Bom momento do mercado imobiliário leva profissionais a mudarem de carreira no RJ

Bom momento do mercado imobiliário leva profissionais a mudarem de carreira no RJ

As resoluções de fim de ano com frequência incluem a conquista de um novo emprego e algumas pessoas vão até mais longe, buscam mudar de carreira – nesse quesito, o mercado imobiliário tem se mostrado promissor. Segundo a Abecip – Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança, em 2020, foram concedidos R$ 124 bilhões em crédito imobiliário no Brasil. O mês de dezembro, especificamente, foi o melhor de toda a história, totalizando R$ 17,5 bilhões. Em todo o ano, foram financiadas nada menos que 426.771 unidades.

Diante deste cenário convidativo, Raquel Couto, que passou mais de 20 anos atuando no segmento de TI, foi uma das pessoas que apostaram na ideia de mudar de carreira. “Eu já estava num processo de transformação, buscando mais autonomia. O desafio era encontrar um negócio onde eu pudesse construir tudo isso sem queda no padrão de vida”, explica.

Raquel decidiu, então, investir no mercado imobiliário, mas de um modo diferente – ela escolheu uma plataforma de tecnologia imobiliária que atua através de franquias conectadas em rede. Hoje ela está entre os 48.973 corretores de imóveis do estado do Rio de Janeiro, dos quais 15.407 são mulheres, atuando na HomeHub de Copacabana.

Mas mesmo com a mudança, ela ressalta que sua antiga profissão foi fundamental para se dar bem nessa nova empreitada. “Eu vim do segmento de TI, trabalhei com vendas de soluções, atendimento a clientes, gestão de vendas. Falamos de produtos e cenários diferentes, mas o fundamento é similar. Todo o background é útil, não somente o relativo à gestão de negócios e de vendas, mas toda a experiência com os projetos de TI e consultoria. Ao longo desta trajetória, aprendi a ouvir os clientes e a encontrar soluções”, comenta.

Visita virtual e outras ferramentas tecnológicas


A arquiteta Sonia Pirá também apostou no mercado imobiliário e agora está à frente da HomeHub Dona Mariana, em Botafogo na zona Sul. Ela diz ter percebido que sua formação poderia ser um diferencial e passou a conciliar as duas rotinas, pois consegue dar informações e assessoria de arquitetura para as adaptações necessárias nos imóveis para cada comprador, além de explicar aos clientes sobre o estado do imóvel e suas características.

“Passei a olhar os imóveis como um caminho comercial lucrativo e dentro da minha expertise. O setor pode ser bastante lucrativo e traz realização para quem compra e para quem vende. Com suporte e tecnologia, diferenciação de atendimento e personalização, oferece as melhores oportunidades para quem quer mudar de carreira”, destaca.

Logo em sua primeira venda, Sonia conseguiu recuperar todo o investimento que realizou. “O comprador era um executivo de uma multinacional que não mora no Brasil e comprou o imóvel após uma visita virtual do exterior. O valor geral da venda foi de R$ 4,4 milhões. Agora estou reinvestindo em ações de marketing”, conta a arquiteta.

Rodolfo Judice, CEO da HomeHub, explica que a plataforma de tecnologia imobiliária conta com dois modelos de franquias, o Office – voltada para as imobiliárias que já têm operação física ou para quem deseja empreender neste mercado, com equipes enxutas e baixo custo – e o Home Broker – indicada para os corretores autônomos ou para aqueles que querem começar no mercado imobiliário e que desejam fazer os seus negócios sem a necessidade de um escritório físico, mas com todo o suporte de uma franqueadora.

“Formar corretores autônomos, inclusive, é uma das nossas missões, o que nos traz vários casos de pessoas que mudam de carreira especificamente para atuar dentro da nossa rede. Somos os únicos no Rio de Janeiro que preparamos esses novos profissionais para o mercado imobiliário com treinamentos online, presenciais e até gamificação, tudo dentro da nossa própria plataforma”, diz.

Todos os franqueados recebem suporte nas áreas jurídica, gestão e marketing digital, assim como CRM integrado à plataforma e acesso a ferramentas tecnológicas como laudo digital, AVM, pesquisa jurídica prévia e dashboard. Além disso, podem oferecer crédito imobiliário, consórcio e home equity diretamente a seus clientes.

Comments are closed