Proptech inova com token para os investidores

Proptech inova com token para os investidores

Um dos setores mais buscados por investidores é o imobiliário. Sempre se revitalizando, este mercado tem atraído cada vez mais inovações tecnológicas, e está em alta desde o ano passado, mesmo enfrentando o coronavírus. Segundo a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), em 2020 o setor aumentou 57,5% em relação ao ano anterior.

Para quem está tentando vender um imóvel antigo, a maior preocupação é ficar com a casa “encalhada”, um problema recorrente que a WinWin promete ajudar a resolver.

A Proptech promove parcerias imobiliárias entre proprietários e investidores, usando uma mecânica até então destinada a grandes incorporações. Ao aderir ao programa, denominado Ciclo WinWin, os proprietários podem receber até 50% a mais que o valor de mercado do seu imóvel.

O ciclo começa com uma parceria imobiliária, em seguida um estudo de viabilidade do imóvel é realizado, assim como a contratação de um arquiteto de renome para fazer o projeto de uma nova casa no local. Uma construtora fica encarregada de realizar a obra e o novo imóvel é ofertado ao mercado através das imobiliárias parceiras, na última etapa, o imóvel é comercializado encerrando-se o ciclo e remunerando as partes envolvidas.

“Questões que envolvem a falta de liquidez de casas antigas muitas vezes vão além de tratativas comerciais e entram na esfera familiar. São relacionadas a falta de consenso dos herdeiros acerca das propostas recebidas”, comenta Ricardo Fleury, CEO da WinWin.

Parte do investimento de cada ciclo será tokenizada, permitindo que qualquer pessoa tenha acesso aos ativos. O primeiro ciclo da WinWin já está em andamento, e foi gerado através de uma parceria imobiliária no valor de R$ 4 milhões, referentes a uma casa no Jardim Paulista. A captação de recursos para a obra ultrapassa R$ 2 milhões, e uma parte do investimento está reservada para a tokenização, com lançamento previsto para meados de novembro, e inicialmente para um grupo fechado de investidores.

“Queremos ser protagonistas de uma revolução no setor imobiliário, uma importante ferramenta de democratização de investimentos nesse ramo, hoje restritos a um grupo muito pequeno. Nosso token específico de cada ciclo vai permitir que, por exemplo, estudantes tenham acesso a produtos em bairros como Jardim Paulista e Jardim América”, ressalta Ricardo Fleury.

A Win Win conta ainda com a expertise da Bunker Capital, aceleradora de startups focada em empresas dos mercados imobiliário e financeiro que faz parte do grupo RTSC, uma consultoria de gestão financeira e de investimentos com R$ 10,5 bilhões em ativos sob gestão. A Bunker aportará toda sua experiência tecnológica, ficando também responsável pelo braço de tokenização da empresa, o primeiro esforço do tipo no Brasil.

Comments are closed