Uso de recursos naturais para obter economia em construção civil

Uso de recursos naturais para obter economia em construção civil

É evidente que toda atividade humana tem influência direta ou indireta no meio ambiente e, consequentemente, em seus recursos naturais. É cada vez mais necessário que as organizações desenvolvam práticas que otimizem a utilização desses materiais. O setor de construção civil – um dos mais importantes no crescimento do país – está em busca de maneiras de reverter sua atuação, já conhecida pelos altos índices de desperdício e degradação ambiental.

Uma movimentação do segmento foi a criação de novas certificações ambientais e selos que atestam os preceitos de sustentabilidade seguidos pelas companhias em suas construções.  Alguns são oferecidos pela Green Building Council, entidade que atua em prol às edificações sustentáveis no país.

A busca por certificações demonstra a preocupação das empresas por um progresso contínuo e a valorização de práticas e ações embasadas no tripé da sustentabilidade: melhoria do meio ambiente, crescimento econômico e responsabilidade social. É o caso de grandes organizações do setor como a MPD Engenharia, consolidada na região de Alphaville, em São Paulo.

O empreendimento Myrá Alphaville, da construtora, está em processo de certificação, com previsão de conclusão da obra para abril de 2021. Com projeto arquitetônico e métodos construtivos que priorizam a exclusividade, em torre única com apenas 50 apartamentos, é a maior metragem já anunciada pela empresa: 313 e 410 m².

Os futuros moradores do empreendimento poderão contar com um potencial de desempenho acima do baseline das normas técnicas, com sistemas como: equipamentos de ar condicionado das áreas comuns, que deverão ser mais eficientes (selo Procel A); iluminação de LED em toda a área comum, representando maior eficiência energética;  uso de dispositivos hidráulicos e bacias econômicos com menor consumo de água; reuso de águas pluviais para irrigação dos jardins das áreas comuns; entre outros benefícios.

“As certificações são uma consequência da inquietação que a MPD Engenharia em investir na sustentabilidade no setor. O Myrá foi um empreendimento de certa maneira fácil de atender aos itens da certificação, devido à preocupação que a empresa tem naturalmente com seus empreendimentos. Isso constrói um cenário muito positivo para pensarmos em futuras certificações para este padrão de empreendimentos”, comenta Mauro Dottori, presidente da MPD Engenharia.

Outro exemplo da construtora é o empreendimento Atria.  O residencial, que une alto padrão construtivo e imponência arquitetônica em uma localização privilegiada, conta com projeto impecável com plantas de 228 m² e 285 m² que integram perfeitamente todos os espaços e diferenciais como o conceito double view.

Para reforçar ainda mais a relação do empreendimento com as áreas verde do entorno e o compromisso da empresa com o consumo racional em seus empreendimentos, a estrutura do Atria oferece recursos como sistema automático de
irrigação dos jardins com água de reaproveitamento, central de recepção de lixo
com espaço para armazenamento de lixo reciclável proveniente de coleta seletiva, bacias sanitárias com acionamento duplo e medição de água individualizada.

Comments are closed