Ekko Group amplia Black Friday para o mês inteiro

Na onda da Black Friday, a Ekko Group, incorporadora que há 20 anos atua no mercado imobiliário, criou a campanha Black Imóvel, na qual disponibilizará R$ 342 mil somados, em descontos, para quem quiser adquirir um imóvel. A promoção que faz parte da Black Friday terá descontos de até R$ 50 mil. As ofertas serão válidas para o todo o mês de novembro e estão disponíveis no www.blackimovel.com.br.

“É a primeira vez que realizamos a Black Imóvel. A ideia é inovar e trazer um benefício muito significativo aos nossos clientes. Além da página oficial, também vamos disponibilizar as ofertas em todos os stands”, explica Diego Dias, CEO da Ekko Group.

Entre os empreendimentos que estão incluídos na Black Friday da incorporadora, estão o Raritá, Maderá, Aurum, Urban, Authentiq, Modern, entre outros. A relação completa com descontos está disponível em http://www.blackimovel.com.br.

Casafy anuncia Claudia Silva como nova Head de Growth

A Casafy, antiga Properati, proptech de compra e venda de imóveis que aproxima anunciantes de compradores por meio da venda direta, anuncia a contratação de Claudia Silva como o nova Head de Growth da empresa. Formado em Publicidade e Propaganda pela Universidade ESPM e especialização pela London Business School, a executiva conta com mais de 20 anos de experiência em Marketing Digital, E-Commerce, transformação digital e estratégia de crescimento para empresas SaaS, como a Mandic, Neogrid entre outras.

A nova Head de Growth da Casafy será responsável por coordenar todas as ações de performance, marketing e sucesso do cliente.

Renato Orfaly, CEO da Casafy, conta que Claudia Silva veio para liderar e transformar as estratégias de crescimento. “A chegada da Claudia acontece em um momento importante da Casafy, estamos crescendo rápido e nos posicionamos pela inovação e transformação do mercado imobiliário com nosso novo manifesto. A comunicação apropriada com nossos clientes atuais e o mercado potencial é chave para o desenvolvimento do nosso modelo de negócio”, afirma.

MRV inaugura no Rio de Janeiro Centro de Experiência com uso de realidade virtual para apresentar futuros apartamentos

Ao comprar um apartamento na planta, nem sempre é possível ter a ideia exata de como será o imóvel depois de pronto. Para facilitar a visualização do novo espaço e garantir uma melhor experiência de compra para os clientes, a MRV está inaugurando no Rio de Janeiro o Centro de Experiência MRV. O espaço conta com uma estrutura moderna e diferenciada que proporciona a visita ao apartamento com o uso da realidade virtual. O Rio de Janeiro é a primeira cidade a ter essa nova tecnologia, que estará disponível aos clientes a partir do dia 8 de novembro, no bairro de Campo Grande, Zona Oeste da cidade.

A novidade faz parte de uma série de novidades que a companhia está lançando em comemoração aos 40 anos da MRV e ao lançamento da nova marca. O Centro de Experiências foi planejado e pensado a partir do propósito da companhia, que é “construir sonhos que transformam o mundo”. No espaço, por meio da realidade virtual, os visitantes podem conhecer o futuro apartamento em ambiente 100% interativo e com realidade ampliada para visualização de produtos.

“O Centro de Experiências possibilita um primeiro contato com o novo imóvel mais real e permite uma melhor visualização de como será o local onde o cliente irá morar em breve. A novidade reflete os esforços da MRV em sempre inovar e oferecer aos seus clientes uma experiência única com a marca, além de reforçar nosso compromisso de transformar sonhos em realidade”, destaca Eduardo Alves de Araujo Rodrigues, gestor de vendas da MRV.

O bairro de Campo Grande, além de ter sido escolhido para a implantação do Centro de Experiência MRV, também receberá investimentos e novos lançamentos da companhia, com a oferta de mais de 5 mil unidades habitacionais nos próximos meses. 

Nova marca

A MRV acaba de completar 40 anos e agora está com nova marca e posicionamento. As mudanças refletem as transformações que a companhia passou nos últimos anos, de incorporadora e construtora de imóveis econômicos, para ser uma especialista em soluções de moradia, atuando como uma plataforma habitacional.

Agora a MRV passa a ter novo logotipo e a adotar novas cores e linguagem na sua comunicação com clientes e mercado. Também deixará de usar o “Engenharia”, que fazia parte de seu nome, marcando a ampliação da atuação da empresa no mercado. Toda a comunicação passará a compor o novo propósito definido pela companhia: Construir sonhos que transformam o mundo.

Serviço

Centro de Excelência MRV

Endereço: Rua Campo Grande, 3.400, Campo Grande – Rio de Janeiro

Aluguel diário na praia no feriadão da República custa a partir de R$ 200,00

Opções que vão de R$ 200,00 a R$ 1.975,00 diários estão disponíveis nas imobiliárias credenciadas de 12 cidades do Litoral paulista para os que pretendem alugar casas ou apartamentos para passar na praia o fim de semana prolongado pelo feriado de 15 de Novembro, uma sexta-feira, quando se comemora a Proclamação da República.


Imobiliárias credenciadas são as que têm registro e são fiscalizadas pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (CreciSP), obrigadas a cumprir um código de ética de respeito e transparência para com os clientes e sujeitas a punições. O Creci consultou 28 dessas imobiliárias nas 12 cidades e apurou que, entre esses dois extremos, há muitas outras opções de preços de aluguel garantido no feriadão.


As diárias mais baratas estão nas cidades do Litoral Sul, como Praia Grande, Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe. É nessa faixa do Litoral que se pode alugar por R$ 200,00 diários uma casa de 1 dormitório do tipo quitinete. Um apartamento desse tipo vai custar em média R$ 207,50 diários. Imóvel do mesmo tipo custa em média R$ 260,00 em praias de cidades do Litoral Central, como Guarujá e Santos, e R$ 378,00 em Ubatuba e São Sebastião, no Litoral Norte.


Apartamentos de 2 dormitórios podem ser alugados por diárias médias de R$ 312,50 no Litoral Sul, valor que sobe para R$ 432,00 no Litoral Central e R$ 400,00 no Litoral Norte. Um imóvel maior, como as casas de 4 dormitórios, está com diárias médias de R$ 850,00 no Litoral Sul, e esse preço mais que dobra no Litoral Central, custando em média R$ 1.975,00, a diária mais cara registrada pela pesquisa CreciSP. No Litoral Norte, a diária média é de R$ 1.564,00.


Nos 19 tipos de imóveis em que foi possível comparar os preços com o feriado do ano passado, nove estão mais baratos este ano, oito ficaram mais caros e dois mantiveram-se estáveis. Foi o caso dos apartamentos tipo quitinete no Litoral Central — R$ 250,00 — e dos apartamentos de 3 dormitórios nessas mesmas cidades, com diária média de R$ 1.000,00.


“As opções disponíveis nas imobiliárias atendem a todos os gostos e bolsos, e são seguras se feitas nas imobiliárias credenciadas no Creci, mas não custa lembrar que é preciso tomar cuidado com os locadores piratas e os que oferecem ´aluguéis de sonho´ que geralmente acabam em pesadelo”, alerta José Augusto Viana Neto, presidente do Crecisp.

Limite de hóspedes


A pesquisa CreciSP apurou com as 28 imobiliárias pesquisadas que os donos dos imóveis os alugam por períodos determinados de 1 a 3 dias, prazos que podem ser negociados caso a caso.
O número de pessoas admitidas varia de acordo com o tipo do imóvel, segundo as imobiliárias consultadas. Nas casas, os limites são de até 10 pessoas para as de 2 dormitórios, até 15 para os de 3 dormitórios e até 20 para as de 4 dormitórios.
Segundo a pesquisa CreciSP, os limites de ocupantes no caso de apartamentos são de até 4 para as quitinetes, até 6 para os de 1 dormitório, até 10 para os de 2 dormitórios, até 15 para os de 3 dormitórios e até 16 para os de 4 dormitórios.
O CRECISP ressalta, no entanto, que o número de pessoas permitido pode ser diferente do apurado. Vale a pena consultar com antecedência.
A pesquisa CreciSP foi feita nas cidades de Caraguatatuba, Ubatuba, São Sebastião, Ilhabela, Bertioga, Santos, São Vicente, Guarujá, Praia Grande, Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe.

7 fatores que influenciam o valor de um imóvel

O valor de um imóvel é afetado por vários fatores. A localização, metragem, o número de quartos e a situação da economia do país são os mais comuns, mas alguns detalhes, que passam despercebidos, podem também fazer oscilar o preço dos imóveis. Pensando nisso, Livia Rigueiral, CEO do Homer , plataforma que conecta corretores de todo o Brasil com uso de inteligência artificial, listou quatro aspectos que contribuem na valorização e três que ajudam na desvalorização na hora da venda de um imóvel.

Confira os fatores que podem agregar valor ao seu imóvel:

• Vista livre: A entrada de iluminação natural e a vista livre podem influenciar diretamente na avaliação da propriedade. Casas ou apartamentos com janelas de frente para o prédio vizinho a uma distância pequena valem menos do que uma unidade semelhante com uma boa vista, com circulação de ar. Se as janelas forem voltadas para paisagens, como parques, praias ou lagoas, a valorização será ainda mais acentuada.

• Segurança: Imóveis localizados em regiões mais seguras, com baixos índices de criminalidade, são mais valorizados do que aqueles em áreas perigosas. A valorização também ocorre em condomínios que investem em segurança: um imóvel com porteiro 24 horas, portão eletrônico e câmeras de monitoramento pode cobrar um preço mais elevado do que outro semelhante, mas em um prédio sem portaria e monitoramento, onde os próprios moradores abrem o portão com chaves.

• Espaços de lazer: Áreas de recreação, tanto dentro do imóvel quanto no condomínio, são outro fator que podem aumentar o preço. Em casas ou apartamentos maiores, são levados em conta varandas com churrasqueiras e piscinas, espaços gourmet, quadras de esporte e playground. Tudo isso entra na conta na hora de definir o preço final do imóvel.

• Mobilidade: Nas grandes cidades, a distância entre casa e trabalho é geralmente maior. Por isso, a facilidade de acesso a transportes públicos, como corredores de ônibus e estações de metrô, atrai compradores e pode valorizar imóveis nessa faixa. Mesmo assim, o ideal é que os pontos de embarque não sejam tão próximos, afinal a movimentação intensa na porta de casa pode ser, na verdade, um incômodo.

Agora, entenda os fatores que podem desvalorizar um imóvel:

• Estado de conservação: Manter o imóvel em um estado de conservação ruim, com necessidade de muitas reformas, pode reduzir seu valor. Afinal, o possível comprador irá descontar do preço do imóvel o valor que será gasto com obras e dificilmente vai aceitar desembolsar o mesmo que pagaria em uma propriedade em bom estado.

• Espaços mal planejados: A metragem pode ser boa e o número de quartos também. Talvez o apartamento tenha inclusive uma sala ampla e quartos grandes. Mas, na cozinha, não cabem no mesmo cômodo, a geladeira e o fogão. A área de serviço só tem espaço para o tanque e a máquina de lavar tem que ficar dentro do banheiro. Este são apenas alguns exemplos que ajudam a ilustrar como imóveis com espaços mal planejados podem comprometer o valor final de venda.

• Garagem: Alugar uma garagem em capitais e grandes cidades pode ultrapassar os R$ 300 mensais. Ninguém quer ter um gasto extra desses todos mês ou ter que disputar uma vaga na rua, tarefa muitas vezes difícil, e que ainda deixa os carros expostos. Por isso, imóveis sem garagem perdem valor em relação a outros semelhantes com vagas para carros. Mesmo se houver vaga disponível para alugar no próprio prédio, o imóvel sofrerá desvalorização.

Como o processo de compra e venda de um imóvel é complexo e ocorre, em média, apenas uma vez na vida das pessoas, a presença de um corretor é indispensável para fazer uma curadoria para seus clientes, sugerindo de forma mais assertiva algumas das opções que mais se encaixam com o tipo de imóvel procurado. Por isso mesmo, procure um profissional qualificado e que proporcione uma boa experiência de compra.

QuintoAndar abre mais de 250 vagas em São Paulo

O QuintoAndar, empresa líder em moradia no Brasil, anuncia a abertura de mais 250 vagas em seu escritório de São Paulo. As oportunidades estão espalhadas por diversas áreas da empresa, mas principalmente em Operações – o que que inclui atendimento ao cliente (em todas as etapas da jornada do cliente), vendas internas e crédito – e Engenharia de Software. Alguns dos cargos disponíveis são os de gerente de produto, engenheiro de software, analista de atendimento ao cliente e analista de dados.

A empresa é uma das Top Startups segundo ranking do LinkedIn e uma das mais amadas para trabalhar segundo ranking da Glassdoor (a antiga Love Mondays). Todas as vagas podem ser conferidas na página de carreiras: http://carreiras.quintoandar.com.br/.

Edifícios inteligentes: 38% são alvo de ataques maliciosos em 2019

Cerca de quatro em cada dez (38%) computadores usados para controlar sistemas inteligentes de automação de edifícios foram alvo de algum tipo de malware no primeiro semestre de 2019, de acordo com um estudo global realizado pela Kaspersky. A pesquisa mostra que estes sistemas geralmente se tornam um destino para várias ameaças genéricas, embora ainda não esteja claro se eles foram afetados concretamente. Apesar de não serem sofisticadas, muitas delas podem representar um perigo real para as operações diárias de prédios inteligentes.

Os sistemas de automação de edifícios normalmente funcionam a partir de sensores e controladores usados para monitorar e automatizar a operação de elevadores, ventilação, controle climático, suprimento de eletricidade e água, alarmes de incêndio, videovigilância, controles de acesso, além de outros conjuntos de informação e segurança. Esses sistemas costumam ser gerenciados por estações de trabalho genéricas, frequentemente conectadas à internet. Um ataque bem-sucedido a elas pode resultar facilmente na falha de um ou vários sistemas críticos. Com base na análise da telemetria processada por cerca de 40 mil soluções de segurança escolhidas aleatoriamente pela Kaspersky, a empresa avalia que os ciberataques que podem causar danos são uma realidade em todo o mundo.

Dos 38% dos computadores afetados, mais de 11% foram atacados com diferentes variantes de spyware – malware destinado a roubar credenciais de conta e outras informações valiosas. Worms foram detectados em 11% das estações de trabalho; 8% foram alvos de phishing e 4,2% foram afetados por ransomware.

A maioria dessas ameaças veio da internet, com 26% das tentativas de infecção originadas via web. As mídias removíveis, como pen drives, discos rígidos externos e outros foram responsáveis por 10% dos casos; outros 10% enfrentaram ameaças por meio de links e anexos de e-mail. Por fim, 1,5% dos computadores de construção inteligentes foram atacados de fontes dentro da rede da organização, como pastas compartilhadas.

Em termos geográficos, a Itália (48,5%) teve a maior porcentagem de computadores inteligentes atacados, seguida pela Espanha (47,6%), Reino Unido (44,4%), República Tcheca (42,1%) e Romênia (41,7%).

Embora esses números sejam relativamente baixos em comparação com o cenário de ameaças mais amplo, seu impacto não deve ser subestimado. Imagine se as credenciais de um prédio altamente protegido fossem roubadas por um malware genérico e depois vendidas no mercado ilegal. Ou se o sistema de suporte à vida de um edifício sofisticado fosse congelado porque os processos essenciais foram criptografados por mais um tipo de ransomware. A lista de cenários possíveis é interminável. Reforçamos para as equipes de segurança, cuja área de responsabilidade envolve as redes de TI de edifícios inteligentes, que não se esqueçam que precisam de proteção. Mesmo uma solução básica trará benefícios e defenderá a organização contra ataques potencialmente devastadores”, afirma Kirill Kruglov, pesquisador de segurança da Kaspersky ICS CERT.

Para proteger um edifício inteligente contra os riscos de ciberataques, os especialistas da Kaspersky aconselham:

• Garanta que a infraestrutura de TI do edifício inteligente seja protegida com uma solução de segurança confiável, personalizada para ambientes ICS específicos, como o Kaspersky KICS;

• Realize auditorias regulares de segurança da infraestrutura de TI de construção inteligente para identificar e eliminar possíveis vulnerabilidades;

• Desenvolva uma inteligência atualizada de ameaça junto à equipe de segurança responsável por proteger a infraestrutura de TI de um edifício inteligente.

Acesse a pesquisa na íntegra pelo link Securelist.com.

Noknox lança a versão plus com funcionalidade para reserva de espaços em condomínios

A Noknox , startup que tem por objetivo substituir os interfones conectando pessoas aos seus locais de convivência de forma prática e segura, anuncia o lançamento da sua versão Plus com diversas novas funcionalidades: reserva de espaços, pré-autorização de visitantes, envio de imagens e áudio nas mensagens, envio de imagens nas ocorrências, anexos em comunicados, enquetes, disponibilização de documentos do condomínio, agendamento de mudanças e cadastro de pets.

Na atualização, o usuário poderá identificar os ambientes disponíveis no seu condomínio; como churrasqueira, espaço gourmet, salão de festas, lavanderia e até quadras de tênis para reserva, além de ter acesso a lista de itens disponíveis em cada um deles. “Com um simples toque no celular, é possível encontrar informações sobre cada local, como o número de mesas disponíveis, disponibilidade de louças, talheres, freezer e geladeira. A ideia é facilitar a vida do condômino, sem que ele precise ir até o local para obter essas informações”, explica Joaquim Venancio, CEO da plataforma.

A nova funcionalidade também permite que o condômino crie uma lista de convidados e dispare os convites, que chegam por mensagens de texto, deixando-os pré-autorizados para entrada no horário do evento, evitando que o convidado tenha que esperar a liberação na portaria.

A novidade beneficia síndicos e administradores, melhorando a gestão das áreas compartilhadas do condomínio, otimizando a gestão dos espaços e evitando possíveis problemas, como o conflito de calendário, por exemplo. A iniciativa contribui ainda com o meio ambiente, eliminando papéis, livros e cadernos de agendamento.

Outra novidade da versão Plus é que os usuários podem enviar imagens e áudios nas mensagens, além de imagens para registro de ocorrências e inserção de anexos nos comunicados enviados pelo síndico. O valor mensal da assinatura na versão Plus é R$ 29 por mês para até 20 unidades, e R$1,54 por cada unidade extra.

A plataforma também fez uma mudança que beneficia os usuários da versão Basic, liberando acesso para até 5 pessoas por residência por R$ 9, com um acréscimo de R$ 0,29 por unidade extra. “Percebemos que os clientes amam usar a nossa solução, por isso decidimos ampliar o acesso para que mais pessoas da casa tenham acesso à experiência Noknox, inclusive na versão mais básica”, justifica Joaquim.

As ações fazem parte dos planos de expansão da startup, que recebeu um investimento de 1,7 milhões de reais de investidores-anjo em março deste ano, e desde então tem apresentado um crescimento acentuado. Um exemplo disso é a equipe, que antes contava com três pessoas e hoje possui 19 colaboradores. A expectativa é que o time aumente um pouco mais até o final do ano.

Além disso, a perspectiva é chegar a 60 mil lares até dezembro, o que representará um crescimento de 500% em 12 meses. “O negócio tem superado todas as nossas expectativas. Começamos 2019 com 12 mil lares e hoje já contamos com 55 mil unidades. Tínhamos a meta de chegar a 200 condomínios no país inteiro até a segunda quinzena de setembro, mas alcançamos esse número 40 dias antes”, comemora Venancio.

Taxa Selic em baixa aquece venda de imóveis e faz leilão ser opção interessante

Por André Zukerman

Após passar os últimos anos sofrendo com a instabilidade econômica no país, o setor imobiliário voltou a dar sinais de crescimento nos últimos anos. Diversos fatores explica essa retomada na negociação de imóveis, mas um dos principais é o baixo índice da Taxa Selic, a taxa básica de juros no Brasil. Este indicador influencia diretamente o financiamento imobiliário oferecido por bancos e instituições financeiras, fazendo com que a compra de imóveis volte a ser uma opção de investimento interessante no país – e transformando o leilão em uma opção interessante para quem deseja encontrar ótimas oportunidades.

A expressão Selic é uma sigla para Sistema Especial de Liquidação e Custódia e é utilizada pelo Banco Central para registrar todas as operações que envolvem títulos do Tesouro Nacional. Sua taxa é decidida a cada 45 dias pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do órgão nacional e serve como referência para todos os juros praticados no país – o que faz ser um dos pilares da economia brasileira. Atualmente, o indicador está em 5,5% ao ano, o menor patamar da história, e com forte tendência de queda nos próximos meses.

Justamente por ser a taxa básica de juros do país, essa queda histórica traz impactos importantes em diferentes setores da economia nacional – e afeta mais o mercado imobiliário. Como lembrou o economista Ricardo Amorim em sua palestra na última edição do Conecta Imobi, esta área é muito sensível a qualquer variação econômica. Ou seja, quando o desempenho econômico do país é ruim, o setor é o primeiro a ser afetado e, consequentemente, vê os investimentos serem congelados. Em contrapartida, qualquer melhoria faz com que seja o primeiro a se aquecer.

Quando a taxa Selic chega ao menor patamar da história, com uma queda de mais de seis pontos percentuais nos últimos cinco anos, os juros praticados pelos bancos nos financiamentos também caem, facilitando o acesso ao crédito por parte das pessoas. Com o aumento na procura por imóveis, é preciso encontrar formas para encontrar as melhores oportunidades e conseguir fazer um bom negócio. Dessa forma, é essencial apostar nos leilões, uma modalidade segura, eficiente e prática graças ao avanço da tecnologia. É possível se cadastrar, se habilitar, dar lances e comprar com poucos cliques na plataforma da empresa leiloeira e sem sair de sua própria casa.

Para adquirir o imóvel que deseja neste cenário de aquecimento do mercado, o usuário precisa seguir algumas dicas importantes. A principal delas é ler com atenção o edital completo disponibilizado pela leiloeira. O documento traz todas as informações referentes à negociação, como características do imóvel e as condições de pagamento – há lotes que aceitam financiamentos de instituições financeiras e facilitam ainda mais a aquisição. Além disso, o ideal é ter um planejamento capaz de dar conta de todos os procedimentos exigidos, como pagamento da comissão do leiloeiro, os impostos e a transferência da documentação.

A recessão econômica no Brasil a partir de 2014 desacelerou o setor imobiliário, afastando pessoas que desejavam comprar casas e apartamentos. Foi um período muito difícil que acompanhou a retração dos investimentos em todo o país. Agora, a situação é diferente. O cenário para quem deseja investir em imóveis voltou a ser positivo, com acesso a crédito e preços vantajosos em todas as regiões. Com o auxílio dos leilões, é possível encontrar as melhores propriedades e, principalmente, fazer o negócio dos seus sonhos.

*André Zukerman é diretor da Zukerman Leilões, empresa referência em leilões imobiliários

Drones são capazes de realizar a topografia de obras em minutos

Os drones estão continuamente provando ser ferramentas comerciais poderosas, proporcionando aos usuários eficiência e segurança. E não é exceção para a indústria de topografia e mapeamento. Com a capacidade de capturar dados de uma perspectiva aérea, os drones foram integrados com sucesso aos fluxos de trabalho para realizar levantamentos de terra, fotogrametria, mapeamento 3D, levantamento topográfico e muito mais.

Phantom 4 RTK

A topografia é a ciência que estuda as características presentes na superfície de algum território, como alto ou baixo relevo, declínio ou algum outro acidente geográfico que possa estar presente em um determinado local. Ao ser realizada por drones, o processo é todo realizado por uma perspectiva aérea. Os estudos fornecem informações críticas que permitem tomadas de decisão, desde o planejamento do canteiro de obras até o design e manutenção da infraestrutura, bem como o delineamento dos limites da propriedade cadastral e muito mais.

Fotogrametria por drone

Os veículos aéreos não tripulados, ou VANTs, se destacam por adquirir rapidamente dados de pontos de vista inacessíveis aos seres humanos. Em terrenos desafiadores, os drones substituem os especialistas humanos, o que garante a segurança física dos trabalhadores que não se expõem em locais perigosos ou de difícil acesso.

Além disso, enquanto os métodos tradicionais exigem medição, preparação e planejamento meticulosos, os drones podem capturar dados comparáveis ​​em prazos muito mais curtos. Por exemplo, a STRABAG, uma empresa de construção austríaca, estima que os drones permitem realizar pesquisas de configuração do GCP com tempo reduzido em 75%. Em suma, a pesquisa por drones produz resultados de qualidade de forma rápida, lucrativa e segura.

Drones e BIM

No gerenciamento de construção e projeto, o levantamento realizado por drone pode fornecer dados críticos que acompanham o BIM (Building Information Modeling). Em cada estágio do processo de construção, modelos fotogramétricos ou laser 3D de alta resolução capturados por drones podem ser sobrepostos e comparados com objetos BIM pré-planejados. Isso permite que discrepâncias entre planos e realidade sejam identificadas. A detecção precoce desses problemas pode reduzir erros de construção, omissões e retrabalhos, e essa supervisão do projeto tornou os drones uma parte essencial da construção moderna.