Category Mercado Imobiliário

Financiamento recorde e queda de preços fazem venda de imóvel usado crescer 20%

A ampliação dos financiamentos bancários ao maior nível dos últimos quatro meses e uma queda de preços que também é recorde no ano fizeram com que o mercado de imóveis usados da Capital paulista crescesse 20,04% em abril comparado a março. A participação dos financiamentos chegou a 54,53% do total de casas e apartamentos vendidos e os preços médios do metro quadrado desses imóveis foram 21,64% menores que os de março.

Os números foram apurados em pesquisa feita com 277 imobiliárias da Capital pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Crecisp). Elas venderam em Abril 78,65% dos imóveis em apartamentos e 21,35% em casas. Apesar de superadas pelos financiamentos, as vendas à vista tiveram forte participação nesse mercado, com 46,07% do total.

Os imóveis usados mais vendidos na Capital em abril foram os de preço final até R$ 400 mil, que representaram 53,93% do total de unidades negociadas pelas imobiliárias pesquisadas. A maioria desses imóveis (73,03%) era de padrão construtivo médio e foram vendidos com descontos sobre os preços originalmente pedidos pelos proprietários variando de 14,33% para aqueles situados em bairros da Zona A, como os Jardins, a 6,92% em bairros da Zona D, como Penha e Pirituba.

“Apareceu o crédito, surgiu o comprador”, resume José Augusto Viana Neto, presidente do CreciSP. Ele reforça o destaque que tiveram os financiamentos bancários em abril com outros dois fatos registrados pela pesquisa: “Ao contrário do que ocorre em todos os meses, neste não foi registrada nenhuma venda por meio de carta de consórcio e também não houve venda feita com pagamento parcelado pelos donos dos imóveis”, ressalta.

O crescimento da venda de imóveis usados é importantíssimo, segundo Viana Neto, porque “faz a roda do mercado imobiliário girar, levando dinheiro do segmento de usados para o de novos, tal como acontece no mercado de automóveis”. Para gerar empregos, renda e movimentar a Economia, no que chama de “círculo virtuoso da casa própria”, o presidente do CreciSP defende que o governo federal se preocupe em “aumentar o volume de financiamentos com juros menores e prazos maiores ao invés de propor a criação de mais impostos sobre a venda dos imóveis”.

Viana Neto se diz preocupado com a ideia da Receita Federal de criar uma taxa para atualizar o valor dos imóveis lançados na declaração do Imposto de Renda para, supostamente, reduzir o imposto de 15% recolhido sobre o lucro quando se vende o imóvel. “É uma ameaça a todo o mercado imobiliário, traz incerteza e insegurança a milhões de brasileiros que já têm seu imóvel próprio e por isso o governo precisa explicar detalhadamente como pretende aumentar a arrecadação sem aumentar a carga tributária sobre os donos de imóveis”, adverte.

Locação residencial

cresce 2,88% em Abril

A locação de casas e apartamentos na cidade de São Paulo cresceu 2,88% em abril comparado a março. Foi a segunda alta consecutiva no número de imóveis alugados, elevando o acumulado nos primeiros quatro meses do ano a 32,75% segundo os resultados apurados mensalmente pelo CreciSP.

Em abril, as 277 imobiliárias pesquisadas alugaram 54,74% do total em apartamentos e 45,27% em casas. Quase a metade desses imóveis (48,27%) tem aluguéis mensais de até R$ 1.200,00. Segundo a pesquisa, os aluguéis novos aumentaram em média 3,51% em relação a março.

Os descontos concedidos pelos proprietários sobre os valores iniciais dos aluguéis variaram de 14,59% para os situados em bairros da Zona A, como os Jardins e Vila Nova Conceição, a 7,91% para os localizados em bairros da Zona B, como Aclimação e Alto da Lapa.

A pesquisa CreciSP apurou que o aluguel que mais aumentou no período foi o de casas de 2 dormitórios também localizadas nos bairros agrupados na Zona B – o aluguel médio subiu 31,52%, de R$ 1.606,25 em março para R$ 2.112,50 em abril.

O aluguel médio que mais baixou foi o de apartamentos de 1 dormitório em bairros da Zona A, que foram alugados em média por R$ 1.876,92 em março. Esse preço baixou 33,02% em abril, com o aluguel desse tipo de imóvel custando em média R$ 1.257,14.

Os descontos que os proprietários concederam para alugar suas casas e apartamentos foram em média de 14,59% nos bairros da Zona A; de 7,91% na Zona B; de 9,97% na Zona C; de 9,91% na Zona D; e de 10,67% na Zona E.

O depósito de valor equivalente a três meses de aluguel superou em abril (presença em 35,24% dos contratos novos) o fiador (com 33,73% de participação) como principal modalidade de garantia da locação em caso de inadimplência dos inquilinos.

Segundo a pesquisa CreciSP, as outras formas de fiança adotadas foram a caução de imóveis (7,22%), a locação sem garantia (1,94%) e a cessão fiduciária (2,05%).

Inadimplência e devolução

A inadimplência nas 277 imobiliárias pesquisadas em abril pelo CreciSP foi a 5,07% do total de contratos em vigor, um aumento de 6,29% sobre o índice de 4,77% registrado em março.

Inquilinos que tinham contrato em vigor devolveram às imobiliárias consultadas as chaves de casas e apartamentos, por motivos como mudança (57,41%) e dificuldades financeiras (32,59%). Esse número equivale a 82% do total de novas locações, índice 1,17% maior que o de março, de 81,05%.

O número de ações judiciais propostas nos Fóruns da Capital ficou praticamente estável, registrando variação negativa de 0,13% em abril sobre março. Levantamento feito pelo CreciSP apurou que foram ajuizadas 2.351 ações de todos os tipos em abril, número que em março foi de 2.354.

Diminuíram as ações renovatórias de aluguel (- 22,45%, de 98 para 76); as de rito sumário (- 2,55%, de 942 para 918); e as consignatórias (- 54,55%, de 11 para 5). Aumentaram as ações de rito ordinário (+ 12,28%, de 57 para 64) e as propostas por falta de pagamento (+ 3,37%, de 1.246 para 1.288).

Tags, ,

CBRE participa do Fórum Infra de Condomínios Corporativos

A CBRE, consultoria líder mundial em real estate, anuncia participação no 1º Fórum de Facility e Property Management para Condomínios Corporativos, do qual a empresa também será Patrocinadora Master. O evento, que será realizado entre os dias 28 e 29 de maio, é excelente oportunidade para entender sobre a operação dos serviços, infraestrutura e inteligência predial dos ativos físicos, o que é fundamental para os especialistas da área de contratação de serviços em condomínios corporativos.

No dia 29, às 16h30, o Diretor de Operações da CBRE, Alessandro do Carmo, ministrará a apresentação “Recertificado LEED EBOM Nível Platinum – case Edifício Comendador Yerchanik Kissajikian (CYK), onde tratará sobre a importância da excelência na gestão predial/condominial para a certificação LEED EBOM GREEN, GOLD e PLATINUM. O palestrante comentará sobre os desafios, adaptação de processos, aplicação de novas normas e procedimentos, além de abordar a conquista, manutenção e upgrade de categoria de qualificação no selo EBOM.

Alessandro do Carmo é Diretor de Operações – Property Management & Building Consulting – Graduado em Engenharia pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. Pós-graduado em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas. Está na CBRE desde 2000 e já atuou em diferentes segmentos da Gestão Predial como, por exemplo, Gerente de Planejamento, Gerente de Implantação, Gerente Regional de Operações, Consultoria em Projetos Operacionais de novos Condomínios.

Tags, ,

Fintech de crowdfunding imobiliário abre rodada de investimento para captação própria

Perto de completar um ano, a Glebba Investimentos, primeira e única fintech do Brasil a fazer crowdfunding imobiliário para viabilizar a construção de loteamentos, se prepara para captar R$ 400 mil por meio de ECF (equity crowdfunding), na plataforma StartMeUp. O objetivo da empresa com os recursos é fazer melhorias na plataforma, contratar novos funcionários, investir em marketing e expandir ainda mais seus negócios.

Diante de um cenário extremamente aquecido, a startup planeja captar R$ 20 milhões em 15 projetos de loteamento, além de aumentar a base para 15 mil usuários cadastrados, em 2019. Hoje, a fintech tem dez novas contas de usuários abertas por dia.

Segundo Francisco Perez, sócio fundador da startup, a expectativa é captar 100% em um mês para iniciar os investimentos, principalmente na área de tecnologia. “Queremos entregar uma solução de ponta, permitindo que todas as etapas do investimento sejam feitas online e com segurança. Por isso, vamos aumentar nosso capital de giro e trazer mais visibilidade para a marca”, explica o empreendedor.

Para participar do crowdfunding, é preciso ter mais de 18 anos. Os interessados podem realizar o cadastro na plataforma e o investimento inicial é de R$1 mil.

A Glebba oferece produtos nos quais o investidor não precisa de grandes quantias para aplicar o dinheiro. Para investir nos loteamentos pela fintech é preciso preencher alguns requisitos mínimos e as vantagens a médio prazo são melhores que as oferecidas nas tradicionais cadernetas de poupança e fundos de renda fixa, como CDI, por exemplo

Os investidores ainda podem acompanhar o desempenho do seu investimento pela plataforma e, ao final do prazo, o valor investido e rentabilidade serão devolvidos à conta bancária informada no cadastro.

Para saber mais sobre a Glebba ou investir em uma das ofertas da fintech, acesse: http://glebba.com.br/.

Tags, , ,

Casafy é patrocinadora do Startup Weekend Construtech

 A tecnologia vem possibilitando a inovação em diversos segmentos do mercado, incluindo o setor imobiliário. Nesse contexto, para estimular o crescimento do mercado, a Casafy – portal de vendas e aluguel de imóveis e antiga Properati Brasil – é uma das patrocinadoras do Startup Weekend Construtech, que acontece entre 24 e 26 de maio, em São Paulo. Nesta edição, o foco é mercado imobiliário e indústria de construção.

O objetivo do evento é potencializar a inovação e o empreendedorismo. Durante os três dias, com o uso da metodologia From Zero to Hero (de zero para herói), os participantes poderão trabalhar na criação de soluções tecnológicas inovadoras, para a resolução de problemas identificados no mercado. Tudo em um fim de semana intenso sob a orientação de mentores experientes, entre fundadores de startups de sucesso e experts do mercado.

Segundo o CEO da Casafy, Renato Orfaly, apoiar este tipo de iniciativa é essencial para promover o encontro de pessoas com diferentes conhecimentos e habilidades, dispostas a criar novas ideias e soluções para o mercado imobiliário. “Isso vem ao encontro com a visão e missão da Casafy, de trazer para o usuário final a melhor experiência na busca do seu próximo imóvel”, explica. O executivo também acredita que durante o Startup Weekend o ambiente criará novos negócios, “que futuramente poderão se tornar parceiros da Casafy”.

As inscrições podem ser feitas pelo link: bit.ly/SWConstrutech e os ingressos também incluem a alimentação durante os dias de realização, materiais necessários à participação e brindes exclusivos.

Serviço

Evento: Startup Weekend Construtech

Data: 24, 25 e 26 de maio

Local: Okara Hub (Condomínio Torre Sul, R. James Joule, 65 – 8º andar Cidade Monções – SP)

Quanto: R$ 110,00 (primeiro lote); R$ 120,00 (segundo lote); R$ 170,00 (último lote)

Tags, ,

Gafisa renova certificados de qualidade ISO 9001 e SiAC PBQP-H

Durante a primeira quinzena de maio de 2019, a incorporadora e construtora Gafisa passou por uma auditoria anual, que recomendou a manutenção dos certificados que demonstram que a companhia continua zelando não só pela qualidade dos produtos e dos serviços, mas também pelo cumprimento de regulamentos, de legislações e de toda e qualquer exigência de caráter normativo. Além disso, a empresa fica apta a cumprir as exigências de instituições financeiras.

A certificação ISO 9001: 2015 garante a qualidade da gestão, dos produtos e a satisfação dos clientes da empresa; e a SiAC PBQP-H 2018 Nível A, que é específica para a construção civil, atesta a qualidade da execução das obras de edifícios. Os novos certificados deverão ser emitidos ao longo dos próximos 30 dias.

As áreas auditadas foram: Direção, Gestão da Qualidade, Vendas, Marketing, CRM, House Up (personalização de unidades), Prospecção, Suprimentos, além dos canteiros de obras dos empreendimentos Moov Espaço Cerâmica e Vila Rica.

A certificadora avaliou os procedimentos, instruções de trabalho, bem como os registros da qualidade determinados. Foram destacados como pontos fortes o comprometimento da diretoria, a organização da documentação e o engajamento dos colaboradores.

“As certificações confirmam que a Gafisa é uma das empresas mais sólidas e respeitadas do setor de incorporação e construção do país, que nunca deixou cair o seu padrão de qualidade. E a nova diretoria garantirá a melhoria contínua de nossos processos e o investimento em novas tecnologias, sempre com foco na satisfação de nossos clientes e na sustentabilidade da companhia “, afirma Roberto Portella, presidente da Gafisa.

Tags,

QuintoAndar participa da Collision Toronto para mostrar por que as pessoas não vão mais comprar casas

O QuintoAndar, plataforma de tecnologia do mercado imobiliário, vai explicar por que comprar um imóvel residencial para morar vai deixar de ser prioridade para as pessoas. André Penha, co-fundador e CTO da start-up, estará na Collision Conference de Toronto entre 20 e 24 de maio para apresentar o modelo da companhia e falar sobre tendências, como a moradia como serviço (Housing as a Service).

“As pessoas mudam cada vez mais, seja para estar mais perto de um novo trabalho, seja porque a família cresceu – e comprar imóveis para morar é incompatível com essa mobilidade”, diz Penha. “Ao resolver as dores do processo de aluguel, e olhar para outros desafios, como a qualidade dos imóveis, cada vez mais as pessoas vão preferir alugar a comprar – adquirir um imóvel residencial vai passar a ser investimento.”

O modelo do QuintoAndar tem promovido uma mudança importante no setor imobiliário brasileiro. Ao eliminar as burocracias desnecessárias e tornar o processo rápido, fácil e seguro tanto para o inquilino quanto para o proprietário, ele atende a demanda das pessoas por maior mobilidade sem que deixem de se identificar com suas casas.

A Collision Conference é organizada pelo mesmo grupo que criou o Web Summit de Lisboa, maior evento de tecnologia do mundo. Assim como seu ‘irmão’ europeu, a Collision reúne CEOs e fundadores de grandes empresas e start-ups, investidores e mídia de mais de 120 países. O evento será realizado no Enercare Center, em Toronto – Canadá.

Tags, ,

CEO da Bossa Nova Sotheby’s Portugal vem ao Brasil para encontro com investidores

‘Somente no último ano 22,4 mil pessoas fizeram declaração definitiva de saída do Brasil, segundo a Receita Federal e muitos desses escolheram Portugal para viver. O perfil do imigrante mudou, são famílias de classe média e alta em busca de qualidade de vida e de fugir dos problemas sociais e políticos atuais. Quem investir pelo menos €500 mil em Portugal na compra de imóveis já tem direito ao visto europeu, o que também se tornou muito atrativo para os brasileiros. Porém muitas pessoas ainda têm dúvidas de como investir em terras portuguesas e encontrar o melhor lugar para viver com sua família.

Visando responder essas questões e apresentar seu portfólio de investimentos a Bossa Nova Sotheby’s International Realty promove mais uma rodada do Conexões, um encontro entre seus clientes e investidores com Miguel Poisson, CEO da BNSIR Portugal, que acontece nos dias 29 e 30 de maio. O executivo vai falar sobre o país como oportunidade de diversificação nos investimentos e da estimativa de crescimento na casa dos 10%. “Estamos trazendo o Miguel Poisson para apresentar um panorama atualizado das oportunidades por lá. A procura por negócios na região tem crescido, seja para sortimento de investimento ou para morar e ninguém melhor do que um especialista no mercado local para mostrar porquê Portugal é uma ótima opção”, explica Marcello Romero, CEO da Bossa Nova Sotheby’s International Realty no Brasil.

Serviço – Conexões
Data: 
29 e 30 de maio
Local: Bossa Nova Sotheby’s International Realty – Alameda Gabriel Monteiro da Silva, 2.027 – Jardim América 
Telefone: +55 11 3061-0000

Tags, , ,

Loft chega ao mercado com aporte de R$ 340 milhões de fundos globais

A Loft, plataforma digital que utiliza a tecnologia para simplificar a compra e venda de apartamentos, chega ao mercado com o apoio financeiro de renomadas firmas globais de venture capital. A empresa já soma a captação de R$ 340 milhões em aportes financeiros de fundos da Canary, Andreessen Horowitz, Thrive Capital, Monashees, QED Investors, Fifth Wall, além de vários investidores anjos globais.

Fundada por sete empreendedores, entre eles Mate Pencz e Florian Hagenbuch, criadores da plataforma de serviços gráficos on-line Printi, a Loft busca conferir mais transparência e eficiência ao processo de compra e venda de imóveis. “Queremos ajudar a organizar o mercado imobiliário e torná-lo mais moderno e tecnológico, entregando uma experiência que seja benéfica para todos os atores envolvidos nesse ramo, seja o vendedor, o comprador ou o corretor”, afirma Pencz, co-CEO da empresa.

Por meio da plataforma digital, o proprietário ou um corretor de imóveis pode disponibilizar um apartamento para venda. Um questionário rápido deve ser respondido para a coleta de informações iniciais. Na sequência, uma visita ao local é realizada para avaliação das condições físicas e estruturais da propriedade, e informações de apartamentos similares da região também são avaliadas. “Todos esses dados são colocados em nosso sistema para que seja possível chegar a um valor justo de oferta. O processo leva no máximo alguns dias, até que a venda seja concluída e o proprietário esteja com o dinheiro em mãos”, explica.

Após a aquisição pela Loft, todos os imóveis passam por uma revitalização antes de serem disponibilizados para a venda na mesma plataforma. O objetivo é facilitar a jornada de compra de uma nova casa, que muitas vezes envolve a reforma do local escolhido. “Queremos ser um facilitador e um parceiro de confiança daqueles que estão pensando em adquirir ou trocar de casa. Esse processo costuma ser longo e por vezes, quando concluído, já não é mais suficiente para suprir as necessidades da família. Com a Loft, o cliente pode resolver tudo em um só lugar, inclusive ofertando seu imóvel como valor de entrada para a compra de uma nova casa, com a comodidade de o imóvel já estar pronto para a mudança”, complementa Pencz.

Hoje a empresa atua na avaliação de imóveis nos bairros Jardim América, Jardim Paulista e Itaim Bibi e deve avançar para mais sete bairros em São Paulo até o final de 2019, além de já mirar as principais capitais do Brasil. “A previsão é que teremos pelo menos R$ 2 bilhões em estoque para vender e, a partir de novembro, já estaremos no ritmo para escoar esse estoque nos 12 meses subsequentes”, conclui. Atualmente a empresa possui 140 funcionários, incluindo as áreas de tecnologia, dados, marketing, finanças e operações, e outras 90 vagas estão abertas.

Tags,

Empresa lança mais de R$ 50 bilhões em VGV com inteligência de pesquisa

O sonho da casa própria é a prioridade da maior parte dos brasileiros. No último ano, o setor lançou 97 mil novas unidades residenciais e, segundo o Secovi-SP, o otimismo para esse ano também é de crescimento com estimativa de vendas que indica elevação entre 5% e 10%, se comparado com o ano passado.

Toda essa expectativa positiva já é acompanhada há 20 anos pela Datastore, empresa que realiza pesquisas para incorporação e desenvolvimento de projetos e aponta tendências do setor imobiliário e as mudanças de comportamento do consumidor em diversas categorias de imóveis espalhados por todo o Brasil.

Com a proposta de oferecer pesquisas que trazem um panorama do mercado imobiliário, a Datastore se consolidou no mercado com inteligência de dados. “Já lançamos mais de R$ 50 bilhões em VGV de todas as categorias e com inteligência de mercado. São mais de mil cidades pesquisadas em todo Brasil. Nossos dados definem com antecedência todas as necessidades da área, inclusive o produto ideal para potencializar a rentabilidade”, conta Marcus Araujo, CEO e fundador da empresa.

Ainda de acordo com ele, a Datastore realizou mais de 3.500 pesquisas para mais de 500 empresas por todo o território nacional.”Nos últimos 25 anos, construtoras e incorporadoras pediram pesquisas, encomendaram coletas à medida da necessidade do produto que será lançado ou do projeto a ser implementado.

Por ano, em média, são feitas 40 mil entrevistas, salientando a importância e necessidade da criatividade, inovação e informação estratégica para os empreendedores imobiliários, além disso, já acumulamos R$ 555 bilhões de produtos que fomos a campo para testar o projeto, sob encomenda de construtoras” conta Araujo.

Hoje, a empresa é referencia nacional em análise de demanda e viabilidade e líder em inteligência para o segmento imobiliário.Outra solução desenvolvida pela Datastore é o modelo “Sucessometria”, que foi desenvolvido através de um algoritmo de pesquisa de mercado que revela os números decisivos para o sucesso de um lançamento de empreendimento – “Nossos dados definem o preço do m² ideal de lançamento imobiliário para que o empreendimento atinja o seu potencial máximo, o melhor projeto e a estratégia perfeita de lançamento para alcançar a meta de velocidade de vendas pretendida, além de prever com antecedência todas as necessidades do mercado, inclusive o produto ideal para potencializar a rentabilidade”, salienta Araújo.

A oferta de produtos da Datastore forma um leque amplo voltado para o setor imobiliário como pesquisas, que incluem região e público, landbank e estoque, além do desenho de mapa de oportunidades e monitoramento de performance de concorrentes.

Tags, ,

Mercado imobiliário mantém resultados positivos em março em São Paulo

A Pesquisa do Mercado Imobiliário do Secovi-SP (Sindicato da Habitação) apurou no mês de março de 2019 a comercialização de 2.987 unidades residenciais novas na capital paulista. O resultado foi 37,3% superior às 2.176 unidades vendidas em fevereiro e ficou 14,3% acima das vendas de março de 2018 (2.613 unidades).

No acumulado de 12 meses (período de abril de 2018 a março de 2019), foram vendidas 30.961 unidades – aumento de 15,8% em comparação ao mesmo período de 2018, quando as vendas totalizaram 26.729 unidades. A cidade de São Paulo encerrou o mês de março com a oferta de 20.376 unidades disponíveis para venda.

Lançamentos – De acordo com dados da Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio), em março, o total lançado atingiu 2.081 unidades residenciais, resultado 139,2% superior ao mês de fevereiro (870 unidades) e 32,9% acima do volume de março de 2018 (1.566 unidades).

No acumulado de abril de 2018 a março de 2019, foram lançadas 37.706 unidades residenciais na capital paulista, 19,8% acima do registrado no mesmo período do ano anterior, com 31.476 unidades.

Imóveis econômicos – Em março, foram vendidas 1.038 unidades de imóveis econômicos e apenas 22 unidades lançadas. A oferta totalizou 5.825 unidades disponíveis para venda, com indicador VSO (Vendas Sobre Oferta) de 15,1%.

Nos outros segmentos de mercado, foram comercializadas 1.949 unidades no mês e lançadas 2.059 unidades, com oferta final de 14.551 unidades e VSO de 11,8%.

Conclusão – O aumento no volume de vendas e lançamentos de março contribuiu para que o mercado encerrasse o primeiro trimestre do ano com resultados positivos. No período, a comercialização de imóveis na cidade de São Paulo totalizou 6.785 unidades, representando um crescimento de 17,9% em relação ao primeiro trimestre do ano passado (5.753 unidades). Os lançamentos foram 21,98% superiores quando comparadas as 3.237 unidades deste ano com as 2.655 unidades do mesmo período de 2018.

O maior aumento percentual foi percebido no VGL (Valor Global Lançado). Houve crescimento real (descontado o INCC-DI) de 23,1% no período, quando se comparam o total de R$ 1,717 bilhão lançados no trimestre inicial de 2019 com R$ 1,395 bilhão do mesmo período de 2018.

O crescimento do VGL reflete a queda de 79,5% no volume de lançamentos de imóveis econômicos neste primeiro trimestre (217 unidades) em comparação ao mesmo período do ano passado (1.056 unidades). A retração deste tipo de imóvel nos três primeiros meses do ano foi compensada pelos lançamentos de 3.020 unidades de médio e alto padrão, um aumento de 88,9% comparado às 1.599 unidades lançadas nos três primeiros meses de 2018.

Para Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi-SP, o desempenho do mercado de alto e médio padrão no primeiro trimestre representa um bom sinal. “Esse comportamento demonstra que as empresas estão no caminho certo, buscando alternativas para atender a demanda”, diz.

Contudo, o vice-presidente de Incorporação e Terrenos Urbanos da entidade, Emilio Kallas, adverte que estão esgotando os terrenos para os lançamentos de novos empreendimentos na Capital e aqueles que estão disponíveis apresentam uma série de restrições urbanísticas, inviabilizando novos projetos. “Esse movimento exerce forte pressão nos preços das unidades, que tendem a aumentar. Há muito tempo, temos alertado sobre a necessidade de calibragem da Lei de Zoneamento da cidade de São Paulo, medida indispensável para que os empreendedores imobiliários atuem dentro da sua capacidade produtiva, gerem uma enorme quantidade de empregos e ofertem produtos compatíveis com as condições de pagamento da demanda”, reitera.

Além dos aspectos citados por Kallas, o presidente do Secovi-SP, Basilio Jafet, acrescenta que a produção de empreendimentos residenciais exerce importante papel no aquecimento da economia como um todo. “A indústria imobiliária é um dos setores produtivos que mais geram empregos e renda no País. Movimenta uma extensa cadeia, que vai de insumos para a construção até os itens básicos para mobiliar uma casa, para dizer o mínimo”, lembra. “Consequentemente, também gera impostos para os cofres públicos.”

Jafet destaca ainda ser imperativo e urgente a aprovação da Nova Previdência neste primeiro semestre, a fim possibilitar ao governo equilibrar as contas públicas e estimular o retorno dos investimentos. “Somente assim, será possível assegurar condições mais favoráveis para o crescimento e o desenvolvimento econômico brasileiro, bem como permitir que nosso setor volte a produzir em sua capacidade máxima”, conclui.

Confira a pesquisa completa do Secovi-SP, que traz informações do mercado imobiliário da Região Metropolitana de São Paulo.

Tags, ,