Eternit encerra melhor semestre em venda de telhas desde 2016

Eternit encerra melhor semestre em venda de telhas desde 2016

A Eternit S.A. (ETER3) – companhia especializada no fornecimento de matérias-primas, produtos e soluções para o setor de construção civil, e líder de mercado no segmento de coberturas – apresentou, nesta terça-feira, 10, relatório financeiro sobre o exercício do segundo trimestre de 2021.

A empresa manteve no período o bom desempenho operacional e financeiro alcançado no trimestre anterior, anunciando ampliação da capacidade total instalada de telhas, novos recordes de vendas desde 2016, o início da comercialização das telhas fotovoltaicas da linha Tégula para clientes parceiros e a diminuição expressiva das dívidas concursais.

Neste trimestre, a companhia atingiu Lucro Líquido de R$ 60 milhões, alcançando um impressionante salto de 375% na comparação com o mesmo período do ano anterior (2T20), quando o Lucro Líquido ficou em R$ 12,5 milhões.

No acumulado do semestre, o Lucro Líquido totalizou R$ 118 milhões, revertendo o quadro deficitário observado no mesmo período de 2020. 

A Receita Líquida da companhia manteve a tendência de alta, apresentando um crescimento de 6% frente ao 1T21, totalizando R$ 287,3 milhões. No semestre, o valor chega a R$ 557,6 milhões, superior em 121% frente ao 1S20.

O destaque do trimestre foi novamente o resultado do negócio de fibrocimento, que atingiu um volume de vendas de 182 mil toneladas no período e de 740 mil toneladas no acumulado dos últimos 12 meses, com as unidades operando com elevada taxa de ocupação.

Mesmo com a alta nos preços de seus principais insumos de produção, a margem bruta apurada pelo montante dos negócios da Eternit foi de 46% no 2T21, mantendo-se no mesmo patamar dos últimos dois trimestres, proporcionando um EBITDA de R$ 89 milhões, 8% acima do resultado do 1T21, e acumulando no ano R$ 171 milhões.

“Destacamos o crescimento do volume de vendas e preços do segmento de fibrocimento. Devido ao mercado interno, que se manteve muito aquecido, mantivemos uma margem bruta de 46%, o que proporcionou um EBITDA Ajustado (excluídos os eventos não recorrentes) no 2T21 de R$ 91,2 milhões”, revela Luís Augusto Barbosa, presidente da Eternit. Este valor supera em R$ 6,2 milhões (+7,4%) o EBITDA Ajustado registrado no 1T21, acumulando R$ 176 milhões no ano.

Ao longo do segundo trimestre, a companhia também concluiu a chamada de capital para aquisição da Confibra, que resultou na emissão de 10.101 mil novas ações ordinárias, totalizando um aumento em seu capital social de R$ 110 milhões. “As atividades de due diligence foram concluídas neste trimestre e, no momento, estão sendo discutidos os termos do SPA (Sale and Purchase Agreement). Essa aquisição é extremamente estratégica, pois atenderá diretamente o Estado de São Paulo, maior consumidor de telhas de fibrocimento do país”, informa o executivo. Somando-se a conclusão dos processos de modernização das fábricas de Goiânia e do Rio de Janeiro, a Eternit espera aumentar sua capacidade total instalada em 30% até o início de 2022. 

No segundo trimestre deste ano, foi apresentada uma redução de 54% no endividamento bruto frente ao fechamento do mesmo período de 2020, totalizando R$ 44,5 milhões, montante que se refere à parcela da dívida concursal junto a instituições financeiras (Classes II e III). Considerando a chamada de capital para a aquisição da Confibra, o Caixa Líquido da Eternit encerra o período em posição confortável, de R$ 152 milhões.

Telhas

A margem bruta do segmento de fibrocimento, que considera a produção integrada de fibra de polipropileno, alcançou 41% no 2T21, ligeiramente acima do resultado verificado no 1T21. A margem bruta acumulada no semestre, de 40%, representou um aumento de 25% frente ao primeiro semestre de 2020.

O volume de vendas de telhas no 2T21 totalizou cerca de 179 mil toneladas, superior em 26% frente ao mesmo período de 2020. No acumulado do ano, as vendas foram de 370 mil toneladas, o melhor resultado semestral desde 2016, representando um crescimento de 39% frente ao 1S20.

Já a produção de fibra de polipropileno, necessária para fabricação das telhas de fibrocimento, totalizou 3.159 t no 2T21, estabelecendo um novo recorde de produção mensal da unidade de Manaus, superando a marca de 1.000 t/mês. “A unidade vem operando a plena capacidade, tendo produção acumulada no ano alcançado 6.148 toneladas, 121% acima do 1S20”, exalta Barbosa.

Telhas fotovoltaicas

Em agosto, a Eternit também iniciará a comercialização gradual das primeiras telhas solares do Brasil. Aprovado pelo Inmetro no ano passado, o produto da linha Tégula Solar mede 36,5 cm por 47,5 cm e é composto de concreto, com a incorporação de células fotovoltaicas em sua superfície.

Sistemas construtivos

No segmento que contempla placas e painéis cimentícios, o volume de vendas no 2T21 cresceu 110% quando comparado ao 2T20 e 18% em relação ao 1T21. O volume de vendas acumulado em 2021 totalizou cerca de 6,3 mil toneladas, superior em 61% frente ao mesmo período de 2020. A partir do 2T20, o volume de vendas acumula uma taxa média de crescimento de 20% por trimestre. “Esse crescimento reforça a decisão estratégica de diversificação de produtos baseados na tecnologia de fibrocimento”, afirma o presidente da Eternit.

Recuperação Judicial

No âmbito do Plano de Recuperação Judicial, a Companhia realizou no último trimestre pagamentos no montante de R$ 92 milhões para credores da Classe III, quitando a totalidade dos créditos da Opção B e antecipando cerca de 82% do saldo dos credores da Opção A aptos para recebimento na data. Adicionalmente, a Eternit realizou o leilão judicial de alienação do imóvel de Aparecida de Goiânia, anunciando o lance vencedor de R$ 24,5 milhões. “Os recursos da alienação serão, quando liberados, destinados à quitação dos credores quirografários da Classe III, cujo saldo credor totaliza R$ 13,5 milhões, sendo o excedente de caixa destinado à operação”, informa Luís Augusto Barbosa.

Comments are closed