Category Mercado Imobiliário

Aluguel comercial avança 2,62% em 2021: a maior alta desde 2013

Preço de venda do segmento ficou praticamente estável no ano (-0,03%) após 6 anos consecutivos de queda

 Análise do último mês: o segundo o Índice FipeZap, o preço médio de venda de salas e conjuntos comerciais de até 200 m² apresentou ligeira alta em dezembro (+0,10%), em paralelo à nova elevação de 0,38% registrada pelo preço médio de locação do segmento*, que completou 12 altas consecutivas, acelerando aos meses anteriores – setembro (+0,24%), outubro (+0,30%) e novembro (+0,35%). Comparativamente, todavia, ambas variações registradas foram inferiores à inflação medida pelo IPCA/IBGE (+0,73%) e pelo IGP-M/FGV (+0,87%) no último mês de 2021. Entre os destaques individuais do período, Curitiba (+1,15%), São Paulo (+0,27%) e Florianópolis (+0,17%) apresentaram as maiores contribuições para o avanço do preço de venda; ao passo que Salvador (+1,00%), Rio de Janeiro (+0,78%), Brasília (+0,73%), Curitiba (+0,61%) e Niterói (+0,39%) exibiram as maiores altas no valor do aluguel de imóveis comerciais no período.

 Análise de 2021: com os últimos resultados, o preço médio de venda encerrou 2021 próximo da estabilidade (-0,03%) após 6 anos consecutivos de queda, enquanto o preço médio de locação apresentou uma alta de 2,62% no ano, o maior avanço do índice desde 2013 (+5,13%). Comparativamente, essas variações foram inferiores à inflação apurada pelo IPCA/IBGE (+10,06%) e pelo IGP-M/FGV (+17,78%) no ano. Pela ótica individual, o aumento do preço médio de venda do segmento em 2021 foi partilhado pelas seguintes cidades: Curitiba (+6,30%), Brasília (+4,98%), Campinas (+3,27%) e São Paulo (+1,38%), contrastando com os recuos registrados em: Florianópolis (-3,42%), Porto Alegre (-2,89%), Rio de Janeiro (-2,65%), Belo Horizonte (-2,53%), Salvador (-2,44%), e Niterói (-1411%). Quanto ao preço médio de locação, as altas anuais apuradas em Curitiba (+8,68%), São Paulo (+3,78%), Brasília (+3,14%), Campinas (+2,99%), Porto Alegre (+1,75%), Niterói (+1,62%), Rio de Janeiro (+1,00%) e Belo Horizonte (+0,69%) se opuseram às quedas anuais registradas em Salvador (-1,23%) e Florianópolis (-0,13%).


■ Preço médio de venda e locação: em dezembro de 2021, o valor médio do m2 de imóveis comerciais anunciados nas cidades monitoradas pelo Índice FipeZap Comercial foi de R$ 8.407/m2 , no caso de imóveis comerciais anunciados para venda, e de R$ 38,02/m2 , entre aqueles destinados para locação. Entre todas as 10 cidades monitoradas pelo Índice FipeZap Comercial, a cidade de São Paulo se destacou com o maior valor médio tanto para venda de salas e conjuntos comerciais de até 200 m² (R$ 9.719/m2 ), quanto para locação de imóveis do mesmo segmento (R$ 45,68/m2 ). Comparativamente, no Rio de Janeiro, os preços médios de venda e de locação de salas e conjuntos comerciais anunciados foram de R$ 9.050/m² e R$ 37,74/m², respectivamente.
 

 Rentabilidade do aluguel comercial: pela razão entre o preço médio de locação e o preço médio de venda dos imóveis comerciais, é possível obter uma medida da rentabilidade para o investidor que opta por investir no imóvel com a finalidade de obter renda com aluguel (rental yield). O indicador pode ser utilizado para avaliar a atratividade de salas e conjuntos comerciais em relação a outras opções de investimento. Com referência a dezembro de 2021, o retorno médio do aluguel comercial foi apurado em 5,55% ao ano, mantendo-se acima da rentabilidade média do aluguel de imóveis residenciais (4,66% ao ano). Por outro lado, com a elevação da taxa de juros da economia, o retorno médio esperado de aplicações financeiras de referência passou a superar a rentabilidade do aluguel de imóveis de ambos segmentos do mercado imobiliário.


Nota: (*): os preços considerados se referem a anúncios para novos aluguéis. O Índice FipeZap não incorpora em seu cálculo a correção dos aluguéis vigentes, cujos valores são reajustados periodicamente de acordo com o especificado em contrato. Como resultado, o Índice FipeZap de Locação Residencial capta de forma mais dinâmica a evolução da oferta e da demanda por moradia ao longo do tempo.

Nomah lança mais de setenta unidades para locação flexível, no mês de janeiro

Nomah, startup de locação flexível, busca expandir cada vez mais sua atuação nas regiões da cidade de São Paulo. Nesse movimento, a empresa que já possui 550 unidades sob gestão, lançou mais de setenta unidades, neste mês de janeiro, nas regiões de Moema, Rebouças e Campos Elíseos. Os apartamentos buscam levar mais valorização aos bairros, modernização e dar mais opções de locações ao público.


Localizados nas regiões centrais da capital, os empreendimentos dos diferentes bairros possuem algo em comum: ficam próximos a bancos, hospitais e diversos comércios espalhados aos arredores, como restaurantes e padarias. Cotovia e Rebouças são apartamentos e prédios premium e Campos Elíseos um projeto reestruturado. Além disso, um importante ponto para quem busca praticidade e locomoção, são as linhas de metrô próximas.


Thomaz Guz, CEO da Nomah, comenta que o lançamento dessas novas unidades é apenas o começo de um ano que promete grandes novidades. “A gente quer deixar nossa marca em todas as regiões de São Paulo, e, consequentemente, em outros estados. A locação flexível é uma tendência que tem crescido, e estamos felizes em fazer parte disso, oferecendo apartamentos confortáveis, modernos, com tecnologia de ponta do check in à saída, como uma nova forma de moradia” comemora o CEO.


O modelo de locação flexível vem se tornando popular, e a tecnologia presente é o grande diferencial desse formato de empreendimento da Nomah. A empresa trabalha com estadias short stay, long stay tanto em São Paulo, como no Rio de Janeiro. As unidades NOMAH variam de tamanho e também precificação, e todo o processo de locação pode ser feito em poucos cliques.

Icatu foca em mercado imobiliário com atualização do Icatu Garantia de Aluguel

A nova rotina de home office e ensino a distância trazida pela pandemia alterou a relação das pessoas com suas moradias, o que fez o mercado imobiliário se reinventar com novas estratégias. Além disso, é cada vez mais clara a demanda do consumidor por produtos simples e de fácil contratação, que ofereçam taxas atrativas e facilidades de pagamento. Com market share de 9,2% no segmento de Capitalização, a Icatu apresenta uma nova atualização em seu produto Icatu Garantia de Aluguel, um título de capitalização que substitui o fiador ou seguro-caução nos contratos imobiliários de locação de imóveis, que agora conta com possibilidade de contratação facilitada em até 12 parcelas divididas no cartão de crédito.

“A adoção de títulos de capitalização como garantia locatícia é uma tendência que se consolida cada vez mais no mercado imobiliário brasileiro porque é uma operação segura, ágil e muito prática, tanto para as imobiliárias, quanto para os donos de imóveis e os locadores. Além de devolver ao cliente o valor integral do título no final do prazo. Só no ano passado, tivemos um crescimento de 13% em volume de negócios desse tipo de produto em relação a 2020. E agora, com a opção de pagamento parcelado no cartão de crédito, ela se torna uma solução ainda mais acessível”, afirma o diretor de Capitalização da Icatu, Marcelo Oliveira.

A Icatu é o quinto maior grupo econômico no país em Capitalização, com mais de R$ 3 bilhões em provisões. A seguradora acredita que as vendas parceladas no cartão irão representar mais de 20% das vendas novas desse produto ao longo do ano. Atualmente, o produto Icatu Garantia de Aluguel representa 34% do faturamento de Capitalização da companhia.

“Nossa visão é que o ticket do produto, que geralmente é um múltiplo do valor do aluguel, para algumas pessoas acaba sendo um limitador. Com a possibilidade de parcelar esse valor, tornaremos o Icatu Garantia de Aluguel mais acessível aos consumidores de uma maneira geral”, complementa Oliveira. Assim como acontece no seguro fiança, o consumidor vai analisar se aquela parcela está dentro do orçamento dele, com o diferencial que ele resgata o valor do título no final do prazo.

Benefícios – O Icatu Garantia de Aluguel funciona para contratos de 12, 15, 18 e 30 meses, para a locação de imóveis residenciais ou comerciais. A contratação é feita de forma simples, sem avaliação de crédito, e é realizada uma única vez, válida por todo o período de locação. O valor da garantia é combinado diretamente entre o locador e locatário, que recebe 100% do valor do título ao final do contrato de locação, caso não haja qualquer tipo de inadimplência. Por se tratar de um título de capitalização, o locatário tem direito a participar de sorteios mensais no valor total do título. Cada cliente receberá um número da sorte com seis dígitos, com sorteios realizados através da Loteria Federal. Além disso, a contratação também dá direito a coberturas de assistência residencial, como chaveiro, vidraceiro, eletricista, encanador e conserto de eletrodomésticos.

Por sua vez, o locador terá, entre os principais benefícios, direito de fazer o resgate do valor garantido em caso de inadimplência no pagamento do aluguel a qualquer momento, com liquidez imediata, da mesma forma que o processo de cobrança dos valores em aberto e da desocupação do imóvel contam com o apoio da Icatu.

FGV IBRE promove webinar sobre os desafios do mercado imobiliário

O Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE) promove no dia 24 de janeiro, segunda-feira, a partir das 14h, o webinar “Os desafios do mercado imobiliário”. Em pauta estarão o novo indicador lançado pela Fundação — o Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) — e o cenário do mercado imobiliário brasileiro. O encontro virtual tem inscrições gratuitas, será transmitido pelo canal da FGV no YouTube.

Participam do debate on-line Paulo Picchetti, pesquisador do FGV IBRE e um dos responsáveis pela metodologia do IVAR; Ana Maria Castelo, coordenadora de Projetos da Construção do FGV IBRE; e Alberto Ajzental, professor da FGV EAESP. Os especialistas irão contar com a medição de Solange Monteiro, Editora da revista Conjuntura Econômica.

O novo índice da FGV foi elaborado com base nos contratos de locação novos e nas negociações de contratos já assinados entre inquilinos e proprietários de quatro capitais brasileiras — Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte e Porto Alegre. O índice também usa como base informações dos imóveis.

Ao lançar o IVAR, o FGV IBRE espera contribuir para uma melhor mensuração do que acontece no mercado imobiliário brasileiro, bem como auxiliar em decisões da política monetária, mercados e números fiscais.

Os interessados podem se inscrever e obter mais informações por este link.

Brasileiros constroem mansão sustentável de 40 milhões de dólares nos Hamptons

O empresário brasileiro Douglas Strabelli tem feito sucesso entre os milionários na terra do Tio Sam. Desde que foi fundada a Sagewood Corporation, os projetos e obras inovadoras da empresa têm conquistado cada vez mais o gosto dos clientes mais exigentes em Miami e Nova York.
 

A mais recente obra entregue pela construtora teve assinatura do renomado arquiteto Christopher Coy. O fundador da Barnes Coy Architects já trabalhou com gigantes da arquitetura moderna, como Charles Gwathmey e Richard Meier. Já o design interior ficou por conta do premiado italiano Massimo Castagna, que é o diretor artístico de algumas das marcas mais importantes da área de decoração de interiores, além de possuir um estilo próprio e facilmente reconhecível.
 

A casa à beira-mar de alto padrão nos Hamptons, região de aldeias e vilas de altíssimo luxo na cidade de Southampton, no estado de Nova York, nos Estados Unidos, possui nove suítes, 1.022 m2 de área interna e 436.6 m2 de espaço externo. Todo este conjunto, que inclui ainda uma propriedade de 1,21 hectares, está à venda por 40 milhões de dólares.


 

Com um estilo moderno e sofisticado, ela foi criada para receber o máximo de luz natural, unindo o ambiente da residência ao exterior. Para seguir este conceito, a obra recebeu paredes retráteis de vidro que oferecem a vista da orla de quase todos os cômodos da casa. Foram utilizadas no projeto double glass window, janelas de vidro duplo que fornecem uma barreira maior contra as temperaturas externas, representando uma vantagem significativa no que diz respeito à eficiência energética. Para completar, foram escolhidas cores neutras e brilhantes, além de materiais importados, eletrodomésticos e equipamentos de última geração.
 

A casa conta com todo um sistema para garantir eficiência energética e economia de água. Graças a instalação de geradores de energia geotérmica, a climatização do ar do interior da casa é feita a partir de dutos subterrâneos. No inverno o ar do ambiente fica mais quente graças ao calor da terra, enquanto no verão ocorre o contrário. No rooftop foi instalado um ecotelhado ou telhado verde, mais uma ferramenta que contribui com a redução do uso do ar-condicionado, e painéis solares que garantem 30% da energia da casa. Ao gerar eletricidade limpa, ela reduz de imediato a nossa pegada ecológica, através da redução da emissão de carbono.

O sistema de automação geral do imóvel possibilita ainda o controle de iluminação, som e temperatura, irrigação, acionamento de persianas e diversos outros sistemas, resultando em uso eficiente de energia. Por fim, quando o assunto é a economia de água, o sistema de cisternas promove o aproveitamento da água da chuva e também da água de reuso, garantindo redução da pegada hídrica.

Gafisa atinge R$ 1,7 bilhão em lançamentos e supera o guidance de 2021

A Gafisa, uma das principais incorporadoras e construtoras do Brasil, anuncia sua prévia operacional do 4º trimestre de 2021. A incorporadora atingiu R$ 1,7 bilhão de Valor Geral de Vendas (VGV) em lançamentos, superando o guidance de R$ 1,5 bilhão previsto para o ano. As vendas brutas acumuladas no ano de 2021 atingiram R$ 754,8 milhões, alta de 46% na comparação com o ano de 2020.No trimestre, foram lançados três empreendimentos totalizando R$ 685 milhões em Valor Geral de Vendas, com destaque ao Tonino Lamborghini San Paolo, localizado nos Jardins, em São Paulo.

No trimestre, foram lançados três empreendimentos totalizando R$ 685 milhões em Valor Geral de Vendas, com destaque ao Tonino Lamborghini San Paolo, localizado nos Jardins, em São Paulo.

Além dos empreendimentos lançados no trimestre, foram lançados outros quatro empreendimentos, totalizando R$ 436 milhões em Valor Geral de Vendas (VGV), em estágio de pré-lançamento, com estande e campanha publicitária em vigor. O destaque é para o empreendimento Stratos, localizado no Itaim, na capital paulista.

A performance operacional é reflexo do processo de retomada de crescimento da companhia, iniciado pela nova gestão em 2019. Desde então, a Gafisa se reestruturou com foco em empreendimentos de médio alto e alto padrão, que correspondem a 80%, e 97% dos estoques concentrados em São Paulo e Rio de Janeiro.

Warren estrutura operação para financiamento de empreendimento em Porto Alegre no valor de R$ 37 milhões

A plataforma de investimentos Warren foi a Coordenadora Líder de Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI), cujo tomador dos recursos foi uma empresa subsidiária da Incorporadora Astir, do Grupo Isdra, no valor de R$ 37 milhões. Trata-se de uma operação estruturada para financiamento imobiliário para a construção do empreendimento Aris, localizado no bairro Três Figueiras, em Porto Alegre-RS.
 

Para Gustavo Kosnitzer, head da área de mercado de capitais da Warren, o movimento significou o encontro de dois mundos: uma empresa super tradicional, inserida em um mercado também muito tradicional, dominado pelos bancos, com uma plataforma de investimentos 100% alinhada com o cliente. “Conseguimos fazer isso pelo mercado de capitais da Warren, em que promovemos diretamente um match de investidores com quem está precisando de recursos”, declara.
 

O executivo ainda reforça que, ao realizar uma operação de crédito, a Warren disponibiliza ao investidor um produto exclusivo, diferenciado, com rentabilidade acima da média de mercado.
 

“Estávamos buscando um novo parceiro, com uma abordagem mais leve e moderna, e que, a partir do entendimento da nossa necessidade enquanto cliente, fosse capaz de estruturar uma operação praticamente sob medida. Nosso intuito ao unir esforços com a Warren era justamente escapar do mainstream do mercado financeiro, trabalhando com menos burocracia, canalizando nossa energia apenas na estruturação da operação em si, podendo com isso dar a ela a formatação que mais atendesse os nossos objetivos”, declara Eduardo Isdra Zachia, Diretor-Presidente do Grupo Isdra.
 

Mudanças no cenário 
 

Segundo Kosnitzer, da mesma forma que o investimento sofreu um movimento muito grande de desbancarização, o crédito segue a mesma linha: “Estamos levando o mesmo propósito de alinhamento com os investidores para as empresas que querem acessar o mercado de capitais, através de custos mais eficientes e de dedicação total a cada operação que atuamos”, explica Gustavo.

Ivanhoé Cambridge e Greystar Real Estate Partners expandem seus negócios na América Latina

A Ivanhoé Cambridge, principal player do setor imobiliário no mundo, tem trabalhado fortemente para expandir seus negócios de forma global. Agora, para ampliar sua atuação na América Latina estabelece uma joint venture com a Greystar Real Estate Partners LLC (“Greystar”), líder mundial no investimento, desenvolvimento e gestão de imóveis residenciais para locação de alta qualidade.

A classe de bens imobiliários multifamiliares é ainda emergente na América Latina, assim como o investimento no setor que provém, principalmente de capital local, incluindo investidores institucionais e de elevado patrimônio líquido. A nova parceria entre a Ivanhoé Cambridge e a Greystar representa o primeiro investimento de capital institucional global em bens imobiliários multifamiliares no Chile, sendo um marco importante e uma oportunidade pioneira para a indústria e o país.

Além disso, a joint venture simboliza um passo importante para a Greystar estabelecer uma plataforma de investimento regional que aborda as tendências demográficas e macroeconômicas para favorecer moradia e locação em toda a América Latina. Marca também o primeiro investimento da Ivanhoé Cambridge no Chile, demonstrando seu empenho em diversificar ainda mais seu portfólio globalmente e expandir sua presença no setor multifamiliar.

Ivanhoé Cambridge e Greystar darão início a parceria em Santiago, onde irão desenvolver e adquirir novos projetos multifamiliares em mercados centrais, bem conectados e com forte demanda de imóveis residenciais para locação. O mandato do empreendimento está em linha com a visão de ambos os parceiros de procurar formas inovadoras, sustentáveis, acessíveis e eficientes de atrair o público de residências para locação, construídos com propósito e facilitar a gestão profissional, além de enriquecer o local e alcançar retornos de investimento superiores por meio de empreendimentos projetados para locação e prestação de serviços excepcionais.

“O nosso empreendimento em conjunto com a Ivanhoé Cambridge no Chile é um marco e um indicador chave do crescimento contínuo e da força da nossa aliança estratégica global à medida em que expandimos mais para os mercados internacionais”, disse Tom Livelli, Diretor Executivo da Greystar. “Juntamente com o investimento da Ivanhoé Cambridge e as capacidades internas da empresa e as amplas relações locais, vemos a possibilidade de abrir as portas para transformar a experiência do locatário no Chile, onde continuamos a enxergar um futuro promissor com tremendo potencial de longo prazo”.

Adriano Mantesso, Managing Director da Ivanhoé Cambridge na América, acrescentou: “Estamos animados para lançar esta nova estratégia de investimento no Chile. Este empreendimento irá acelerar significativamente a nossa capacidade de crescer e diversificar nosso portfólio em um mercado chave da América Latina. Acreditamos que é apenas uma questão de tempo até que os residenciais para locação se tornem uma classe de bens imobiliários estabelecida nas principais cidades da região, atraindo cada vez mais capital institucional global e transformando a experiência do locatário de forma significativa. Estamos muito empolgados em nos juntarmos mais uma vez com a Greystar como pioneiros na entrega de imóveis residenciais para locação e contribuir para estabelecer novos padrões em serviços aos residentes, desta vez no Chile.”

A Ivanhoé Cambridge e a Greystar estabeleceram parcerias em várias joint ventures norte-americanas e internacionais, incluindo uma recente parceria “develop-to-core“, onde foram investidos milhões de euros, centrado em moradias para estudantes e jovens profissionais na Região da Grande Paris. Em fevereiro de 2021, a Greystar e a Ivanhoé Cambridge voltaram a associar-se para fornecer uma nova geração de residenciais de locação de alta qualidade, desta vez na Austrália.

CAIXA fecha 2021 com resultado histórico no Crédito Imobiliário

Banco superou os R$140 bilhões em contratações no ano, o maior montante da história da CAIXA.
Crescimento de mais de 21% na comparação com 2020

A CAIXA, líder absoluta no crédito imobiliário, apresentou resultado histórico em 2021. Foram mais de R$ 140 bilhões contratados ao longo do ano, maior valor da história do banco, um crescimento de mais de 21% na comparação com o ano anterior e de 56,1% em relação a 2019. O aumento chega a 74,5%, se comparado com 2018.

Nas contratações com recursos da poupança (SBPE) a participação acumulada em 2021 foi de mais de 40% e os valores aplicados somaram R$ 82,8 bilhões, o que representa aumento de 54,1% no comparativo com 2020. Já com relação a 2019, o crescimento foi de 212,1% e de 513,4% em relação a 2018.

CAIXA é líder de mercado

Com 66,3% de participação no mercado, a CAIXA segue como o maior financiador da casa própria no país realizando o sonho de milhares de brasileiros. A carteira de crédito habitacional da CAIXA ultrapassou o volume de R$ 550 bilhões em 2021, com crescimento de 8% em relação a 2020.

Foram R$ 57,8 bilhões contratados pelo Casa Verde e Amarela, o que representa 99,99% dos recursos do Programa.

Para o setor da construção civil, foram R$ 31,3 bilhões em crédito concedido para construtoras, crescimento de 27,1% em relação a 2020 e de 51,3% em comparação com 2019. Levando em consideração 2018, o aumento é de 93%. Foram cerca de 2,5 mil novos canteiros de obras no ano passado.

Habitação da CAIXA em todo o Brasil

Ao final de 2021, o banco contava com mais de 3,2 milhões usuários dos serviços do App Habitação. Foram mais de 500 mil novos usuários no ano. Pelo aplicativo os clientes podem acessar serviços como a utilização do FGTS para amortização do financiamento habitacional, emissão de 2ª via de boletos e de demonstrativos financeiros com toda comodidade. Além disso, no último ano, foi disponibilizada a possibilidade de encaminhar e acompanhar propostas de crédito imobiliário pelo aplicativo.

A CAIXA também disponibiliza o crédito imobiliário por meio de uma rede de mais de 9 mil Correspondentes CAIXA Aqui presentes em todas as regiões do país.

Lançamentos da incorporadora RNI totalizam R$ 761 milhões em VGV e alcança patamar superior aos últimos 7 anos

A construtora e incorporadora RNI, do grupo Empresas Rodobens, conquista resultado histórico, com patamares superiores aos últimos sete anos. De acordo com prévia do 4T21, a empresa que completou 30 anos de atuação no Brasil, lançou oito empreendimentos em 2021, com a soma de R$ 761 milhões em VGV, aumento de 30% com relação ao ano anterior. Apenas no último trimestre de 2021 a incorporadora lançou dois empreendimentos — Origem do Sol (Várzea Grande/MT) e RNI Reserva Clube (Gravataí/RS) — totalizando R$ 281 milhões em VGV, resultado 256% superior a 3T21.

A RNI registrou um volume de vendas brutas de R$ 841 milhões e em vendas líquidas, R$ 642 milhões, dados dos últimos doze meses. As vendas brutas tiveram um crescimento de 17% em comparação a 2020 e de 12% em relação ao 3T21. Já as vendas líquidas tiveram crescimento de 15% comparado com 2020 e 8% com o 3T21.

Ainda celebrando os notáveis resultados, a incorporadora conquistou recorde de unidades financiadas em 2021, com o total de R$ 228 milhões. No 4T21, o volume de financiamentos atingiu R$ 106 milhões, resultado 199% superior ao mesmo período de 2020 e 131% acima que o obtido em 3T21, isso influenciou expressivamente em geração de caixa dentro do trimestre.

“A prévia de resultados do último trimestre demonstra a assertividade do plano de negócios da companhia atuando fora dos grandes centros e nas regiões voltadas para o agronegócio. Além de residenciais com modernas instalações e ampla área de convívio, a RNI busca compreender o perfil do brasileiro que quer adquirir uma casa própria entregando residenciais de qualidade, não se esquecendo da missão de transformar e desenvolver as regiões onde atua, além de melhorar a infraestrutura local”, ressalta o CEO da RNI, Carlos Bianconi.

Presente em 12 estados brasileiros e 59 cidades, parte da conquista da RNI se dá ao projeto de expansão nacional que acompanha o crescimento exponencial das regiões do agronegócio. Além disso, o programa Casa Verde e Amarela, no segmento faixa 3, também é o produto que impulsionou este crescimento.

Lançamentos

Em 2021 a companhia lançou oito empreendimentos — Garden RNI (Bady Bassitt/SP), Smart Haus (Blumenau/SC), Moradas Parque (Pacatuba/CE), Bosque dos Ipês (Campo Grande/MS), RNI Reserva Igara (Canoas/RS), Magnólia (Ribeirão Preto/SP), Origem do Sol (Várzea Grande/MT) e RNI Reserva Clube (Gravataí/RS) — totalizando R$ 761 milhões em VGV e 30% superior ao realizado em 2020.

Terrenos

Em 31 de dezembro de 2021, o Landbank foi de R$ 6.8 bilhões, sendo 83% dos terrenos direcionados ao segmento PCVA (horizontal e vertical).