Category Mercado Imobiliário

Pesquisa do Imovelweb mostra as preferências dos consumidores na busca e reforma de imóveis

O Imovelweb, um dos maiores portais imobiliários do País, realizou no mês de junho uma pesquisa com cerca de 1.000 usuários do portal, entre 18 e 80 anos, para saber suas preferências sobre busca e reforma de imóveis.

Dos respondentes 62,20% são proprietários e 37,80% são inquilinos. Ao serem questionados se buscam reformar ou mudar, 72,19% responderam que têm o desejo de mudar, já o restante dos participantes pensa em reformar o próprio imóvel.

No momento de buscar um novo local, alguns atributos foram destacados pelos participantes como:

  • Que tenha quintal ou sacada: 20,98%
  • Imóveis de condomínio: 18,44%
  • Perto da cidade: 12,84%
  • Mais m²: 9,04%
  • Com mais ambientes: 6,87%
  • Que tenha jardim: 4,70%
  • Que tenha balcão: 0,36%

Já sobre os modelos de propriedades, 53,71% não apontaram nenhuma preferência; 35,80% optaram por um imóvel usado; 9,04% buscam por um novo e apenas 1,45% por lançamentos. Entre os tipos, 48,46% preferem casa e 37,79% apartamento.

Entre as dificuldades na hora procurar um imóvel, os entrevistados responderam:

  • Falta de oferta dos imóveis em locação nas zonas buscadas: 41,91%
  • A situação econômica geral: 30,09%
  • O preço dos aluguéis: 28,70%
  • Falta de ajuda por parte da imobiliária: 13,91%
  • Conseguir garantias proprietárias: 10,09%
  • Conseguir fazer uma visita ao imóvel: 8%
  • Falta de previsão de aumentos: 4,70%

Quando o assunto é fazer uma reparação na propriedade, 89,69% dos participantes apontaram que se informam sobre o funcionamento dos serviços e da infraestrutura antes de mudar; 10,31% não se atentam a essa questão.

Sobre os objetivos da reforma, 70,37% destacam a necessidade de renovar os ambientes; 25,93% desejam aumentar o valor da propriedade e 3,7% ampliar ambientes.

Entre os espaços que gostariam de reformar, a cozinha foi unanimidade entre os respondentes (14,81%). Já o banheiro, quartos e sala empataram com 11,11%.

A decoração também influencia na moradia: 70,73% gostam de deixar a casa com a sua personalidade; 18,06% sentem que influencia, mas não conseguem se dedicar a isso. Já 11,22% não decoram a casa.

Entre os canais mais escolhidos na hora de buscar inspiração para decorar estão:

  • Redes sociais (Instagram, Pinterest): 44,73%
  • Blogs de decoração: 21,61%
  • Revistas: 21,20%
  • TV: 12,45%

Ekko Group investe em capital humano e lança programas de qualificação interna

Com um cenário pandêmico que trouxe incertezas na economia, aumento do desemprego e a adaptação ao home office como um novo modelo de trabalho possível, muitas empresas entenderam que manter uma equipe motivada, principalmente em tempos de crises, é  essencial para o bom andamento do negócio.

Com uma visão de integrar equipes e investir no aprimoramento de seus colaboradores, a Ekko Group, incorporadora de alto padrão que é líder em Osasco e Granja Viana, lançou o ‘Conekta Ekko Group’ e o PDL – Programa de Desenvolvimento de Líderes, com a finalidade de contribuir na capacitação profissional e evolução de carreiras.

No projeto ‘Conekta Ekko Group’ são realizados encontros com palestras sobre diferentes temas como sustentabilidade, desafio da gestão de pessoas humanizada, entre outros assuntos da área, ministradas por profissionais experientes da Ekko Group. Os colaboradores têm a oportunidade de turbinar seu conhecimento e compartilhar ideias com os especialistas da área que trazem muita bagagem para contribuir e disseminar informação, seja ela de conhecimento técnico, como suas vivências e histórias.   

Para o programa PDL – Programa de Desenvolvimento de Líderes, o foco é estimular e desenvolver as competências pessoal e profissional, ambas fundamentais para a evolução de carreira das lideranças da Ekko Group. Sob a supervisão de consultorias especializadas e consagradas no mercado, o PDL traz uma série de encontros divididos para cada grau de liderança (coordenadores, gerentes e diretores). Realizado em várias etapas, temas como Comunicação, Feedback, Líderes que Lideram, Business Game, Gestão de Tempo e Programação Neurolinguística fazem parte de uma das etapas do conteúdo programado.

“A Ekko Group é uma incorporadora que segue em franca expansão. Somos líderes na região de Osasco e Granja Viana, e temos como meta expandir os negócios também para o entorno e chegar a São Paulo, sendo reconhecida como uma das cinco principais empresas do país no setor imobiliário até 2025. Com isso, é de extrema importância termos colaboradores motivados, engajados e prontos para as tomadas de decisão. Por isso, trabalhamos de forma sustentável, investindo fortemente na capacitação e evolução de nossa equipe de forma ininterrupta com o objetivo de valorizar os talentos internos para este mercado que é muito promissor.”, explica Diego Dias, CEO da Ekko Group.

Investir no capital humano dentro de uma empresa é trazer o colaborador para assumir etapas dentro do negócio. Despertar o senso de pertencimento, é um dos sentimentos que contribui para que o profissional estenda a sua relação com a empresa mesmo fora do ambiente de trabalho. 

Para César Pinheiro, Diretor de Gestão e Gente da Ekko Group, é preciso manter-se atualizado às ferramentas e tecnologias que chegam no mercado para contribuir no processo evolutivo de carreiras. 

“Entender as etapas de crescimento de uma empresa é um exercício a ser realizado diariamente pelos executivos das áreas de Gestão e Gente que buscam estratégias para melhorar a qualidade de vida de seus colaboradores e parceiros. Muitas ferramentas são lançadas no mercado, mas é preciso saber filtrar a que melhor convém para cada tipo de negócio.”, reforça o executivo.

Além disso, estar aberto às mudanças comportamentais e entender o perfil de cada colaborador, são aspectos que ajudam a trilhar um caminho profissional mais humano e produtivo. Em muitos casos, as pessoas não enxergam seu potencial. Portanto, investir em treinamentos, capacitação e programas que possam potencializar suas competências são alternativas que trazem benefícios não apenas para o profissional, como também para a empresa. A história de vida e a experiência de cada profissional que integra a equipe também contribuem no progresso dos negócios. 

“A oportunidade de compartilhar nossa própria trajetória profissional juntamente com aspectos estratégicos, permite um alinhamento cultural e de valores junto a nossa equipe. Saber que estamos todos no mesmo barco e incentivar os nossos colaboradores a escreverem suas próprias histórias, gera autonomia, valorização, bem-estar corporativo, produtividade e consequentemente, resultados extraordinários para todos!”, finaliza César Pinheiro.

Com todas as iniciativas já realizadas pela Ekko Group, a incorporadora conquistou o selo ‘GPTW – Great Place to Work’, um dos certificados mais reconhecidos e importantes no que se refere à gestão de pessoas. Esta certificação destaca as empresas que melhor investem no capital humano, inserindo seus colaboradores no centro da organização e dentro de um ambiente de trabalho saudável.

Portal Amigo Construtor oferece ferramenta para cálculo da quantidade de materiais em obras

Tradicionalmente, o mercado da construção civil é conhecido por ser mais analógico e moroso no que diz respeito às inovações. No entanto, soluções tecnológicas vêm se mostrando muito eficientes no segmento, principalmente quando pensamos em redução de custos, gestão da obra e diminuição do desperdício de materiais.

Para apoiar do cliente ao profissional da construção na hora de fazer o cálculo de materiais para orçar uma obra, o Portal Amigo Construtor, da InterCement Brasil, disponibiliza gratuitamente, em sua plataforma, a Calculadora de Materiais, uma ferramenta digital, didática e intuitiva, que foi desenvolvida para colaborar com o profissional na gestão da quantidade de materiais que serão solicitados e/ou orçados para o contratante de seus serviços, no início de construções e reformas. O uso da calculadora é gratuito e tem fácil acesso, pelo link https://portal.amigoconstrutor.com.br/calculadora/.

“A ideia da calculadora é facilitar a vida do profissional, para fazer ou confirmar um cálculo de forma precisa, acerca da quantidade de materiais que serão utilizados em uma obra ou reforma. A ferramenta também proporciona maior segurança ao cliente, que consegue manter o controle de seu orçamento e pode monitorar, de forma precisa, gastos e quantidades solicitadas pelo profissional responsável por sua obra”, ressalta, Amanda Hernandes Soares, Gerente de Marketing da InterCement Brasil.  

Os benefícios de um cálculo preciso na obra

É muito comum ouvir histórias sobre obras ou reformas feitas em casa, em que houve algum tipo de sobra ou falta de materiais. Muitas vezes, o receio da falta de algum item acaba gerando uma compra além do necessário para a conclusão do serviço, o que gera o desperdício de insumos, um dos vilões do canteiro de obras, que afeta diretamente os custos no setor da construção civil. Trata-se de um problema que afeta não só o bolso de quem está construindo, mas também o  meio ambiente. 

Para se ter uma ideia, de acordo com a Transparency Market Research, o desperdício de materiais na construção civil deve chegar a 2,2 bilhões de toneladas em todo o mundo, até 2025. Empresas como a InterCement Brasil, uma das principais produtoras de cimento do país, estão constantemente aprimorando seus processos produtivos para reduzir desperdícios e otimizar o uso de matéria-prima, em linha com os conceitos de Indústria 4.0 e Sustentabilidade.

“Entendemos que o desperdício afeta não somente os grandes canteiros de obras, mas, principalmente, os pequenos. É necessário levar ao pequeno construtor e ao profissional autônomo ferramentas que possam ajudá-los a evitar o desperdício e conscientizá-los da importância de seguir e replicar as boas práticas”, reforça Amanda.

O desperdício de materiais na construção impacta diretamente no valor final da obra. Materiais perdidos terão de ser comprados novamente para a execução de uma mesma tarefa. Já a falta de algum item pode atrasar o andamento da construção e, consequentemente, o prazo de entrega do projeto. “Esses são alguns dos problemas que mostram quão fundamental é o cálculo do material que será comprado. Uma obra que desperdiça recursos não é sustentável, é ineficiente e fica mais cara para o contratante”, destaca.

Como funciona a Calculadora de Materiais do Ecossistema Amigo Construtor

O passo a passo para a utilização da calculadora é simples e intuitivo. Ao acessar o portal https://portal.amigoconstrutor.com.br/, o usuário encontra, no canto superior direito, o ícone referente à Calculadora de Materiais. Não é necessário fazer nenhum login ou ser cadastrado na plataforma para acessar o serviço.

Ao clicar em “Calculadora de Materiais”, o usuário será direcionado a uma nova aba, com uma série de opções de materiais que podem ser calculados: assentamento, chapisco, contrapiso, fundação e laje, entre outros. Basta, então, selecionar o item, incluir as informações solicitadas e clicar no botão “Calcular”. O resultado será apresentado logo abaixo, com as quantidades exatas de cada material.

Tegra Incorporadora lança agenda ESG para 2030

A Tegra Incorporadora anunciou uma série de metas ESG para 2030, reforçando seus compromissos socioambientais e de governança, de acordo com diretrizes internacionais. A agenda Cidades Regenerativas 2030, ligada aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU), conta com quatro pilares – gerar impacto positivo na sociedade, zerar o balanço líquido de emissões, promover negócios transparentes e impulsionar a economia circular. 

“As metas para 2030 são um novo passo para a Tegra após conquistas importantes alcançadas pela empresa nos últimos anos. A companhia é certificada como Empreendedor Aqua desde 2021, que reconhece a alta eficiência ambiental de seus processos de desenvolvimento e execução. Além disso, já é muito avançada na gestão de resíduos sólidos, com reaproveitamento quase total dos descartes de obra, e compensa 100% dos gases de efeito estufa emitidos em seus canteiros desde 2019, incluindo os escopos 1, 2 e 3, que considera os fornecedores”, conta Angel Ibañez, diretor de suprimentos e ESG da Tegra Incorporadora. 

Até 2030, a Tegra tem como meta impactar positivamente 2,4 milhões de pessoas por meio de práticas sociais, educação, cultura, capacitação, voluntariado e filantropia. Entre as medidas já adotadas, a empresa é signatária do ONU Mulheres e realiza ações para fomentar a presença feminina nos canteiros de obra, entre as quais se destaca um programa de capacitação, inclusão e empregabilidade de mulheres refugiadas, lançado em março de 2022, em parceria com o Senai e a ONG Aldeias Infantis SOS Brasil. A companhia ainda tem um programa de Gentilezas Urbanas, que investiu mais de R$ 2,7 milhões na adoção e na recuperação de espaços públicos em 2021. Além disso, ela promove gratuitamente atividades socioculturais na Casa Tegra, em São Paulo, um espaço dedicado a discussões e encontros sobre arquitetura, cidade e qualidade de vida. 

Na gestão de emissões, a meta da Tegra é reduzir as suas próprias emissões e direcionar a adesão dos fornecedores à causa. A incorporadora projeta diminuir as emissões diretas em 50%, influenciar a redução das emissões indiretas em 15% e compensar 110% do residual. “Esse resultado será alcançado por meio de uma matriz energética totalmente renovável, da redução do consumo de energia e de água, da diminuição de emissões nas obras, nos escritórios e nos estandes, da política de compras e avaliação de fornecedores e da compensação do residual das emissões”, diz Ibañez. As obras da Tegra já adotam o concreto Spectra, desenvolvido em parceria com a Votorantim Cimentos e que garante 16% menos emissões de CO2 na fabricação.  

Para promover negócios transparentes, a companhia estabeleceu como meta distribuir valor financeiro e social acima da média setorial, além de realizar investimentos para a transparência em seus processos, na garantia de privacidade de seus clientes e na sua transição digital. A Tegra conta com um rígido due diligence na contratação de fornecedores e tem políticas de compliance e anticorrupção bem estruturadas. Na divulgação de suas ações operacionais, a empresa exibe painéis socioambientais nos tapumes das obras, com informações de consumo de água e energia, materiais reciclados, empregos gerados e horas de treinamento em cada canteiro. Além disso, a incorporadora divulga um relatório anual de sustentabilidade organizado de acordo com o padrão GRI e auditado por uma consultoria internacional.  

O quarto pilar da agenda 2030 – impulsionar a economia circular – terá investimentos de R$ 30 milhões nos próximos anos. A Tegra projeta dar mais espaço à inovação e aumentar em 15% o uso de materiais de fontes renováveis em suas obras, a partir de iniciativas em colaboração com startups, do apoio a práticas acadêmicas, além do desenvolvimento de projetos ligados ao reaproveitamento de recursos. 

Em 2021, a incorporadora alcançou a marca de 97,19% de reciclagem de resíduos em seus canteiros. Esse resultado é resultado de medidas como a adoção de materiais reaproveitáveis no processo construtivo, a coleta seletiva na obra e a logística reversa de blocos de concreto e de gesso. “Um dos projetos de destaque ligados à economia circular é ecotapume de plástico 100% reciclável, com potencial de reutilização. As novas obras da Tegra contam com essa solução, que tem como objetivo reaproveitar o resíduo plástico das obras, gerar menos descartes e dar visibilidade à reciclagem para as comunidades no entorno”, explica Angel Ibañez. 

Habitação lidera intenção de consumo entre os paranaenses, revela pesquisa

O consumo voltado para a habitação deve ser o maior impulsionador da economia paranaense em 2022. Segundo o estudo IPC Maps 2022, que reúne dados oficiais sobre o potencial de consumo da população em todo o Brasil, os paranaenses devem investir cerca de R$78,5 bilhões na compra de habitações este ano. O setor puxou a alta do potencial de consumo no estado, que subiu 13,5% em relação ao ano anterior. A intenção de consumo para a casa própria ficou à frente da compra de veículo próprio (R$49,3 bilhões) e alimentação no domicílio (R$28,7 bi). Completam o top 5 as categorias de alimentação fora do domicílio (R$13,2 bi) e material de construção (R$10,7 bi).

Com a alta demanda pela casa própria no Paraná, empresas que atuam no setor da construção civil têm registrado investimentos recordes. Na MRV, empresa do grupo MRV&Co que lidera o mercado residencial no Brasil, as boas expectativas em relação ao mercado paranaense se refletem em recorde de novos empreendimentos no estado. Até o final de 2022, a empresa deve lançar 4.816 novas unidades habitacionais, o maior volume desde que a empresa iniciou as operações no estado, em 2000.

O número de novos apartamentos que devem ser lançados em 2022 é 43% maior do que o total de lançamentos no estado no ano passado. A empresa tem 18 empreendimentos já em obras ou com lançamento previsto para 2022, localizados nas cidades de Londrina, Maringá, Ponta Grossa e da Região Metropolitana de Curitiba. O diretor Comercial da MRV, Ítalo Pita, explica que a procura já vinha de altas consecutivas no estado em anos anteriores, mas ressalta que a experiência da pandemia tem influência sobre a grande demanda atual. “A pandemia trouxe para todos nós uma nova perspectiva sobre a importância do lar. Mais do que moradia, para muitos a casa própria já representa também o local onde se trabalha, se recebe amigos e familiares. É uma nova rotina que coloca o lar no topo das prioridades dos paranaenses”, comenta Pita. “Além disso, mais do que nunca, a compra da casa própria também é sinônimo de segurança.”

O executivo afirma ainda que a pandemia mexeu também com as preferências dos paranaenses na hora de escolher um apartamento. Depois de passar tanto tempo em casa, cumprindo as medidas de distanciamento, os paranaenses têm dedicado mais atenção às áreas de lazer e à qualidade de vida proporcionada pela vizinhança. “Ao conversar com clientes, percebemos que o fator que mais subiu nas prioridades é a presença de locais para atividades físicas ao ar livre e os espaços dedicados aos pets, seja dentro do condomínio ou nas proximidades”, aponta Ítalo Pita.

Aluguel em Curitiba sobe 7% em 2022

O Imovelweb,um dos maiores portais imobiliários do País, divulga seu relatório mensal de preços de maio em Curitiba. De acordo com o levantamento, em 2022 o valor do aluguel na cidade subiu 7% acima da inflação (4,9%), mas abaixo do ajuste do Índice Geral de Preços do Mercado IGP-M.

Em maio, o preço médio mensal para locar um apartamento de dois quartos ficou em R$ 1.692, aumentando 3,2% no mês. O incremento do aluguel em Curitiba está acelerado: segundo mês consecutivo com aumento mensal acima de 2%.


Os dados do relatório mensal de preços do Imovelweb, também chamado de Index, são gerados com base em 100% dos imóveis listados no portal, seja aluguel ou venda, mostrando o preço médio das propriedades.

Prado Velho é o bairro com o maior preço médio da cidade, custando R$ 2.490 por mês. Campo de Santana é o mais em conta, com o valor médio mensal de R$ 958.

Valor do aluguel nos bairros de Curitiba

Mais baratos (R$)Variação MensalVariação Anual
CAMPO DE SANTANA958-3,4%7,1%
PAROLIN1.050-1,0%4,3%
CACHOEIRA1.0631,8%-0,1%
Mais caros (R$)Variação MensalVariação Anual
JARDIM DAS AMÉRICAS2.3362,0%8,9%
CENTRO CÍVICO2.487-1,8%S/D
PRADO VELHO2.4903,1%11,0%

Na análise por região, Pinheirinho é o local mais econômico para morar de aluguel, com um valor mensal médio de R$ 1.353.

RegiãoValor do m²Variação MensalVariação Anual
PINHEIRINHO1.3531,7%17,6%
BOQUEIRÃO1.3925,0%14,2%
BOA VISTA1.4123,5%18,6%
CAJURU1.553-1,1%22,2%
CIDADE INDUSTRIAL DE CURITIBA1.5582,2%26,2%
FAZENDINHA-PORTÃO1.6212,4%27,5%
SANTA FELICIDADE1.823-0,3%14,6%
MATRIZ1.8884,2%15,4%

Imóveis à venda: preços acima da inflação em 2022

Para os imóveis que estão à venda, o preço médio em Curitiba subiu 0,9% em maio, ficando em R$ 7.867 por m². Desde outubro de 2019, o valor médio registra um incremento mensal ininterrupto. Em 2022, os preços acumulam alta de 5,2% acima da inflação, o que implica em uma alta real de 0,3%. Nos últimos 12 meses, o preço se manteve em linha com a inflação e muito acima da variação da BOVESPA.

Santa Felicidade é a região mais cara da cidade, custando R$ 9.202 por m². Todas as áreas registraram aumento de preço interanual. Cajuru obteve a maior alta.

RegiãoValor do m²Variação MensalVariação Anual
BAIRRO NOVO3.4280,5%4,2%
BOQUEIRÃO4.9652,7%11,9%
PINHEIRINHO5.2831,3%8,1%
CAJURU5.5771,9%18,5%
BOA VISTA6.6490,5%13,4%
CIDADE INDUSTRIAL DE CURITIBA6.8660,3%18,2%
FAZENDINHA-PORTÃO7.8290,6%11,7%
MATRIZ9.1941,0%10,9%
SANTA FELICIDADE9.2021,7%13,9%

Rentabilidade

O índice de rentabilidade imobiliária relaciona o preço de venda e valor de locação do imóvel para verificar o tempo necessário para recuperar o dinheiro utilizado na aquisição do imóvel. O relatório de maio apontou um índice de 4,35% bruto anual, o que significa que são necessários 23 anos de aluguel para reembolsar o investimento de compra, 4,3% a menos que um ano atrás.

Boqueirão e Cajuru são as regiões que oferecem maior retorno para os investidores. Augusta e Sítio Cercado são os melhores bairros para quem busca renda.  

Rentabilidade por região:

RegiãoRentabilidade
SANTA FELICIDADE2,6%
CIDADE INDUSTRIAL DE CURITIBA3,1%
MATRIZ4,2%
PINHEIRINHO4,4%
FAZENDINHA-PORTAO4,6%
BOA VISTA5,0%
CAJURU5,2%
BOQUEIRÃO5,2%

Cury Construtora anuncia três novos empreendimentos; dois em SP e um no RJ

A Cury Construtora – uma das empresas líderes no segmento residencial no Brasil – acaba de anunciar três novos empreendimentos; dois deles em São Paulo, e um no Rio de Janeiro. A empresa tem apostado em áreas de lazer diferenciadas, como o beach tennis, que proporciona aos amantes de atividades “pé na areia” a opção de praticarem o esporte sem precisar se deslocar para a praia.

Na capital paulista, a companhia lançará em julho, o Urban Tatuapé, no bairro de mesmo nome, com estúdios e unidades com um ou dois dormitórios, e opção com terraço, suíte e vaga de garagem; e o Liberty Miguel Yunes, em Interlagos, com dois dormitórios. Os itens de lazer de ambos os empreendimentos são diversos: salão de festas, espaço fitness, churrasqueiras, pet care, brinquedoteca, lavanderia, quadra gramada, pet place, fitness externo, playground, cinema a céu aberto (cine open air), minimercado (easy market); quadra de beach tennis etc.

Já no Rio de Janeiro, os futuros moradores da Zona Norte poderão contar com o Trend Cachambi, ao lado do NorteShopping e da Linha Amarela, com opções de dois e três quartos e lazer surpreendente. A novidade tem piscinas, quadra gramada, playground, food square, espaço zen com sauna, brinquedoteca, salão de festas, pub, coworking, oficina, pet place, fitness externo, academia e bicicletário.

Aluguel em Belo Horizonte sobe no ritmo do IGP-M, segundo Imovelweb

Segundo o relatório mensal de preços de maio do Imovelweb, um dos maiores portais imobiliários do País, o preço do aluguel em Belo Horizonte está em alta. O valor médio mensal para apartamentos de dois quartos e 65 m² fechou em R$ 1.724, subindo 0,8% no mês. No acumulado de 2022, os preços do aluguel aumentaram no ritmo do Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) e acima da inflação. Já nos últimos 12 meses, o valor subiu 2 p.p. acima da inflação e do IGP-M.

Os dados do relatório mensal de preços do Imovelweb, também chamado de Index, são gerados com base em 100% dos imóveis listados no portal, seja aluguel ou venda, mostrando o preço médio das propriedades.

Na análise por região, Centro-Sul registrou o maior preço médio de aluguel no mês de maio (R$ 2.166). Já Venda Nova ficou com o menor valor médio, custando R$ 1.094 mensal.

RegiãoValor do m²Variação MensalVariação Anual
VENDA NOVA1.0940,4%15,9%
NORTE1.1482,6%5,9%
NOROESTE1.222-1,3%-9,7%
NORDESTE1.4320,6%5,8%
LESTE1.504-2,0%14,0%
OESTE1.586-1,2%16,6%
PAMPULHA1.6872,3%S/D
CENTRO-SUL2.1661,4%14,7%

Para quem busca alugar um imóvel na capital mineira, os bairros Jaqueline, Bonfim e Juliana estão entre os mais baratos. Já Liberdade, Belvedere e Savassi são os mais caros.
Preço do aluguel nos bairros de Belo Horizonte:

Mais baratos (R$)Variação MensalVariação Anual
Jaqueline9454,5%9,6%
Bonfim984-5,3%S/D
Juliana1.0563,8%-4,0%
Mais caros (R$)Variação MensalVariação Anual
Liberdade2.656-2,2%S/D
Belvedere2.972-0,6%1,8%
Savassi3.091-2,9%5,8%

Imóveis à venda

O preço médio na cidade fechou o mês de maio em R$ 5.644 por m², subindo 0,2% no mês. O aumento dos valores vem desacelerando pelo quarto mês. Em 2022, os preços subiram 2,6% enquanto a inflação acumula +4,9%. Nos últimos 12 meses, a queda real dos valores dos apartamentos na cidade ficou em 5,5 p.p.

O apartamento padrão em Belo Horizonte de dois quartos e 65 m² tem um preço de R$ 370 mil. Já o apartamento padrão de três quartos e 95 m² custa R$ 530 mil.

Segundo o relatório, analisando por bairros, Ribeiro de Abreu é o mais econômico, custando R$ 2.405 por m². Em contrapartida, Santo Agostinho fechou o mês de maio como o mais caro, custando R$ 11.897 por m².

Mais baratos (R$/m²)Variação MensalVariação Anual
Ribeiro de Abreu2.4052,9%0,8%
Flávio de Oliveira2.5150,9%5,1%
Conjunto Califórnia II2.567-0,3%-9,8%
Mais caros (R$/m²)Variação MensalVariação Anual
Savassi11.250-3,1%11,0%
Braúnas11.5000,0%0,0%
Santo Agostinho11.897-1,0%6,4%

Rentabilidade

O índice de rentabilidade imobiliária relaciona o preço de venda e valor de locação do imóvel para verificar o tempo necessário para recuperar o dinheiro utilizado na aquisição do imóvel. O relatório de maio apontou um índice de 3,46% bruto anual, o que significa que são necessários 28,9 anos de aluguel para reembolsar o investimento de compra, 1,3% a menos que um ano atrás.

Venda Nova é a região que oferece maior retorno para os investidores. Estoril e Paquetá são os melhores bairros para quem busca renda.

Rentabilidade por região:

RegiãoRentabilidade
NORTE1,9%
NORDESTE2,8%
LESTE3,2%
PAMPULHA3,5%
OESTE3,5%
CENTRO-SUL3,7%
NOROESTE3,7%
VENDA NOVA3,9%

Construtoras apostam no Legal Design como ferramenta na negociação de imóveis

Com o surgimento de novas tecnologias, a linguagem jurídica vem sendo adaptada para facilitar os negócios. No lugar dos textos longos e formais, entra em cena o Legal Design, uma ferramenta inspirada no conceito de design thinking, que busca melhorar a experiência do cliente através de uma comunicação mais simples, direta e objetiva, com o uso de recursos como links e desenhos, focada na resolução das questões jurídicas de maneira mais ágil e com total transparência.

De olho nestas inovações, as construtoras Bild Desenvolvimento Imobiliário e Vitta Residencial Construtora e Incorporadora lançaram seu contrato eletrônico para aquisição de imóveis a partir deste novo formato, que visa desburocratizar a documentação e estreitar o relacionamento entre os clientes e os departamentos jurídicos das duas empresas. A intenção é imprimir um conceito moderno e mecanismo acessível para a finalização da compra e venda.

A iniciativa visa acompanhar as mudanças no perfil dos consumidores que, cada vez mais, sinalizam a busca constante por facilidades na fase da aquisição de um imóvel. Otimizar a experiência com as duas construtoras é outro objetivo – seja para o investidor ou o futuro morador dos empreendimentos lançados – desde o primeiro contato com as marcas, passando pela forma de entrega de informações e se estendendo à assinatura do contrato.

Na prática, o conceito do Legal Design aposta na adoção de linguagem simples e em recursos visuais como desenhos, gráficos e infográficos, tabelas, imagens, links e até QRCodes para traduzir e facilitar o conteúdo dos documentos jurídicos. “Essa iniciativa vai além do contrato seco de compra do imóvel e alcança manifestações e recursos de ações judiciais existentes, com contratos com empreiteiros e fornecedores e aquisição de áreas visando futuras construções”, explica José Luiz Camarero Neto, diretor e sócio das construtoras.

Juntas, as construtoras Bild Desenvolvimento Imobiliário e Vitta Residencial somam mais de 37 mil unidades lançadas em cidades dos Estados de São Paulo e Minas Gerais e impactam cerca de 4 milhões de pessoas. A meta, agora, é elevar esse número para 7 milhões de pessoas com novas moradias nos próximos anos. Para alcançar esse objetivo, de acordo com Gilson Santoni Filho, gerente executivo jurídico e de cobrança das construtoras, é fundamental a busca e o investimento em inovações no setor da construção civil, de ponta a ponta do processo. “Os clientes que testaram o novo modelo de contrato eletrônico aprovaram o formato, que permitiu não somente um entendimento mais fácil das cláusulas, como a participação deles nos oferecendo sugestões de novas ferramentas para tornar ainda mais fácil encontrar e interpretar informações”, comenta, lembrando que o padrão do contrato ficou 40% menor, sem deixar de lado todos os dados necessários para o cliente.

Legal Design une o design, a tecnologia e o Direito, e o contrato eletrônico das construtoras Bild e Vitta Residencial contempla todas as condições do negócio, com quadro de resumo, preços, condições de pagamento, além de explicações sobre comissões e corretagem, prazo de conclusão das obras e entrega das chaves, entre outros itens. “Nosso contrato eletrônico não vai se restringir apenas à mudança do contrato para um formato mais inteligível para o consumidor final. Ele vai abranger desde as tratativas iniciais até a assinatura do contrato, ou seja, toda a jornada do consumidor na empresa foi revista para que pudéssemos trazer soluções práticas e eficazes para o consumidor”, conclui o diretor José Luiz Camarero Neto.

Associada da Netimóveis assume diretoria da Associação Brasileira do Mercado Imobiliário

Adriana Magalhães, da Céu-Lar Netimóveis, vai coordenar a realização de eventos da entidade

A diretora da Céu-Lar Netimóveis, Adriana Magalhães, é a mais nova diretora da Associação Brasileira do Mercado Imobiliário (ABMI). A empresária mineira, que assumiu o cargo neste mês, vai coordenar os encontros, eventos e congressos promovidos pela entidade ao longo do ano.

Adriana, que já era representante da ABMI em Belo Horizonte desde 2018, aponta os desafios da nova gestão. “Estamos vivendo uma mudança de era, o que reforça a importância de estarmos próximos de pessoas que também pensam, se dedicam e se movimentam para trazer mudanças realmente positivas para o mercado”, afirma. “Estrategicamente unidos, formamos uma estrutura robusta que traz muitos benefícios para o mercado”, complementa.

 A ABMI busca proporcionar a troca de ferramentas e de boas práticas entre as associadas espalhadas por todo o país por meio de constante benchmarking. “Tivemos surpreendentemente uma evolução muito grande na pandemia. Criamos novos formatos para continuar potencializando o network e trocar ideias entre as imobiliárias. Além dos encontros presenciais, temos os virtuais e criamos os pequenos fóruns, ‘pockets’. Nosso objetivo é fazer o nosso mercado cada vez mais inovador e colaborativo, o que faz parte dos princípios da Netimóveis também”, comenta.

Adriana avalia que sua experiência como integrante da rede Netimóveis contribui para sua atuação na ABMI. “Minha forma de encarar o mercado sempre foi cooperativa. A competição saudável é fantástica e faz com que a gente cresça individualmente como empresa e também o mercado como um todo, que passa a ser mais respeitado e pujante, tendo mais credibilidade e sempre buscando melhores soluções para os clientes, que são a nossa razão de existir”, afirma.