A revolução tecnológica de uma empresa goiana no mercado imobiliário

A revolução tecnológica de uma empresa goiana no mercado imobiliário

Melhorar a relação com os clientes através de soluções tecnológicas é o motor que guia a landtech Trinus Co. Longe dos ditos polos tecnológicos do país, a companhia com sede em Goiânia está mostrando que a região não deixa nada a desejar em comparação com os gigantes da inovação. “Nós já nascemos como uma forma de desburocratizar o mercado imobiliário, ajudando o empreendedor regional a ter mais governança, além de prover crédito para o desenvolvimento de seus projetos. Agora com uma marca cada vez mais consolidada, a tecnologia tem sido nossa prioridade”, afirma Bruno Nunes, um dos diretores da Trinus.

A landtech fornece uma plataforma para digitalizar empreendedores imobiliários regionais, como construtoras e incorporadoras. Auditoria financeira, contabilidade, monitoramento de obras e gestão de processos, assinatura e contas digitais e gestão dos imóveis adquiridos estão entre as funcionalidades oferecidas – daí surgiu o termo “landtech”: uma combinação de fintech (startup de serviços financeiros), proptech (serviços imobiliários) e lawtech (serviços jurídicos) visando o desenvolvimento imobiliário (land development). Com 171 ativos imobiliários alocados no Fundo de Investimento Imobiliário TG Ativo Real (TGAR11), FII gerido pela TG Core Asset, empresa que a Trinus tem participação direta, o foco é exatamente na região do Matopiba (que se refere à região entre os estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), forte pelo agronegócio, é onde a empresa tem fincado seus pés, quase literalmente.

Bruno comenta que os colaboradores colocam mesmo o pé no barro e no asfalto: vão pessoalmente a cada cidade entender a demanda dos clientes e voltam com a bagagem cheia de direcionamentos. “Temos esse diferencial, nossa equipe de tecnologia e inovação não fica somente no escritório. Vamos a campo e tentamos trazer o que pode ser melhorado em relação à experiência de nossos clientes. Se, por exemplo, um cliente no Maranhão está com dificuldade em contratar um serviço através da nossa plataforma, nós vamos atrás do que podemos fazer para que o processo seja mais rápido, prático e eficaz para ele”, diz o especialista.

Hoje, 10% dos colaboradores da Trinus são da área de tecnologia, mas a expectativa é ter de 30% a 40% de pessoas nesse setor. “Buscamos conectar a ampla cadeia do mercado imobiliário com soluções tecnológicas. Ligar as pessoas aos fornecedores, oferecendo não só um produto ou um serviço, mas uma gama de opções – desde as empresas que oferecem material de construção até corretores e locatários ou compradores – integradas e conectadas em um único lugar”, afirma Bruno.

Inovação vem de dentro

A empresa também criou o Sonar, uma ferramenta centralizadora de todas as informações dos empreendimentos na etapa de originação de novos negócios da companhia. O dispositivo além de calcular as viabilidades destes empreendimentos, também consolida os fluxos de caixa nos seus veículos/holdings até o fundo. “Além disso, a nova plataforma já envolve diversas outras tipologias de negócios imobiliários. Com o programa desenvolvido dentro de casa, a Trinus tem agora uma centralização dos dados, consolidação dos fluxos de caixa, maior velocidade na análise dos empreendimentos, mais maleabilidade nas análises e maior confiabilidade nos cálculos”, conta o diretor.

O Sonar foi idealizado e criado por iniciativa dos próprios colaboradores, que viram oportunidades de melhorar as análises técnicas através de tecnologia. Eles estudaram linguagem de programação e construíram a primeira versão de uma ferramenta tecnológica interna de viabilidade. Após apresentar essa primeira versão, ficou claro que era uma evolução na forma de análise que precisava ter continuidade, então eles separaram um período para imergir sem interrupções no aprimoramento da ferramenta, que já está em uso na Trinus desde julho.

Flutter

Outro destaque da companhia é o seu site, todo feito em Flutter – um tipo de kit de desenvolvimento de interface de usuário, criado pelo Google, que possibilita a criação de aplicativos compilados nativamente. Em tradução mais simples, é como um pacote de códigos prontos que podem ser utilizados no desenvolvimento de sites, com a proposta de aplicar funcionalidades, comandos e estruturas para garantir qualidade no projeto e produtividade. “Somos uma das primeiras empresas brasileiras e do mundo a ter um site em Flutter. É uma tecnologia nova onde é possível construir diversas estruturas a partir de um único código-base”, explica Bruno.

Comments are closed