Biofilia: conheça o conceito que tem impactado projetos arquitetônicos

Biofilia: conheça o conceito que tem impactado projetos arquitetônicos

Biofilia tem sido inspiração para harmonizar construção, bem viver e saúde emocional das pessoas

Integrar construção e natureza em projetos arquitetônicos se tornou quesito de desejo, tanto para o público que procura um novo lar, quanto para empresas em espaços comerciais. Isso ocorre porque o bem viver é muito mais complexo do que se espera e está diretamente ligado à questão territorial que envolve não só criações humanas, mas a harmonia com aspectos da natureza como madeira, água, vegetação e luz natural, responsáveis por impactar diretamente a qualidade de vida das pessoas.

O conceito de biofilia, criado em 1985 pelo biólogo Edward Osborne Wilson, aponta para a predisposição de nos sentirmos atraídos pela natureza e seres vivos e, também, como a urbanização nos distanciou dessa experiência. O termo grego significa: amor pela vida e, é neste contexto que os profissionais da área da construção civil têm explorado as vantagens da arquitetura biofílica.

 “Quando falamos em arquitetura biofílica o objetivo é possibilitar que as pessoas se sintam mais calmas, dispostas e relaxadas no ambiente em que estão inseridas. É um conceito que envolve psicologia, saúde e construção. Portanto, trazer a natureza para as fachadas dos edifícios e dentro desses espaços significa contribuir com a melhora do bem-estar”, revela Adriana Macedo Perin, diretora da Víncere Incorporadora.

Um dos primeiros empreendimentos que trouxeram o conceito a Curitiba foi o Serra Juvevê, lançamento da Víncere Incorporadora, inspirado na serra do mar. “A essência do projeto foi introduzir uma vegetação exuberante e ter grandes entradas de iluminação natural para fazer um contraponto com a modernidade proposta pela arquitetura. Além disso, resgatamos componentes rústicos e harmonizamos com cores e texturas para estabelecer uma conexão direta com a natureza. A ideia das floreiras nas fachadas surgiu através da nossa grande inspiração, a Mata Atlântica”, diz o paisagista Felipe Reichmann, um dos autores responsáveis pelo projeto.

Além da ligação direta com a proposta acolhedora e ligada à natureza, o empreendimento traz o conceito de residências panorâmicas, terraços ajardinados para explorar o clima da serra e a vista privilegiada. “O conceito de biofilia é crescente e importante para o momento em que vivemos. É uma tendência que veio para ficar e contribui não só na vida de quem o escolhe, como também para o cenário urbano que está ao redor”, finaliza Adriana.

Comments are closed