Pela 1ª vez, Casa do Construtor ingressa no Grupo das 50 Maiores franquias no Brasil

Pela 1ª vez, Casa do Construtor ingressa no Grupo das 50 Maiores franquias no Brasil

A Casa do Construtor, rede de franquias de aluguel de equipamentos para construção, estreou no Ranking das 50 Maiores Franquias no Brasil em número de unidades. A lista é produzida anualmente pela Associação Brasileira de Franchising – ABF e está em sua quinta edição. A Casa do Construtor estreou na 49ª posição com 318 unidades em operação no País, contra 275 em 2019, uma expansão de 16%. A Casa do Construtor está lado a lado de redes como Sodiê Doces, Spoleto, Mundo Verde e Giraffas.

“Ingressar no ranking das 50 Maiores fecha um ano muito importante para nós. Mesmo com a pandemia, mantivemos nosso plano de expansão e conseguimos ampliar nossas vendas. Nossa meta para 2021 é vender mais cerca de 100 unidades, impulsionando ainda mais nossa posição. Em cinco anos, a meta é ainda mais ambiciosa: chegar as 1 mil unidades, ficando entre as 20 maiores. Isso mostra a solidez e potencial do mercado de construção civil no Brasil, especialmente as pequenas reformas, ainda mais em um cenário de juros tão baixos”, afirma Altino Cristofoletti Junior, CEO da Casa do Construtor.

É interessante notar que no ranking das 50 Maiores existem apenas duas redes ligadas diretamente a construção civil, a Casa do Construtor e uma rede de corretores de imóveis. Neste sentido, o desempenho em 2020 foi importante para esta conquista. A Casa do Construtor cresceu 18% em receita, chegando a R﹩ 328 milhões. O desempenho se deve ao aquecimento de pequenas obras por conta do home office e à tendência do “faça você mesmo”. O segmento de franquias de Casa e Construção também cresceu 12,8% em 2020, segundo dados da ABF.

Outro fator importante foi a classificação da construção civil como atividade essencial, o que permitiu que a Casa do Construtor continuasse operando mesmo com algumas restrições no atendimento em grande parte do Brasil. Por outro lado, o distanciamento social e o maior tempo das pessoas em casa, incentivou cuidados variados com as moradias. Muitas pessoas fizeram pequenas reformas, limpezas etc. Estabelecimentos comerciais que precisaram ficar fechados nesse período (como bares, restaurantes) também aproveitaram para realizar pequenas reformas, manutenções e limpezas.

Para 2021, a Casa do Construtor projeta um crescimento ainda maior, de cerca de 33%, atingindo um faturamento de R﹩ 440 milhões. A rede oferece oportunidades de investimento em todo o País, mas o foco da expansão será nas regiões Norte, Nordeste e Sul.

Comments are closed