Category Mercado Imobiliário

Pride constrói mais de 400 mil m² de empreendimentos no Paraná

A Pride Construtora e Incorporadora comemorou, no mês de abril, 10 anos de operação no Paraná, no mês de abril, com a previsão de 12 lançamentos em 2022. A empresa, que começou com o plano de dois jovens empreendedores de construir imóveis de qualidade e acessíveis à população, já lançou mais de 400 mil m² de empreendimentos, realizando o sonho de mais de cinco mil famílias. 

“É gratificante observar a evolução da empresa dia após dia. Saímos do sonho de duas pessoas em levar empreendimentos com qualidade e tecnologia associada aos desejos dos novos moradores, para uma empresa com mais de 1.500 apartamentos vendidos por ano”, destacou o diretor comercial Thiago Kuntze. Hoje, a Pride atua em Curitiba e região metropolitana, Ponta Grossa, Londrina, Ibiporã, Apucarana e no litoral paranaense, em Caiobá.  

A construção civil superou as expectativas crescendo 9,7% em 2021, depois de registrar queda de 6,3% no PIB, no ano anterior. O resultado foi o melhor desde 2010, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, mostrando a força do setor para a economia. Com números animadores também para 2022, a Pride possui 168 mil m² de empreendimentos em fase de construção.  

Segundo o diretor comercial da Pride, o foco deste ano é a consolidação da empresa no interior do estado do Paraná e o lançamento de novos empreendimentos em Curitiba. “A empresa quer se consolidar no cenário regional e na ampliação do volume de lançamentos e de obras, com uma equipe que sempre está alerta às tendências de mercado. Temos no Paraná uma alta demanda para atuar e atender as necessidades da população com moradias confortáveis e com o selo de qualidade Pride”, ressaltou Thiago. 

A Construtora também atua com a tecnologia a seu favor, investindo nesta área mais de R$1 milhão para construir torres mais rápidas, diminuir a chance de falhas humanas e trazer projetos inovadores para os moradores, como a automação e inteligência predial. “A obras utilizam tecnologia de ponta, pois conseguimos produzir mais em menos tempo, e de forma mais assertiva, já que a tecnologia nos auxilia nos processos que vão desde o projeto até a entrega do empreendimento”, contou o diretor de engenharia, Janderson Hellman.  

Além da celebração de 10 anos, a Pride também comemora, em 2022, a sua classificação entre as maiores empresas da construção civil, segundo o Ranking INTEC Brasil, uma premiação que classifica, homenageia e premia as 100 maiores construtoras do país. 

Construindo um sonho, além do empreendimento  

No último ano, a Pride registrou um crescimento de mais de 80% no número de colaboradores. Desde 2021, a empresa adotou o plano de carreira para a companhia e uma das metas da empresa é capacitar seus colaboradores com a instalação da Universidade Pride, com o objetivo de oferecer cursos aos colaboradores. “Temos uma visão global de mercado. Não há crescimento, sem uma equipe qualificada, reconhecida e capacitada que acompanha a evolução da empresa”, finalizou diretor Leonardo Manenti.  

Imóveis econômicos passam a contar com áreas de lazer mais amplas, sacadas e aplicações sustentáveis

Planta dos apartamentos de 45 metros quadrados permite diversas decorações
Foto: R.R. Rufino

Um dos grandes desafios do Brasil ainda é diminuir o déficit habitacional. Por isso, o governo federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), realiza constantemente uma série de ações, como aumentar o valor do subsídio, diminuir a taxa de juros ou ampliar o teto do crédito para que mais pessoas consigam financiar imóveis pelo Programa Casa Verde Amarela (PCVA). O objetivo é facilitar a aquisição da casa própria e aumentar o número de moradias entregues. De acordo com o MDR, no primeiro quadrimestre deste ano, cerca de 100 mil unidades habitacionais foram contratadas por pessoas físicas. Com o aumento recente de subsídios, a meta é chegar a 400 mil até o fim do ano – 50 mil a mais que em 2021.

No que depender de Londrina, a meta será atingida, graças aos convênios estabelecidos com as construtoras. Nos últimos anos, todas as regiões da cidade têm crescido, porém, a Região Norte, nos arredores da Avenida Saul Elkind, é uma das localidades que mais continuam atraindo empreendimentos residenciais econômicos. Há alguns dias, a regiáo passou a contar com o Real Park, o mais recente empreendimento entregue da Yticon, construtora do Grupo A.Yoshii. A novidade contempla 12 torres, num total de 384 apartamentos cadastrados no Programa Casa Verde e Amarela (PCVA). No condomínio, localizado atrás do Terminal Urbano Vivi Xavier, os novos moradores terão acesso a uma ampla rede de serviços, como mercados, farmácias, bancos, escolas, hospitais e lojas de outros segmentos.

Um dos destaques desses apartamentos econômicos é a aplicação de soluções de tecnologia na construção civil que diminuem custos da obra e aumentam o valor agregado do imóvel. No Real Park, por exemplo, todos os apartamentos, que possuem 45 metros quadrados de área privativa, terão sacada. Além disso, as unidades estão sendo entregues com piso laminado nos quartos e salas, assim como janelas de alumínio com venezianas nos quartos, louças e metais nos banheiros, pontos de iluminação com acabamento, portas com borracha amortecedora, azulejo até o teto no box do banheiro e uma vaga de garagem.

O empreendimento conta, ainda, com área de lazer que possui piscinas adulto e infantil, quadra esportiva, salão de festas, churrasqueiras e playground. “Nossos empreendimentos econômicos são conhecidos por esses diferenciais de bem-estar e, também, pelo acabamento na construção, outro grande diferencial no segmento”, ressalta o gerente da unidade Londrina da Yticon, Bruno Catarino.

Segundo ele, os projetos atuais da construtora visam, cada vez mais, gerar experiências de viver bem e de conforto, além de promover praticidade no dia a dia e economia de gastos. “As pessoas estão mais exigentes quanto ao morar bem e, por isso, não abrem mão de quesitos como área de lazer e itens de economia compartilhada – um novo conceito de moradia que inclui espaços e itens para uso comum”, acrescenta. Esse conceito, muito conhecido em grandes capitais, promove a otimização dos espaços e economia considerável de gastos do condomínio. Outro atrativo é que os empreendimentos da construtora conveniados ao PCVA possuem entrada parcelada, Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) e registro grátis, além de garantia de entrega no prazo com o Patrimônio de Afetação.

Tecnologia na construção

Para que tudo isso fosse possível, foi preciso investir em tecnologia e sustentabilidade em todas as etapas. De acordo com o engenheiro responsável pela obra, Maurício Carneiro de Almeida, itens como parede de concreto e pintura elastomérica (que melhora a qualidade da pintura externa e tem maior durabilidade), além do uso de energia solar, estão entre as principais inovações da construtora nessa linha de produto.

Aliás, a preocupação com o meio ambiente é algo cada vez mais presente nos projetos do PCVA. “Também instalamos um sistema de reaproveitamento e reuso de água de chuva, que, após filtrada, é utilizada nas torneiras para lavar calçadas e regar as plantas do jardim. Isso reduz o consumo, a quantidade de água de chuva que vai para as galerias e contribui para o meio ambiente, com menor uso de água tratada. Sem contar a economia financeira gerada”, detalha o engenheiro.

Ele destaca, também, o uso de esquadrias com quatro folhas, que melhoram a acústica e a iluminação, as borrachas anti-impacto nas portas, a pintura dos telhados para melhorar o conforto térmico dos apartamentos localizados no último andar, o uso de piso emborrachado no playground, o botão de segurança que desativa a bomba da piscina em caso de acidente, a trava mecânica no portão de entrada da piscina (evitando que crianças entrem sozinhas na área) e o quadro sinóptico para automação da iluminação externa, que é totalmente equipada com lâmpadas de LED, mais econômicas. “Todos esses itens aumentam o valor agregado do imóvel, pois são elementos que reforçam a qualidade, o conforto e a segurança de todo o condomínio”, finaliza Almeida.

Confiança da Construção sobe 1,2 ponto em junho

O Índice de Confiança da Construção (ICST), do FGV IBRE, subiu 1,2 ponto em junho, para 97,5 pontos. Em médias móveis trimestrais, o índice avançou 1,5 ponto.
 

“O primeiro semestre de 2022 chegou ao final com o aumento da confiança da construção, corroborando a percepção de que o crescimento do ano passado se estendeu, alavancado pelos investimentos do mercado imobiliário e da infraestrutura. Na comparação interanual, o avanço é claro, com melhora de quase todos os indicadores. O destaque negativo é a piora na percepção relativa à situação corrente dos negócios, que pode ser relacionada a maiores dificuldades de acesso ao crédito e ao aumento dos custos setoriais. Já na comparação com o final do ano, a melhora da confiança não é tão significativa, o que sugere moderação no ritmo de crescimento, que sofre com os efeitos de um cenário mais desafiador enfrentado pelas empresas,” observou Ana Maria Castelo, Coordenadora de Projetos da Construção do FGV IBRE.
 

Neste mês, a alta do ICST foi influenciada pela melhora tanto das avaliações sobre o momento quanto pelas perspectivas sobre os próximos meses. O Índice de Situação Atual (ISA-CST) subiu 1,4 ponto, para 93,9 pontos. O resultado do ISA foi influenciado principalmente pela melhora das avaliações dos empresários sobre a situação atual dos negócios, que subiu 2,1 pontos, para 91,8 pontos. O indicador que mede carteira de contratos manteve-se relativamente estável ao variar 0,5 ponto, para 95,9 pontos.

O Índice de Expectativas (IE-CST) aumentou 0,9 ponto, para 101,2 pontos, permanecendo acima de 100 pontos (nível neutro) por três meses seguidos. Contribuiu para esse resultado o indicador da demanda prevista nos próximos três meses, que cresceu 1,0 ponto, para 103,5 pontos e o indicador de tendência dos negócios nos próximos seis meses, que variou 0,8 ponto, para 98,8 pontos.
 

O Nível de Utilização da Capacidade (NUCI) da Construção subiu 1,1 ponto percentual (p.p), para 77,1%. O Nuci de Mão de Obra e Nuci de Máquinas e Equipamento também aumentaram 0,9 e 0,7 p.p, para 78,4% e 72,3%.
 

O aumento dos custos

Em maio, diversos acordos coletivos ocorreram em cidades do país, o que refletiu a inflação mais elevada — o INPC em 12 meses até abril alcançou 12,47%. Assim, em junho a Sondagem da Construção captou um aumento expressivo de assinalações no quesito custo da mão de obra como limitador à melhoria dos negócios. Somando os dois quesitos – mão de obra e matéria-prima -, os custos alcançaram 50,2% das citações, se destacando como a principal limitação à expansão dos negócios pelas empresas. “De fato, nos últimos meses, os custos voltaram a acelerar refletindo os aumentos dos salários e de materiais como aço, cimento e derivados. O resultado é que a indicação de aumento nos preços praticados pelas empresas alcançou recorde da série histórica,” avaliou Ana Castelo.

GT Building comemora a marca de R$ 300 Milhões em VGV, em 2021

Geninho Thomé, CEO da GT Building

Uma das principais incorporadoras do Paraná, a GT Building, se mantém atenta ao mercado e dados apontam crescimento sólido da empresa

A construção civil mantém o mercado imobiliário aquecido e mesmo com o Índice Nacional de Custo de Construção (INCC) em alta, este é o setor que, hoje, mais gera empregos no Brasil devido à alta demanda. De acordo com o Instituto Brasileiro de Economia (FGV IBRE), o INCC subiu de 0,87% em abril para 1,49% em maio, no acumulado de 12 meses a alta já é de 11,20%. Para se ter uma ideia, só o custo da mão de obra – que representa metade do INCC – triplicou, chegando a uma elevação de 1,43%, de abril para maio.

A GT Building – uma das principais incorporadoras imobiliárias do Paraná – sentiu a potência do setor nos últimos dois anos e o resultado obtido pela empresa em 2021 ultrapassou até mesmo as expectativas de alguns empresários que já comemoravam uma alta significativa em 2020, quando o setor se mostrava forte e intacto mesmo em meio à pandemia. É o que afirma o diretor João Alfredo Thomé ao abrir alguns números alcançados nos últimos dois anos.

De 2019 a 2021, uma pesquisa realizada pela Brain Inteligência Estratégica, apontou que a empresa se manteve no top 3 das incorporadoras com maior Valor Geral de Vendas (VGV) no estado. No ano passado, nesse mesmo ranking, a GT Building alcançou o primeiro lugar tanto em VGV quanto em market share, com 611 unidades vendidas.

 “A GT teve um crescimento significativo nos últimos três anos, inclusive superamos as expectativas. Temos trabalhado para nos manter atualizados e trazer o que há de mais novo no mercado. O reflexo disso está nos resultados extremamente positivos e a possibilidade de nos tornarmos uma das principais incorporadoras do sul do país”, diz João Alfredo Thome, Direito da GT Building.

Neste ano, a incorporadora está com novos lançamentos prontos para sair do papel. O Temple Batel foi o primeiro empreendimento de 2022, com uma excelente localização e apartamentos compactos de alto padrão. O Temple já superou a marca de 30% em vendas somente no primeiro mês de lançamento. E para o próximo semestre, a empresa preparou um novo empreendimento que promete ser destaque no skyline de Curitiba, o OÁS Barigui.

Outro ponto que se tem observado em relação às movimentações do mercado imobiliário são as regiões de maior demanda de empreendimentos de alto padrão. A localização é um dos fatores mais importantes na hora de construir, já que influencia diretamente no valor final do imóvel. Entre eles estão o bairro Champagnat, Ecoville, Água Verde e Cabral. A GT Building tem mirado nessas áreas de crescimento e contribuído com cenário urbano da cidade. Todos os empreendimentos contam com excelentes localizações e carregam em seu DNA a conectividade, inovação, sustentabilidade e experiência do consumidor.

PROPDO: Proptech israelense chega a São Paulo investindo cerca de R$ 16 milhões em pesquisa do mercado imobiliário

Toda a economia e setores foram atingidos com a pandemia nos últimos anos, mas, se tem um mercado que conseguiu fazer do limão uma limonada, foi o imobiliário em São Paulo.  Cerca de 47 mil novos imóveis foram vendidos se somados os primeiros semestres de 2020 e de 2021, de acordo dados da Pesquisa do Mercado Imobiliário, realizada pelo Secovi-SP. Números que permanecem em crescimento em 2022.

Com tamanho potencial, a proptech israelense PROPDO chega à capital paulista, após abrir filial também em Nova Iorque no início do ano. Com investimentos de U$$ 3 milhões, cerca de R$16 milhões, em fontes de dados, incluindo registros financeiros, localização, transportes e planejamentos urbanos, a companhia tem o objetivo de prever o desempenho atual e futuro de imóveis residenciais na cidade. A empresa combina tecnologia e experiência global no setor imobiliário para revolucionar e criar soluções para as dores e desafios do setor, fornecendo ferramentas para a tomada de decisão dos players do mercado. Em Israel, a empresa já atingiu 99,6% de precisão nas estimativas realizadas.

“Ao chegar em São Paulo, descobrimos tantas fontes de dados valiosas que não estão sendo analisadas da maneira correta. O que estamos fazendo – semelhante ao que foi realizado em Nova York e na Europa – foi ajustar nossos algoritmos para trabalhar intensamente com essa riqueza de fontes de dados, públicas e privadas, que encontramos e coletamos”, explica Nathan Varda, head da Propdo no Brasil.

O executivo também aponta que, nas pesquisas realizadas pela empresa, foram encontradas muitas diferenças entre o preço de marketing, o oficial e o dos marketplaces. “Na verdade, entendemos que ninguém realmente tem confiança nos preços, mesmo os players mais experientes do setor. Para obter o preço adequado e preciso, analisamos mais de dois milhões de anúncios ao redor da cidade na maioria dos bairros. Depois de um curto período, já coletamos informações valiosas que nos permitiram construir nossa própria fonte de dados”, completa.

Sistema inovador revoluciona setor e traz ainda mais eficácia na análise

Todas as informações captadas pela empresa estão sendo analisadas pelo conceito COMPS, altamente utilizado no exterior. COMPS é uma abreviação para “Comparativo de Tendências de Mercado”, ou seja, um comparativo das tendências de preço em uma região, levando em consideração fatores como localização, tamanho do imóvel, ano de construção, dentre outros. Com o uso dos COMPS é possível ter uma visão não viesada do mercado, ou seja, tirar todo o ‘fator emocional’ e ganhar escala.

A princípio, o objetivo da Propdo no Brasil é colaborar com o maior número de corretores e empresas do setor que queiram avançar e prestar melhores serviços aos clientes.  “A longo prazo, com o apoio de parcerias, nossa meta é melhorar ainda mais a ferramenta para deixar os dados sobre o mercado brasileiro muito mais qualificados e transparentes, como estamos fazendo em Israel e Nova Iorque. Isso nos permitirá criar ferramentas para todos os maiores players do mercado e ser o melhor serviço para os profissionais do setor imobiliário no Brasil”, planeja Nathan.

Estudos que permitem avaliação mais completa, inclusive do bairro do imóvel

Com esses aprimoramentos na ferramenta, a perspectiva é passar também a fornecer uma análise completa, incluindo não apenas o range de valores para um imóvel, mas também um estudo completo do bairro em que está localizado, incluindo preço médio de venda e valor de aluguel, previsão de valorização futura e indicador Propdo de investimento, além de renda média da região, área verde, proximidade de escolas, hospitais e outros.

HM Engenharia destaca mulheres na liderança da empresa

Nos últimos anos, a participação feminina no mercado da construção civil, um nicho historicamente dominado por homens, vem aumentando. Na HM Engenharia, construtora com 46 anos de experiência na entrega do primeiro imóvel, 62,5% das mulheres ocupam cargos de diretoria. Do total de líderes, elas representam 46%. No Brasil, segundo a última pesquisa publicada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2018, as mulheres ocupavam apenas 39,1% dos cargos gerenciais existentes, enquanto os homens preenchiam 60,9% das vagas.  

Todo esse movimento de mulheres inseridas no ramo ganha ainda mais força com o Dia Internacional da Mulher na Engenharia, celebrado mundialmente no dia 23 de junho. A data foi criada pela Women’s Engineering Society (WES) do Reino Unido, como marco importante para que a presença das engenheiras na profissão seja consolidada e fortalecida. 

Para Jordana Albuquerque, diretora de Gente e Gestão da HM, o aumento de mulheres na construtora reforça um dos seus principais pilares: o da Diversidade. “Nós entendemos que é importante termos equipes compostas por profissionais diversos, que possibilitem a riqueza de opiniões, perspectivas e a construção de resultados diferenciados. Trabalhamos para fortalecer a presença e desenvolvimento das nossas mulheres, construindo um ambiente de reconhecimento e valorização para todas elas”, afirma. 

A pesquisa mais recente do Painel da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), do Ministério do Trabalho – ano base de 2020 – aponta que a participação das mulheres com carteira assinada no segmento da construção civil teve aumento de 5,5% em relação ao ano anterior. Segundo o estudo, o motivo para isso foi a grande procura feminina pela capacitação para atuar no setor. Hoje, a HM conta com a experiência de mais de 250 profissionais do gênero, um aumento de 24% em relação ao fechamento do ano passado, em 2021. Além disso, do total de estagiários, 57% são mulheres, e elas ainda ocupam 100% das vagas de aprendizes. 

No canteiro de obras da HM, as mulheres representam 14% do total de profissionais, desde engenheiras, administrativas e até técnicas de segurança. A engenheira civil Aline Santos, formada há 9 anos e profissional da HM Engenharia há 8, já passou por obras da construtora como engenheira civil nas cidades de Itatiba, Valinhos e Hortolândia. Na época de sua formação, de 100 alunos presentes na sala de aula, Aline era uma das 15 mulheres. “É um ambiente masculinizado, mas tem melhorado ano após ano. Nós mulheres estamos ganhando espaço. Se eu pudesse voltar atrás, eu faria tudo novamente. Cada esforço no início da minha profissão valeu a pena”, contou. 

Apesar de ter vivenciado alguns desafios no início de sua carreira, como a dedicação para ganhar espaço e confiança de atuação no ambiente de trabalho, hoje a profissional exerce a sua profissão com orgulho. “No começo é desafiador, por sermos mulheres e novas na profissão. É preciso se dedicar e não desistir, aos poucos vamos ganhando força, espaço e a confiança dos nossos colegas de trabalho. É gratificante ser engenheira, nosso trabalho é ajudar as pessoas a realizarem os seus sonhos em ter seu imóvel próprio”, disse. 

Construtech mineira é selecionada em programa do Sebrae para atrair investidores

Fundador da Brickup, Rafael Souza, está na lista dos empreendedores escolhidos pelo Sebrae.

A Brickup, startup que está revolucionando a indústria da construção civil por meio de soluções tecnológicas, foi escolhida pelo Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) de Minas Gerais, para integrar a segunda etapa do Programa Capital Empreendedor. A iniciativa tem como objetivo aproximar startups e instituições de fomento, investidores anjo, aceleradoras, plataformas de crowdfunding e fundos de investimento.

Criada em 2020, a construtech conecta o canteiro de obras com a gestão do construtor potencializando os processos e otimizando tempo e recursos por meio da inteligência e automação dos processos. A Brickup concorreu com outras 900 startups de todo o país para participar do programa.

O nível de maturidade mais avançado e as soluções inovadoras desenvolvidas pela Brickup foram dois pontos importantes para que a construtech fosse escolhida para entrar no programa ao lado de outras 29 startups. “Ficamos impressionados com a qualidade dos projetos e com o número de inscritos. Será uma ótima oportunidade para as startups se preparem ainda mais para buscarem investidores de risco e se conectarem com esse ecossistema. Elas estão em fase de escala, no momento adequado para buscar investimentos”, apontou o analista do Sebrae Minas, Igor Martins, em comunicado à imprensa.

Para a segunda fase, o Sebrae organizou um workshop de Empreendedores e Oficina de Pitch, a partir do dia 27 de junho. A série de 11 encontros on-line termina em julho. Os empreendedores receberão dicas práticas para conquistar investidores, vão conhecer experiências de empresas investidas e se aproximarão de players nacional e local de capital de risco. No final da etapa, os empreendedores participarão de uma banca de investidores.

“É um passo muito grande e de expressão para a Brickup. Participar de um programa chancelado pelo Sebrae é sempre enriquecedor para a empresa e para o empreendedor. Esse programa busca sempre startups que já estão em processo de tração e gerando receita. Ser escolhido para o programa de certa forma valida o nosso modelo, reforçando que estamos na direção certa”, disse o fundador da Brickup, Rafael Souza.

O empreendedor busca captar recursos do tipo Pré-seed (nome dado a um dos primeiros aportes que as startups costumam receber ou Seed (costuma vir depois de uma rodada inicial). “Esse tipo de investimento fica entre o anjo e o venture capital. Sermos aprovados no programa do Sebrae é uma forma de validar nosso grau de maturidade e isso é o que os investidores olham quando falamos de fundraising”, finalizou.

A próxima etapa do programa Capital Empreendedor vai oferecer aos selecionados mentorias individuais e coletivas com temas sobre negócios, comportamento, dados, governança e máquina de vendas. A última etapa do programa é o Circuito de Investimento. As startups que receberem as melhores avaliações apresentarão seus negócios para investidores de todo o Brasil em um evento presencial, no final do ano, em São Paulo.

Mudança de hábito eleva número de pessoas que trocam São Paulo por regiões metropolitanas

Ekko Live Granja Viana 3 – crédito da imagem:  Ph Corporativos

A pandemia trouxe muitas reflexões e aprendizados para os brasileiros. O isolamento social, o trabalho remoto e a necessidade de ficar em casa com a família por mais tempo, despertaram o desejo da sociedade em apreciar melhor cada cômodo do lar e, também, as áreas que compõem os arredores de sua região. A boa oferta de lançamentos de imóveis de alto padrão nas proximidades da capital paulista dotados de total infraestrutura, lazer, contato com a natureza, melhor qualidade de vida e, principalmente, com vias de fácil acesso à diversos pontos de São Paulo, foram grandes estímulos para que as pessoas reavaliassem os conceitos de moradias atuais e migrassem para regiões em expansão.
 

Para se ter ideia, o crescimento da população entre 2010 e 2021 em Santana do Parnaíba foi de 33,3%, seguido de 28,2% em Cotia, 16,2% em Barueri e 5,2% em Osasco*. A incorporadora Ekko Group, referência no mercado imobiliário destas regiões, com projetos de alto padrão, modernos e inovadores, sejam eles verticais ou horizontais, sempre adequados a perfis variados de clientes, percebeu muito antes da pandemia que esse movimento de migração da capital paulista para regiões do entorno seria algo notado pelas pessoas.
 

Em 2020 a incorporadora desenvolveu o projeto Ekko Granja Viana, complexo de casas horizontais, totalmente adaptados à nova rotina da população, que foi um grande sucesso já no lançamento de seu primeiro condomínio, o Ekko Live Granja Viana 1, com 50% de vendas em apenas 4 horas e 65% das casas comercializadas somente no primeiro final de semana de abertura, em novembro do mesmo ano. Depois disso, o Ekko Live Granja Viana 2 foi lançado em julho de 2021, e, em novembro, o Ekko Live 3.
 

Mesmo antes da pandemia e durante o seu período mais crítico, a Ekko Group já estava atendendo as necessidades do público que buscava algo diferenciado, com o conforto de uma casa, segurança de um condomínio, com a qualidade de vida próximo a natureza. Um espaço mais amplo para adequar da melhor forma a rotina de trabalho home office e a facilidade de fixar moradia em uma área privilegiada, com fácil acesso para as melhores vias de São Paulo, também foram fatores determinantes na hora de analisar os projetos imobiliários.
 

Essa mudança de estilo de vida e adequação a novos hábitos, por exemplo, entraram na vida do casal Monick e Ricardo, que moravam em um apartamento na Vila Mascote, zona sul de São Paulo, e trocaram a agitação da capital paulista por um Triplex Garden, com dois quartos e uma suíte no segundo andar, no Ekko Live Granja Viana 1. Entre os principais pontos que contribuíram na escolha por uma nova região para morar, o casal conta que a infraestrutura, a metragem maior e o contato com a natureza foram essenciais nesta decisão.
 

“Gostamos muito do condomínio, do lugar e, principalmente, do cronograma que se adapta à nossa logística para fazer a mudança de casa, de escola e de como imaginamos que ficará a nossa rotina de trabalho daqui em diante.”, revela Ricardo Luiz Miranda Ribeiro, de 39 anos, gerente de TI. Para Monick Miranda Ribeiro, a necessidade maior foi de alocar os dois em escritórios separados. “Com os dois trabalhando em casa desde março de 2020 e as aulas do Bernardo (filho de 5 anos de idade), precisei usar uma área comum da casa para essa finalidade. A piscina privativa também pesou na escolha”, explicou Monick, 42 anos, especialista de sistemas em TI.
 

A região da Granja Viana atrai moradores de diversas regiões da cidade de São Paulo. Em pesquisa realizada pela empresa, 46% dos compradores dos empreendimentos da Ekko Group na Granja Viana vieram da capital paulista**

Com todo o conhecimento que tem no mercado imobiliário da Região Metropolitana de São Paulo, a Ekko Group, desde 2017, é a incorporadora líder em lançamentos nas cidades de Osasco e Cotia e segue em expansão para cada vez mais contribuir de forma positiva neste segmento.
 

O momento é de crescimento e novas regiões se integram ao portfólio da incorporadora como é o caso de Alphaville, bairro nobre situado entre os municípios de Barueri e Santana de Parnaíba, que chega como grande destaque para a Ekko Group possibilitando agregar ainda mais sofisticação e inserção de mercado dentro de setor de imóveis de alto padrão.

Em relação aos 38 municípios que formam a Região Metropolitana de São Paulo, com exceção da capital, nos últimos 5 anos (2017-2021) a Ekko Group foi a maior incorporadora em lançamentos, totalizando 2,45 bilhões no período citado.**

*Fonte: IBGE

**Fonte: Geoimóvel. Elaboração Inteligência de mercado Ekko Group.

Vokkan constrói bairro com ecossistema tecnológico completo e anuncia parceria com grandes players mundiais

Roderjan Volaco, presidente da Vokkan, à frente da maquete do edifício Vértice, ( Foto Brunno Covello)

É na Costa Esmeralda, uma das regiões mais bonitas e valorizadas do litoral de Santa Catarina, que a Vokkan – empresa que desenvolve ecossistemas sustentáveis e inteligentes por meio de negócios imobiliários – deu início às obras do primeiro bairro parque do Brasil, o Vivapark Porto Belo. O projeto, concebido pelo arquiteto e urbanista Jaime Lerner, já desponta como um dos principais cases do setor por aliar sustentabilidade e alta tecnologia e chama atenção de grandes players. Entre eles, dois líderes mundiais nos mercados em que atuam: a Furukawa, precursora na área de redes de fibra óptica no mundo, e Dahua Technology, especialista em soluções de AIoT inteligentes e segurança eletrônica.

Outros parceiros integrarão o projeto ainda este ano. “Já estamos em negociação com grandes empresas dos setores de telecomunicação e de energia elétrica a fim de fechar parcerias ainda nesta primeira fase de construção do Vivapark Porto Belo”, anuncia Roderjan Volaco, presidente da Vokkan.

O ineditismo do projeto se dá não apenas pelo conceito de sustentabilidade e qualidade de vida como também pela escala. O bairro tem mais de 138 mil m² de área verde e deve contar com cerca de 30 mil moradores além de um fluxo grande de visitantes. A construção de um ecossistema tecnológico de alto nível capaz de atender a uma demanda dessa magnitude a longo prazo é um dos maiores desafios do projeto. “Estamos, literalmente, construindo o futuro. O Vivapark será uma espécie de metaverso, só que real, e localizado num verdadeiro paraíso do litoral brasileiro” afirma Fabio Kenji, head de tecnologia da Vokkan.

Parceria com a Furukawa vai além da implantação

A Furukawa, uma das maiores fabricantes globais de soluções baseadas em tecnologia de fibra óptica, já era uma fornecedora estratégica da Vokkan na construção da infraestrutura do Vivapark Porto Belo e se interessou em entrar no projeto como parceria. “Trata-se de um projeto inovador baseado em sustentabilidade que vem ao encontro das soluções e novos produtos que a Furukawa está desenvolvendo”, afirma Guilherme Benavides que atua na área de Engenharia de Aplicações da Furukawa.

Para Roderjan Volaco, este é um dos pontos decisivos do projeto. “Ter a Furukawa conosco engrandece ainda mais o Vivapark porque garante um resultado excepcional no que diz respeito à qualidade de transmissão de dados além da alta capacidade e disponibilidade da rede”, afirma o presidente.

A solução de infraestrutura de rede fornecida pela Furukawa para o Vivapark Porto Belo, chamada Laserway, contempla todos os elementos de rede passiva e, também, equipamentos ativos de rede que irão suportar um projeto completo para atender necessidades como CFTV, circuito de câmeras de segurança, serviços de telecomunicações, de internet, voz e dados, a internet das coisas (IoT) incorporada em todos os dispositivos de monitoramento remoto, serviços de wi-fi, entre outros recursos que farão parte do ecossistema tecnológico do bairro. “Todos esses recursos e serviços estarão integrados em uma única rede de fibra óptica, o que traz uma economia significativa ao projeto como um todo”, diz Fabio Kenji.

De acordo com o head de tecnologia da Vokkan, só na primeira fase da construção da infraestrutura da rede passiva serão utilizados cerca de 20 quilômetros de cabeamento de fibra óptica de 12 vias com alta capacidade para suportar o volume de tráfego. “Não se tem notícia, no Brasil, de um projeto similar ao Vivapark Porto Belo em sua dimensão e, principalmente, sua base tecnológica preparada para suportar rede 5G, dispositivos IOT, monitoramento de energia e muitos outros”, explica.

Outra característica dos produtos Furukawa que serão utilizados no Vivapark Porto Belo é a robustez. São soluções voltadas para ambientes críticos (FI2S) que fazem parte do portfólio da Furukawa e suportam temperaturas extremas, baixas e altas, aplicações em ambientes internos e externos, com proteções especiais contra intempéries.

Além disso, as soluções Furukawa estão voltadas ao conceito de sustentabilidade que é um dos pilares do projeto Vivapark Porto Belo. “A solução a ser adotada no projeto tem como princípio a redução do uso de plástico e de cobre, sendo menos prejudicial ao meio ambiente. E com a utilização do Programa Green IT da Furukawa, ainda é possível dar a destinação correta às sobras de cabos descartadas”, enfatiza Benavides.

Primeiro showroom da Dahua na região Sul e o segundo no Brasil

Reconhecida pela implementação de projetos de alta performance, a Dahua Technology oferece as soluções mais modernas e completas do mundo para várias aplicações e indústrias verticais, incluindo gerenciamento de tráfego, instalações governamentais, varejo e serviços financeiros, e desenvolveu uma rede completa de sistema de segurança e vida inteligente para o Vivapark Porto Belo. Por meio de sua representatividade e atuação mundial, a companhia garante acesso a recursos, serviços e equipamentos para testes mesmo que ainda não estejam disponíveis em larga escala no Brasil. “A Dahua Technology coloca à nossa disposição um enorme e completo portfólio de acordo com as necessidades de cada ponto do projeto antes mesmo da implantação”, comenta Kenji.

Concebido para ser um bairro sem muros e com segurança não ostensiva, o Vivapark fará uso de recursos como câmeras e sensores de alta performance, sistema de reconhecimento facial digital, e análise de comportamento e CFTV para monitoramento ininterrupto. Além do uso da tecnologia mais avançada na construção de hardware, a Dahua Technology usará toda a sua expertise na implementação de softwares e recursos analíticos para prover a segurança no Vivapark Porto Belo. “O uso de inteligência artificial possibilita, por exemplo, a recuperação de registros históricos e localização de alvos, pesquisa de rosto e corpo humano por recurso de imagem, pesquisa de arquivos pessoais e veiculares, permite ainda que sejam geradas trilhas com base em registros de pessoas, veículos e controles de acesso”, afirma Kenji. Por fazer uso de tecnologia 100% Dahua, o Vivapark Porto Belo será o primeiro showroom da companhia na região Sul e o segundo do país.

“Estamos muito satisfeitos em participar de um projeto inovador como o Vivapark, pois temos o compromisso de oferecer soluções eficientes de ponta a ponta para atender às necessidades dos clientes. Temos a certeza de que fornecemos os melhores recursos do mercado e logo os moradores do bairro poderão comprovar a qualidade da nossa tecnologia”, diz Alexandre Mori, diretor de vendas da Dahua Technology.

Um metaverso invertido

Enquanto o metaverso replica experiências realistas dentro de um ambiente totalmente virtual, o Vivapark Porto Belo entrega um ecossistema tecnológico de recursos, serviços e imersão digital em um espaço inteiramente real. “A proposta do bairro parque é tornar a vida dos moradores e visitantes mais eficiente numa perspectiva tecnológica. Quase tudo poderá ser acionado remotamente. Um serviço de jardinagem, a compra de um produto, a análise de um incidente, acompanhamento de imagens internas, tudo estará disponível 24 horas por dia” explica Fabio.

Kenji destaca ainda que o verdadeiro propósito de um bairro inteligente é usar a tecnologia para melhorar a qualidade de vida das pessoas e auxiliar o crescimento econômico com total atenção à sustentabilidade local. “O conceito de smart city só faz sentido se de fato trouxer benefícios para a comunidade como um todo. Qualquer coisa diferente disso pode ser tecnológica, mas não necessariamente inteligente”, conclui o executivo.

Qualityware e DCA – Delta Cable Americas

Para elaboração e implantação do imponente projeto, a Vokkan conta com um dos grandes integradores dos fabricantes Furukawa e Dahua, a empresa Qualityware. “Projetamos a construção de uma rede sólida, totalmente subterrânea que garante grande confiabilidade, segurança e conectividade para aplicação de multisserviços de comunicação, planejada para comportar as futuras expansões do empreendimento, diz Bruno Perboni, diretor de operações da Qualityware.

A Qualityware está atuando diariamente para implantar toda tecnologia essencial ao empreendimento. “Desenvolvemos um projeto alinhando tecnologia e sustentabilidade, visando tranquilidade e facilidade para os moradores e visitantes do bairro. Estamos muito felizes em participar de um projeto tão vanguardista e impecável como o Vivapark. Nossa empresa tem o compromisso de ofertar e integrar soluções que atendam às necessidades dos clientes e do ecossistema no qual os futuros oradores estarão inseridos”, Camila Merolyn, gestora de negócios e marketing da Qualityware.

A empresa juntou-se também à DCA — Delta Cable Americas, uma distribuidora que inova e entrega uma arquitetura de soluções completa para demandas de infraestrutura de rede e conectividade. Com 28 anos de atuação no mercado de tecnologia e equipe especializada no desenvolvimento de projetos personalizados para cada demanda, a empresa conta com fabricantes de referência global para cada uma de suas verticais de atuação, incluindo a de cabeamento estruturado, incluindo a Furukawa, e segurança eletrônica, incluindo a Dahua. “O projeto, desenvolvido pelo time de especialistas da DCA, junto à Qualityware, visou a integração dos sistemas de segurança eletrônica e wi-fi público em uma única rede inteligente de fibra óptica, para promover a melhoria da qualidade de serviço dos empreendimentos e qualidade de vida dos moradores do Vivapark”, Willian Bietkoski, gerente nacional de projetos da DCA.

Proptech comemora 7 anos de mercado com movimentação de 785 milhões em vendas de imóveis novos por todo o Brasil

Alex Frachetta, CEO do Apto

O Apto, startup que conecta imóveis novos com compradores, em sete anos de existência, tem inovado no mercado imobiliário com soluções de tecnologia, inteligência e marketing, chegando a movimentar, em 2021, R$785 milhões em vendas. Em seu portfólio, a empresa possui mais de 150 clientes, entre eles construtoras e imobiliárias de todo o país, como Gafisa, Cyrela e Tegra, e aposta na expansão regional para crescer 10 vezes até 2023.
 

A plataforma 100% online, que tem como objetivo colaborar com a transformação digital no setor, inovando na apresentação de imóveis na planta, em construção e prontos para morar, apresentou um faturamento de R$7 milhões, em 2021, representando um crescimento de 23% em relação ao ano anterior.
 

“Em outubro de 2021, tivemos o recorde de faturamento da empresa desde a sua criação. O que é muito positivo e nos mostra que estamos no caminho certo”, explica Alex Frachetta, CEO do Apto. Ele ainda conta que apostou em um crescimento gradual desde o início do negócio, especialmente pela instabilidade do setor imobiliário, e considera que agora a startup está pronta para escalar.
 

Tanto é que para este ano, a proptech prevê um investimento de R$2 milhões, em recursos próprios, destes pretende destinar R$1 milhão à contratação de talentos de tecnologia das áreas de Infraestrutura, Segurança, Back-end e Front-end, para melhorar os produtos e promover inovação. Os demais R$1 milhão, serão investidos na estrutura de vendas em diversas regiões do Brasil, com expectativa de saltar de cem para mil clientes no próximo ano.
 

A proptech atualmente está presente em 145 municípios brasileiros. E o foco para 2022 é estreitar o relacionamento em mercados fora do eixo Rio-São Paulo. “Para isso, o Apto criou células de prospecção por região, com o objetivo de estreitar relacionamentos em mercados prioritários fora do eixo Rio-São Paulo. “Para estar presente em outros estados é preciso estar integrado à cultura local. O digital corta caminhos, mas conhecer a realidade de nossos mercados é fundamental. Em janeiro, começamos a trabalhar com parceiros e representantes para ajudar na prospecção nas regiões que consideramos estratégicas e que precisamos de força imediata”, revela Alex Frachetta, fundador e CEO do Apto.

História e produtos oferecidos

O Apto surgiu em 2015 com o objetivo de gerar os leads mais qualificados, por meio de inteligência de mercado e performance. Ao longo dos anos, a forma de pesquisar e comprar online foi mudando, junto a isso a necessidade de chegar cada vez mais próximo do momento de compra de seu produto ou serviço.

Nesses anos de existência, a proptech criou três planos para geração de leads, dois portais de conteúdo (Live e Blueprint) voltados para profissionais do mercado imobiliário e clientes próximos ao momento de compra e ainda, mais de 30 serviços com o objetivo atrair, qualificar e despertar o desejo por meio de conteúdo, mídia, tecnologia e inteligência imobiliária.
 

Alguns dos principais serviços:

  • Ficha PRO: Conteúdo exclusivo escrito pelas arquitetas do Apto com o objetivo de qualificar o lead e apresentar melhor o produto.
  • Visita 3D: Visita virtual com tags explicativas com tecnologia Matterport.
  • Tour Decorado: Decorado apresentado pela Arquiteta Aline Lopes e roteirização, produção e edição feitas pelo Apto.
  • Native Ad: Criação de conteúdo com SEO otimizado para o Google e publicação nos canais Live e Blueprint.
  • Apto school: Treinamento personalizado para o mercado imobiliário.
  • Banding na home: Posição nobre na home do Apto com visibilidade em 100% do Brasil.