Índice QuintoAndar: Aluguel residencial apresenta leve retomada no mês e permanece em baixa em comparação anual em SP e no RJ

Índice QuintoAndar: Aluguel residencial apresenta leve retomada no mês e permanece em baixa em comparação anual em SP e no RJ

O valor médio do aluguel residencial por m² em São Paulo aumentou 0,97% comparado a janeiro desde ano, mostra o Índice QuintoAndar de Aluguel. No Rio de Janeiro, a variação mensal foi de 1,06%. Em ambas regiões, no acumulado dos últimos 12 meses, a situação é inversa, com queda de 6,23% na capital paulista e baixa de 2,51% na capital fluminense.

O Índice QuintoAndar leva em consideração preços efetivamente usados em contratos fechados, mais precisos que os valores de aluguel. O indicador aponta também a distância entre as médias de preços dos anúncios em relação àqueles realmente utilizados nos aluguéis. Em fevereiro, os anúncios indicaram valores em média 10,56% acima da realidade do mercado em São Paulo. Já no Rio a diferença média a mais dos anúncios foi de 14,33% no mesmo período.

Dados de São Paulo

Em São Paulo, o bairro que mais se valorizou nos últimos seis meses foi a Vila Formosa, seguida por Jd. São Savério e Jd. Estér Yolanda, na Zona Oeste da capital.
Já as maiores quedas nesse intervalo foram no Centro, Santo Amaro e Liberdade. Entre os bairros com metro quadrado de aluguel mais caro na cidade estão, Vila Olímpia, Pinheiros e Vila Nova Conceição.

Em relação ao tamanho, o preço do aluguel por metro quadrado dos imóveis de um quarto subiu 1,1% em fevereiro ante janeiro. No mesmo período, houve alta de 0,48% e 0,62% nos preços médios de aluguel dos imóveis de 2 e 3 dormitórios, respectivamente.

Dados do Rio de Janeiro

A maior alta de aluguel por metro quadrado no Rio foi Taquara, Vl. Isabel e Recreio. Já as maiores retrações vieram de Santa Teresa, Centro e Grajaú. Na lista de mais caros da cidade, aparecem Ipanema, Leblon e Botafogo.

Os imóveis de três dormitórios tiveram alta no preço do metro quadrado de 0,85% em fevereiro, comparado com janeiro. Os dois quartos tiveram aumento de 0,77%. Já os imóveis de até um dormitório se mantiveram estáveis na capital fluminense.

“A valorização dos imóveis de aluguel deve demorar para acontecer, embora comece a apresentar leve retomada”, diz Fernando Paiva, Head de Dados do QuintoAndar. “O avanço da Covid-19 no Brasil e os possíveis impactos na economia devem segurar ainda mais a valorização do metro quadrado em SP e RJ”.

Comments are closed