EKKO Group inaugura a maior exposição de decorados em Alphaville

A EKKO Group, referência no desenvolvimento de projetos mistos com casas e apartamentos modernos volta a inovar ao lançar, no próximo dia 25 em sua MEGA STORE ALPHAVILLE, a maior Praça de Decorados, reunindo exemplos de unidades decoradas – casas e apartamentos – de três de seus empreendimentos na região. A Praça está localizada na Av. Marcos Penteado de Ulhôa Rodrigues, 2900 – Santana de Parnaíba onde as obras da incorporadora seguem a todo vapor. O funcionamento será diariamente, das 9:00h às 19:00.

Os visitantes da Praça poderão conferir casas decoradas do Ekko Live Alpha One e do Ekko Live Alpha 2 Senses. E também o Ekko Lilve Alpha 3, mais recente lançamento da incorporadora, que terá uma casa e 02 apartamentos decorados para visitação. O empreendimento é composto por 127 unidades, sendo 53 casas de 187m² e 74 apartamentos de 114m², 135m² e 265m², com vista para uma reserva ambiental. Juntamente com o Ekko Live Alpha 4, ocupa uma área de 60.000 m2.

O Ekko Live Alpha One tem casas de 223m² e 277m² com 3 suítes, piscina e churrasqueira, além de apartamentos de 125m² e 167m² com 3 ou 4 dormitórios, com a opção de apartamento garden e duplex de 169m² a 279m². O Ekko Live Alpha 2 Senses tem 44 casas, com 204 e 225 m2 cada, todas com piscina privativa.

“Apresentamos a inovadora Praça dos Decorados da Ekko, uma exposição de imóveis que oferece cinco modelos de projetos, proporcionando aos interessados a oportunidade de vivenciar a experiência de como poderá ser seu futuro lar. Além disso, possibilita a comparação de propostas diferentes no mesmo local onde as obras estão em desenvolvimento, auxiliando na tomada de decisão”, afirmou Diego Dias, CEO da Ekko Group. “Essa iniciativa também representa uma oportunidade única para apoiar nossos corretores na orientação dos clientes, além de ser uma fonte de inspiração para as tendências do segmento, uma vez que os projetos são assinados por arquitetos renomados do mercado.”

Praça dos Decorados Ekko Group

Endereço: Av. Marcos Penteado de Ulhôa Rodrigues, 2900- Santana de Parnaíba

Diariamente das 9:00 às 19:00

Entenda como a hotelarização das moradias, nova tendência do setor imobiliário de alto luxo, transforma a escolha por um lar

À medida que o setor imobiliário se desenvolve, é possível observar uma crescente procura por residências que vão além das normas convencionais, buscando uma integração perfeita entre o aconchego característico do lar e a elegância e amenidades incomparáveis encontradas em hotéis de luxo. Impulsionado principalmente pelas exigências de um público de padrão elevado, esse movimento é chamado de ‘hotelarização’ das moradias e vem ganhando cada vez mais espaço no Brasil e no mundo.

Segundo Alfredo Gulin, CEO da AG7, incorporadora de alto luxo com foco em wellness building, essa tendência vai muito além da construção de uma casa ou apartamento, tanto no que refere à comodidade do morador quanto à introdução de serviços adicionais. “De tratamentos e terapias renomados até centros esportivos de ponta, essas residências servem para acomodar a vida moderna de uma maneira completamente customizada, atendendo às necessidades de pessoas que prezam pela praticidade e bem-estar”, diz.

Apesar disso, o executivo reforça que o alto nível de qualidade dessa vertente do setor imobiliário traz alguns desafios, como a educação do consumidor. “É essencial que os potenciais residentes entendam o valor e os benefícios únicos que a hotelarização da moradia oferece, já que estamos tratando de projetos personalizados e consistentes. Nesse sentido, a incorporação da tecnologia na rotina do usuário também é imprescindível para que ele tenha uma melhor experiência, o que requer uma capacidade de acompanhar rapidamente as inovações”, explica.

Como o mercado brasileiro vem reagindo à hotelarização de imóveis?

No Brasil, a tendência ainda está em um processo de consolidação do mercado imobiliário, mas já é possível ver alguns empreendimentos com as suas características. Dois deles, o PACE e o AGE360, ambos projetos da própria AG7, estão localizados no ‘Novo Ecoville’, bairro da capital paranaense que foi revitalizado nos últimos anos e atualmente é considerado um dos melhores lugares para se morar de Curitiba. 

O primeiro foi lançado em agosto deste ano e contou com um investimento de R$ 200 milhões. Já o segundo possui entrega prevista para fevereiro de 2024, mas, por conta da suas diversas ofertas de possibilidades no estilo hoteleiro, já comercializou 85% de um total de 33 unidades.

Dentre essas inovações, estão, por exemplo, um spa de luxo, que possui uma divisão de tratamentos (cromoterapia, haloterapia, escalda pés, etc.) que podem ser agendados no próprio apartamento do morador ou em salas exclusivas. Inclusive, no âmbito de atividades voltadas para o relaxamento, também é possível destacar a sauna úmida, que pode ser utilizada em conjunto com a aromaterapia, e a piscina de hidromassagem, atuando na melhora da circulação e redução de inchaço com a combinação do calor e da água. 

Ainda vale citar os espaços fitness diferenciados, os quais são propícios para as práticas de diferentes modalidades, como yoga, luta, alongamento, circuito funcional, meditação e musculação. Nesse último caso, a academia tecnológica da Technogym, a melhor e mais exclusiva marca de aparelhos de ginástica do mundo,  é a pedida ideal para os moradores. Ela atende de entusiastas do esporte a atletas de alta performance, com a opção de atendimentos particulares de Personal Trainer, e é localizada, junto de uma piscina semi olímpica, em uma área comum a mais de 70 metros de altura, com uma das vistas mais espetaculares da cidade. 

Gulin ressalta que esses aspectos comprovam o quanto o foco da empresa e do segmento como um todo é o bem-estar do cliente. “A ideia é que os menores detalhes se tornem cada vez mais sofisticados. No geral, esperamos que a hotelarização das moradias continue a evoluir e a transformar o que entendemos como um lar, proporcionando aos residentes uma experiência luxuosa, conveniente e 100% adaptada aos seus desejos individuais”, finaliza.

Proptech PipeImob estima ultrapassar R$ 1 bilhão em transações imobiliárias mensais nos próximos seis meses

Com pouco mais de 1 ano de atuação, a proptech PipeImob, solução de gerenciamento de processos imobiliários, estima ultrapassar R$ 1 bilhão em volume de imóveis transacionados mensalmente em sua plataforma, nos próximos seis meses. Consequentemente, a expectativa da empresa é ampliar a receita anual em cinco vezes em 2024.

Hoje, a média mensal do Valor Geral de Vendas (VGV) dos imóveis transacionados para os atuais 130 clientes da proptech chega a R$ 220 milhões. Apenas em outubro deste ano, foram negociados 556 imóveis, totalizando cerca de R$ 248 milhões em VGV.

Co-fundada por Roberto Nascimento, empreendedor referência em inovação no mercado imobiliário e fundador de empresas como Zap Imóveis e Kzas Krédito (Grupo Creditas), a PipeImob oferece ao mercado uma plataforma transacional (TRM – Transaction Relationship Management) que permite às imobiliárias gerenciar e organizar processos ligados à venda (após a captação) e durante a fase da transação (pós- venda), além de aspectos jurídicos e financeiros.

As soluções oferecidas pela empresa incluem geração automática de contratos de compra e venda, integração com cartórios e parceiros, diligências documentais “express”, pesquisas de satisfação em diversas etapas das jornadas, dentre outras. A plataforma, ainda, se conecta aos CRMs mais utilizados no Brasil, criando uma esteira digital que começa com a assinatura eletrônica da proposta, passando pelo controle de todos os documentos necessários para finalizar o processo. Na média do último mês, foram armazenados digitalmente 39 documentos por transação, entre CNH, certidões e matrículas.

Segundo o co-fundador e CEO, Roberto Nascimento, a PipeImob atende uma carência do mercado ao ajudar o back-office e o jurídico da imobiliária a controlar o fluxo de trabalho digitalmente, com uma solução integrada de banking. Hoje, a maioria das imobiliárias utiliza planilhas, com documentos compartilhados via Whatsapp.

“As pessoas hoje pedem um hambúrguer de R$ 30 pelo aplicativo e conseguem ver o status do pedido minuto a minuto. No entanto, na hora de comprar ou vender o bem de maior valor da sua vida, não têm acesso a essa facilidade. Queremos ajudar imobiliárias e corretores a proverem um melhor serviço para seus clientes, garantindo mais segurança a todos participantes da transação. Ao melhorar a eficiência do processo de conversão e vendas, diminuir o tempo entre visita e registro em cartório e, ao mesmo tempo, diminuir o custo do back-office, os contratos passam a ser feitos na metade do tempo, o pagamento se torna imediato e as imobiliárias podem atingir um ganho de produtividade de até 30%”, explica Nascimento.

Histórico de sucesso

Fundada em 2022 para trazer mais segurança, rapidez e transparência ao mercado imobiliário brasileiro, nos últimos 12 meses a PipeImob transacionou R$ 1,4 bilhão em Valor Geral de Vendas (VGV) e gerou R$ 35 milhões de comissões.

“Entendemos que, historicamente, esse mercado é conhecido pela alta burocracia, baixa digitalização e pela baixa transparência. Queremos ajudar as imobiliárias e corretores a não gastarem energia em tarefas que podem ser automatizadas e/ou digitalizadas, focando no atendimento comercial. No final, ao conectar imobiliárias, corretores, clientes, assessores de financiamento e parceiros externos em um ambiente colaborativo único, maximizamos a comunicação e o compartilhamento de informações entre todos os envolvidos na transação imobiliária”, comenta o CEO.

Entre as mais de 100 imobiliárias que utilizam a solução, a empresa já conta com importantes clientes, como as grandes redes internacionais RE/MAX e KW (Keller Williams), e a maior imobiliária do Rio Grande do Sul, a Auxiliadora Predial. 

“Focamos em chegar no ‘Product Market Fit’ e melhorar nosso serviço de onboarding e suporte, antes de colocar foco no comercial. Agora que temos plataforma e time mais robustos, estamos expandindo. Recentemente, fechamos uma parceria com a ABMI, associação nacional com 70 imobiliárias regionais com ótima reputação local, e estamos confiante que rapidamente chegaremos ao VGV de R$ 1 bilhão por mês”, finaliza Roberto Nascimento.

Especialista do QuintoAndar indica formas de como se preparar financeiramente para realizar o sonho da casa própria

Com a queda da taxa de juros, a compra de imóveis volta a ser uma alternativa no radar dos brasileiros. Segundo o Censo QuintoAndar de Moradia, feito em parceria com o Datafolha, 57% das pessoas que pretendem se mudar querem comprar um imóvel, porém somente 45% dos que têm esse desejo possuem um planejamento financeiro para realizar este sonho. Para alertar sobre eventuais custos que envolvem o processo além do valor do imóvel, o diretor de crédito Jonas Marchetti listou os principais pontos para estar atento, e como se planejar.
 

“Na compra de um imóvel, além do valor que você paga pelo bem, sempre há despesas extras envolvidas, como taxas e cartório. Geralmente, esse excedente pode girar em torno de 4% a 10% do valor do imóvel – depende de algumas variáveis, como se o imóvel será comprado à vista ou financiado, e também se o imóvel é o primeiro adquirido da pessoa ou não, pois há possibilidade de alguns descontos. A pessoa compradora deve estar atenta a estes custos adicionais e buscar informações completas a respeito “, explica Marchetti. “A realização do sonho da casa própria em si já demanda uma boa disciplina financeira, e é importante que esse planejamento envolva algum valor a mais para que o comprador não se veja em apuros.”
 

Além dos custos já conhecidos do financiamento, como juros e correção monetária, seguros, existem as cobranças feitas pelo cartório para documentação, registros, escritura e o famoso ITBI. Esses custos podem variar de acordo com o tipo de financiamento imobiliário, instituição financeira e as condições impostas no contrato de solicitação de crédito.
 

Apesar de serem custos variáveis, eles podem ser previamente calculados. “A plataforma do QuintoAndar busca antecipar todas as estimativas destes custos, que são discriminados desde o anúncio dos imóvel, porém é necessário que o comprador acompanhe toda a jornada, se planeje financeiramente e esteja ciente de gastos adicionais no processo, bem como de eventual alteração nos custos estimados”, explica Jonas.

Além disso, o especialista cita gastos que são primordiais ao adquirir um imóvel, tanto financiado quanto à vista. Abaixo, seguem mais informações gerais sobre eles:

ServiçoSobreEstimativa de custo
Seguro
do imóvel
A realização do seguro garante a indenização por eventuais prejuízos que o comprador possa sofrer em razão de determinados problemas que venham a ocorrer no imóvel, conforme as condições do seguro contratado, trazendo-lhe mais segurança a longo prazo.O valor do seguro é sempre proporcional ao valor total da quantia que foi financiado, ou seja, ele não tem um valor fixo, pois vai depender de quanto você vai financiar – pode considerar um percentual em torno de 2,5% a 5% do valor do financiamento.
ITBIO Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) é uma tributação gerada e cobrada pelo município onde o imóvel está localizado no momento de uma transação de compra e venda.“O valor dele varia de cidade para cidade, mas normalmente fica entre 2% e 4% do valor do bem e deve ser conferido pelo comprador.” diz Jonas.
Escritura PúblicaA escritura de imóvel é outro valor extra que deve entrar nos custos de comprar um imóvel. É o documento que comprova a transferência do imóvel de um proprietário para o outro.Só vai ser necessária no caso de compra à vista, uma vez que, na compra financiada, o contrato de financiamento bancário equivale à escrituraO valor da escritura pública é tabelado – variando de acordo com o estado e valor do imóvel. O valor pode ser consultado na internet ou diretamente no cartório.
RegistroO registro é dividido em dois documentos: Escritura Pública de Compra e Venda (em caso de compra à vista, como indicado acima) ou Contrato de Financiamento do imóvel (em compra financiada).Com esses documentos em mãos e o comprovante do pagamento do ITBI, o registro do imóvel poderá ser feito.O valor varia de acordo com o estado onde o imóvel está localizado – a taxa extra costuma ficar abaixo de 1% do total do bem.
Avaliação BancáriaÉ um processo realizado pelos bancos, nos casos de imóveis comprados por financiamento, referente à vistoria do bem e de toda a documentação necessária para liberação do crédito imobiliário.“A taxa de avaliação do imóvel é obrigatória e não pode ser parcelada, há variação de valor de acordo com cada banco, então é importante ter esse valor à vista ao dar entrada no financiamento.” completa Marchetti
ReformasÉ necessário se preparar financeiramente para eventuais gastos com reformas, mudanças e outras questões mais práticas em relação à moradia na sua casa nova.“Na etapa de reforma, gastos implícitos com a compra de um imóvel são os de preparação do seu novo lar. Planeje todos esses custos, coloque tudo isso no papel e faça as contas para não se endividar. ” diz Jonas.

“A compra da casa própria é o sonho de 87% dos brasileiros, segundo o Censo de Moradia QuintoAndar. Com o conhecimento sobre os custos para além do valor imóvel, as pessoas podem ter um planejamento financeiro mais assertivo e, assim, realizar este sonho”, finaliza Marchetti.

Por fim, lembre-se que cada transação pode incluir gastos específicos e/ou não mencionados acima.

RNI monetiza ativos não estratégicos em R$ 175 milhões e prioriza sua principal expertise de negócios: lançamentos do Programa Minha Casa Minha Vida

A RNI NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS S.A., construtora pertencente a um dos maiores e mais importantes grupos empresariais brasileiros, Rodobens, faz um marco importante para sua nova gestão em 2023, firmando o contrato de compra e venda de 166 SPEs de ativos não estratégicos, entre a companhia e a GVINC PARTICIPAÇÕES E GESTÃO DE ATIVOS IMOBILIÁRIOS LTDA. Operante no mercado há mais de 30 anos, a incorporadora mantém capital aberto desde 2007, com foco em vendas de empreendimentos nas faixas 2 e 3 do programa Minha Casa Minha Vida.

A administração da construtora enxerga com otimismo a transação que trará um aporte de R$ 100 milhões. “O capital imediato beneficia o caixa e já trará a RNI condição de dar os primeiros passos para melhora na estrutura de capital e mudanças estratégicas para retomada de lançamentos dentro do programa Minha Casa Minha Vida, que são a maior expertise da companhia”, afirma o CEO Gustavo Félix. A operação contou com a participação ativa do grupo Rodobens Participações S.A como garantidora do negócio. Tanto a RNI quanto a GVINC estão sob controle do grupo.

A transação dará mais fluidez a operação e possibilita a concentração de esforços no foco estratégico. “Simplifica a gestão operacional da companhia, reduz custos overhead, deixa a companhia “leve” e focada em lançamentos dentro do programa MCMV”, complementa Félix, que ressalta também que outras transações importantes, que vão ao encontro com a reestruturação da empresa e de suas novas diretrizes estão em andamento, consolidando assim as mudanças da nova gestão.

Ao longo de sua trajetória, a RNI vem transformando e desenvolvendo as regiões onde atua por todo Brasil. São 79 mil unidades lançadas, atingindo R$ 1 bilhão em vendas no ano de 2022.

Moura Dubeux adquire hotéis icônicos de Salvador e prepara retrofits com VGV superior a R$ 1 bilhão

Bahia Othon Palace (crédito: Fernando Antônio)

A Moura Dubeux (MDNE3) anunciou nesta quarta-feira, 6 de dezembro, a aquisição de mais um tradicional endereço da hotelaria de Salvador, o icônico Bahia Othon Palace, localizado na orla de Ondina. O imóvel foi arrematado em leilão realizado na terça-feira, 5 de dezembro, em operação cujo valor total, incluindo impostos, taxas e dívidas do antigo proprietário, alcançou os R$ 109 milhões.
 

Com a compra, a companhia se prepara para realizar o retrofit de dois importantes hotéis da capital baiana, já que também adquiriu, em 2022, o Hotel Pestana, no tradicional bairro do Rio Vermelho. As obras de retrofit de ambos os empreendimentos começarão em 2024, e terão Valor Geral de Vendas (VGV) superior a R$ 1,1 bilhão.
 

“Estamos muito satisfeitos em anunciar estes novos investimentos, que consolidam o posicionamento da Moura Dubeux como empresa que se destaca por oferecer projetos extremamente sofisticados, de padrão internacional, e capazes de modernizar regiões importantíssimas das cidades em que atua”, diz Diego Villar, CEO da companhia. “Com a compra e requalificação desses dois hotéis icônicos de Salvador esperamos dar nossa contribuição para o desenvolvimento urbano e do turismo da capital soteropolitana.”
 

Para o Bahia Othon Palace, o projeto prevê o retrofit da torre principal, que receberá um resort de uso misto, com estúdios, apartamentos, salas comerciais, lojas, restaurantes e opções para hospedagem. Com 27 mil m², o terreno pode ser considerado único, localizado à beira mar em uma das regiões mais nobres da cidade, no badalado circuito do Carnaval de Salvador, o Barra-Ondina. Em parte do terreno, o projeto contemplará um residencial de luxo, que receberá o nome de Mansão Othon, em homenagem ao antigo hotel, e contará com apartamentos com cinco suítes e 500 m². O Valor Geral de Vendas (VGV) do complexo é de R$ 615 milhões.
 

Com terreno igualmente grandioso, de 26 mil m² na região mais boêmia da cidade, o Hotel Pestana em Rio Vermelho também contará com opções de hospedagem. Parte de seu terreno será um residencial de alto padrão, com três suítes de 130 m² e quatro suítes de 180 m². O VGV do complexo é de R$ 485 milhões.

Antigo hotel Pestana (crédito: Fernando Antônio)

3 características dos atuais apartamentos semimobiliados para mercado de locação

A busca por praticidade no morar é uma tendência e, por isso, os apartamentos semimobiliados têm ganhado destaque no mercado. Hoje inclusive, já existem pessoas e companhias investindo neste tipo de imóvel para alugar, oferecendo ainda mais vantagens do que as tradicionais já conhecidas.

Levando em consideração este cenário, Jorge Luiz Bernardo de Morais, Diretor de Operações da Vila 11, empresa brasileira referência em empreendimentos multifamily que desenvolve, administra e opera residenciais para locação em regiões estratégicas de São Paulo, lista três características que envolvem os atuais apartamentos semimobiliados do mercado.

Móveis e espaços estratégicos: Tanto companhias como proprietários já oferecem imóveis com móveis neutros e que podem ser utilizados de diferentes formas, além de já deixarem os espaços dos apartamentos organizados de uma maneira mais estratégica, otimizando os ambientes. “Atualmente, pessoas que buscam por imóveis semimobiliados, querem armários planejados e clean, agregando qualidade ao apartamento. Além disso, procuram por divisões inteligentes dos espaços, como um móvel que possui uma determinada função e ao mesmo tempo, funciona de divisão de dois locais”, afirma Morais.

Eletrodomésticos: Segundo o Diretor de Operações da Vila 11, pessoas já podem encontrar companhias que ao alugarem um apartamento semimobiliado vão encontrar toda a linha de eletrodoméstico já instalado e pronto para uso. “Geladeira, cooktop, fogão, micro-ondas, ar-condicionado etc. É o começo para poder morar em um apartamento e o investimento nesses itens é alto e por isso as empresas fornecem, como por exemplo a Vila 11. A praticidade para o futuro morador é a palavra-chave neste contexto”, comenta.

Versatilidade na decoração: Com uma base sólida de mobília e eletrodomésticos já disponível, os moradores podem concentrar seus esforços em acessórios decorativos e elementos que expressam sua personalidade, transformando o apartamento semimobiliado no seu verdadeiro lar. “Essa característica proporciona aos moradores a liberdade de personalizar os espaços de acordo com suas preferências estéticas, adicionando toques pessoais”, finaliza Jorge.

Neste contexto, é possível esperar que a geração atual siga em busca de imóveis semimobiliados que mais do que móveis, tragam experiências de sucesso, focando em conforto e praticidade.

índice de aluguéis residenciais varia -0,37% em novembro

O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) apresentou uma variação de -0,37% em novembro de 2023, indicando uma redução em comparação com a taxa mensal anterior, que havia sido de 1,80%. Com isso, a taxa acumulada nos últimos 12 meses até novembro manteve-se estável em 7,43%.
 

No período entre outubro e novembro, três das quatro cidades componentes do IVAR experimentaram retração em suas taxas de variação: Belo Horizonte (passando de 1,17% para -1,41%), São Paulo (de -0,75% para -0,98%) e Porto Alegre (de 8,67% para -0,67%). Por outro lado, a cidade do Rio de Janeiro (de -1,65% para 2,83%) apresentou aceleração em sua taxa de variação, conforme pode ser visto no gráfico do release.
 

As taxas interanuais (de novembro de 2023 em relação a novembro de 2022) apresentaram aceleração em duas das quatro cidades componentes do IVAR: Porto Alegre (de 6,17% para 6,66%) e Rio de Janeiro (de 7,91% para 9,27%). Enquanto isso, as cidades de São Paulo (de 6,19% para 5,48%) e Belo Horizonte (de 10,48% para 10,26%) registraram desaceleração em suas taxas de variação.
 

O IVAR foi desenvolvido para medir a evolução mensal dos valores de aluguéis residenciais do mercado de imóveis no Brasil.

5 motivos para o lojista da construção civil acessar um marketplace

O setor da construção civil passa por um processo de digitalização acelerada, acompanhando tendência que já impacta os mais variados segmentos da economia. De acordo com pesquisa realizada pela plataforma Prospecta Obras, sobre uma amostra de mais de 10 mil cadastrados, entre lojas de insumos, construtoras e prestadores de serviços, o percentual de empresas que não tinham presença digital ativa, de 2020 a 2021, caiu de 73% para 22%.

Os dados indicam que o período de pandemia, que colocou a economia na quarentena, foi fundamental para o setor pisar no acelerador da transformação digital. E, conforme tendência observada em outros mercados, trata-se de um processo irreversível, com efeitos imediatos sobre a produtividade e o PIB do segmento.

Além da conectividade impactar o canteiro de obra em favor de construtoras e incorporadoras, ela tem contribuído para organizar a vida do comércio varejista de materiais de construção, sobretudo no que se refere à gestão e renovação de estoques. É nesse contexto que plataformas que operam no formato de marketplace (shopping virtual) se estabelecem como canais eficientes para suprimir necessidades básicas do lojista, intermediando sua relação com a indústria de construção civil.

Para compreender as vantagens da tecnologia no dia a dia do varejista, Nathalie Ouchi, que é CPO da startup Juntos Somos Mais, Joint Venture da Votorantim Cimentos, Tigre e Gerdau, que atua na digitalização e na propagação de benefícios para o setor da construção civil, listou cinco motivos para conectar uma loja de materiais de construção a esse ambiente digital. Veja a seguir:

1. Aproximação com a indústria

Uma das maiores vantagens para o varejista que pluga sua loja em uma plataforma de marketplace da construção civil é ficar conectado com as principais marcas fornecedoras do mercado. Dessa forma, o lojista estará sempre atualizado das novidades referentes a lançamentos e ainda poderá conhecer todas as linhas de produtos oferecidas por essas empresas parceiras da Loja Virtual. Além disso, tudo se torna mais consultivo, e o vendedor pode frequentar o ambiente digital para tirar dúvidas e tratar de outros assuntos.
 

2. Sortimento de itens

Como no ambiente online não há limite de espaço nas prateleiras de ofertas digitais, outra grande vantagem para o vendedor de materiais de construção é a infinidade de produtos disponíveis para pesquisa e compra. Além disso, ele pode aproveitar promoções para adquirir mix de produtos e, assim, reforçar estoques em vias de esvaziamento.

3. Insights para compras

O uso de Inteligência Artificial (IA) permite que o marketplace faça recomendações personalizadas a partir do histórico de buscas e do comportamento de compra do vendedor na loja virtual. A tecnologia também pode informar o varejista sobre itens com a melhor performance em lojas concorrentes, a partir do cruzamento de dados gerados por compras no ambiente digital.

4. Programas de fidelidade

Um grande benefício para os compradores de marketplaces de materiais de construção é o cadastramento em programas de fidelidade, que oferecem recompensas em troca do acúmulo de pontos por compras. Dessa maneira, a cada nova aquisição, o lojista reúne pontos para futuramente resgatar e trocar por cupons de desconto ou por uma variedade de prêmios e serviços que podem impactar diretamente no dia a dia do seu trabalho.

5. Comodidade e praticidade

O consumidor de um marketplace B2B (isto é, voltado para os negócios) ainda é beneficiado pelo conjunto de comodidades e praticidades que já embalam a experiência de compra em e-commerces e marketplaces com foco no consumidor final. Dessa maneira, o usuário que cadastra o CNPJ de seu estabelecimento comercial passa a desfrutar do conforto da compra sem sair da loja, a qualquer dia e a qualquer hora, tem acesso a inúmeras formas de pagamento e entrega quando compra, e ainda pode acompanhar o status de cada um dos bens adquiridos em tempo real, facilitando, assim, a gestão financeira e fluxo de caixa da loja.

Entre os Jardins e Pinheiros, LIZZ 177 surpreende pela localização e arquitetura

Fruto da parceria entre a SKR e a One Innovation, o projeto é assinado pelo escritório de arquitetura Andrade Morettin, integrando a sofisticação e a pluralidade de dois bairros cobiçados em São Paulo

Em mais um projeto que propõe um jeito novo de viver em São Paulo, a SKR lança o empreendimento LIZZ 177, em parceria com a One Innovation. A exclusividade começa na escolha do local, permitindo ao morador viver em uma localização tranquila, ao lado da pluralidade de Pinheiros e da sofisticação dos Jardins. A arquitetura, assinada pelo escritório Andrade Morettin, cumpre o papel de conectar dois polos, em que o bem-estar e a vibração se encontram na Rua Lisboa, 177, como um elo que articula as diferenças de maneira harmônica e acolhedora.

O LIZZ 177, projeto de torre única, possui apenas 40 unidades, de 182 m², com a possibilidade de escolha entre três suítes ou quatro dormitórios (com duas suítes), além de duas coberturas duplex de 312 m².  A entrega do empreendimento está prevista para 2027.

Com o LIZZ 177, a SKR e a One Innovation cumprem o objetivo de materializar uma visão, que vai além da entrega de um empreendimento, convidando para uma nova experiência de viver. “O LIZZ representa algo único na cidade. É a união da tranquilidade dos Jardins e a criatividade de Pinheiros. Do alto, o verde e o sossego. A pé, a arte e a vibração. São duas almas urbanas que agora se fundem em um ponto único. E da convergência, vem a coexistência.Na integração dos dois bairros, há o resumo da pluralidade de São Paulo”, explica Silvio Kozuchowicz, CEO da SKR.

“Estamos muito orgulhosos de participar do desenvolvimento deste projeto junto com a SKR”, diz Paulo Petrin, vice-presidente da One Innovation. Será um verdadeiro marco no bairro de Pinheiros, trazendo modernidade e beleza arquitetônica a uma das melhores ruas do bairro, inserida entre Pinheiros e o Jardins. Temos certeza de que, quando pronto, o LIZZ será um dos melhores edifícios da região, com alto potencial de valorização”, afirma.

Visualmente, o LIZZ 177 apresenta uma estética que projeta um divertido jogo de elementos gráficos em forma de painéis coloridos, dispostos em toda a estrutura do edifício e adicionados de forma leve, dialogando entre a tradição, a modernidade e o urbanismo.  Vinicius Andrade, do Andrade Morettin Arquitetos Associados, referência em arquitetura contemporânea no Brasil e no exterior, explica que a volumetria do edifício foi fracionada, visando manter a harmonia do local e com o objetivo de oferecer a melhor experiência ao morador. “O primeiro bloco, mais horizontal, segue o gabarito da Rua Lisboa, onde o LIZZ se insere, em uma escala que transmite a sensação de bairro local, marcado pelas lajes e com muito jardim, dialogando com a arborização. Já no segundo bloco, separado por um piloti, há uma torre vertical, que não impacta na harmonia da rua, mas garante vistas únicas e privilegiadas da região”, complementa.

Para materializar o dinamismo estimulado na forma de viver proposta pelo projeto, no térreo, o lounge externo é marcado pelo paisagismo, em harmonia com a arquitetura, com generosos jardins internos, proporcionando a perfeita integração com a arborização do bairro. Na área de convivência, há ainda espaço kids e espaço gourmet, lounge festas e lounge coworking.

No quinto pavimento, o LIZZ oferece uma área de lazer elevada, com piscina integrada à sauna, SPA, solarium, espaço churrasqueira e espaço fitness, com terraço, que estimula a experiência de bem-estar ao ar livre.

O design de interiores é de autoria do Superlimão Studio, que desenhou as áreas de convivência de forma integrada. “Pensamos na convivência das pessoas e no estímulo do uso das áreas comuns. Por isso, projetamos os ambientes para atender às necessidades de diferentes perfis de moradores, buscando a otimização de áreas flexíveis para ocupação em horários variados”, conta Thiago Rodrigues, sócio do Superlimão Studio, que valoriza a conexão do interno e do externo em cada ambiente. Como referência, foram usados amplos caixilhos para integrar os espaços e trazer luz natural, separando os ambientes sem restringir, aumentando a sensação de amplitude.

No paisagismo, o verde divide o protagonismo com a arquitetura. O projeto é assinado por Rodrigo Oliveira, que buscou oferecer um verdadeiro oásis de mata dentro da cidade. “Nossa proposta foi a vegetação adentrar o edifício e transbordar dos terraços, criando ambientes agradáveis para os moradores, com um cenário que pode ser enquadrado a partir de vários pontos de vista, trazendo uma mistura de verdes e de texturas para os espaços comuns do prédio”, afirma Oliveira.