentos rígidos de produção e, dificilmente, se empresas sem uma estrutura mínima de trabalho, também em função dos investimentos necessários para seu funcionamento. Por outro lado, a produção do concreto possui grande variabilidade, o que impacta diretamente na qualidade do produto oferecido.

Para Rosangela Santos, co-fundadora da “Concrete Já”, o novo modelo de negócios fortalecerá o relacionamento com as construtoras, possibilitando a atuação direta na “dor” dos clientes, com velocidade de execução e transparência na descrição e entendimento do produto aos consumidores e construtoras, com redução de custos e desperdícios nas obras.

“Com o Aplicativo Concrete já, as construtoras, incorporadoras e consumidores têm acesso às concreteiras cadastradas no aplicativo. Ou seja, as concreteiras devem se cadastrar no aplicativo na Play Store. Em seguida, o “Concrete Já” apresenta uma estimativa de preço, de acordo com a concreteira mais próxima do usuário e das construtoras. Hoje temos uma alta procura por concreteiras no aplicativo e as empresas cadastradas estão monetizando mesmo na pandemia nesse novo canal de vendas, finaliza Rosangela.

Comments are closed