4 em cada 10 brasileiros aumentaram a busca por imóveis no Brasil durante o período mais crítico da pandemia, revela DataZAP

4 em cada 10 brasileiros aumentaram a busca por imóveis no Brasil durante o período mais crítico da pandemia, revela DataZAP

A 4ª rodada da “Pesquisa da Influência do Coronavírus no Mercado Imobiliário Brasileiro” realizada pelo DataZAP, braço de inteligência imobiliária de ZAP+, revela que neste momento 4 em cada 10 brasileiros aumentaram a busca por imóveis no Brasil, reforçando o aquecimento do setor, mesmo durante o período mais crítico da pandemia. No mesmo período de 2020, esse número era de 4 em 100 pessoas.

O levantamento é o maior do setor imobiliário e tem como objetivo detalhar o comportamento e expectativas dos diversos agentes do mercado por meio de entrevistas realizadas com cerca de três mil pessoas, incluindo consumidores e profissionais de imobiliárias, incorporadoras e também corretores.

A parcela de pessoas que declarou que “aumentou muito a busca” por imóveis cresceu expressivamente na rodada atual: 17 pontos percentuais, passando de 2% em abril de 2020 para 19% em março de 2021. Enquanto que a parcela de pessoas que afirmou que “diminui muito a busca” caiu 47 pontos percentuais.

“Os resultados sinalizam que a moradia ganhou um novo significado. Ao passar mais tempo em suas casas, inclusive com a adoção do home office, os consumidores passaram a ter novas preferências e desejos por residências com características diferentes. Além disso, os juros baixos e a disponibilidade de crédito imobiliário foram decisivos para estimular a demanda”, explica Danilo Igliori, economista do DataZAP.

O estudo também perguntou aos usuários sobre o nível de isolamento social que eles estavam adotando no início da pandemia e no momento atual. A coleta de respostas ocorreu em março de 2021, logo após o agravamento da pandemia no país, e os resultados coincidem com uma maior adesão às restrições de circulação. Da mesma forma que aumentou em 10 pontos percentuais a parcela de respondentes dizendo sair de casa somente quando necessário, caiu em 10 pontos a fatia que diz viver normalmente, sem alterações no dia a dia.

Por outro lado, apesar de 53% terem declarado que só saiam de casa “para serviços essenciais”, 57% dos respondentes também disseram ter visitado presencialmente um imóvel, estande de vendas ou apartamento decorado nos últimos três meses.

“É curioso notar que mesmo com o agravamento da pandemia no país, as visitas presenciais foram relevantes e a demanda por imóveis se intensificou”, comenta Igliori.

Sobre a pesquisa

A 4ª onda da pesquisa do DataZAP foi realizada entre os dias 15 e 22 de março de 2021, logo após o agravamento da pandemia. E contou com respostas de 2.224 usuários dos portais ZAP Imóveis e Viva Real residentes das regiões metropolitanas do Brasil. A margem de erro é de 2 p.p. considerando nível de confiança de 95%.

O mesmo levantamento tinha sido realizado anteriormente em três momentos, permitindo a comparação dos resultados: entre 24 a 29 de março de 2020 (1ª onda), de 27 de abril a 05 de maio de 2020 (2ª onda), e de 29 de maio a 7 de junho de 2020 (3ª onda).

Comments are closed