Preço do aluguel em SP volta a cair após 3 meses em alta e RJ se mantém estável, mostra Índice QuintoAndar

Preço do aluguel em SP volta a cair após 3 meses em alta e RJ se mantém estável, mostra Índice QuintoAndar

O Índice QuintoAndar de Aluguel, que acompanha dados efetivamente usados em contratos de aluguel residencial de SP e RJ, registrou queda de 1,88% no valor médio do aluguel por m² em São Paulo, ante março de 2021, a maior retração mensal desde julho de 2020. Já no Rio de Janeiro, houve alta de 0,3% no mês, mantendo tendência de recuperação que vem desde fevereiro. No acumulado de 12 meses, o indicador segue em queda de 7,84% em SP e de 0,3% no RJ.

Em fevereiro, o Índice QuintoAndar aponta ainda que os valores de aluguel por m² em anúncios foi 11,56% do que os efetivamente praticados em contratos em São Paulo. Essa é a maior diferença registrada desde dezembro de 2020. No Rio de Janeiro, essa distância entre valores anunciados e praticados foi de 14,3% no mesmo período, praticamente estável em relação ao mês anterior.

Dados de São Paulo

Em São Paulo, o bairro que mais se valorizou nos últimos seis meses foi o Real Parque, seguido por Jd. Ester Yolanda e Vl. Mazzei (na zona norte da capital). Já as maiores quedas nesse intervalo foram Barra Funda, Campo Belo e Sumaré. Entre os bairros com metro quadrado de aluguel mais caro na cidade estão, Vila Nova Conceição, Vila Olímpia e Real Parque.

Em relação ao tamanho, o preço do aluguel por metro quadrado dos imóveis de um quarto caiu 1,6% em abril, ante março. No mesmo período, houve queda de 1,6% nos imóveis de dois quartos e estabilização nos imóveis de 3 quartos.

Dados do Rio de Janeiro

A maior alta de aluguel por metro quadrado no Rio foi Lagoa, seguido por Recreio e Méier. Já as maiores retrações vieram do Centro, Santa Teresa, e Maracanã. Ipanema, Leblon e Botafogo mantêm a posição, pelo segundo mês consecutivo, de bairros mais caros da capital fluminense.

Os imóveis de até 1 dormitório tiveram leve queda no preço do metro quadrado de 0,19% em abril, comparado com março. Os dois quartos tiveram aumento de 1,11%. Já os imóveis de três dormitórios se mantiveram estáveis.

“Após três meses registrando leves altas, a queda no valor do m² de SP vista em abril, deixa ainda mais evidente que vivemos um cenário de incertezas”, conta Fernando Paiva, head de dados do QuintoAndar. “Acompanhar de perto todas as variações de preço ainda é a melhor forma de os inquilinos e proprietários tomarem a decisão certa na hora de fecharem o contrato”.

Comments are closed