Category Mercado Imobiliário

Famílias buscam imóveis no litoral como locais de refúgio e tranquilidade

Mais do que nunca, os locais de refúgio, descanso e bem-estar ganharam novos significados nos últimos tempos. Criar memórias, ter momentos de lazer e proporcionar uma melhor qualidade de vida, traz benefícios não apenas para a saúde física, mas também a mental, além de ser uma oportunidade para criar memórias nas crianças, bem como estreitar os laços familiares.

Em São Paulo, por exemplo, a busca por imóveis no litoral está se tornando cada vez maior. Segundo pesquisa da Data Zap, a procura por apartamentos para comprar, teve aumento de 15,4%, no segundo trimestre de 2021.

Vários fatores, de acordo com a pesquisa, contribuíram para essa movimentação, entre elas, a possibilidade do trabalho remoto, além da busca por qualidade de vida. Para a psicóloga Theresa Christina Rabello (CRP 08/10245), esses momentos são essenciais estar em dia com a saúde mental e trabalhar os sentimentos da melhor maneira. “ A nossa correria do dia a dia, nos faz deixar de lado o prazer nos pequenos momentos. Quando mudamos de ambiente, damos um “ar” para nossa mente. Além disso, esses momentos são fundamentais para as famílias que possuem crianças pequenas, já que são excelentes oportunidades para criar boas memórias com as crianças e também adolescentes”, explicou.

Além de todas essas questões, o litoral paranaense está passando por constantes melhorias, com o anúncio de investimentos do Governo do Estado do Paraná. Nos últimos meses, foram anunciados recursos para as áreas de infraestrutura e engorda da praia de Matinhos.  

Atentos ao novo momento e também nesse movimento de mercado, a Pride Construtora e Incorporadora, lançou seu primeiro empreendimento no litoral paranaense, o Safir Beach Home. “Queremos oferecer para as famílias um local para criar memórias, estreitar vínculos e proporcionar, com toda certeza, lazer, conforto e segurança”, destacou o diretor comercial da companhia, Thiago Kuntze.

O Safir Beach Home, possui estrutura com áreas comuns internas que lembram um clube de lazer. Piscina, academia, quadra esportiva, churrasqueiras, salões gourmet e festas, são alguns destaques do local, e que ganham um charme a mais por estar próximo ao mar e ao verde da mata atlântica ao mesmo tempo.

“O conceito desse projeto, pensamos não apenas em temporadas curtas, mas em proporcionarmos aos moradores um local para conviver os melhores momentos das temporadas da vida. Acreditamos que o litoral é um ambiente que acolhe a todos, sem distinção de idade, quem não se encanta com o sorriso de uma criança ao ver o mar, ou a melhoria na qualidade de vida de uma pessoa maior idade. O Safir consegue atender a todo esse público com comodidade, conforto e qualidade”, destacou Joilson Tuzi, diretor de projetos da Pride.

O empreendimento Safir Beach Home possui dois quartos, churrasqueira na sacada e está localizado em Caiobá, na Rua Alvorada, 558.

Mais informações estão no site da construtora: www.construtorapride.com.br

Prédios inteligentes já são realidade acessível

Por Eduardo Peralta, CEO da Inloop

São Paulo é a cidade no Brasil que mais investe em prédios inteligentes. Na capital paulista, em meados dos anos 2000, a tendência surgiu primeiramente entre os empreendimentos corporativos. Muitos acreditavam que os altos custos com tecnologia inviabilizariam sua aplicação também nos residenciais. Passada mais de uma década, as resistências foram vencidas e o investimento no segmento ganhou forte impulso na construção civil.

Percebe-se, cada vez mais, que os prédios inteligentes não só passaram a ocupar espaço crescente no mapa urbano – parte fundamental da construção de cidades igualmente conectadas – como ficaram acessíveis ao consumidor por meio de programas habitacionais, como o Casa Verde Amarela.

Os avanços já são perceptíveis, como no caso da parceria do grupo anglo-italiano Planet com a construtora paulista InLoop, que iniciaram nos últimos anos a construção de prédios inteligentes e sociais nos bairros de Bela Vista, Freguesia do Ó, Itaquera e Jabaquara, num total de 2.500 apartamentos, a preços acessíveis. Tudo com tecnologia BIM (Building Information Modeling), outro salto na qualidade dos projetos inteligentes. Entre as facilidades, internet grátis, comunicação via aplicativo entre moradores, energia solar, horta e biblioteca de objetos.

Edifícios inteligentes são aqueles que oferecem aos ocupantes um ambiente produtivo, com economia de recursos naturais, baixa ou nenhuma emissão de carbono, sustentabilidade, segurança, conforto e qualidade de vida. Todas as soluções são integradas, utilizando fontes alternativas de energia e comunicação entre diferentes sistemas. A interligação entre prédios poderia resolver questões importantes, como consumo excessivo de energia, vazamentos de água ou gás no prédio ou nas unidades, entre outras tantas facilidades.

Assim, são incorporados sensores, sistemas e interfaces que interagem por meio da internet das coisas.

A criação de edifícios inteligentes aprimora a interação entre ocupantes do prédio e também com os vizinhos de bairro. É um incentivo à economia local e um facilitador do dia a dia. Como todos nós testemunhamos, aplicativos foram canais de conexão entre moradores e facilitaram muita a vida e a comunicação das pessoas, principalmente nos primeiros meses de isolamento.

Outra característica que merece destaque é a dinâmica e a capacidade que os smart buildings têm de evoluir, pois não se trata só de automação, mas de inteligência artificial. Parece sci-fi, mas já é realidade tangível. À medida que aprende com experiências, a IA aprimora não só sua coleta de dados, como a memória e o processamento que faz dela. A evolução é fundamental com a conexão com outros serviços disponíveis nas cidades inteligentes.

A cidade de São Paulo ainda está na dianteira do processo, mas os projetos inteligentes já se espalham de forma consistente pelo Nordeste e o Sul. O caminho para o futuro ainda está em construção, mas já ao alcance de um clique.

Financiamento imobiliário: Média dos juros praticados pelos bancos alcança 9,33%, aponta Melhortaxa

A última reunião do Copom elevou a taxa básica de juros para 10,75%, fazendo a Selic alcançar a casa dos dois dígitos pela primeira vez desde 2017. O movimento já era esperado pelos especialistas, assim como os efeitos das sucessivas altas no custo do financiamento imobiliário. De acordo com levantamento da Melhortaxa – maior plataforma digital de crédito imobiliário do país -, a média das taxas de juros praticadas pelos bancos saltou de 6,96%, há um ano, para 9,33%. Para o CEO da fintech no Brasil, Paulo Chebat, o volume de financiamentos imobiliários começa a estabilizar, após um período de recordes.

“Seguíamos em uma tendência de recordes que agora começa a se estabilizar. Janeiro e fevereiro já devem refletir esta queda, embora historicamente sejam meses de menor movimento”, analisa. 

A principal causa é a maior restrição por parte das instituições financeiras na concessão de crédito, especialmente para o consumidor cujo tíquete médio é de até R$ 400 mil. “É um mecanismo comum para diminuir o risco de inadimplência. Quem possui renda mais elevada tem conseguido crédito com maior facilidade, além de taxas mais baratas”, explica. 

Aumentando as chances da aprovação de crédito

A Melhortaxa sinaliza algumas medidas que aumentam as chances de ser aprovado em momentos como este.

– Manter todos os recebimentos na conta corrente da instituição financeira que a pessoa pretende pedir o financiamento;

– Checar se o CPF está regular;

– Fazer o cadastro positivo no Serasa Experian;

– Conferir os documentos necessários ao fechamento do contrato.

“Atualmente, startups como a Melhortaxa mantêm equipes de especialistas que auxiliam na análise e verificação de toda a documentação solicitada pelos grandes bancos, tornando o processo de financiamento muito mais claro, ágil e provável de ser contemplado”, conclui Paulo Chebat.

Como escolher o melhor financiamento imobiliário

Quanto à modalidade de taxa escolhida – prefixada ou pós-fixada –, o CEO frisa que não existe certo ou errado, mas perfis diferentes de famílias e pessoas que buscam o crédito imobiliário e seus respectivos projetos de vida. “É preciso um planejamento orçamentário, porque trata-se de uma dívida de longo prazo. Uma das coisas mais importantes para não sair no prejuízo é pesquisar bem e observar o CET (Custo Efetivo Total). Nesse sentido, as plataformas de comparação online ajudam com uma boa pesquisa de mercado capaz de devolver as melhores propostas, incluindo valores estimados das parcelas, custos detalhados e os seguros atrelados”. 

Chebat acrescenta ainda que abrir o leque de possibilidades de financiamento, levando em consideração outros modelos, como a carta de consórcio, são alguns dos mecanismos que o consumidor tem para atenuar o impacto da alta de juros.

Mesmo que a janela de oportunidade ideal para o financiamento tenha passado, Chebat afirma que, à medida em que a inflação for controlada e a Selic voltar a cair, os juros também irão retornar a patamares menores. “A dúvida é se a velocidade de redução será tão ágil quanto foi a de subida. De todo modo, quem fechar contrato em 2022 poderá se beneficiar da portabilidade, quando o movimento de queda for retomado”, destaca, lembrando que a portabilidade é um direito do consumidor, amparado por lei.

Com 900 contratações em 2021 e expectativa de aumentar em 20% o quadro de colaboradores, construtora registra crescimento

O setor da construção civil se manteve em alta durante os dois últimos anos, mesmo com o impacto das crises sanitária e econômica. O segmento foi um dos dos que mais gerou empregos, sendo essencial para sustentar a economia do país no período. De acordo com a Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), as vendas e os lançamentos de imóveis novos cresceram durante os anos de 2020 e 2021, e o segmento de luxo encabeçou esse aumento, registrando crescimento de 32%, apenas em 2021.

O Grupo A.Yoshii, construtora e incorporadora referência no mercado de alto padrão, gerou mais de 900 vagas e lançou 12 novos empreendimentos em São Paulo e no Paraná no ano passado. A previsão é que os investimentos se mantenham em 2022. “Com a pandemia, muitas obras pararam nos primeiros meses de 2020, mas retomamos os trabalhos em pouco tempo, com cuidadosos protocolos com a saúde do colaborador. Além das obras em andamento, estimamos 26 lançamentos neste ano e projetamos contratar aproximadamente 600 colaboradores em todas as praças onde atuamos nos segmentos administrativo e operacional”, conta o diretor de Recursos Humanos da A.Yoshii, Aparecido Siqueira. 

Construção civil vê dificuldade para contratar mão de obra

Um estudo desenvolvido pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) revelou que 77% das empresas do segmento estão com dificuldade em recrutar força de trabalho. Segundo a pesquisa, mais de 65% das empresas informam que um dos cargos mais difíceis de se preencher é o mestre de obras que faz a gestão da construção. Na sequência, aparecem carpinteiro, com 55% das menções, e pedreiro, com 46%. De acordo com Aparecido Siqueira, isso não ocorre apenas no setor de obras corporativas e industriais, mas também no residencial.

“Hoje, a oferta de profissionais técnicos qualificados em construção civil no mercado é baixa e a tendência desse quadro é diminuir ainda mais. Os profissionais mais difíceis de encontrar são os que ocupam os cargos de liderança como mestre de obras e encarregados, os responsáveis por instalações como eletricistas e encanadores e ainda oficiais de acabamentos. Acreditamos que um dos problemas está relacionado aos novos sistemas construtivos, que necessitam de capacitação especifica”, explica.

Cursos profissionalizantes 

Prevendo lançar 26 empreendimentos e contratar aproximadamente 600 colaboradores neste ano, o grupo investe em qualificação profissional dos seus funcionários. 

“A nossa empresa investe constantemente no desenvolvimento e aprimoramento da equipe interna, por meio de mentoria, treinamentos e cursos específicos para as diferentes áreas de atuação. Também investimos na melhoria de nossos processos internos que visam aumentar a produtividade e a excelência na realização das tarefas. Mas, ainda assim, sentimos que falta capacitação no mercado. Apesar de ter vagas, muitas delas ficam meses abertas porque não encontramos um profissional especifico”, ressalta.

A dica para quem está procurando vagas no setor é buscar entender quais são os gargalos das empresas e se qualificar. “Existem diversas entidades e escolas com cursos específicos. O profissional precisa fazer essa capacitação e entender que quanto mais acompanhar as novidades do setor e adquirir conhecimento, maiores são as oportunidades”, diz. Para acompanhar as novidades e conferir as vagas em aberto, basta acessar ayoshii.com.br/pt-br/trabalhe-conosco

Condomínios de casas maiores viram tendência de mercado nos últimos dois anos

O setor imobiliário já convive com uma das principais mudanças geradas pela pandemia da Covid-19. O home office, que se tornou padrão no país em 2020 e deve seguir como opção e legado desse período, despertou uma nova forma de viver e se relacionar com a própria casa. Há uma busca maior por residências com mais espaço para se ter mais conforto ao trabalhar e viver as experiências com a família, com mais opções de lazer, sem a necessidade de estar em grandes centros urbanos.
 

Essa tendência já coloca em destaque quem se adaptar rapidamente ao novo desejo dos clientes, como fez a Ekko Group, incorporadora de empreendimentos de alto padrão que já é líder em Osasco e Granja Viana e, recentemente, chegou a Alphaville. Ao desenvolver o Ekko Live Granja Viana, complexo de casas horizontais, totalmente adaptados à nova rotina, teve seu primeiro condomínio, o Ekko Live Granja Viana 1, com 50% de vendas em apenas 4 horas e 65% das casas comercializadas somente no primeiro final de semana de abertura, em novembro de 2020. Depois disso, o Ekko Live Granja Viana 2 foi lançado em julho de 2021, e, em novembro, os condomínios 3 e 4, com unidades à disposição do público dentro do complexo.
 

Casas horizontais em alta

Se antes as pessoas focavam em grandes centros, com localização mais próxima ao trabalho, o momento agora é de priorizar o conforto de metragens maiores, mesmo que em regiões mais afastadas, desde que possuam mais contato com a natureza e boa infraestrutura.
 

Localizado em Cotia, na Grande São Paulo, o Ekko Live Granja Viana 1, por exemplo, conta com 156 unidades, com casas que possuem metragem que variam de 119 a 168 m², com três opções de tipologias (Duplex, Triplex Gourmet e Triplex Garden), incluindo duas alternativas de acabamentos de fachada. Há piscinas individuais em todas as unidades e variações de plantas à escolha do cliente, sendo uma delas com área de home office plenamente integrada, substituindo os espaços improvisados utilizados em moradias menores. Já o Ekko Live Granja Viana 2 conta com casas de 169 a 172m² e apartamentos com 114 a 135 m², enquanto o Ekko Live 3 e 4 oferecerá charmosas e amplas casas com metragens de 151 m², com 3 suítes, piscina privativa, churrasqueira e 3 vagas de garagem.
 

O casal Monick e Ricardo decidiu trocar um apartamento na Vila Mascote, zona sul da capital paulistana, por um Triplex Garden, com dois quartos e uma suíte no segundo andar, no Ekko Live Granja Viana 1. O casal conta que escolheu a Granja Viana como seu novo bairro pela infraestrutura, além de ter mais espaço e contato com a natureza e clima charmoso.
 

“Percebemos que usufruiríamos muito dos benefícios de morar em uma casa, com muito mais espaço, e de ter uma piscina sem precisar sair de casa. Embora aproveitássemos muito as comodidades do nosso condomínio anterior, elas estiveram fechadas durante um bom tempo. Hoje, já estão abertas, mas com restrições e lista de espera. E a necessidade maior foi precisarmos de dois escritórios. Com os dois trabalhando em casa desde março de 2020 e as aulas do Bernardo (filho de 5 anos de idade), precisei usar uma área comum da casa para essa finalidade. A piscina privativa também pesou na escolha”, explicou Monick Miranda Ribeiro, de 42 anos, especialista de sistemas em TI.
 

“Gostamos muito do condomínio, do lugar e, principalmente, do cronograma que se adapta à nossa logística para fazer a mudança de casa, de escola e de como imaginamos que ficará a nossa rotina de trabalho daqui em diante”, completou Ricardo Luiz Miranda Ribeiro, de 39 anos, gerente de TI.
 

Granja Viana: o bairro preferido de quem busca qualidade de vida

Ar puro, área verde e clima agradável fazem da Granja Viana, localizada na zona oeste de São Paulo, um bairro nobre querido por quem quer viver melhor, combinando um estilo de vida mais calmo, espaços maiores e confortáveis. Outra característica que faz da região um sonho de moradia é disponibilizar tudo o que a capital paulista oferece, com recursos para suprir as necessidades diárias dos moradores, além de facilidades como opções de compra, trabalho e lazer.
 

Conceito Ekko Live Granja Viana

O Ekko Live Granja Viana foi pensado para atender a todas as demandas do público, cumprindo a proposta do bairro: condomínios com amplas casas, onde há mais espaço e qualidade de vida, próximo à natureza e, ao mesmo tempo, é vizinho dos centros urbanos, escolas e principais serviços, sem abrir mão de segurança, estruturas compartilhadas de lazer, opções de alta tecnologia e crescente preocupação com a sustentabilidade ambiental. O empreendimento se encontra em uma localização privilegiada, com acesso a importantes vias, como o Rodoanel Mário Covas e a Rodovia Raposo Tavares.

“Somos protagonistas de um mercado movido por sonhos, e o sonho de viver em uma casa fora dos grandes centros ganhou novos contornos com a pandemia e o home office como um legado desse período. A residência precisa cumprir novas funções, oferecer funcionalidade, bem-estar, espaços amplos, home office estruturado, espaço para prática de atividades físicas e contato com a natureza. Entendemos esse desejo do público dentro do nosso objetivo de criar experiências transformadoras de vidas. Sabemos que temos um papel fundamental de transformação positiva, deixando marcas que definirão a sociedade atual e futura”, afirma Diego Dias, CEO da Ekko Group.
 

“Ao adquirirmos o terreno do Ekko Live Granja Viana, pensamos, primeiramente, em um condomínio com casas e apartamentos, mas esse projeto foi totalmente modificado para se manter 100% horizontal. Ao detectarmos a oportunidade de mercado, antecipamos o lançamento dos dois primeiros condomínios, que seria em meados de 2021, para novembro de 2020, e já fizemos o lançamento de outros dois condomínios do complexo em novembro do ano passado. Mesmo com a mudança da data, tivemos o cuidado, que consideramos fundamental, de preservar cada detalhe, para atender a esse novo jeito de viver e morar. Até mesmo um espaço com lockers inteligentes para acolher compras feitas online está entre as inovações que desenvolvemos. Além disso, por ser desejada por mais de 90% dos clientes, a piscina privativa inaugurada pelo Ekko Live Granja Viana passa a ser item de linha para os nossos condomínios horizontais”, continuou Diego Dias.
 

Expertise da Ekko Group

Para atender a um público que busca empreendimentos de alto padrão que ofereçam qualidade de vida aliada ao conforto e segurança, a Ekko Group desenvolveu o conceito Ekko Live, uma linha especial de condomínios horizontais, com moradias com 2 a 3 pavimentos, jardim privativo e 2 vagas de estacionamento. O objetivo é permitir ao cliente desfrutar de plantas exclusivas e funcionais, em um ambiente seguro, vivendo ao lado da natureza, com excelente infraestrutura de comércios e serviços, mas também muito próximo das comodidades dos grandes centros.
 

Atualmente, a incorporadora já conta com dez outros empreendimentos programados, totalizando cerca de 1200 unidades para o próximo ano, sendo o Ekko Live Granja Viana seu primeiro lançamento, em novembro de 2022. Os condomínios horizontais no conceito Ekko Live representaram mais de 50% dos lançamentos da companhia em 2021, quando a empresa totalizou R$ 1 bilhão em VGV (Valor Geral de Vendas, que é resultado da soma do valor potencial de venda de todas as unidades dos empreendimentos lançados pela empresa), divididos em proporções bem similares entre Granja Viana, Alphaville e Osasco. A Ekko Group projeta um valor ainda mais alto em 2022, com dez lançamentos previstos.
 

Desde o início de suas operações em 1999, com a construção de casas, a Ekko Group já havia percebido esse movimento dos condomínios, o que fez com que se tornasse líder de vendas e referência nesse segmento em Osasco e Granja Viana. Só na Granja Viana, já são oito condomínios lançados (Authentiq, Modern Townhouse, Maderá, Raritá e os Ekko Live Granja Viana 1, 2, 3 e 4), somando 488 casas horizontais — sem contar os apartamentos.
 

São ações de uma empresa com 22 anos de atuação, marcada por uma gestão familiar de sucesso, começando com casas pontuais em Osasco, Alphaville e Granja Viana e que evoluiu para uma holding com governança corporativa e atuação em toda a cadeia produtiva, vivendo um momento de afirmação para ser protagonista em um período de profunda readequação do setor imobiliário. Promovendo sua expertise de oferecer experiências únicas de moradias de alto padrão, a Ekko Group já conta com 30 projetos lançados e mais de 40 em desenvolvimento.

Com VGV de 6,3 bilhões em 2021, RE/MAX Brasil registra melhor ano de sua história

A RE/MAX Brasil, empresa que mais vende imóveis no País, registrou em 2021 o maior faturamento de sua história: R$ 6,297 bilhões em Valor Geral de Vendas (VGV), alta de 75% na comparação com 2020. A quantidade de unidades também aumentou, para 550, bem como a de corretores empreendedores, para 7972 — crescimento de 24% e 47%, respectivamente.

Além dos significativos números, o ano ficou marcado pelas premiações, concedidas pela Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, que elegeu a RE/MAX como a melhor franquia 2021/2022, e pela Associação Brasileira de Franchising (ABF), que apontou a companhia como uma das cinco redes que mais crescem.

“O ano passado foi ótimo para o mercado imobiliário brasileiro como um todo e, particularmente, para RE/MAX Brasil. O que nos deixa mais confiantes é que esses números, de receita ou de expansão da rede, além de explosivos, são consistentes e superam a média do mercado – em quatro anos, nosso faturamento aumentou em dez vezes e a quantidade de unidades mais que quadruplicou”, diz Peixoto Accyoli, presidente e CEO da empresa. “Assumi a companhia, em 2016, com três focos: elevar o faturamento, ampliar o número de lojas e aumentar a força de vendas. É isso que temos feito e que vamos continuar fazendo”.

Quando enfatiza a importância da força de vendas, o executivo também menciona uma das principais habilidades da RE/MAX: recrutar, reter e desenvolver o corretor associado. “É ele, o corretor, quem faz o trabalho imobiliário, é ele quem está no topo da nossa organização. É ele, no nosso modo de entender, quem contrata a RE/MAX para trabalhar, não o inverso”, afirma.

Para 2022, os objetivos já estão traçados, e consistem em alcançar um VGV de R$ 9 bilhões e elevar o número de unidades para 700. São metas factíveis e ambiciosas. Para batê-las, os pilares estratégicos da companhia permanecem os mesmos: reconhecimento de marca, investimento em tecnologia, empreendedorismo dos corretores e cultura empresarial focada nas pessoas.

“A RE/MAX é a junção das melhores práticas mundiais em uma única caixa de ferramentas. Se você quer otimizar recursos, fazer as coisas da maneira certa e com o melhor resultado, nós entregamos todos os instrumentos”, afirma Accyoli. “Costumo dizer que a gente é people first. Mas também somos people tech. Ou seja, somos uma empresa de pessoas, não de tecnologia, mas a gente a utiliza intensamente, e com alta eficiência de processos, para cumprir a nossa maior missão: resolver o problema do cliente”.

MRV amplia uso da tecnologia BIM em seus métodos construtivos

Até janeiro de 2.023, 100% das obras da MRV deverão ser executadas com uso da tecnologia BIM (Building Information Modeling), desde a concepção até a etapa final. A meta faz parte de um plano de inovação, iniciado ainda em 2015, que paulatinamente vem integrando a modelagem tridimensional aos mais variados processos que envolvem a construção de moradias.

Atualmente, todos os projetos que estão em andamento na MRV já nasceram dentro desse novo conceito de metodologia em 3D, que substitui as tradicionais plantas de construção e reúne todas as informações de uma obra em uma única base de dados, totalmente digital. Um deles é o Residencial Tupinambás, no Rio de Janeiro, que já está em fase de conclusão (vide foto).

O objetivo para os próximos 12 meses é integrar o BIM a todas as etapas do processo construtivo, até a fase de entrega (detalhes abaixo).

Inovação

O software permite que os mais variados setores envolvidos possam, de maneira colaborativa, projetar, construir e operar uma edificação. Dessa forma, garante maior agilidade, eficiência e, sobretudo, qualidade na aplicação dos materiais e dos métodos construtivos adotados.

Desde janeiro de 2021, mais de 250 empreendimentos foram projetados via BIM. “Todos os lançamentos que estão em execução este ano foram criados a partir do BIM. Nenhum projeto nasce mais sem o uso dessa metodologia”, destaca André Jorge de Souza e Souza, gestor executivo de projetos da MRV.

Vantagens

Dentre as principais vantagens observadas, ele cita a facilidade de compatibilização das estruturas das edificações projetadas com sistemas de hidráulica e elétrica. “Antigamente isso era feito a partir da sobreposição de plantas e havia muitos conflitos. Alguns, inclusive, só eram identificados durante a execução das obras ou até mesmo depois. Ao mudar o processo de modelagem, com a construção virtual, a assertividade passou a ser muito grande. O projeto nasce praticamente compatível entre si. Tudo é testado ainda na fase de planejamento”, enfatiza Souza.

Ele também menciona a possibilidade de melhor aproveitamento e ocupação de terrenos. “O BIM ajuda muito nesse sentido. A topografia dos terrenos é captada por drones, e o conteúdo já é imediatamente traduzido para o software de modelagem. Dessa forma, fica muito mais fácil buscar soluções em cima de um modelo 3D”.

Outra vantagem mencionada por Souza é a possibilidade de rastrear eventuais problemas futuros. “Por reunir todas as informações que envolvem a construção, o BIM funciona como um data-base para a toda cadeia. É um banco de dados que fica guardado para a eternidade e pode ser acionado a qualquer momento. Tudo isso se reflete em qualidade e segurança”.

A nova tecnologia também já vem auxiliando clientes no momento da decisão da compra do imóvel. “Por meio do BIM, já é possível avaliar as exatas dimensões de cada imóvel; a luminosidade; diferentes tipos de revestimento e de decoração. O cliente tem uma maior clareza e entendimento em relação ao imóvel que se quer comprar ainda durante a fase de projeto”, ressalta o gestor de projetos da MRV.

Integração total em 2023

O desafio para os próximos 12 meses, segundo ele, é agregar o BIM a todas as etapas que envolvem o processo construtivo das moradias erguidas pela MRV. “Além da fase de projetos, onde já está presente em 100% das etapas, queremos incorporar o uso dessa tecnologia às fases de execução, agregando variáveis de tempo, custo, estoque, gestão de ativos, eficiência e até mesmo sustentabilidade”.

Emccamp Residencial lança novo condomínio do maior empreendimento do programa Casa Verde e Amarela em BH

Quem busca morar em um lugar que ofereça segurança, infraestrutura de um bairro planejado e opções de lazer e comércio, está diante de uma boa oportunidade. A Emccamp Residencial, empresa que acaba de completar 45 anos de atuação no  setor da construção civil, acaba de lançar o nono condomínio residencial do Parque Cerrado, considerado o  maior empreendimento do programa Casa Verde e Amarela em Belo Horizonte.  

O Residencial Parnaíba, que está sendo erguido no bairro Monte Azul, região Norte da capital mineira, a dez minutos da Estação São Gabriel e da avenida Brasília, terá 220 unidades, divididas em 11 blocos, de cinco pavimentos. São apartamentos de dois quartos, de 43,33 m², com 74 vagas de estacionamento.  O residencial também oferecerá salão de festas com forno de pizza e churrasqueira, bicicletário e playground. As unidades estão sendo comercializadas a partir de R$ 152.900,00. O projeto terá subsídio de até R$26.350,00 do Governo Federal, financiamento em até 360 meses e as menores taxas de juros do mercado.  

“Os apartamentos são os maiores do programa Casa Verde e Amarela, cumprindo a NBR 9050. A norma prevê o dimensionamento necessário para pessoas com necessidades especiais. Todos os nossos apartamentos foram planejados para ter acessibilidade”, conta Andre Campos, vice-presidente da Emccamp. 

Tendência do novo morar 

Cada vez mais as pessoas zelam pela acessibilidade, querendo ter tudo por perto, sem ter que se deslocar para resolver as necessidades do dia a dia. Nesse cenário, o bairro planejado se tornou um grande atrativo: ele é estruturado para ter centros comerciais e espaços de lazer ao lado das residências.  

Esse é o caso do Parque Cerrado, cujo projeto foi pensado para beneficiar tanto os moradores, quanto o município e investidores que buscam espaços urbanos amplos para construções modernas e sustentáveis. Com um VGV de R$337,9 milhões, o mega-empreendimento alia moradia, lazer, infraestrutura de  serviços e comércios e custo-benefício.  

Infraestrutura planejada 

Pensando na comodidade dos futuros moradores, o Parque Cerrado contará com um centro comercial, construído pela My Mall, empresa especializada na elaboração de comerciais práticos, eficientes e seguros.  Com investimentos de R$ 7 milhões, o My Mall Power Parque Cerrado contará com 12 lojas, sendo uma loja-âncora já firmada com o Supermercados BH e uma filial da padaria MixPão. O centro comercial ocupará área de 5 mil metros quadrados, sendo 2 mil para a locação de lojas. Possui 91 vagas para estacionamento, com 10 exclusivas para motocicletas e uma destinada a carga e descarga.  

“O conceito foi estudado durante cinco anos, em conjunto com o poder público, para entendermos as reais necessidades do futuro morador. Unificamos todas as exigências da Prefeitura: as questões de educação, saúde, meio ambiente e os projetos urbanístico e arquitetônico. Tudo isso aliado a áreas de lazer, de comércio e habitação. Conseguimos moldar todos esses pontos para chegar no produto final”, destaca Andre Campos. 

Além dessa estrutura, a prefeitura implantou um posto de saúde, e irá disponibilizar serviços como escola, posto policial, BH Cidadania e creche. As áreas foram doadas pela Emccamp e os projetos foram entregues ao poder público, que é o responsável pela execução das obras. 

Sustentabilidade e qualidade de vida 

O Parque Cerrado está localizado no bairro Monte Azul, na região Norte de Belo Horizonte, a 20 minutos de carro do Centro. Também está próximo do transporte público, como ônibus e a Estação de Metrô São Gabriel, que dão acesso a toda região metropolitana. A questão ambiental também é um ponto que a Emccamp investiu neste projeto. As áreas verdes e as nascentes foram preservadas. A empresa ainda vai construir uma ciclovia no bairro e uma praça com quadra e equipamentos de ginástica. “São quase 500 mil metros quadrados de áreas sociais, ruas e avenidas, tudo muito bem distribuído, sem aquela sensação de adensamento”, observa Andre Campos. 

Preços de locação voltam a acelerar em janeiro, com alta de 1,03%

Segundo Índice FipeZap+, Goiânia, Curitiba, Florianópolis e Salvador se destacaram entre as capitais com os maiores aumentos

 Análise do último mês: o Índice FipeZAP+ de Locação Residencial, que acompanha o comportamento do preço médio do aluguel de imóveis residenciais em 25 cidades brasileiras*, registrou alta de 1,03% em janeiro de 2022. O resultado corresponde ao sétimo avanço consecutivo do índice, bem como nova aceleração frente às variações apuradas em julho (+0,13%), agosto (+0,37%), setembro (+0,52%), outubro (+0,57%), novembro (+0,66%) e dezembro (+0,80%). Comparativamente, a variação mensal do índice superou a inflação ao consumidor medida pelo IPCA/IBGE (+0,54%), embora tenha permanecido abaixo da apuração mensal do IGP-M/FGV para janeiro (+1,82%). No cômputo individual, todas as 25 cidades monitoradas pelo Índice FipeZAP+ apresentaram elevação nos preços do aluguel residencial, com destaque para as seguintes: Goiânia (+3,72%), Pelotas (+2,38%), Barueri (+2,38%), Curitiba (+2,34%), São José dos Campos (+2,16%), Santo André (+2,10%), Niterói (+1,78%) e Campinas (+1,75%). Entre as capitais monitoradas, as variações registradas no último mês foram as seguintes: Goiânia (+3,72%), Curitiba (+2,34%)., Florianópolis (+1,68%), Salvador (+1,57%), Recife (+1,30%), Rio de Janeiro (+1,18%), Brasília (+1,14%), Fortaleza (+1,06%), São Paulo (+0,53%), Belo Horizonte (+0,30%) e Porto Alegre (+0,11%).

Análise dos últimos 12 meses: em um recorte temporal ampliado, o Índice FipeZAP+ de Locação Residencial acumula alta de 4,71% em 12 meses, variação inferior à inflação registrada pelo IPCA/IBGE (+10,38%) e pelo IGP-M/FGV (+16,91%) para o mesmo período. Em contraste à apuração na cidade de São Paulo, onde os preços de locação residencial recuaram 0,11% nos últimos 12 meses, as demais 24 cidades monitoradas pelo índice exibiram alta em seus respectivos preços, destacando-se: São José (+26,62%), Guarulhos (+18,26%), São José dos Campos (+17,68%), Joinville (+16,24%) e Curitiba (+15,90%). Considerando o rol de capitais monitoradas, os maiores avanços de preço nos últimos 12 meses foram registrados em: Curitiba (+15,90%), Florianópolis (+12,48%), Recife (+11,66%), Fortaleza (+11,11%), Goiânia (+8,22%), Belo Horizonte (+6,90%), Brasília (+5,78%) e Salvador (+5,13%).


■ Preço médio de locação residencial: com base em dados de 25 cidades monitoradas pelo Índice FipeZAP+ de Locação Residencial, o preço médio do aluguel de imóveis residenciais encerrou o mês de janeiro de 2022 em R$ 31,85/m². Comparando-se a apuração nesse mês nas capitais acompanhadas, São Paulo apresentou o preço médio de locação mais elevado no último período (R$ 39,91/m²), seguida pelos valores médios registrados em: Recife (R$ 36,07/m²), Brasília (R$ 34,39/m²) e Rio de Janeiro (R$ 32,42/m²). Já as capitais monitoradas com menor valor de locação residencial no último período incluíram: Fortaleza (R$ 19,20/m²), Goiânia (R$ 20,36/m²), Curitiba (R$ 24,35/m²) e Porto Alegre (R$ 24,93/m²).
 

 Rentabilidade do aluguel: a razão entre o preço médio de locação e o preço médio de venda dos imóveis é uma medida de rentabilidade (rental yield) para o investidor que opta em adquirir o imóvel com a finalidade de obter renda com aluguel. Na prática, o indicador pode ser utilizado para avaliar a atratividade do mercado imobiliário em relação a alternativas de investimentos disponíveis. Com base nas últimas informações, o retorno médio do aluguel residencial foi de 4,69% ao ano — taxa inferior à rentabilidade média projetada para aplicações financeiras de referência


Nota (*): os preços considerados se referem a anúncios para novos aluguéis. O Índice FipeZAP+ de Locação Residencial não incorpora em seu cálculo a correção dos aluguéis vigentes, cujos valores são reajustados periodicamente de acordo com o especificado em contrato. Como resultado, o índice capta de forma mais dinâmica a evolução da oferta e da demanda por moradia ao longo do tempo.

Fundo Garantidor de Créditos anuncia leilão de prédio comercial no Ipiranga, zona sul de São Paulo

O Fundo Garantidor de Créditos — FGC, entidade privada, sem fins lucrativos, que administra o mecanismo de proteção aos investidores e depositantes de instituições financeiras associadas, vem realizando uma série de leilões desde o ano passado. Ao todo, 90 imóveis entre terrenos, salas e prédios comerciais e unidades residenciais já foram arrematados – sendo um deles já em 2022. Agora, o Fundo anuncia o leilão de um prédio comercial de mais de 700 metros de construção, e 800 de área total, no Ipiranga, bairro da zona sul paulistana. O imóvel, que está localizado na Silva Bueno, importante rua comercial da região, tem lance inicial de R$ 2 milhões e será leiloado on-line no próximo dia 22 de fevereiro, às 11 horas, em parceria com a Leilão Vip. Interessados podem saber mais informações pelo site do FGC.


Todos os imóveis do FGC foram recebidos em dação de pagamento na liquidação de operações de assistência e suporte proporcionadas às instituições associadas, na recuperação de créditos, ou recebidos mediante execuções de contratos frente a inadimplentes. De acordo com a política do FGC, os imóveis são periodicamente avaliados e são ofertados para venda por meio de leilão, corretora de imóveis ou venda direta.

Os imóveis são entregues sem débitos de impostos, condomínios e contas em geral.

Para acessar a lista completa de imóveis clique aqui.