Category Mercado Imobiliário

Casal lança calculadora de reformas e estima crescimento de 280% em 2023

Reformar o lar é um sonho de grande parte dos brasileiros, transformando-o em um ambiente mais aconchegante e do jeito que deseja. Segundo levantamento realizado pela SA365, durante a pandemia houve um grande salto de pessoas que realizaram alguma reforma em sua casa, um aumento de 57% em 2020.

Muitas dessas pessoas realizam as reformas por conta própria, um modelo “Faça Você Mesmo” (Do It Yourself) que tem ganhado força nos últimos anos, principalmente devido à pandemia. Analisando este cenário, Fernando Neves, e sua esposa Nara Bittencourt, fundaram a Quanto Custa Reformar, uma startup que visa entregar um orçamento de reformas para quem deseja mudar seu ambiente.

“Um dos maiores problemas que as pessoas enfrentam ao reformar algum ambiente em sua casa, é a barreira do desconhecimento com esse universo. Observando que essa tendência de “Faça Você Mesmo” está em alta, desenvolvemos essa plataforma para auxiliar essas pessoas a encontrar o melhor custo-benefício para sua obra”, comenta Fernando Neves, Sócio Fundador da Quanto Custa Reformar.

O lançamento da startup ocorreu em outubro de 2022, onde fornece para seus usuários orçamentos com o melhor custo benefício baseado em suas escolhas, através de uma calculadora em seu site. Seu produto pode ser acessado de forma gratuita, e caso o cliente deseje um relatório mais detalhado, é cobrado apenas R$ 9,90, contendo orçamento, lista de material completa e as quantidades de materiais necessários para a reforma, além de um plano de ação com prazos e modelo de contrato para contratação de mão de obra.

Em pouco mais de três meses de operação, a startup já conta com mais de 12 mil usuários que acessaram a plataforma, e estimam um aumento de 100 mil clientes mensais. A empresa também planeja um crescimento de 280% para o ano de 2023.

“Observamos com muita atenção todo o cenário que envolve o setor, e vemos um potencial muito grande para que nossa base de usuários utilize nossos serviços, como já vem acontecendo. É só o começo, já temos no planejamento o lançamento de novos produtos para os nossos clientes”, diz Nara Bittencourt, CMO da Quanto Custa Reformar.

A startup já tem mapeado seus novos produtos, onde vão oferecer projetos de reformas pré-prontos de ambientes do lar, como por exemplo banheiro e cozinha.

Gafisa acumula R$ 1 bi de vendas no 4T22

A Gafisa, uma das principais incorporadoras e construtoras do Brasil, anuncia em sua prévia operacional do 4º trimestre de 2022 o crescimento na performance comercial. A empresa ultrapassou R$ 1 bi em vendas e lançamentos e encerra 2022 com forte desempenho operacional, com 39% de crescimento deste indicador em relação a 2021. Nesse trimestre, as vendas brutas atingiram R$ 337,4 milhões, aumentando 46% em comparação com o 4T21.

As vendas líquidas atingiram R$ 268,9 milhões, aumentando 36% em comparação com o 4T21. No acumulado do ano, foram R$ 890,2 milhões em vendas líquidas, representando crescimento de 53% em comparação com 2021. A aderência do mercado à estratégia da companhia se reflete nos parâmetros de venda. Os empreendimentos de médio-alto e alto padrão corresponderam a 90% das vendas líquidas no trimestre, e 82% no ano de 2022.

No 4º trimestre de 2022 foi lançado o empreendimento Cidade Jockey na cidade de São Paulo, com VGV de R$ 340 milhões. No ano foram seis empreendimentos lançados, sendo quatro na cidade de São Paulo, um no Rio de Janeiro e outro na cidade de Niterói (RJ). Com isso, a Gafisa atingiu R$ 1,070 bilhão em lançamentos no ano de 2022. Sendo R$ 811 milhões, ou 76%, na cidade de São Paulo.

Com a forte performance de vendas e recomposição através do lançamento do trimestre, o estoque foi mantido em mesmos níveis, totalizando R$ 2,135 bilhões. Os empreendimentos de médio alto e alto padrão correspondem a 85% do VGV da Gafisa e atualmente, 98% do estoque está concentrado no RJ e SP.

Conclusão de obras – No 4º trimestre de 2022, foram concluídas, com obtenção de habite-se, as obras dos empreendimentos Update Vila Mariana em SP e Atlantico no RJ, com 106 unidades e VGV equivalente a mais de R$ 173 milhões. No ano, foram 8 empreendimentos concluídos, sendo sete em SP e um no RJ, com 1.170 unidades e R$ 765 milhões em VGV.
 

Estoque – Com a performance de vendas do trimestre e o lançamento do Cidade Jockey, o estoque aumentou na margem em comparação com o 3T22, atingindo R$ 2,1 bilhões. Os empreendimentos de médio alto e alto padrão correspondem a 85% do VGV da Gafisa e atualmente, 98% do estoque está concentrado no RJ e SP.

ABF Developments apresenta seu novo empreendimento com o Monjardin

Um empreendimento arquitetônico de vanguarda chega para mudar a forma como pensamos sobre moradia e cultura, na capital dos gaúchos. Combinando inovação arquitetônica, valorização da natureza e funcionalidade, será apresentado no shopping Iguatemi, em Porto Alegre (RS), o Monjardin. Novo empreendimento da ABF Developments.

A nova etapa do lançamento acontece no Parador da Figueira Lounge & Bar Iguatemi. Um ambiente da construtora foi idealizado para apresentar o conceito do Monjardin. Com possibilidade da realização de uma experiência em 3D do empreendimento. Além disso, uma série de ações em torno do projeto Monjardin, estão sendo programadas para acontecer, durante o período do Parador da Figueira. Como meetings, cujo objetivo é interagir com temas como arquitetura inovadora, design, sustentabilidade, trazendo marcas registradas da construtora, presentes em todos os seus trabalhos.

O novo empreendimento da ABF Developments está localizado na Rua Doutor Barbosa Gonçalves, 330, Chácara das Pedras. Monjardin tem uma conexão forte com o bairro. Com apartamentos que prezam pelo conforto e bem-estar dos moradores, trazendo a sensação de estar em uma casa. Transformando não apenas a forma como vivemos, mas também, a forma como nos relacionamos com o espaço e com as pessoas ao nosso redor.

Estrutura do Monjardin

Integrar-se a natureza traz importantes benefícios à nossa vida e à saúde. O Monjardin apresenta espaços arejados, com presença marcante de janelas e portas de vidros, que permitem a entrada de luz natural e a visualização do ambiente externo. Com a possibilidade de contar com jardins e hortas suspensas. Criando verdadeiros pequenos oásis dentro de casa.

Localização geográfica privilegiada. Perto de um pool de serviços comerciais, culturais, saúde, educação e de entretenimento. Para que o morador sinta o verdadeiro significado de ser “vizinho”. Conexão com o mundo, consigo mesmo e com seu bairro, através dos ambientes do Monjardin. Confira as opções de apartamentos.

Casa Loft Jardim- de 35m² a 45m²

Casa Terrace 1 D – de 48m² a 51m²

Penthouse Duplex 2D – de 102m² a 109m²

Penthouse Duplex 2S – 119m²

Penthouse Duplex 2S com office- de 115m² a 127m²

Plano&Plano tem venda recorde R$ 519 milhões e lançamento recorde de R$ 720 milhões no quarto trimestre

A Plano&Plano Desenvolvimento Imobiliário S.A, listada na B3 (PLPL3), divulga a prévia de seus resultados operacionais do quarto trimestre de 2022 (4T22).
 

A Companhia registrou um novo recorde de vendas líquidas em um trimestre, somando R$ 519 milhões, valor 70% superior ao registrado no 4T21 (R$ 305 milhões). No acumulado do ano, as vendas líquidas somaram R$ 1.690 milhões, um crescimento de 27% em relação ao acumulado no mesmo período de 2021 (R$ 1.327 milhões).
 

Os oito lançamentos realizados no quarto trimestre, que somaram volume geral de vendas (VGV) de R$ 720 milhões, representaram para a Plano&Plano um valor 70% maior em relação aos R$ 424 milhões lançados no 3T22. O VGV acumulado do ano encontra-se em R$ 1.805 milhões, crescimento de 24% frente ao mesmo período de 2021.
 

Entre os lançamentos no trimestre, o empreendimento Novo Mundo se destaca como um dos maiores projetos da Companhia no período, com estrutura completa para atender a diversos tipos de famílias, um VGV de R$ 275 milhões e considerado um dos mais baratos da cidade de São Paulo.
 

Localizado na zona norte de São Paulo, no bairro da Vila Maria, e enquadrado no programa federal Casa Verde e Amarela, o empreendimento Novo Mundo tem entrega prevista para 2024 e terá um total de 1.442 unidades, divididas em três condomínios, apartamentos de dois dormitórios, segurança 24h, com mais de 12 opções de áreas comuns.
 

Em 31/12/2022, a Plano&Plano registrou um avanço de 1,1 ponto percentual em Vendas Sobre Oferta (VSO) dos últimos 12 meses em comparação com 30/09/2022, atingindo 43,5%. Ao comparar com 31/12/2021 o aumento foi de 4,3 pontos percentuais, o que representa um avanço na performance de vendas da Companhia em relação ao estoque.
 

“As prévias do quarto trimestre mostram que apresentamos um crescimento sustentável e constante nos últimos períodos. Ao analisar as vendas líquidas dos últimos doze meses, desde 31/12/2020, a Plano&Plano cresceu em média 8,35% por trimestre ou 37,80% ao ano, acumulando 89,9% no período de 8 trimestres. Resultado muito significativo frente aos desafios que o mercado imobiliário enfrenta”, comenta João Hopp, Diretor Financeiro da Plano&Plano.
 

A Companhia adquiriu oito novos terrenos no quarto trimestre e encerra o período com um landbank de 1,2 milhões de metros quadrados e potencial de vendas total de R$ 11,9 bilhões. O estoque de terrenos segue concentrado na região metropolitana de São Paulo, sendo 96% do número de terrenos e 93% do VGV potencial localizados na capital.
 

Ao final do quarto trimestre de 2022, a Plano&Plano possuía 19.864 unidades em construção, totalizando 50 canteiros de obra sob gestão do departamento de engenharia.
 

“Fechamos 2022 com grandes resultados e um novo recorde atingido. Há muito a ser feito frente ao grande déficit habitacional que temos no país e na cidade de São Paulo. A Plano&Plano mantém seu crescimento sustentável e, acima de tudo, seguimos com o firme propósito de entregar empreendimentos de qualidade aos clientes e transformar suas histórias”, acrescenta Rodrigo Luna, Diretor Vice-presidente e Presidente do Conselho de Administração da Plano&Plano.

Cury reporta o melhor resultado da companhia em 2022, com lançamentos e vendas líquidas de R$3,3 bilhões

A Cury Construtora, uma das empresas líderes no segmento residencial no Brasil, divulga sua prévia operacional do 4T22 e do ano de 2022, com números recordes do seu desempenho operacional e financeiro em 2022. É o melhor resultado da companhia em lançamentos, vendas, Venda Sob Oferta (VSO) e geração de caixa. 

No ano passado, a companhia lançou 23 empreendimentos, sendo 16 localizados em São Paulo e 7 no Rio de Janeiro, totalizando um Volume Geral de Vendas (VGV) de R$ 3,3 bilhões. O desempenho representa o melhor resultado da Cury, com aumento de 19% em relação ao registrado em 2021. No último trimestre, a empresa lançou 5 projetos (3 em SP e 2 no RJ), com VGV de R$ 556,2 milhões, uma redução de 29,4% em relação ao 4T21. A redução no volume de lançamentos no 4T22 fez parte da estratégia da companhia em concentrar o maior volume de lançamentos no primeiro semestre de 2022.

Já o preço médio das unidades lançadas em 2022 aumentou 19,4% em relação ao ano anterior. No 4T22, o valor foi de R$ 259 mil, o que representa uma alta de 7,6% em relação ao mesmo período de 2021. 

“Os resultados de 2022 refletem a nossa estratégia de lançar produtos nas faixas superiores do Casa Verde e Amarela, assim como, unidades com valores acima do programa federal. Dessa maneira, conseguimos operar com preços médios mais elevados e contornamos a alta dos custos dos insumos de construção do ano passado. Optamos por concentrar os lançamentos do ano no primeiro semestre, em virtude dos jogos da Copa do Mundo e eleições, períodos em que as pessoas tendem a comprar menos imóveis. Com isso, encerramos o ano com êxito em nossas vendas”, avalia Fábio Cury, CEO da Cury Construtora.

Os lançamentos contribuíram com o crescimento do número de vendas. No acumulado do ano, o VGV vendido foi de quase R$ 3,3 bilhões, uma alta de 28,2%, comparado com 2021. No 4T22, as vendas líquidas atingiram R$ 753,1 milhões, um acréscimo de 23,2% ante ao mesmo período do ano anterior.

Outro destaque do período avaliado é na Venda Sob Oferta (VSO), que foi de 41% no 4T22 ante 38% no 4T21. Na análise de desempenho anual, em 2022 a VSO foi de 75,3%, o que corresponde a 3,3 p.p. maior que o registrado em 2021.

Fortalecimento do caixa e repasses

Outro recorde histórico da companhia foi na geração de caixa, que, em 2022, atingiu R$ 298,4 milhões, uma alta de 25,7%, quando comparado aos R$ 237,4 milhões gerados em 2021. Os bons resultados também foram alcançados no último trimestre, com geração de caixa operacional positiva de R$ 135,8 milhões, 46,5% acima do saldo positivo de R$ 92,7 milhões registrado no 4T21. 

Os níveis de repasses também cresceram no acumulado do ano passado. As unidades repassadas passaram de 9.851 em 2021 para 11.807 em 2022, um crescimento de 19,9%, e se compararmos com o VGV repassado, tivemos um aumento de 37%. No 4T22, o aumento em relação ao VGV repassado foi de 40,8% se comparado com o mesmo período do ano passado. As unidades repassadas saíram de 2.213 no 4T21 para 2.737 no 4T22, uma alta de 23,7%.

Produção, estoque e banco de terrenos

Em 2022, a construtora produziu 9.794 unidades, um aumento de 2.366 imóveis em relação a 2021, o que representa crescimento de 31,9% no período. No último trimestre, foram produzidas 2.520 unidades, uma alta de 23% em relação ao mesmo período do ano anterior. Em relação às unidades concluídas durante o 4T22, a Cury registrou 2.144 imóveis, número superior às 899 unidades concluídas no 4T21.
 

A Cury encerrou o trimestre com um estoque de R$ 1,081 bilhão. Desse total, 97,6% se referem às unidades lançadas ou em construção, apenas 2,4% às unidades concluídas.

Em relação ao banco de terrenos, a construtora reporta o encerramento do trimestre com carteira de R$ 10.138,4 milhões em VGV potencial, o que representa o total de 40,7 mil unidades. Atualmente o banco de terrenos da Cury é composto de R$ 7.041,8 milhões em São Paulo, e R$ 3.096,6 milhões no Rio de Janeiro.

Valores de imóveis em São Paulo aceleram em 2022

Segundo o relatório mensal de preços de dezembro do Imovelweb, um dos maiores portais imobiliários do País, os preços das propriedades para locação em São Paulo subiram, no último ano, 11,6%, o que representa 5.7 p.p. acima da inflação. O aumento de valor acelerou consideravelmente após o registrar +0,4% em 2021.
 

Na mesma linha, o preço dos imóveis à venda aumentou, acumulando +5,1% em 2022, após registrar alta de 4,4% em 2021 e de 3,4% em 2020. Para Angélica Quintela, gerente de marketing do Imovelweb, o aumento dos valores dos imóveis têm sido uma tendência global e reflete um pouco do renascimento dos grandes centros após dois anos de pandemia, quando muitas pessoas migraram para o interior.
 

“Mesmo com a alta registrada nos valores do m2 na capital paulista, acreditamos que ainda há muito espaço para negociação, além de boas soluções no mercado para ajudar as pessoas nos processos de compra e locação, de maneira rápida e sem burocracia”, destaca.
 

Preços em dezembro
 

De acordo com a análise mensal, no caso do aluguel, o valor médio em dezembro fechou em R$ 3.639 por mês para os apartamentos de 65m², com dois quartos e uma vaga. Para o modelo de 95 m², com três quartos e uma vaga, o preço médio mensal ficou em R$ 4.840.
 

Para os imóveis à venda, o preço médio em dezembro foi em R$ 10.055 por m².Um apartamento padrão de 65 m²,com dois quartos e uma vaga, custa, em média, R$ 631.907. Já a versão de 95 m², com três quartos e uma vaga, tem o valor médio de R$ 986.953.
 

Análise por região e bairros da capital paulista
 

Para quem está buscando alugar um imóvel, a Zona Leste é uma das mais baratas, custando, em média, R$ 1985 por mês. A Zona Oeste, por sua vez, é a mais cara para morar de aluguel, com um valor mensal médio de R$ 4.209.

RegiãoValor do aluguel (R$)
Noroeste1.971
Leste1.985
Nordeste2.134
Sul2.383
Sudeste2.519
Centro3.181
Centro-Sul3.791
Oeste4.209

Entre os bairros, Cidade Tiradentes é o mais econômico (R$ 1.136 mensal) e Itaim Bibi é o mais caro (R$ 5.017 mensal).

ALUGUEL – BAIRROS MAIS BARATOS E MAIS CAROS

Mais baratos (R$)
CIDADE TIRADENTES1.136
LAJEADO1.286
ITAIM PAULISTA1.444
Mais caros (R$)
MOEMA4.526
PINHEIROS4.692
ITAIM BIBI5.017

No caso das propriedades à venda, a Zona Leste é mais econômica, com um valor de R$ 5.524 por m². Já a Zona Oeste é a mais cara, com o m² a R$ 12.144.
 

RegiãoValor do m²
Leste5.524
Noroeste6.198
Sul6.840
Nordeste7.281
Sudeste7.962
Centro9.772
Centro-Sul11.314
Oeste12.144

Entre os bairros, assim como para alugar, Cidade Tiradentes é o mais barato para adquirir um imóvel: R$ 2.775 por m². Pinheiros é o bairro mais caro, custando

R$ 15.270 por m².

IMÓVEIS À VENDA – BAIRROS MAIS BARATOS E MAIS CAROS

Mais baratos (R$)
CIDADE TIRADENTES2.775
LAJEADO3.848
JOSÉ BONIFÁCIO4.333
Mais caros (R$)
MOEMA14.467
ITAIM BIBI15.225
PINHEIROS15.270

Rentabilidade
 

O índice de rentabilidade imobiliária relaciona o preço de venda e valor de locação do imóvel para verificar o tempo necessário para recuperar o dinheiro utilizado na aquisição do imóvel. O relatório de dezembro apontou um índice de 5,75% bruto anual, o que significa que são necessários 17,4 anos de aluguel para reembolsar o investimento de compra, 6% a menos que há um ano.
 

As regiões periféricas são as que oferecem maior retorno para os investidores: Zonas Leste e Sul acima de 6% anual.
 

Rentabilidade por região:

RegiãoRentabilidade
Nordeste5,4%
Centro-Sul5,6%
Oeste5,8%
Sudeste5,8%
Noroeste5,8%
Centro5,9%
Sul6,3%
Leste6,7%

Os dados do relatório mensal de preços do Imovelweb, também chamado de Index, são gerados com base em 100% dos imóveis listados no portal, seja aluguel ou venda, mostrando o preço médio das propriedades.

QuintoAndar anuncia Co-Founder André Penha como General Manager no México

André Penha, General Manager de Benvi, Co-founder e CTO do QuintoAndar

O Grupo QuintoAndar, detentor da maior plataforma de moradia da América Latina, anuncia André Penha, co-fundador e Chief Technology Officer (CTO), como o novo líder da Benvi, empresa de aluguel do Grupo, com operação no México. Penha ocupará o cargo de General Manager de Benvi, junto com suas funções atuais de líder de tecnologia do Grupo.

A experiência de Penha em fundar e liderar a equipe de produtos e tecnologia do QuintoAndar nos últimos 10 anos e sua liderança na área vão ajudar a acelerar a adaptação da plataforma ao mercado mexicano e também ajudar no crescimento do negócio.

“O México é um mercado importante na região e estratégico para nosso plano de crescimento, por isso estamos ansiosos para oferecer aos mexicanos uma experiência rápida e perfeita na busca e aluguel de um lugar para morar”, diz Penha. “Estou muito animado por me mudar para o México, e muito feliz porque encontrei a minha nova casa na Benvi! É um momento interessante para me juntar ao talentoso time que construímos”.

Penha manterá a atual função de Chief Technology Officer do grupo com o apoio de sua experiente equipe e a liderança do vice-presidente de engenharia da empresa, Paulo Golgher. Golgher é um veterano com mais de 20 anos na indústria de tecnologia que ingressou no QuintoAndar em agosto de 2021, vindo do Google, onde foi diretor sênior de engenharia para Android e Google Play.

A Benvi também se beneficiará da experiência de sucesso da Rede QuintoAndar, a rede de corretagem do grupo no Brasil. “Um de nossos principais objetivos no México é fazer parceria com os melhores corretores locais, trazendo nossa tecnologia e agilidade para empresas e indivíduos que já conhecem o mercado mexicano. Isso maximizará a experiência do usuário para proprietários e inquilinos.”

FEICON 2023 abre credenciamento com aumento de 50% no número de marcas expositoras

 FEICON, o maior evento de construção civil da América Latina, anuncia que, a partir desta terça-feira (17), está aberto o credenciamento de visitantes para a sua 27ª edição, que acontecerá entre os dias 11 e 14 de abril, no São Paulo Expo (SP), em São Paulo capital. As inscrições devem ser feitas pelo site oficial do evento e são gratuitas para profissionais do setor.

Considerada uma das principais plataformas de geração de negócios, atualização profissional e networking do setor, a feira trará uma série de novidades e um número 50% maior de marcas neste ano. A expectativa é surpreender tanto os expositores quanto profissionais do varejo, distribuição, engenharia, arquitetura e de toda a indústria, além de reforçar o movimento positivo do setor, que fechou 2022 com crescimento de 10,9% no Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), segundo informações do IBGE divulgadas na terça-feira (10).

Neste sentido, a RX – promotora e organizadora do evento – destaca algumas das atrações inéditas deste ano, como a Rota de Tecnologia, patrocinada pela MÚTUA (Caixa de Assistência dos Profissionais do Crea), com soluções e tecnologias construtivas inovadoras, selecionados por um comitê de especialistas na área. Outra atração estreante será o Lounge dos influenciadores, que reforçará a participação de formadores de opinião do mercado no evento, além de oferecer uma programação de conteúdos com os maiores especialistas no setor de construção civil, arquitetura e tendências dessa indústria.

A perspectiva é superar o sucesso e os números recordes do evento de 2022. “Como principal evento do setor e importante palco para lançamento de tendências e geração de negócios dessa indústria, queremos movimentar ainda mais o mercado e destacar todo o processo de inovação da construção civil, trazendo um panorama amplo de estudos, debates, soluções, produtos e tecnologias que estão transformando a área”, ressalta Lúcia Mourad, Gerente da FEICON.

Outros destaques

Além das novidades, atrações consideradas tradicionais também terão espaço na edição 2023. Uma delas, a Casa Cerâmica, modelo de projeto eficiente para conjuntos habitacionais, voltará a expor uma casa em tamanho real, com produtos modernos e que ao mesmo tempo trazem redução de custo para construtores e público final.

Outro destaque é a Rota da Sustentabilidade, com marcas e produtos que atendem aos critérios de ESG selecionados por especialistas da Fundação Vazolini em parceria com a Inovatech Engenharia.

A grade de programação contará com o Núcleo de Conteúdo – Atacado, Varejo e Distribuição, com curadoria da Grau 10 Editora e do Sincomavi, e do Núcleo de Conteúdo – Construção, organizado pela Inovatech Engenharia.

O retorno de expositores que são referência no mercado também será um dos diferenciais. Lorenzetti, Astra e Stam são algumas das marcas que estarão ao lado de players como Vonder, Juntos Somos Mais, Grupo Saint Gobain, Ferragens Negrão e muitos outros.

Vale destacar que o setor da construção civil espera um crescimento de 2,5% em 2023, de acordo com a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC). A projeção considera o ritmo de expansão dos últimos três anos do segmento, acima da economia nacional, além do ciclo de negócios do mercado imobiliário em andamento e da demanda habitacional sólida. Ainda sobre essas tendências e projeções, a CBIC, em parceria inédita com a RX, apresentará a 96ª edição do ENIC durante a feira em abril.

“Sabemos que essa indústria tem um papel estratégico e essencial para o desenvolvimento do país, com geração de negócios, emprego e renda, e o PIB do setor tem superado a média nacional nos últimos anos. Por isso, a cada edição buscamos surpreender os participantes, elevando o nível das experiências e atrações, impactando a geração de negócios durante o ano”, reforça Mourad.

Congresso permite que imóveis já quitados em loteamentos possam ser transmitidos via Cartório

Antes exclusivo pela via judicial, procedimento de Adjudicação Compulsória de Imóvel que demorava até 5 anos na Justiça, passa a ser feito de forma mais rápida e barata por meio de Ata Notarial em Cartório de Notas

O apagar das luzes de 2022 trouxe uma importante novidade que poderá desafogar milhares de ações que tramitam no Poder Judiciário, contribuir para a efetiva regularização fundiária e solucionar a vida de muitos brasileiros que aguardam até cinco anos para o desfecho de casos envolvendo a transmissão de propriedades já quitadas, mas que o vendedor se recusa ou está impedido de realizar a transferência do imóvel ao comprador.

A derrubada do veto do ex-presidente Jair Bolsonaro ao artigo 11 da Lei Federal nº 14.382, ocorrida na véspera do Natal permitiu que a realização do procedimento de Adjudicação Compulsória de Imóvel possa ser realizada diretamente em Cartório, em um tempo médio de até três meses, tendo como documento inicial a elaboração de uma Ata Notarial, feita por tabelião de notas.

O procedimento, que até então só ocorria pela via judicial, e se caracterizava pela substituição da vontade do vendedor por meio de uma decisão judicial, o que agora também poderá se dar pela via administrativa — isto é, no Cartório — e poderá ocorrer nos casos em que o vendedor se recuse a cumprir um contrato pactuado e já quitado, ou ainda quando tenha ocorrido sua morte ou declarada sua ausência, exista incapacidade civil ou localização incerta e não sabida, além de, nos casos de pessoas jurídicas, tenha ocorrido a sua extinção.

“Muitas cidades enfrentam problemas sérios com loteamentos antigos ou novos que permanecem irregulares por anos, já que o loteador morreu e as escrituras definitivas não foram feitas, embora o imóvel já tenha sido quitado”, explica o vice-presidente do Colégio Notarial do Brasil — Conselho Federal (CNB/CF), Eduardo Calais. “Trata-se de um procedimento menos custoso que uma ação judicial e que visa desafogar o Poder Judiciário e dar aos usuários a opção de utilizar a velocidade e a segurança da via extrajudicial, isto é, do Cartório de Notas para dar solução a um problema que impede a regularização de milhares de propriedades urbanas e rurais, principalmente no interior do país”, completa.

Na Ata Notarial deverão constar a identificação do imóvel, o nome e a qualificação do comprador ou de seus sucessores constantes do contrato de promessa, a prova do pagamento e a caracterização do inadimplemento da obrigação de outorgar ou receber o título de propriedade.

Além de garantir a autenticidade dos documentos, a ata notarial poderá atestar a disponibilidade ou a indisponibilidade do bem e a quitação do negócio jurídico, mediante a apresentação ao tabelião de diversos documentos, tais como declaração de imposto de renda, mensagens de e-mails e de texto entre os negociantes que comprovem o recebimento pelo vendedor, além de extratos bancários e outros fatos que não estejam demonstrados por documentos, a exemplo de troca de mensagens e e-mails entre as partes contratantes, que podem comprovar as tentativas feitas para a obtenção da escritura definitiva, evidenciando dificuldade ou impossibilidade e sendo a prova real da recusa do vendedor em outorgar a escritura definitiva, evitando que a adjudicação compulsória extrajudicial seja utilizada do famoso “jeitinho” brasileiro.

Caso já exista um procedimento de Adjudicação Compulsória em trâmite no Poder Judiciário, o usuário deverá homologar pedido de desistência para que o ato possa transcorrer pela via extrajudicial, sendo também recomendável a presença de um advogado. O valor é tabelado de acordo com lei estadual.

Grupo Patrimar fecha 2022 com resultados históricos

Lançamentos e landbank são alguns dos indicadores da Companhia que cresceram no último ano   

O Grupo Patrimar – construtora e incorporadora mineira que atua nas classes econômica, média e alta em Belo Horizonte, no Rio de Janeiro e no interior de São Paulo – fechou o ano de 2022 com resultados históricos e positivos. Isso porque houve crescimento de indicadores como lançamento, repasses e landbank no último ano, quando comparados aos números de 2021. As informações fazem parte da Prévia Operacional do 4º Trimestre de 2022 (4T22) e anual (12M22) da Companhia, divulgada dia 16 de janeiro.   

“Mais um ano de sucesso, é assim que defino 2022 para a Companhia. Em 2023, com certeza, continuaremos trabalhando para manter uma saúde financeira positiva e conquistar mais resultados históricos. Vem muita coisa boa por aí, e em todos os segmentos do mercado nos quais atuamos”, afirma Alex Veiga CEO do Grupo Patrimar.   

Em 2022, o Grupo Patrimar lançou R$ 1,36 bilhão, o que equivale a um aumento de 7,9% quando comparado ao ano de 2021. Já o landbank da Companhia, fechou o ano de 2022 com VGV 100% de R$ R$ 11,3 bilhões. Tal valor é 20,7% maior que dezembro de 2021 e 4,5% maior que setembro de 2022, atingindo assim a maior posição na história da empresa.  Apesar da queda no volume de vendas contratadas líquidas no ano, participação nessas vendas cresceu, alcançando 90,3% em 2022 – um aumento de 10,4 pontos percentuais (p.p) quando comparado ao último ano. 

“Nossos sete empreendimentos lançados fazem parte da estratégia de diversificação da operação dos diferentes setores de atuação da empresa. No 4º trimestre lançamos 78% do VGV do ano de operação de nível econômico e 16,3% nos lançamentos da alta renda. Ao todo, foram 1.125 unidades habitacionais comercializadas”, comenta Felipe Enck Gonçalves, diretor de Finanças e Relação com Investidores do Grupo Patrimar.    

Vale destacar que, no final da última semana, o Grupo Patrimar também publicou um fato relevante sobre a conclusão e assinatura do acordo definitivo entre a Companhia e a Performance Empreendimentos Imobiliários para criação das empresas independentes Viv In e Livizi, que atuarão no desenvolvimento, construção, locação e gestão de residenciais multifamiliares para renda no Brasil.