Category Mercado Imobiliário

Startup La Decora usa a tecnologia para auxiliar a democratização da decoração de interiores

Luciana Mendes, Guilherme Hathy e Gabriela Accorsi

Muitas pessoas quando compram um novo imóvel, sonham em deixá-lo com toques que tragam a identidade pessoal delas e, ao mesmo tempo, sem gastar muito. Olhando para esta vertente de mercado e sabendo que este momento é crucial para os moradores transformem a casa em um ambiente aconchegante, prático e com um visual harmônico, a La Decora criou um software gamificado e proprietário com o propósito de democratizar o acesso à decoração de interiores para todos. 

“A La Decora entende que a única maneira de democratizar a decoração é fazendo com que o processo de produção de projetos seja automatizado, para que precise de intervenção humana somente em pontos específicos. Ao mesmo tempo, temos a preocupação de ter profissionais qualificados para trazer a visão e sensibilidade que sejam capazes de criar projetos personalizados para cada cliente, garantindo uma experiência que realmente atenda o consumidor no seu desejo de decoração. Tudo isso de uma maneira eficiente e ágil”, explica Luciana Mendes, CEO e Co-fundadora da La Decora.

Como funciona a plataforma?

A idealização do projeto começa com a medição do local, a La Decora ajuda neste processo ensinando o cliente a fazer a medição de forma simples, com instruções em foto e vídeo. Outra otimização oferecida pela plataforma é a metodologia de produção, onde o escritório organiza e direciona os dados do cliente para acelerar a produção dos projetos internamente, que facilitam a execução e garantem uma produção mais eficiente sem perder a qualidade.

Com a tecnologia como aliada na hora de criar os seus projetos, a La Decora consegue, portanto, oferecer uma proposta decorativa mais assertiva, efetiva e rápida na comparação com a concorrência, resultando ainda num preço mais acessível graças a esse auxílio digital. 

Dentro da plataforma, o cliente passa por algumas etapas, como: questionário do ambiente, envio da planta, fotos e texto do que ele gosta. “Nesta parte solicitamos para que o cliente nos conte tudo o que deseja para a decoração do seu ambiente até se quer manter algum móvel ou objeto. Assim, consideramos todas as solicitações, para que seu projeto seja do jeito que sempre sonhou”, explica Gabriela Accorsi, COO e Co-fundadora da startup.

O desenvolvimento do projeto online, demora cerca de 5 dias úteis entre envio de informações e entrega, muito mais rápido em relação à maneira tradicional. Além disso, durante o desenvolvimento do projeto online, o cliente pode interagir com o designer por chat via plataforma. Assim é possível garantir que estejam alinhados na comunicação do estilo e das preferências para o ambiente.

“A tecnologia é aplicada em ações que não precisam da sensibilidade do decorador ou designer, mas que fazem com que ele perca muito tempo em seu desenvolvimento. A nossa plataforma otimiza internamente o processo de decisão do profissional fazendo com que ele não precise fazer buscas por móveis e objetos de decoração dentro de pastas do computador”, explica Guilherme Hathy, CTO e Data Scientist da empresa.

Ao fim da execução do projeto online, para garantir que o cliente consiga realizar o mesmo em sua casa, a La Decora desenvolveu um guia de decoração para nortear todos os serviços e compras necessárias para que o ambiente fique exatamente como o projetado.

Neste guia está incluso:

  • Projeto 3D
  • Indicação de revestimentos das paredes
  • Indicação de pontos de iluminação
  • Detalhamento de marcenaria
  • Informações para o empreiteiro
  • Informações para o marceneiro
  • Listas de produtos com quantidade e especificações
  • Dicas de decoração para a casa toda

A La Decora já atendeu 2346 clientes no Brasil e no exterior. O custo de um planejamento como este é de apenas R$399,00 por cômodo, podendo ser parcelado em até 10x.

Gafisa lança empreendimento icônico na Vila Mariana

A construtora e incorporadora Gafisa marca seu primeiro lançamento de 2022 com o Evolve Vila Mariana, em uma das localizações mais desejadas por quem mora ou pretende viver em São Paulo. Com uma fachada imponente e moderna, toda em vidro, será uma vitrine da cidade e para a cidade e chega para renovar o bairro, um dos melhores lugares para viver, trabalhar e investir em São Paulo. Um dos traços do projeto é uma marcação do térreo ao topo revestida com porcelanato amadeirado realçando ainda mais a fachada do empreendimento.
 

O estilo contemporâneo tem a assinatura de Königsberger Vannucche Arquitetos Associados, Basiches Arquitetos Associados e Mera Paisagismo. Os profissionais pensaram cuidadosamente em cada detalhe para comodidade, beleza e sofisticação dos apartamentos e do empreendimento como um todo.


Serão 63 apartamentos de 97m2 com 3 dormitórios, sendo 1 suíte e 1 vaga, e 148m2 com 3 suítes, hall privativo e 2 vagas. Além de 65 unidades studios com plantas de 23m² a 31m². Os acessos para os apartamentos serão independentes do acesso aos studios, bem como as respectivas áreas de lazer. Todas as áreas comuns serão entregues decoradas e equipadas com mobiliário moderno. A entrada do empreendimento contará com espelho d’água e iluminação diferenciada, a fim de levar imponência ao empreendimento. O empreendimento conta também com projeto exclusivo de comunicação visual, desenvolvido pela Nitsche Arquitetos Associados, elevando e destacando ainda mais a sofisticação do Evolve Vila Mariana.


As plantas e acabamentos dos apartamentos podem ser personalizados, permitindo às famílias que ajustem os ambientes de acordo com as suas necessidades e desejos. As modificações são executadas durante a construção e com a garantia da Gafisa. Em até seis meses do início da construção das obras do empreendimento, o cliente será convidado pelos profissionais do Viver Bem da Gafisa para definições sobre a personalização das unidades.


As unidades apartamento terão entrada de serviço independente, fechadura eletrônica nas portas social e de serviço, elevador social decorado, infraestrutura de ar-condicionado para os dormitórios, sala e terraço, tomadas USB, lavabo, piso nivelado entre hall, sala, cozinha e terraço, possibilitando total integração entre os cômodos e hall privativo para as unidades de 148m2.


Já os studios serão entregues com infraestrutura para instalação de ar-condicionado, tomadas USB, fechadura eletrônica e ponto para máquina lava e seca.


O empreendimento contará com uma completa área de lazer, que ocupará pavimentos diferentes: no térreo, os moradores dos apartamentos poderão acessar o lobby social, sala delivery, brinquedoteca e salão de festas integrado com terraço gourmet entregue com adega, lareira, churrasqueira, chopeira e cervejeira, além de mobiliário e acabamentos diferenciados. Já os studios terão neste andar o bicicletário, a praça boulevard de acesso ao lobby social, espaço coliving com possibilidade de integração ao salão de festas e terraço gourmet com churrasqueira a gás, chopeira e cervejeira. No 1º andar, estará outro espaço de lazer destinado aos studios, com lavanderia, academia integrada ao spa externo com jacuzzi e terraço relax.


O 6º andar será dedicado ao lazer dos apartamentos e lá estarão localizados piscina com spa, solarium, academia com fechadura eletrônica, lounge gourmet com churrasqueira barbecue e playground com painel retrátil ao lado do lounge gourmet, possibilitando a integração da família. Para completar, no 26º andar, os moradores poderão curtir a vista da cidade e relaxar no rooftop com spa urbano, contendo sauna, sala de massagem, ducha e jacuzzi.


O projeto conta ainda com diferenciais de tecnologia, segurança e sustentabilidade como: infraestrutura para instalação de tomada de carregamento de carro elétrico (1 por unidade), tomadas para carregamento de bicicleta elétrica, tomada USB nas unidades e áreas comuns, gerador de energia atendendo as áreas comuns, infraestrutura para wi-fi nas áreas comuns, guarita com vidro blindado, clausura nos acessos de pedestres e veículos, sistema para controle de acesso e infraestrutura para instalação de sistema de Segurança Patrimonial, elevadores com controle de acesso por senha cartão ou app, espaço para coleta seletiva, programa de gestão e reciclagem de resíduos da construção, metodologia construtiva com menor geração de entulhos e desperdício e material, iluminação das áreas comuns com lâmpadas LED. Laje e jardineiras verdes, bem como plantios arbóreos de espécies nativas fazem parte do projeto arquitetônico e paisagístico da fachada, contribuindo para o bem-estar dos condôminos e qualidade do meio ambiente.


Para tornar o empreendimento mais acessível, as áreas comuns terão rampas e/ou guarda-corpo conforme a NBR 9050/2015, garagem com vagas preservadas para PCD, comunicação em braile e piso tátil e banheiro adaptado para PCD em todas as áreas comuns.


Localização 
 

Localizado na Rua Manoel de Paiva, 129, o projeto está posicionado em um quadrilátero privilegiado, calmo e perto de tudo. A região possui perfil residencial nobre e infraestrutura completa com comércio variado, escolas, hospitais, bares e restaurantes. Além da proximidade com a Avenida Paulista e com a zona central da cidade. O deslocamento também é facilitado pelas opções de transporte: o bairro conta com estação de metrô e diversas linhas de ônibus. A estação Ana Rosa está há 5 minutos do empreendimento.


É na Vila Mariana que estão concentrados importantes espaços culturais como o Museu de Arte Moderna de São Paulo, o Sesc Vila Mariana, a Biblioteca Viriato Corrêa, o Museu Lasar Segall e os parques Aclimação e Ibirapuera. Espaços verdes não faltam pela região, as ruas arborizadas contribuem para uma melhor qualidade de vida dos moradores.


Stand de vendas 
 

Com previsão de lançamento em abril, os consultores de vendas da Gafisa já estão recebendo os clientes em uma loja conceito pensada cuidadosamente para a comodidade dos futuros moradores: maquete automatizada, possibilitando identificar a prumada do apartamento, telas touch para navegação no mapa da região, acesso a todas as imagens e plantas do empreendimento, além de vistas 360º de todos os pavimentos.


O espaço foi projetado com elementos do empreendimento para oferecer aos clientes uma experiência completa, além de decorados com itens automatizados, brinquedoteca, playground e terraço integrado ao bar.

No decorado do apartamento, o conceito aplicado parte em criar um desenho de interiores onde volumes ganham forma e organizam os espaços, valorizando cada ambiente e explorando todo plano visual do apartamento. Foram utilizados acabamentos que trazem um clima de aconchego com sofisticação, pensando em cada detalhe. Já o studio conta com paleta entre cores com equilíbrio e contraste entre poucos materiais; concreto e madeira, o ambiente foi desenhado com muito aconchego, em uma proposta funcional para um studio moderno, o encontro da estética com funcionalidade.


O stand fica localizado no endereço do empreendimento à Rua Manoel de Paiva, 129.

Preço médio do aluguel em Belo Horizonte sobe 2,5% no mês de março

De acordo com o relatório mensal de preços de março do Imovelweb, um dos maiores portais imobiliários do País, o preço médio do aluguel mensal de um apartamento de 65m² com dois quartos em Belo Horizonte ficou em R$ 1.695, subindo 2,5% no mês. O levantamento ainda aponta um aumento de 13,4% no valor do aluguel nos últimos doze meses, acima da inflação, mas abaixo do Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M).O levantamento é baseado nas buscas realizadas pelos usuários no site durante o mês de março.

Centro-Sul é a região com preço médio mais alto, custando R$ 2.110 por mês. Venda Nova aparece como a região com menor valor médio, fechando o mês de março com R$ 1.087.

Preços do aluguel nas demais regiões de Belo Horizonte:

RegiãoValor do m²Variação MensalVariação Anual
VENDA NOVA1.0871,6%16,9%
NORTE1.130-0,9%-1,4%
NOROESTE1.2554,3%-7,5%
NORDESTE1.4263,2%6,6%
LESTE1.5216,6%11,2%
OESTE1.5994,9%17,6%
PAMPULHA1.6224,6%15,9%
CENTRO-SUL2.1100,7%12,8%

Na análise por bairros, Savassi é o mais caro para morar de aluguel, com um valor médio de R$ 3.311 mensal. Para quem busca economizar, Jaqueline é o bairro mais econômico, com um valor mensal de R$ 921.

Mais baratos (R$)Variação MensalVariação Anual
Jaqueline921-1,6%15,4%
Juliana1.0372,2%S/D
Coração Eucarístico1.049S/D-11,5%
Mais caros (R$)Variação MensalVariação Anual
Funcionários2.6264,5%18,8%
Belvedere3.0251,3%10,5%
Savassi3.311-3,7%11,0%

Imóveis à venda: preços abaixo da inflação

No mês de março, segundo o levantamento do Imovelweb, o valor médio do m² em Belo Horizonte ficou em R$ 5.619, 0,4% acima do mês anterior. Ainda no terceiro mês do ano, os preços voltaram a subir abaixo da inflação. Nos últimos doze meses, os valores aumentaram 7,1%, também abaixo da inflação, o que implica queda em termos reais.

Entre os bairros, Santo Agostinho foi apontado com o maior preço médio (R$ 11.862 por m²). Já Ribeiro de Abreu é o mais barato, custando R$ 2.429 por m².

Mais baratos (R$/m²)Variação MensalVariação Anual
Ribeiro de Abreu2.4290,2%0,8%
Flávio de Oliveira2.5100,6%4,7%
Solar do Barreiro2.5311,4%6,1%
Mais caros (R$/m²)Variação MensalVariação Anual
Braúnas11.5000,0%0,0%
Savassi11.6970,2%17,8%
Santo Agostinho11.8621,5%9,5%

Além disso, Pousada Santo Antônio, em março, ficou como o bairro com maior incremento interanual de preço. Em contrapartida, Bonsucesso obteve a maior baixa de valor.

BairroValor do m² (R$/mês)Variação anual
Bonsucesso2.982-20,2%
Belmonte3.169-15,1%
São Bernardo3.502-11,8%
Madre Gertrudes4.02918,7%
Vila Paris8.88620,0%
Pousada Santo Antônio3.80721,6%

Rentabilidade em BH

O índice de rentabilidade imobiliária relaciona o preço de venda e valor de locação do imóvel para verificar o tempo necessário para recuperar o dinheiro utilizado na aquisição do imóvel. Em março, o índice em Belo Horizonte foi de 3,36% bruto anual, o que significa que são necessários 29,8 anos de aluguel para reembolsar o investimento de compra, 1,6% a menos do que há um ano. Centro-Sul é a região com maior retorno. Carlos Prates e Betânia são os bairrosque oferecem melhor retorno para os investidores.

Rentabilidade por região:

RegiãoRentabilidade
NORTE2,1%
NORDESTE2,6%
LESTE3,0%
OESTE3,1%
NOROESTE3,2%
VENDA NOVA3,4%
PAMPULHA3,5%
CENTRO-SUL3,7%

RNI se aproxima das 200 unidades no Brasil com o oitavo empreendimento em Santa Catarina

A construtora e incorporadora RNI, do grupo Empresas Rodobens, segue firme na aposta à Região Sul. O RNIReserva Blumenau, com Valor Geral de Vendas (VGV) de R$ 124.255.883 milhões, é o segundo da construtora na cidade, o oitavo no estado de Santa Catarina e o 39º no Sul. Com 4.388 unidades construídas em Santa Catarina, o novo empreendimento vai gerar, em média, 820 empregos novos postos de trabalho, diretos e indiretos, até o final das obras.

Todos os empreendimentos contam com os benefícios dos programas Casa Verde Amarela e SBPE, que se tornou um facilitador para as pessoas que sonham em aderir a casa própria com valores e parcelas que cabem no bolso. “A crescente demanda de vendas dos empreendimentos se dá ao fato das facilidades que são oferecidas pela empresa. No primeiro empreendimento lançado, o Smart Haus, tivemos uma valorização do residencial de 20% em 10 meses de vendas. A RNI passa por um crescimento exponencial, em que atingimos 59 cidades e 12 Estados até agora. Vislumbramos um 2022 com mais atuação no mercado e mais oportunidades para continuarmos a facilitar o sonho da casa própria para os brasileiros”, enfatiza o Diretor de Marketing e Vendas da RNI, Gustavo Felix.

De acordo com a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), os dados no acumulado do ano indicam que 2021 deve fechar como o ano de maior venda e lançamentos da história do setor. As novas 171 mil unidades nos 9M21 representam uma alta de 37,6% se comparado com o mesmo período de 2022, enquanto as vendas de 78,5 bilhões de reais na métrica VGV representam um crescimento de 33,8% na mesma comparação.

RNI Reserva Blumenau — benefícios e facilidades

O novo empreendimento RNI Reserva Blumenau mantém a tendência de moradias mais modernas do mercado, com uma ampla área de lazer e convívio. Com localização estratégica, próximo a bancos, mercados e academias, o residencial localizado na Rua Frederico Jensen, no bairro Itoupavazinha, em Blumenau (SC), possibilita o acesso rápido à Rua Henrique Mette, que liga as principais avenidas locais. O condomínio contará com 617 unidades em aproximadamente 32,8 mil m², com metragens de 42,07m², 45,87m², 44,79m² ou 41,74m², dois dormitórios e vaga de garagem.

O RNI Reserva Blumenau oferece ainda aos moradores 12 itens que proporcionam comodidade a famílias e seus pets. As áreas comuns contarão com salão de festas, piscina, pet place, horta, academia ao ar livre, espaço fitness, playground, quiosque com churrasqueira dupla, vagas para moradores e visitantes, central de gás e depósito de resíduos sólidos.

Por todos os benefícios que o empreendimento traz, somado ao alto índice de valorização, além de moradia, mas também aqueles que buscam opções de investimento podem olhar para o empreendimento e para a região como principal meio para isso.

Estande de vendas

Para dar suporte ao público, levando em consideração os protocolos atuais de saúde no combate ao Covid-19, a RNI disponibilizará pela sua plataforma online o agendamento de visitas ao imóvel decorado do empreendimento, localizado na Rua Joinville, 582, Blumenau.

Resultados e expansão

Como parte do projeto de ampliação de sua estratégia de expansão nacional, a RNI lançou, nos últimos meses, além do RNI Reserva Blumenau, outros oito empreendimentos: RNI Reserva Clube (Gravataí /RS); Urban RNI (Piracicaba/SP), Garden RNI (Bady Bassit/SP); Moradas Parque (Pacatuba/CE); Smart Haus RNI (Blumenau/SC); Bosque dos Ipês (Campo Grande/MS); RNI Reserva Igara (Canoas/RS) e Magnólia (Ribeirão Preto/SP), somando R$ 480 milhões em VGV em apenas nove meses e R$ 303 milhões em receita líquida no período, aumento de 27% ao mesmo período em 2020.

ABRAMAT participa de lançamento do Construa Brasil

A ABRAMAT (Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção) estará presente amanhã, 26 de abril, da apresentação de resultados do Projeto Construa Brasil, que será transmitido no Canal do Ministério da Economia no YouTube. A associação liderou grupo de construção industrializada e colaborou com os demais temas do projeto, que visa melhorar o ambiente de negócios do setor da construção, retirando barreiras atuais e incentivando as empresas à modernização.

A modernização do setor da construção, com incorporação de tecnologias e métodos de produção mais avançados que gerem ganhos de produtividade será essencial para o desenvolvimento do país, e nós, como associação atuante, temos orgulho em poder contribuir para que essa agenda, que inclui a construção industrializada, se torne uma realidade em todo Brasil”, explica Laura Marcellini, Diretora Técnica da ABRAMAT, que liderou o grupo responsável por elaborar as metas de Construção Industrializada.

A adoção da construção industrializada tem potencial para reduzir significativamente os prazos de execução das obras e aumentar substancialmente a eficiência dos processos, a sustentabilidade, as condições de trabalho para os colaboradores e o controle de qualidade e de custos.

O Construa Brasil foi criado no âmbito do Termo de Colaboração estabelecido entre o Ministério da Economia e a Rede Catarinense de Inovação (Recepeti), por instrumento do Edital 03/2019 do referido ministério.

As metas estabelecidas estão relacionadas à convergência dos Códigos de Obras e Edificações, melhoria do processo de concessão de alvará para construção, difusão do Building Information Modeling (BIM) no Brasil (desdobramentos da Estratégia BIM BR), incentivo à coordenação modular e à construção industrializada.

A partir da consecução das metas, espera-se alcançar os seguintes objetivos: reduzir a burocracia do setor da construção civil, aumentar sua produtividade e competitividade, gerar empregos, elevar o PIB do setor e, assim, contribuir para o desenvolvimento econômico e social do Brasil.

Lançamento do Projeto Construa Brasil

Data: 26 de abril de 2022

Horário: 14h30

Local: Remoto – Canal do Ministério da Economia no YouTube

Como melhorar a agilidade nos canteiros

As soluções das construtechs são responsáveis pela transformação da construção civil, conhecida por ser um dos setores mais conservadores na adoção de novas tecnologias. Comunicação eficiente, gestão ágil, redução de custos e sustentabilidade estão entre as vantagens oferecidas.

Na entrevista a seguir, André Quinderé, CEO da Agilean, conta como a scale up (startup em momento acelerado de crescimento e com potencial de escala) contribui para essa evolução no segmento, ao oferecer uma gestão com excelência, alta produtividade e digitalização dos processos e como isso reflete na prática nos canteiros 

A construção civil tem se mostrado mais aberta às novas tecnologias?

Com certeza. Embora seja conhecida como tradicional e pouco inovadora, o crescimento no número de construtechs no mercado demonstra uma clara mudança nesse cenário.

O que mantinha a construção civil no passado era a combinação entre o dinamismo da indústria, as incertezas e os imprevistos com uma gestão estática, sem conexão entre estratégia, tático e operacional, o que dificultava a alavanca de produtividade e de eficiência. Para mudar esse cenário é necessário fazer com que os canteiros operem no modo ágil, onde qualquer movimento ou mudança no plano de ação seja comunicado em tempo real e os profissionais consigam enxergar os impactos de ponta a ponta.

Soluções como as da Agilean chegam para revolucionar a indústria da construção civil, ao digitalizar o maior número possível de canteiros em todas as regiões. Fazemos com que construtoras, incorporadoras e empreiteiras se transformem em verdadeiros centros de excelência em gestão e produtividade.

O que é a Agilean?

Com mais de 6 milhões de metros quadrados digitalizados em todo o país, a Agilean promove uma gestão com excelência, alta produtividade e digitalização dos processos na construção civil. Por meio de uma plataforma acessível e intuitiva, todas as informações estão disponíveis em tempo real, levando agilidade para a realização de diversas obras simultaneamente. A Agilean é a única plataforma do Brasil a integrar BIM e Lean Construction.

Qual é a vantagem de integrar BIM e Lean Construction?

A metodologia Lean propõe melhorar os resultados de negócios, otimizando processos e evitando desperdícios. Sua integração com o BIM permite aos usuários terem uma visão ampla e precisa de todas as etapas da obra. Com a ferramenta da Agilean é possível ter em um só local orçamentos, controle de qualidade, análise de valor agregado, gastos e informações em tempo real sobre a execução. Essa combinação dos dados permite fazer uma análise completa do cenário, direcionar os recursos para o que realmente importa, além de elaborar os planejamentos de forma mais assertiva.

O que muda em uma obra com a utilização da Agilean?

A Agilean possibilita uma gestão dinâmica que se adequa a realidade da operação nos canteiros, informando os desvios e traçando para os gestores planos de ação para o aumento da rentabilidade das obras, tudo isso com informações em tempo real, por meio de painéis interativos e pelo chatbot.

Além dos indicadores da própria construção, os usuários têm acesso a um ranking automático com o comparativo e a média de todas as obras que utilizam a plataforma, facilitando uma visão macro e a adequação de estratégias quando necessário.

Com duas vezes mais aderência entre planejamento e execução, os benefícios também incluem 10% de ganho em velocidade de produção, 15% em produtividade, 5% de redução nos custos das obras, além de nenhum papel em todo o processo, já que tudo funciona de forma 100% digital. 

Quais são os benefícios práticos de promover uma gestão ágil?

Uma gestão ágil permite aos profissionais automatizarem as tarefas burocráticas e se dedicarem mais ao que é estratégico. Liberamos as pessoas do operacional e trazemos para o campo das ideias. O tempo economizado pode ser utilizado para pensarem em melhorias e utilizarem a criatividade para desenvolver cada vez mais projetos inovadores. É isso o que falta em nosso setor.

Valores dos imóveis à venda em Curitiba registram aumento mensal ininterrupto desde 2019

Desde outubro de 2019, os preços imóveis à venda em Curitiba registram um aumento mensal ininterrupto, de acordo com o relatório mensal de preços em Curitiba do Imovelweb, um dos maiores portais imobiliários do País. O levantamento é baseado nas buscas realizadas pelos usuários no site durante o mês de março.

O valor médio na cidade subiu 0,9% no mês, fechando em R$ 7.734 por m². No primeiro trimestre de 2022, os preços acumularam um aumento de 3,4% acima da inflação, mas abaixo do incremento da BOVESPA.

Campina do Siqueira é o bairro mais caro de Curitiba, com um preço médio de R$ 11.392 por m². Augusta aparece como o local mais econômico, custando R$ 3.054 por m².

Confira o valor do m² dos imóveis à venda nos demais bairros de Curitiba:

Mais baratos (R$/m²)Variação MensalVariação Anual
AUGUSTA3.0541,0%1,9%
CAMPO DE SANTANA3.1394,0%6,4%
CACHOEIRA3.1420,5%6,9%
Mais caros (R$/m²)Variação MensalVariação Anual
BATEL10.3651,35%2,49%
HUGO LANGE10.4050,61%S/D
CAMPINA DO SIQUEIRA11.3920,19%S/D

Na análise por região, Matriz foi apontada como a mais cara, com o valor médio de R$ 9.046 por m². Além disso, todas as áreas, segundo o relatório, registraram aumento de preço interanual. A Cidade Industrial de Curitiba (CIC) foi a região com maior incremento.

RegiãoValor do m²Variação MensalVariação Anual
BAIRRO NOVO3.3981,0%5,1%
BOQUEIRÃO4.7681,3%10,3%
PINHEIRINHO5.1651,0%6,8%
CAJURU5.3792,0%16,9%
BOA VISTA6.5681,6%14,8%
CIDADE INDUSTRIAL DE CURITIBA6.8511,0%19,2%
FAZENDINHA-PORTÃO7.7191,0%12,9%
SANTA FELICIDADE8.9071,4%14,5%
MATRIZ9.0460,6%11,7%

Aluguel: preços abaixo da inflação no primeiro trimestre

O preço do aluguel mensal em Curitiba fechou o mês de março no valor de R$ 1.601 para os apartamentos de dois quartos, diminuindo 0,3% no mês. No primeiro trimestre de 2022, o valor do aluguel na cidade aumentou 1,3% abaixo da inflação e do ajuste do Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M).

Santa Felicidade é a região mais cara para viver de aluguel, custando R$ 1.808 por mês. Já Pinheirinho é a mais barata, com um valor mensal de R$ 1.318.

RegiãoValor do m²Variação MensalVariação Anual
PINHEIRINHO1.318-1,7%S/D
BOA VISTA1.3190,4%7,9%
BOQUEIRÃO1.333-1,2%13,9%
CIDADE INDUSTRIAL DE CURITIBA1.478-2,3%S/D
FAZENDINHA-PORTAO1.5262,3%19,9%
CAJURU1.5713,9%S/D
MATRIZ1.750-1,2%9,9%
SANTA FELICIDADE1.808-0,7%14,8%

Na análise por bairros, Jardim das Américas fecha março com o maior preço médio de Curitiba, custando R$ 2536 por mês.

Confira os bairros caros e mais baratos para morar de aluguel em Curitiba:

Mais baratos (R$)Variação MensalVariação Anual
CAMPO DE SANTANA1.008-0,3%18,0%
TATUQUARA1.029-3,8%9,7%
CACHOEIRA1.0352,0%10,5%
Mais caros (R$)Variação MensalVariação Anual
CENTRO CÍVICO2.325S/DS/D
PRADO VELHO2.422-0,5%16,4%
JARDIM DAS AMERICAS2.5360,6%9,1%

Além disso, Alto Boqueirão é apontado no relatório como o bairro de maior incremento de preço interanual. Fanny aparece com maior retrocesso.

BairroValor do m² (R$/mês)Variação anual
FANNY1.197-17,3%
SANTO INÁCIO1.849-11,9%
SANTA CÂNDIDA1.190-7,9%
TINGUI1.34518,6%
ALTO DA RUA XV1.73218,8%
ALTO BOQUEIRÃO1.32619,1%

Rentabilidade em Curitiba

O índice de rentabilidade imobiliária relaciona o preço de venda e valor de locação do imóvel para verificar o tempo necessário para recuperar o dinheiro utilizado na aquisição do imóvel. Em março, o índice em Curitiba foi de 4,16% bruto anual, o que significa que são necessários 24 anos de aluguel para reembolsar o investimento de compra, 2% a mais do que há um ano. Cajuru e Boqueirão são as regiões que oferecem maior retorno para os investidores.

RegiãoRentabilidade
SANTA FELICIDADE2,6%
CIDADE INDUSTRIAL DE CURITIBA2,8%
MATRIZ4,0%
BOA VISTA4,1%
PINHEIRINHO4,4%
FAZENDINHA-PORTAO4,5%
BOQUEIRÃO5,0%
CAJURU5,5%

MOS Incorporadora lança novo empreendimento com espírito de praça, em Pinheiros, SP

O Sabino, novo empreendimento da MOS Incorporadora em São Paulo, teve seu nome inspirado na praça Horácio Sabino, um dos espaços públicos de convívio e lazer mais queridos dos paulistanos que vivem na zona oeste da cidade, seja para caminhadas ao ar livre, passeios com o pet ou piquenique aos finais de semana.

Em sinergia com a sua localização, que equilibra mobilidade e tranquilidade em um único bairro, o ‘espírito de praça’ se faz presente também na concepção e arquitetura do Sabino, assinada pela MOS e pelo escritório Matheus Farah e Manoel Maia Arquitetura.

Sua implantação é amigável ao pedestre. Desde o térreo há a presença de muito verde no paisagismo, composto por espécies nativas da Mata Atlântica. A Alves Guimarães, onde será construído o Sabino, é uma tranquila rua de Pinheiros, com fácil acesso a diversos bairros em uma região repleta de facilidades para a vida cotidiana.

Rodrigo Cass, artista visual, criou o mural Espaço Amoroso, em mosaico aplicado a ser produzido pela renomada Oficina dos Mosaicos, de mais de 3 metros de altura e 11 de largura, especialmente para a fachada do Sabino. Como conta Cris Candeloro, curadora de arte da MOS, “é um mosaico, concebido para fazer parte da paisagem, como um presente para a cidade. E acaba funcionando como um lugar de respiro, de mudança do cenário”. Neste sentido, o nome do mural não poderia ser mais inspirador.

Versátil para atender diferentes necessidades do morar contemporâneo, o Sabino ganhou um projeto com apartamentos maiores e plantas flexíveis. Há também opção de studios com entrada pela Rua Capote Valente. Na área de lazer estão previstos, no térreo, salão de festas e brinquedoteca, academia, terraço de descanso, sauna e piscina no 25o andar com uma vista privilegiada da Zona Oeste.

Este é o segundo empreendimento da MOS em São Paulo, sendo o primeiro o Melo Alves 645, lançado em 2021 nos Jardins e em fase inicial de obras. No interior de São Paulo, na Fazenda Boa Vista, a MOS também possui diversas casas de arquitetura contemporânea de 5 a 8 suítes. As Casas MOS são integradas com a natureza do entorno em uma casa pronta para morar.

Para a MOS, a boa arquitetura pode melhorar a vida das pessoas, com atenção máxima para tudo que envolve o projeto. “É nossa premissa respeitar, já no desenho, a vocação da cidade e do contexto em que nossos projetos irão se inserir. Seja colocando o pedestre como agente importante da concepção, seja pela inserção da arte num contexto cultural diário ou pela arborização agradável para se viver melhor. Assim acontece no Sabino, no Melo Alves e em toda arquitetura e incorporação que apresentamos ao mercado”, explica Manoel Maia, empresário e sócio da MOS ao lado de Matheus Farah e Eduardo de Carvalho.

FICHA TÉCNICA

Incorporação: MOS Incorporadora

Projeto de Arquitetura: MOS Incorporadora + Matheus Farah e Manoel Maia

Projeto de Interiores: MOS Incorporadora

Projeto de Paisagismo: SOMA Arquitetos

Localização: Rua Alves Guimarães, 1322 — Pinheiros

Área do Terreno: 1.647m2

Número de Torres: 1

Número de Pavimentos: 32 pavimentos

Total de Unidades: 33 unidades

Unidades por andar:

2º ao 12º pavimento | 1 unidade por andar

13º e 14º pavimento | 1 unidade por andar

15º ao 21º pavimento | 2 unidades por andar

22º ao 24º pavimento | 1 unidade por andar

26º e 27º pavimento | 1 unidade por andar

Área Privativa:

2º pavimento | Jardim | Final 1: 194m2 + 176m2 (terraço descoberto) (3 suítes)

3º ao 24º pavimento | Final 1: 194m2 (3 suítes)

13º ao 14º pavimento | Jardim | Final 2: 280m2 + 158m2 (terraço descoberto) (4 suítes) 15º ao 19º pavimento | Final 2: 144m2 (3 suítes)

20º e 21º pavimento | Final 2: 137m2 (3 suítes)

22º e 23º pavimento | Duplex | Final 2: 244m2 (3 suítes)

26º e 27º pavimento | Cobertura Final 1: 335m2 + 43m2 (terraço descoberto) (4 suítes)

Elevadores: 3 sendo, 2 sociais com hall privativo e 1 de serviço.

Número de vagas: 2 ou 3 vagas com opção de depósitos privativos.

RNI registrou um volume de vendas liquidas de R$171 milhões, 9% superior quando comparado ao 1T21

Em continuidade com a sua estratégia de expansão nacional, incorporadora lança dois empreendimentos no primeiro trimestre de 2022 e sinaliza crescimento de 238% de unidades financiadas no primeiro trimestre do ano

A construtora e incorporadora RNI, do grupo Empresas Rodobens, empresa com mais de 30 anos de atuação no Brasil, celebra novo resultado histórico de crescimento. De acordo com prévia do 1T22, a RNI lançou 2 empreendimentos em 2022, com a soma de R$ 207 milhões em VGV lançado — Urban RNI (Piracicaba/SP) e RNI Reserva Blumenau (Blumenau/SC).

A RNI registrou um volume de vendas liquidas de R$171 milhões, 9% superior quando comparado ao 1T21 e 6% superior ao 4T21. No acumulado dos últimos 12 meses, a incorporadora somou R$ 656 milhões de vendas líquidas. O preço médio apresentou evolução de 11,8% no 1T22 quando comparado ao 1T21 – para os produtos do programa Casa Verde e Amarela – e 5,6% ao 4T21. Para os produtos PCVA, a VSO (Vendas Sobre Oferta) também apresentou uma evolução de 25,4% no 1T22, se comparado com o mesmo período no ano anterior, passando de 16,9% para 21,2%.

“A prévia de resultados do primeiro trimestre de 2022 demonstra a assertividade do plano de negócios da RNI na atuação fora dos grandes centros. Transformar e desenvolver regiões onde atua é o foco da incorporadora que, além de entregar residenciais com modernas instalações e ampla área de convívio, a companhia busca investir em ações que valorizem ainda mais os locais que está presente, com isso, oferecer uma melhora a infraestrutura a população local”, ressalta o CEO da RNI, Carlos Bianconi.

Além dos notáveis resultados, a incorporadora celebra também novo recorde de unidades financiadas em 2022, com o total de R$102 milhões, número 238% superior ao 1T21. No acumulado dos últimos 12 meses, a companhia chegou ao patamar de R$306 milhões de financiamentos contribuindo novamente na geração de caixa do primeiro trimestre de 2022.

Presente em 12 estados brasileiros e 60 cidades, parte da conquista da RNI se dá ao projeto de expansão nacional que acompanha o crescimento exponencial das regiões do agronegócio. “O segredo do sucesso da RNI passa por entender o perfil do brasileiro que quer adquirir a casa própria. Além disso, o programa Casa Verde e Amarela, no segmento faixa 3, também é o produto que impulsionou este crescimento”, completou Bianconi.

aMORA recebe investimento de R$ 16 milhões

A aMORA, empresa que realiza o sonho da casa própria por meio da flexibilidade do aluguel para seus clientes, e que nasceu para atender pessoas que não conseguem comprar um imóvel nos modelos atuais de financiamento, anuncia a sua primeira rodada de investimentos liderada pelo Global Founders Capital (GFC), fundo global de venture capital que tem no portfólio empresas como LinkedIn, Facebook e Trivago, no valor de US$ 3,2 milhões de dólares.
 

Além do GFC, Moore Strategic Ventures, Caravela, Plug & Play, Latitud, RBR asset, Pareto20, e os investidores-anjo, Guilherme Bonifácio (Ifood), Diego Libanio (Zé Delivery), Brian Requarth (Vivareal) e Douglas Oliveira (Swap) participam da rodada de negócios. “Vamos focar principalmente na nossa área de tecnologia e dados, visando aprimorar nossos modelos de avaliação de imóveis e clientes, além disso vamos investir em ferramentas para melhoria de atendimento e dos processos internos. Em seguida, áreas de negócios como marketing, operações e finanças”, afirma Rafael Cerqueira, cofundador da aMORA. Outra parte será investida na aquisição de imóveis em conjunto com investidores imobiliários. A empresa está finalizando processo competitivo para levantar um CRI de R$ 30 milhões.
 

Grande parte da população brasileira, infelizmente, não consegue comprar um imóvel nos modelos já existentes do mercado e, por isso, há pouco mais de um ano, a aMORA reinventou esse modelo por meio da tecnologia e inteligência de dados, para tornar realidade o sonho da casa própria. O cliente escolhe um imóvel, eles analisam financeiramente e juridicamente, fazem uma visita para checar se está tudo certo, compram e “alugam” para a pessoa. Ao final de três anos, caso ela se interesse e tenha gostado de morar no local, parte do valor arrecadado de aluguel retorna como um “cashback” que passa a ser a entrada da compra final. Caso não goste, ela pode optar por encerrar o contrato, assim como seria em um contrato de aluguel.
 

Os principais benefícios são começar a comprar um imóvel com apenas 5% de entrada e a flexibilidade para que o morador não se preocupe em desocupar o imóvel e poder reformar como quiser, como se a casa já fosse totalmente dele. Além é claro, de funcionar como uma reserva para a entrada do financiamento. “O modelo da aMORA foi criado para atender pessoas que não se encaixam nos modelos atuais oferecidos pelo mercado. Hoje, inclusive, já trabalhamos com imobiliárias, incorporadores, financiadores e outras startups e esse ano queremos expandir e aprofundar essas parcerias ainda mais”, comenta Aram Apovian, CEO e cofundador.
 

Em 2022 a empresa estima crescer seis vezes sobre o volume realizado em 2021, e dar seguimento, dentro dos próximos anos, a servir mais de mil clientes por mês.