Category Mercado Imobiliário

Preço do aluguel residencial acelera em agosto com alta de 0,37%

Entre as capitais, Fortaleza, Recife, Goiânia e Florianópolis apresentaram os maiores aumentos mensais

■ Análise do último mês: o Índice FipeZap de Locação Residencial, que acompanha o comportamento do preço médio de imóveis residenciais, encerrou agosto com alta de 0,37%, após registrar elevação de 0,13% no mês anterior. Comparativamente, a variação mensal do índice foi inferior às altas mensais apuradas pelo IPCA/IBGE (+0,87%) e pelo IGP-M/FGV (+0,66%), resultando na queda real do preço do aluguel residencial. Individualmente, a variação do Índice FipeZap de Locação Residencial refletiu as altas registradas em: Fortaleza (+2,10%), Recife (+1,81%), Goiânia (+1,44%), Florianópolis (+1,16%), Belo Horizonte (+0,58%), Salvador (+0,41%), Porto Alegre (+0,38%), Curitiba (+0,36%) e Rio de Janeiro (+0,23%) – resultados que se sobrepuseram conjuntamente aos recuos observados em Brasília (-0,49%) e São Paulo (-0,06%).

■ Balanço parcial de 2021: até agosto de 2021, o Índice FipeZap de Locação Residencial acumula uma alta de 1,27% no ano, resultado que mantém o comportamento do preço do aluguel de imóveis residenciais abaixo da inflação acumulada pelo IPCA/IBGE (+5,67%) e pelo IGP-M/FGV (+16,75%). O avanço do índice no balanço parcial de 2021 é impulsionado pela variação do preço do aluguel em: Curitiba (+8,39%), Recife (+6,70%), Florianópolis (+5,15%), Salvador (+4,05%), Fortaleza (+3,89%), Belo Horizonte (+3,65%), Brasília (+3,22%), Goiânia (2,29%) e Rio de Janeiro (+1,78%). Em São Paulo (-2,34%) e Porto Alegre (-1,70 %), os preços médios recuam em 2021.

■ Análise do acumulado em 12 meses: o Índice FipeZap de Locação Residencial registra ligeira alta no horizonte dos últimos 12 meses encerrados em agosto (+1,30%), variação inferior à inflação apurada pelo IPCA/IBGE (+9,68%) e pelo IGP-M/FGV (+31,12%) no mesmo horizonte temporal. Individualmente, à exceção de São Paulo e de Porto Alegre, onde se registram recuos de 3,55% e 1,89% no preço médio do aluguel residencial (respectivamente), as demais capitais brasileiras monitoradas pelo Índice FipeZap apresentam variações positivas nos últimos 12 meses, ordenadas da maior à menor variação da seguinte forma: Recife (+9,72%), Curitiba (+8,15%), Goiânia (+6,38%), Florianópolis (+4,70%), Fortaleza (+4,36%), Salvador (+4,10%), Brasília (+2,66%), Rio de Janeiro (+2,60%) e Belo Horizonte (+1,30%)

■ Preço médio de locação residencial: com base em dados de 25 cidades monitoradas pelo Índice FipeZap de Locação Residencial, o preço médio do aluguel encerrou o mês de agosto em R$ 30,78/m². Comparando-se a apuração nas 11 capitais monitoradas, São Paulo se manteve como a capital com o preço de locação mais elevado (R$ 39,19/m²), seguida pelos valores registrados em Recife (R$ 33,78/m²), Brasília (R$ 33,37/m²) e Rio de Janeiro (R$ 31,43/m²). Já entre as capitais monitoradas com menor valor de locação no período, incluem-se: Fortaleza (R$ 18,05/m²), Goiânia (R$ 19,25/m²), Curitiba (R$ 22,51/m²) e Belo Horizonte (R$ 24,42/m²).

■ Rentabilidade do aluguel: a razão entre o preço médio de locação e o preço médio de venda dos imóveis é uma medida de rentabilidade (rental yield) para o investidor que opta em adquirir o imóvel com a finalidade de obter renda com aluguel. Nesse sentido, o indicador pode ser utilizado para avaliar a atratividade do mercado imobiliário em relação a alternativas de investimentos a cada momento do tempo. Ao longo de 2021, o retorno médio do aluguel residencial (anualizado) permanece praticamente estável, encerrando agosto em 4,61% ao ano – taxa que supera a rentabilidade média projetada para aplicações financeiras de referência.

Nota (*): os preços considerados se referem a anúncios para novos aluguéis. O Índice FipeZap não incorpora em seu cálculo a correção dos aluguéis vigentes, cujos valores são reajustados periodicamente de acordo com o especificado em contrato. Como resultado, o Índice FipeZap de Locação Residencial capta de forma mais dinâmica a evolução da oferta e da demanda por moradia ao longo do tempo.

Artefacto inova no mercado imobiliário e lança “Artefacto Towers by CK”, primeiro empreendimento da marca

Com 45 anos de história, a Artefacto inova mais uma vez no mercado e hoje, em parceria com a CK Construções e Empreendimentos apresenta seu primeiro projeto de alto padrão em conjunto, o “Artefacto Towers by CK”, em Itajaí (SC). “Rompemos as fronteiras do Brasil para virar referência internacional em móveis de alto padrão – hoje, somos líderes no sul dos Estados Unidos. Mobiliamos empreendimentos assinados pelos maiores starchitects do planeta: Norman Foster, Bjarke Ingels, Antonio Citterio, Herzog & de Meuron, Renzo Piano, Zaha Hadid, entre outros. Também fomos os escolhidos para o novo projeto do Cipriani Club, em Nova York, além de estarmos presentes em hotéis de luxo que vão de Jumby Bay Island ao Hotel du Cap-Eden-Roc, no sul da França. Muito mais do que móveis, a Artefacto representa um lifestyle orgânico, cool, cozy e chic. Hoje, a empresa dá mais um passo, trazendo lançando nosso primeiro empreendimento assinado., revela Paulo Bacchi, CEO da Artefacto.

A Artefacto firmou-se no mercado corporativo tanto no sul dos EUA, Flórida, como no Brasil por meio de “staging” (modelos decorados), projetos em alguns dos principais hotéis nacionais (Tangará, Fairmont, Unique, Cadoro, Transamerica, Renaissance, Janeiro, Hilton Barra, Sofitel Santos, Nacional Rio, entre outros) e internacionais como The Perry, Eden Roc e Jumby Bay; além de hospitais, maternidades e milhares de clientes. Sob o comando de Paulo Bacchi e o Diretor Pedro Torres, a parceria com a CK, a marca ingressa e se consolida no ramo imobiliário como a primeira empresa brasileira de mobiliário a assinar um empreendimento completo.

Com investimento de 90 milhões, a CK Construções e Empreendimentos, empresa sólida na experiência no mercado imobiliário há dez anos, inova com a parceria e know hall das marcas para trazer uma experiência inovadora para os clientes. “Com menos de quatro meses do pré-lançamento, o diferencial no mercado nos resultou em mais de 80% das unidades vendidas e isso já elevou 35% da valorização do valor da tabela. Já podemos falar que a união das duas empresas é um case de sucesso na construção civil”, revela Charles Kan, Diretor da CK.

A Artefacto é uma empresa motivada pela inovação, mas sem nunca abrir mão da tradição. Portanto, assinar um empreendimento em parceria com a CK num dos destinos mais únicos de todo o Brasil atesta e reforça essa vocação da marca para evoluir suas próprias estruturas, incrementando o portfólio de negócios com forte atuação imobiliária. Também é uma enorme inspiração a possibilidade de ajudar a construir o estilo de vida dos moradores desde as estruturas do prédio até a finalização dos interiores. 

Focado no conforto, ergonomia e bem-estar, o “Artefacto Towers by CK” é assinado pelo escritório NWO Arquitetura, possui 195 unidades, composta de duas suítes, três quartos, quatro suítes, penthouse, dois duplex e o apartamentos garden. Toda a área comum do empreendimento possui o design de interiores assinada pela expertise da arquiteta Patrícia Anastassiadis com 100% mobiliário Artefacto.

Modularis apresenta protótipo de construção de prédios offsite na maior feira do setor da América Latina

A Modularis Offsite Building anuncia para a Expo Construção Offsite, a maior feira desse segmento na América Latina, o lançamento do protótipo MGuest House. Inédito no Brasil, o projeto recria, com riqueza de detalhes, todas as peculiaridades de um empreendimento vertical construído no sistema modular. Na feira, que acontece de 15 a 18 de setembro, em São Paulo (SP), os visitantes poderão conhecer a funcionalidade e as vantagens da construção modular.

O MGuest House é um show home em que o investidor pode conferir, em detalhes, como uma edificação em construção modular é capaz de manter liberdade arquitetônica, funcionalidade e conforto do cliente garantindo prazos de entrega na metade do tempo, sustentabilidade e otimização da manutenção predial tanto para uso residencial quanto para o setor hoteleiro.

Apoiada em mais de dez anos de experiência com a construção modular offsite, atendendo uma centena de clientes e mais de 50 mil metros quadrados entregues, a Modularis Offsite Building pretende se tornar líder no segmento residencial no Brasil utilizando esse sistema construtivo já consolidado na Europa, Ásia e Estados Unidos.

O MGuest House é todo concebido no sistema BIM (Building Information Modeling), o que também garante precisão e previsibilidade na execução dos projetos. “Muitas horas de estudo, foram dedicadas , ao lado de um grupo de 14 parceiros líderes em seus segmentos, fabricante de aço, painéis e placas, portas e janelas, escritório de arquitetura além de duas redes hoteleiras que agregaram suas visões ao método de construção offsite. O resultado pode ser visto e sentido em nossa fábrica em Itupeva, SP . O investidor pode entrar, sentir o conforto e até dormir sem perceber que se trata de um prédio totalmente construído em 40 dias dentro fora de um canteiro de obras”, conta Paulo Salvador, CEO da Modularis Offsite Building.

Além desse lançamento, a empresa também participará do painel “A compatibilização de projetos de arquitetura para edificações modulares”, que será ministrado pelo head de projetos residenciais da empresa, William Moraes, no dia 16 de setembro, às 15h15, no Bloco 1, dentro da programação do Fórum Offsite.

” A participação no mais importante evento do setor é mais uma grande oportunidade de mostrar que a construção modular residencial chegou para ficar. Em 2022,  iremos construir o primeiro prédio residencial Modular do Brasil em Moema – SP , estamos desenvolvendo estudos para a construção do Hotel B&B no Centro de Exposições Don Pedro em Campinas e em breve anunciaremos a parceria com um dos maiores operadores de multipropriedade do Brasil” “Com o MGuest House,  poderemos acelerar e aumentar ainda mais esse pipeline de mais de 200 milhões de reais que temos em carteira”, acrescenta Salvador.

Expo Construção Offsite 2021
Expo Mart (rua Chico Pontes, 1500 – Vila Guilherme – SP)
De 15 a 18 de setembro

Das 13h às 20h
Inscrições gratuitas – https://www.expoconstrucaooffsite.com.br/

(importante observar as regras sanitárias do evento, descritas no link da inscrição)

Em novos empreendimentos, Tecnisa inova com conceitos de moradia para o pós-pandemia

Espaço Família, com churrasqueira e piscina privativa

Uma das maiores e mais importantes construtoras do país, a Tecnisa traz inovações ao setor imobiliário brasileiro com seus mais recentes empreendimentos. Localizados em São Paulo, o Highlights, no Jardim Prudência, e o Florear, na Vila Clementino/Mirandopólis, trazem áreas comuns pensadas para trazer conforto e conveniência aos moradores no pós-Covid-19. Os dois projetos ilustram bem a estratégia de negócios da incorporadora, focada em bairros residenciais, com boa estrutura de lazer e serviços, com foco no bem-estar dos moradores.

Com os lançamentos, o VGV lançado no biênio 2020-2021 totaliza R﹩ 723 milhões, parte Tecnisa, equivalente a 60% do ponto mínimo da projeção de lançamentos para o período, de R﹩ 1,2 bilhão. Segundo Alexandre Mangabeira, diretor executivo de Incorporação da Tecnisa, os empreendimentos visam atender às novas demandas dos consumidores. “Promover o bem-estar sempre foi uma prioridade para a Tecnisa e com a pandemia essa preocupação ganhou ainda mais importância em nossos novos projetos uma vez que as pessoas passaram a voltar mais sua atenção à vida em família e ao conforto de suas residências. Trazer conveniência, agregando funcionalidades inteligentes também foi essencial para que os projetos estejam adequados às necessidades que surgiram”.

Residencial Florear oferece plantas espaçosas de 141m2 e áreas comuns pensadas para trazer conforto e qualidade de vida aos moradores. Os apartamentos contam com quatro quartos, e duas suítes e a amplitude do imóvel fica ainda mais evidente com a varanda e a sala niveladas, que deixam os ambientes mais integrados e com a circulação fluída. Já o Highlights conta com uma torre residencial com 168 unidades de 68 e 85m2 de área privativa, 2 dormitórios e faz parte da linha de produtos voltados ao conceito de Smart Homes .

Espaço Família

Um dos diferenciais dos projetos é o Espaço Família, ambiente com piscina e churrasqueira privativa que pode ser alugado pelos condôminos exclusivamente para celebrações com amigos, e que não engloba as piscinas de adulto e infantil que estão sempre à disposição dos moradores. A novidade no mercado imobiliário foi pensada para estimular as interações sociais, que tanto fizeram falta durante a pandemia, sem precisar sair de casa.

Áreas comuns

Os espaços de lazer do Florear também englobam o Parque das Flores, uma área verde aprazível para momentos de descanso. Já o sports bar é ideal para fãs de esporte torcerem juntos e engajarem em partidas de bilhar ou pebolim nos intervalos dos jogos. No Highlights, o pet place e o Terraço Yoga são os destaques, junto com o bike room e hidrobikes na área fitness.

Para os dias de trabalho, o Florear conta com um espaço de coworking diferenciado idealizado pela incorporadora, com cabines privativas, e estrutura que oferece internet de qualidade e ergonomia para o trabalho remoto, um dos maiores legados da pandemia.

coworking

Conveniência

Os projeto também foram pensado para trazer praticidade aos moradores. Ambos trazem lockers na portaria para entregas pequenas e delivery. O Florear incorporou o Honest Market – minimercados de autoatendimento, enquanto o Highlights apresenta o serviço de grab and go .

Sustentabilidade

Como forma de incentivar a preservação do meio ambiente, os empreendimentos trazem garagens com previsão de carga elétrica para veículos híbridos e elétricos e procura estimular um estilo de vida saudável. O Residencial Florear ainda traz bikesharing, com bicicletas que podem ser compartilhadas entre os moradores.

KPMG: setor imobiliário registra queda em fusões e aquisições no semestre

O número de fusões e aquisições realizadas pelas empresas do setor imobiliário no primeiro semestre caiu em comparação com o mesmo período do ano passado. Nos seis primeiros meses de 2020, foram 39 operações contra 22 este ano – queda de 43%. Os dados são de uma pesquisa realizada, trimestralmente, pela KPMG.

O relatório aponta que todas as 22 operações fechadas no primeiro semestre deste ano foram domésticas, ou seja, realizada entre companhias brasileiras. Ainda de acordo com o material, os setores com maior quantidade de transações foram os seguintes: empresas de internet (268), tecnologia da informação (131) e instituições financeiras (92).

“O segmento imobiliário tem registrado bom desempenho nos últimos anos, ainda que a economia atravesse um período de incertezas e se observam reajustes sequenciais nas taxas de juros. O ambiente político e econômico brasileiro demanda cautela por parte dos investidores, que aguardam melhor momento para realizar investimentos. Entretanto, apesar de ter sofrido uma leve queda, ainda há uma tendência de recuperação no meio prazo”, resume o sócio-líder do setor imobiliário da KPMG, Eduardo Tomazelli.

Resultados Brasil – melhor semestre dos últimos dez anos

As empresas brasileiras realizaram 804 operações de fusões e aquisições, no primeiro semestre deste ano, um aumento de mais de 55% em relação ao mesmo período do ano passado quando foram fechados 514 negócios. Trata-se do melhor semestre dos últimos dez anos.

“Os números mostraram que o mercado doméstico continuou aquecido, mesmo no período de pandemia. Com a retomada gradativa dos números a economia observada no primeiro semestre deste ano, as empresas têm buscado opções aqui no Brasil para poder crescer. O primeiro semestre teve o melhor resultado da década”, analisa o sócio da KPMG e coordenador da pesquisa, Luís Motta.

Vaccaro Group expande negócios imobiliários e chega ao Litoral Norte de SC

Sunrise Praia Brava em vista noturna

A Vaccaro Empreendimentos, que pertence ao potente Vaccaro Group, amplia sua atuação no ramo de negócios imobiliários para o litoral norte catarinense com o luxuoso condomínio vertical Sunrise Praia Brava, além de contar com mais de 30 projetos em desenvolvimento nos estados de Santa Catarina e, em breve, também no Rio Grande do Sul. Além da incorporadora, a holding responde por outros sólidos negócios. Destaque para a RafitecPropex, maior indústria de ráfia da América Latina, especializada em embalagens de polipropileno e tecidos sintéticos direcionados a diversos segmentos do mercado. O Grupo também é o maior produtor de açaí do planeta com a marca Açaí Amazonas, cultivado em duas fazendas localizadas na Amazônia seguindo padrões modernos e sustentáveis. No ramo de alimentos, ainda faz parte da holding a Nutrata, uma das maiores marcas nacionais de suplementos, fabricante da melhor barra de proteína do Brasil.

A Vaccaro Empreendimentos tem como missão construir e entregar produtos imobiliários inovadores, que agregam novas tecnologias e conceitos. Com esse propósito, a empresa construiu uma exitosa trajetória no ramo imobiliário, iniciada na sua região natal, o Oeste de Santa Catarina. Somente em território catarinense, a empresa possui um land bank de 9.043.407,66 metros de área total, somando 8.747 lotes de projetos horizontais e 258 unidades imobiliárias verticais. Hoje, conta com entregas e projetos nas cidades catarinenses de Xanxerê, Xaxim, Chapecó, Curitibanos, Barra Velha, Itajaí – Praia Brava, Biguaçu e Lages.

Sunrise Praia Brava

O primeiro produto vertical da Vaccaro Empreendimentos está sendo construído à beira-mar, na linda Praia Brava, em Itajaí/SC. Com apenas 19 unidades, o Sunrise Praia Brava, que já está à venda, tem um projeto exclusivo de apartamentos amplos e contemporâneos e marca a entrada da empresa no litoral de Santa Catarina, em parceria com a ABF Construtora. O novo empreendimento possui, unidades exclusivas com vista para o mar e piscina privativa na sacada. Localizado na Avenida José Medeiros Vieira, 1450, o prédio tem apartamentos, garden duplex e coberturas com áreas desde de 141,85 m² a 407,28 m². O prédio contará com áreas comuns, como rooftop com piscina, salão de festas, pub gourmet e academia. A comercialização das unidades está em fase final.

Novos projetos já estão no radar de lançamento da incorporadora na praia mais solicitada de Santa Catarina, dentre eles o Horizon, com previsão de lançamento no verão de 2022, o Six, produto exclusivo com apenas 6 unidades frente mar e o projeto mais novo da família, o frente mar Sailors Bay, na vizinha praia de Cabeçudas, também em Itajaí.

A ampliação no ramo imobiliário também representa a expansão dos empreendimentos da Vaccaro na Região do Oeste Catarinense, onde, na cidade de Chapecó, as fases I e II do Vederti – bairro planejado, já foram entregues e outros lançamentos estão previstos a partir de 2021. Juntos, os empreendimentos totalizam 998 lotes com tamanhos a partir de 360m².

Obra Prima anuncia aquisição da startup Obra Play

O Obra Prima, startup especializada em sistema de gestão para construtores de pequeno porte, anunciou a aquisição da Obra Play, empresa que conecta construtores, fornecedores, prestadores de serviço e profissionais da construção civil através de um marketplace próprio. Este movimento busca fortalecer a posição do Obra Prima, que já conta com mais de 60 mil obras e R﹩ 15 bilhões em compras gerenciados pelo sistema, através da complementaridade das empresas e da forma como estão alinhadas com diferentes dores existentes no setor. O objetivo é entregar o máximo de valor para o mercado através de uma solução completa para construção civil.

Com mais de 1 mil clientes, o Obra Prima, empresa investida pela Senior Sistemas no final de 2018, já vinha se posicionando não só como um provedor de software, mas também com o intuito de criar um ecossistema para envolver todas as partes do processo, desde arquiteto, construtor, material de construção, prestador de serviços, banco de currículos e até mesmo atendendo as necessidades do cliente final. A empresa encontrou na Obra Play essa fatia do mercado na qual estavam mirando.

“O principal ativo do Obra Play é o marketplace já atuante, conectando toda a cadeia da construção civil. E isso valida o que já vínhamos pensando como estratégia dentro do Obra Prima, que era criar uma solução para que nossos mais de 1 mil clientes e 200 mil fornecedores cadastrados pudessem interagir. Essa aquisição, portanto, faz todo o sentido dentro da nossa estratégia de atender as necessidades de todo o setor da construção”, explica o CEO do Obra Prima, Wilson Pacheco Jr.

A junção das duas startups passa a ser um diferencial competitivo para o cliente, quando comparado a outros softwares voltados ao mercado da construção.

“Estamos muito satisfeitos que nossa investida Obra Prima fez um importante movimento de M&A adquirindo a Obra Play. As duas operações combinadas assumem uma posição ainda mais forte no mercado da construção civil e levam mais assertividade para que nossos clientes tomem as melhores decisões”, destaca o Diretor de Novos Negócios, Alencar Berwanger.

A Obra Play foi fundada em agosto de 2020 a partir da experiência do próprio fundador, o engenheiro Maxwel Cavallin, que sofreu com as dificuldades de uma obra em conseguir orçamentos, cotações, encontrar fornecedores, tudo isso no tempo correto, e ainda economizar na compra de materiais. E partiu daí o foco principal da empresa: conectar os principais atores da construção civil. E é justamente esse aspecto que a partir de agora passa a ser potencializado dentro do Obra Prima.

“Nossos times compartilham de uma característica específica em comum, que é resolver as principais dores dentro de uma obra. Um importante diferencial desse novo negócio é a grande base de clientes e informações que gerencia o Obra Prima, acelerando ainda mais nosso crescimento. Sem dúvida forneceremos ao mercado soluções para melhorarem cada vez mais os processos na área da construção”, comenta Maxwel Cavallin, fundador da Obra Play e que agora passa a atuar como responsável pela estratégia de marketplace dentro do Obra Prima.

Even lança empreendimento de alto padrão no bairro Alto de Pinheiros com conceito de casas verticais

Construtora investe em ponto de equilíbrio para a vida contemporânea, com espaços amplos e office exclusivo para cada uma das unidades

A Even está lançando o ARBO, empreendimento com 116 unidades de alto padrão localizado no Alto de Pinheiros, um dos bairros mais privilegiados de São Paulo.

O projeto possui duas torres residenciais e uma comercial, e conta com apartamentos de 180m² – 396m² com um VGV (Valor de Venda Geral) potencial de R﹩ 371 milhões.

Entre os destaques do empreendimento, que traz em seu DNA o padrão Even, estão os offices exclusivos e o lazer sofisticado, com quadra de tennis, SPA assinado, entre outros

A entrega está prevista para ocorrer em junho de 2024.

Ficha técnica

CONSTRUÇÃO: EVEN CONSTRUTORA E INCORPORADORA S/A.

PROJETO DE ARQUITETURA: JONAS BIRGER ARQUITETURA.

PROJETO DE PAISAGISMO: TAGÜ ARQUITETURA E PAISAGISMO.

PROJETO DE DECORAÇÃO: CARLOS ROSSI ARQUITETURA.

ENDEREÇO:

TORRES 1 E 2: RUA COELHO DE CARVALHO, 365;

TORRE 3: RUA CERRO CORÁ, 2.232.

TORRES 1 E 2: UNIDADES DE 4 DORMS. E 4 SUÍTES; 180 m2 a 396 m2, com 2 a 4 vagas

TOTAL: 116 UNIDADES RESIDENCIAIS.

TORRE 3: STUDIOS, OFFICES EXCLUSIVOS E COWORKING;

TOTAL: 20 STUDIOS + 116 OFFICES EXCLUSIVOS + COWORKING.

ÁREAS COMERCIAIS: LOJAS + CENTRO DE COMPRAS.

Com mercado imobiliário em alta, Maringá ganha novos empreendimentos

Lançamento “Soul”, da A.Yoshii, retrata a verticalização acelerada da cidade com projeto alinhado aos novos hábitos dos moradores

Com a alta nos índices de qualidade de vida e a retomada econômica, a cidade de Maringá (PR) tem se destacado no setor da construção civil, especialmente com a verticalização em regiões próximas ao Parque do Ingá, um dos cartões-postais da Cidade Canção.

Um estudo realizado pela consultoria Brain, a pedido do Sinduscon/PR-Noroeste e Sebrae/PR, revela que de todos os lançamentos das construtoras em 2020, 60% foram comercializados. Somente no primeiro trimestre de 2021, foram vendidas quase 900 unidades na cidade. 

Ainda de acordo com o levantamento, até 2026, serão 31.189 novos domicílios. Números que levam em conta a alta taxa de crescimento demográfico da cidade, que é de 3,1% (com a formação de mais de cinco mil novas famílias por ano), superando o índice paranaense, que hoje é de 2,4%.

“O mercado imobiliário está cada vez mais aquecido na cidade, que tem estado em evidência pelos expressivos números de qualidade de vida. As pessoas têm investido mais em imóveis, especialmente na pandemia, por ser um ativo seguro e rentável, e também porque, estando mais tempo em casa, as famílias passaram a valorizar espaços mais amplos e com todas as praticidades, como áreas de coworking, lazer e convivência”, afirma o superintendente da A.Yoshii em Maringá, Márcio Capristo. 

A construtora, que é uma das maiores do Brasil, tem três empreendimentos projetados para a cidade somente em 2021. No mês de julho, foi lançado o Sky Parque do Ingá, na Avenida Laguna, com proposta inovadora incluindo rooftop com fire place e wine bar. Em setembro, é a vez do Soul, com localização privilegiada na avenida São Paulo, próximo ao Parque do Ingá. Além disso, até o final do ano de 2021, a cidade deve ganhar mais um empreendimento A.Yoshii. 

Conveniência, lazer e segurança

Com uma torre de 25 andares, o Soul traz três opções de plantas, todas com 93 m2 de área privativa. O acesso principal possui um Porte Cochère, que conecta diretamente a avenida São Paulo ao lounge da guarita, garantindo segurança e tranquilidade aos moradores. Outra proposta alinhada à nova realidade das famílias é a área de conveniência próxima ao hall, que inclui um espaço para minimercado para compras de forma autônoma, sem sair do condomínio. 

O projeto é assinado pela Spagnuolo Arquitetura e contempla dois pavimentos de lazer, com piscina, quadra poliesportiva, coworkingSocial GourmetTeen LoungeKids ClubSports Bar e Garden Gourmet com piscina privativa. 

O apartamento decorado do Soul já pode ser visitado no showroom da A.Yoshii, em Maringá. O projeto no estilo Retrofit combina o clássico com o contemporâneo, trazendo muitos detalhes em cores e se destacando pela valorização dos espaços, como o ambiente de escritório, que pode ser transformado em um quarto de hóspedes. 

A arquiteta Juliana Meda, responsável pelo projeto, conta que também buscou destacar a biofilia. “Esse apartamento tem uma área da varanda destinada a um jardim, que pode funcionar como uma horta, tendo uma aparência mais de casa. Contemplamos isso no projeto, pois, cada vez mais, as pessoas querem estar em contato com a natureza”, completa. 

Conselho do FGTS aprova medidas que facilitarão compra da casa própria por famílias de baixa renda

O Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) aprovou, nessa segunda-feira (13), novas medidas que vão beneficiar famílias que contratarem financiamentos habitacionais do Programa Casa Verde e Amarela. Em todo o Brasil, o teto do valor dos imóveis será reajustado e, com isso, será possível ampliar a oferta de moradias a serem contratados.

Além disso, o Governo Federal vai estender a menor taxa de juros da história do FGTS a todos os mutuários – antigas faixas 1,5 e 2 famílias de baixa renda (até R$ 2 mil mensais) de acordo com a sua região – as mesmas autorizadas pelo Conselho Curador em 2020. Os beneficiários desse perfil respondem por quase 80% do déficit habitacional brasileiro.

Com isso, os usuários contemplados poderão ter descontos acima de R$ 30 mil no valor final do imóvel. Sem o incentivo, mutuários com esse perfil de renda demorariam, no mínimo, 15 anos para atingir igual quantia a partir dos recolhimentos mensais realizados em suas contas (considerando o recolhimento mensal de 8% sobre a sua renda).

“A medida do Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), e aprovada por unanimidade pelo Conselho Curador, soma esforços à missão institucional da pasta de mitigar as desigualdades regionais”, destaca o secretário-executivo do MDR, Daniel Ferreira. “Além disso, também integra o rol de iniciativas para fomentar a economia no contexto da pandemia da covid-19”, completa.

Aumento do teto para financiamento

Outra medida aprovada é o aumento do valor máximo do imóvel a ser financiado por meio do Programa Casa Verde e Amarela. O reajuste varia de acordo com a região e o tamanho da população. Em municípios com 50 mil a 100 mil habitantes, o aumento do limite será de 15%. Entre 20 mil e 50 mil habitantes, de 10%. Já nos municípios com população menor que 20 mil habitantes, não houve alteração. Os demais municípios – incluindo as capitais e respectivas regiões metropolitanas – terão aumento de 10%.

A ampliação dos limites atende o pleito do setor da construção civil, frente à alta superior a 17% do índice Nacional de Custo da Construção (INCC) nos últimos 12 meses. Desse modo, a medida visa resguardar os níveis de contratação, considerando os efeitos da alta de insumos do setor, que permaneceu ativo na pandemia, mantendo os empregos por ele gerados e as obras em andamento.

Redução dos juros para famílias com renda superior a R$ 4 mil

As famílias com renda entre R$ 4 mil e R$ 7 mil, mutuárias de financiamentos habitacionais com recursos do fundo, também se beneficiarão das medidas aprovadas. As taxas de juros destinadas a esse perfil de renda foram reduzidas, até o fim do próximo ano, em 0,5 ponto percentual, passando de 8,16% para 7,66% ao ano. Para os trabalhadores titulares de conta vinculada ao fundo por três anos ou mais, a redução será ainda maior, com taxas de juros anuais equivalentes a 7,16%.

As medidas entrarão em vigor ainda neste ano, em cerca de 60 dias, com exceção das alterações do desconto nas taxas de juros, que só passarão a valer a partir de 2022.


Com informações do Ministério do Desenvolvimento Regional