Credihome recebe aval do BC para oferta direta de crédito imobiliário

Credihome recebe aval do BC para oferta direta de crédito imobiliário

A Credihome, plataforma online de soluções de crédito para compradores e proprietários de imóveis, recebeu a autorização pelo Banco Central (BC) para atuar como Sociedade de Crédito Direta (SCD), aval que credencia fintechs a operar diretamente produtos de crédito. A licença é um marco para a proptech de pouco mais de 2 anos de existência que, com isso, ganha autonomia e mais agilidade para inovar na oferta de empréstimos diretos, complementando assim a sua ampla oferta multi-banco.

“A SCD nos eleva a outro patamar, com o peso de um ‘carimbo’ de confiança do Banco Central, após amplo processo de auditorias, análises do modelo de negócio e capacidade de execução atestadas para conquistarmos o credenciamento. Com a SCD, viramos uma fintech de fato ao conseguir emitir os financiamentos que oferecemos dentro de casa”, explica Bruno Gama, CEO da Credihome.

Num primeiro momento, a Credihome fará somente as operações de financiamento imobiliário para aquisição de imóveis e home equity (crédito com garantia imobiliária), porém está habilitada a realizar também serviços de análise e cobrança de crédito para terceiros, além de poder emitir moeda eletrônica.

Criada em 2018, a Credihome é uma investida da Finvest, holding especialista em investimentos alternativos de crédito e imobiliário, por trás de negócios consagrados como Rio Bravo, RB Capital e Captalys. “Sempre acreditamos no crédito imobiliário como um vetor importante para economia, seja no acesso à aquisição ou como instrumento financeiro. Vimos na Credihome um potencial disruptivo muito grande e poder transformador para ir além de um marketplace e trazer alternativas ao público, preenchendo gargalos reais desse mercado, que agora ganha novo impulso após a SCD”, afirma Luis Cláudio Garcia de Souza, fundador da Finvest e co-fundador da Credihome.

Apesar do histórico recente, a startup de crédito já acumula números impressionantes: até o final de setembro, foram R﹩ 750 milhões em crédito imobiliário originado no marketplace da plataforma em 2020, 292% maior que em relação a igual período de 2019. Ao longo do ano, foram mais de R﹩ 40 bilhões em demanda capturada pela plataforma sob forma de leads gerados digitalmente e através da sua rede de mais de 7000 parceiros.

“Além de economizar com o serviço de bancarização que hoje é feito através de um terceiro, vamos ganhar principalmente agilidade no lançamento de novos tipos de financiamento, voltados a segmentos específicos, e no processamento e emissão dos contratos de financiamento a aquisição de imóveis e de home equity”, diz Gama.

Comments are closed