erde & Azul Urbanismo anuncia investimentos em Santa Catarina com um empreendimento sustentável

erde & Azul Urbanismo anuncia investimentos em Santa Catarina com um empreendimento sustentável

Criada sob o conceito de sustentabilidade para aliar o verde das matas ao azul das águas, a Verde & Azul Urbanismo se prepara para lançar um empreendimento único em uma das regiões mais valorizadas de Santa Catarina. Distante dois quilômetros do centro de Tijucas (SC), em uma área de 4,3 milhões de metros quadrados está planejada para se transformar no Reserva Royal, empreendimento que prioriza a harmonia entre as pessoas e a natureza, em um local repleto de mata nativa e nascentes de cursos d’água.
 

A escolha da região foi estratégica: uma fazenda secular da família Bayer, que tem forte relação com a cidade de Tijucas e será transformada em um empreendimento disruptivo, com o intuito de preservar a fauna e a flora, bem como gerar desenvolvimento ordenado. Será o primeiro empreendimento intermunicipal do Estado e um dos maiores do Sul do país. Com início das obras da primeira fase programado para julho de 2022, o Reserva Royal foi precedido por uma pesquisa mercadológica minuciosa e um Master Plan que setoriza e organiza o projeto urbanístico em quatro fases de implantação. Apenas a primeira fase do empreendimento abrange 480 lotes e tem um investimento inicial estimado na ordem de R$ 50 milhões, com prazo de 18 a 20 meses de execução. A segunda fase disponibiliza outros 520 lotes, e na terceira e quarta fase estão previstas novas áreas comerciais, novas centralidades e verticalização moderna.
 

O principal diferencial da Reserva Royal é o aproveitamento da exuberância da natureza disposta em uma floresta de um milhão de metros quadrados de mata atlântica nativa preservada no projeto urbanístico. A título de comparação, a área é maior que Bosques de Palermo, em Buenos Aires, e o Parc du Cinquantenaire, em Bruxelas, oferecendo ar puro e proximidade das pessoas com o verde. “Vamos ocupar espaço dentro de um conceito modernoEm função desse potencial natural ambiental, contemplamos o conceito de que o projeto urbanístico fosse feito para as pessoas, com preservação do verde, sem pensar unicamente na ocupação do concreto”, destaca o empresário e CEO da Verde & Azul Urbanismo, Luiz Carlos Gallotti Bayer.
 

A sustentabilidade é contemplada no projeto urbanístico com diversas alternativas de ocupação da área, desde o processo de captação de água das nascentes, passando pelo aproveitamento da água da chuva nos jardins até a seleção de resíduos (lixo). Nesta primeira fase, um parque já está projetado para se estabelecer numa área de 53 mil metros quadrados, oferecendo playground, trilhas – inclusive de arvorismo (na copa das árvores), e um mirante para observação da floresta, do mar e da cidade de Tijucas. Uma arena de arte cultural e espaços de convivência também estarão neste parque. Outro parque orquidófilo deve ocupar 300 mil metros quadrados de área.
 

Mais do que preservar a área já existente, o projeto prevê a ampliação da mata ciliar, de 30 metros para 100 metros de largura, ao longo de um trecho de quase um quilômetro do Rio Santa Luzia, que faz limite entre Tijucas e Porto Belo. Essa área de aproximadamente 400 mil metros quadrados será destinada à criação de um parque ecológico intermunicipal. “A gente acredita na valorização do empreendimento com o crescimento da área verde”, enfatiza Bayer.
 

Um corredor ambiental esta projetado para alcançar o vasto maciço de Mata Atlântica localizado por trás das cidades de Porto Belo, Itapema e Camboriú. Com isso, muitas espécies de pássaros e répteis serão resgatados, enriquecendo ainda mais a fauna já existente.
 

O parque ecológico terá algumas áreas elevadas que serão ocupadas por modalidades esportivas e de lazer (skate, beach tênis, vôlei, área para churrasco etc). Cercadas por água, o acesso a essas áreas elevadas será feito por pequenas pontes. “Esse é o nosso objetivo principal: que as pessoas tenham local para lazer, para respirar ar puro, para ter uma vida saudável, para praticar esportes. É esse equilíbrio que desejamos”, completa Arthur Quaresma, coordenador de Marketing da Verde & Azul Urbanismo.
 

O projeto urbanístico na primeira e segunda fase também prevê a implantação de área de centralidade para as pessoas, com foco na ocupação sustentável de cidade moderna, contemplando produtos e serviços que possibilitem uma vida completa e com ambiência no local. A terceira fase prevê a verticalização com especificidades próprias, buscando atender uma demanda da região. “Os prédios também têm uma diferenciação estrutural, com mais verde, mais varanda, com mais áreas comuns. A grande diferença é que você não tem poluição sonora da rodovia (BR-101), mas você tem proximidade e acessibilidade”, explica o diretor da Verde & Azul Urbanismo, Rudi Bayer. Na quarta fase serão desenvolvidas as áreas de tecnologia e de saúde.

Comments are closed