Category Mercado Imobiliário

Empreendimento imobiliário brasileiro recebe prêmio internacional de arquitetura e design

Acqualina Residence, do escritório A5 Arquitetura, é destaque na América Latina e Central

Um dos maiores prêmios de Arquitetura e Design do mundo colocou uma construção brasileira como destaque internacional. O Acqualina Residence, atualmente em fase de execução na Avenida XV de Novembro, no centro de Maringá, no interior do Paraná, foi o vencedor na etapa Brasil e Américas Latina e Central do International Property Awards na categoria Residential High-Rise Development (arranha-céus residenciais em execução). 

A premiação é formada por um júri composto por mais de uma centena de profissionais atuantes na arquitetura em diferentes países e celebra os mais altos níveis de empresas que operam em todos os setores imobiliários. O empreendimento ainda disputa a primeira colocação em empreendimentos das Américas com um projeto americano e um canadense. 

O residencial de 32 andares foi desenvolvido e assinado pela A5 Arquitetura para a Construtora Futuro e lançado em 2020 pela Pedro Granado Imóveis. “Ser reconhecido pelo  International Property Awards é receber uma chancela de excelência mundialmente conhecida. Estamos felizes em poder oferecer para nossa cidade e aos futuros moradores um empreendimento premiado a nível mundial”, o CEO da A5 Arquitetura, Eduardo Paulino.

O projeto premiado

O Acqualina Residence ganhou visibilidade internacional por diferenciais em sua arquitetura inovadora e design que promete se tornar cartão postal da cidade de Maringá. O prédio de alto padrão é inspirado em tendências internacionais de edifícios residenciais, hotéis e resorts high end e promete entregar uma proposta arrojada e sofisticada, equilibrando a serenidade e a segurança que as famílias procuram e merecem. O foco está em aproximar o lazer da rotina dos moradores, promovendo uma experiência diferenciada nas áreas compartilhadas e foi projetado para ser o condomínio de alto padrão mais completo da cidade. 

Entre os atrativos do Acqualina estão um business center completíssimo, com cabines individuais e salas de reunião altamente equipadas; um wine club – espaço reservado aos amantes de vinho, com cozinha gourmet, mesa de poker e adegas individuais para cada apartamento, que são abertas por sistema de biometria; e uma ampla área de piscinas (externa e interna) que, nos fins de semana e feriados, contará com serviços de hotelaria, com bar e fornecimento de toalhas, por exemplo. Há ainda áreas de spa, kids club, um elegante salão de festas para cem pessoas e uma área gourmet com piscina privativa, que permite pool parties reservadas para os convidados do morador.

Outro diferencial é o boulevard que, de forma gentil e sofisticada, divide as áreas de lazer que podem ser frequentadas apenas pelos moradores e aquelas das quais os convidados também podem desfrutar. O espaço fica no interior do edifício e lembra uma área comum de centros empresariais e shoppings centers de alto padrão.

Nas áreas privativas, há diferenciais em relação aos apartamentos standard (358,47m²) e premium (411,25 m²) – estes localizados nos primeiros seis andares do edifício, com uma metragem extra para que o morador tenha seu próprio jardim ou spa privativo na sacada, valorizando os andares inferiores. 

Ao todo são 32 unidades, uma por andar, com quatro possibilidades diferentes de plantas. Todos os apartamentos têm vista de 360° da área externa e podem ter até cinco suítes, tornando-se um diferencial para aqueles que têm uma família maior e não querem perder a qualidade do espaço. Além disso, para cada unidade,além das vagas de estacionamento privadas, há ainda uma Garage Box, com tomadas para carregamento de carros elétricos e a intenção de que o morador possa equipá-la com aquilo que é seu hobbie – um espaço para mecânica ou guardar seu veículo de colecionador, sua moto, seu barco…

A arquitetura do edifício foi inspirada na beleza do cristal e de águas límpidas, trazendo a sensação de leveza e fluidez com design natural e orgânico, promovendo um espaço ao mesmo tempo agradável e impressionante. “O Acqualina foi concebido para atender a um público muito exigente, familiar, que, além de experimentar experiências de alto padrão, busca o bem-estar completo em sua casa. A metragem de mais de 400 metros quadrados atende perfeitamente às pessoas que, de alguma forma, têm preferência por casas térreas pela amplitude de seus espaços, conforto e possibilidades de lazer. As plantas dos transportam os moradores para essa realidade, mas dentro da segurança e praticidade que só um apartamento oferece”, destaca Paulino.

Segurança, sustentabilidade e inovação também foram pontos de destaque para que o projeto conquistasse a premiação internacional. O uso de tecnologia de eficiência energética e medidas ecológicas implementadas na gestão de luzes, ar condicionado e horário de funcionamento das áreas comuns por automação, evitam o desperdício e o uso indevido de energia. Os métodos de construção também contam com sistema de reaproveitamento de água da chuva para manutenção e irrigação de jardins e há medidas que promovem melhor isolamento térmico e acústico e sistemas de envidraçamento com controle solar.

Todas as unidades já foram vendidas ainda na planta. “Sabemos que aqueles que compraram foram consumidores finais e não investidores. Isso validou a conceitualização do edifício”, reitera Paulino.

Um empreendimento diferenciado em uma cidade diferenciada

O município de Maringá com frequência figura no topo das listas que elegem as melhores cidades para se viver, investir e criar filhos – e essa localização foi usada para trazer destaque ao projeto inscrito na premiação, bem como a qualidade de vida oferecida e o desempenho em educação e segurança, além de um PIB e renda per capita maiores do que os do Brasil e do Paraná. “É um empreendimento diferenciado dentro de uma cidade diferenciada”, enfatiza Paulino. 

A promessa é que, quando estiver pronto, o edifício mude a paisagem de uma das mais importantes avenidas de uma das melhores cidades do País. E os moradores terão o privilégio de desfrutar da paisagem do Bosque 2, área de preservação considerada floresta urbana e um dos locais onde o maringaense mais gosta de praticar atividades físicas e de lazer ao ar livre, e para a Catedral Basílica de Maringá, considerada a catedral mais alta da América, com 124 metros de altura.

Myrá Alphaville: empreendimento da MPD conquista certificação GBC Condomínio do Green Building Council Brasil

O ano de 2022 começou com festa para os moradores do Myrá Alphaville e também para a MPD Engenharia, construtora e incorporadora, e a Helbor, corresponsável pela incorporação do edifício localizado na Av. Andrômeda, 206, em Barueri. O empreendimento recebeu em janeiro a certificação verde do Green Building Council Brasil, conforme as diretrizes estabelecidas no GBC Brasil Condomínio®. Referência da categoria, o certificado é concedido aos empreendimentos que cumprem e atendem rígidos critérios de práticas sustentáveis, ambientais e energéticas.

Para conquistá-lo, foi necessário o cumprimento de uma série de pré-requisitos a partir de medidas sustentáveis que beneficiam, principalmente, os moradores, como maior eficiência nos sistemas de redução de resíduos, CO², desperdícios de água e energia, que além de diminuir a exploração de recursos naturais atenuam a necessidade de manutenção do empreendimento e ainda elevam o valor do imóvel no futuro.

“A certificação GBC Condomínio define uma série de metas de desempenho relacionado a eficiência, conforto e sustentabilidade que o empreendedor tem que cumprir. As metas usam como parâmetro as diversas normas técnicas que disciplinam todos os sistemas de uma edificação, assim sendo, podemos mencionar a qualidade técnica construtiva”, explica Felipe Faria, CEO do GBC Brasil.

Para se obter esta certificação, as categorias levadas em consideração pelo GBC Brasil são a implantação (como o Myrá Alphaville influencia positivamente o entorno), consumos de energia, água, materiais de baixo impacto ambiental, a qualidade interna do ar, os requisitos sociais, uso de inovação e de créditos de prioridade regional. No caso do Myrá, por exemplo, houve 20,67% de redução de energia comparada a um prédio que já segue a norma de eficiência energética do PBE Edifica, etiqueta que tem a função de determinar o nível de eficiência energética de um edifício, desenvolvida em parceria entre o INMETRO e a Eletrobras/Procel Edifica. No quesito ambiental, o mesmo empreendimento desviou de aterros sanitários 91,12% dos resíduos gerados e 50% de toda madeira instalada é certificada pelo FSC (Forest Stewardship Council).
 

Outros benefícios sustentáveis do Myrá Alphaville aos seus moradores são proporcionados pelo uso de equipamentos de ar condicionado das áreas comuns, mais eficientes (selo Procel A), iluminação de LED em toda a área comum, dispositivos hidráulicos e bacias econômicas, reuso de águas pluviais para irrigação dos jardins das áreas comuns, paisagismo com espécies nativas da região, que por estarem adaptadas ao clima local possibilitarão um menor consumo de água, materiais da fachada que reduzirão a temperatura interna das unidades e exaustão mecânica das garagens controlada por sensor de monóxido de carbono, evitando danos à saúde das pessoas.

“A MPD tem em seu DNA a gestão ambiental e responsabilidade social. A certificação GBC Condomínio obtida pelo Myrá Alphaville comprova que o empreendimento é uma construção sustentável de excelência e inovação, utilizando as melhores técnicas e soluções em suas obras com benefícios para moradores e comunidade”, destaca Fernando Teixeira Filho, membro do Comitê Socioambiental da MPD.

Saiba mais sobre o Myrá Alphaville

Localizado em região privilegiada no centro de Alphaville, o Myrá tem como um de seus destaques um projeto arquitetônico e uso de métodos construtivos que priorizaram a exclusividade. Um empreendimento de torre única com apenas 50 apartamentos e metragem de 313m² e 410m², com 5 ou 6 vagas de garagem, sendo uma box por unidade, além de hall, depósito e terraço técnico privativo no próprio andar.

As unidades de 313m² trazem o conceito de varanda double view — dois terraços com vistas opostas, garantindo um ângulo de visão de 360º para toda a região, sendo um dos principais diferenciais do projeto. Já as de 410 m² contam com 16 metros lineares de terraço, revelando o melhor de Alphaville.

O empreendimento conta também com piscinas adulto e infantil cobertas e climatizadas com integração visual para a área externa, piscina externa com deck molhado, sauna seca com acesso à sala de massagem integrada ao ambiente da piscina e espaço gourmet equipado e decorado para maior conforto. Além disso, oferece estúdio de pilates, espaço fitness, brinquedoteca, playground, bosque de árvores, quadra recreativa e quadra de squash em tamanho oficial, e um salão de jogos com cenário contemporâneo de pub inglês, com bar interno e mesa de snooker.

Preço do aluguel residencial registra maior alta mensal desde 2011

Aumento de 1,36%, em fevereiro – o oitavo consecutivo – representou também nova aceleração do Índice FipeZAP+ de Locação

 Análise do último mês: o Índice FipeZAP+ de Locação Residencial, que acompanha o comportamento do preço médio do aluguel de imóveis residenciais em 25 cidades brasileiras*, registrou alta de 1,36% em fevereiro de 2022 – o maior avanço mensal desde dezembro de 2011 (+1,39%). O resultado corresponde também ao oitavo avanço consecutivo do índice, em nova aceleração frente às variações apuradas ao longo do 2º semestre de 2021 – julho (+0,13%), agosto (+0,37%), setembro (+0,52%), outubro (+0,57%), novembro (+0,66%) e dezembro (+0,80%) – bem como em janeiro de 2022 (+1,03%). Comparativamente, a variação mensal do índice superou a inflação medida pelo IPCA/IBGE (+1,01%), embora tenha permanecido abaixo da inflação apurada pelo IGP-M/FGV (+1,83%). Individualmente, quase todas as cidades monitoradas registraram avanço nominal, à exceção de São Bernardo (-0,23%). Considerando as 11 capitais contempladas pelo índice, as seguintes variações mensais foram observadas: Goiânia (+4,92%), Salvador (+2,45%), Florianópolis (+2,38%), Fortaleza (+2,36%), Recife (+1,96%), Belo Horizonte (+1,77%), Rio de Janeiro (+1,52%), Curitiba (+1,44%), São Paulo (+0,87%), Brasília (+0,68%) e Porto Alegre (+0,21%).

 Balanço parcial de 2022: ao final do primeiro bimestre de 2022, o Índice FipeZAP+ de Locação Residencial acumula uma alta de 2,40%, superando nesse intervalo a inflação ao consumidor medida pelo IPCA/IBGE (+1,56%), embora permaneça abaixo da variação apurada pelo IGP-M/IBGE (+3,68%). Todas as 25 cidades monitoradas compartilham da alta nos preços do aluguel residencial, entre elas: Goiânia (+8,83%), Florianópolis (+4,10%), Salvador (+4,06%), Curitiba (+3,82%), Fortaleza (+3,44%), Recife (+3,29%), Rio de Janeiro (+2,72%), Belo Horizonte (+2,08%) Brasília (+1,83%), São Paulo (+1,40%) e Porto Alegre (+0,32%). 


■ Análise dos últimos 12 meses: em um recorte temporal ampliado, o Índice FipeZAP+ de Locação Residencial acumula alta de 5,89% nos 12 meses encerrados em fevereiro de 2022: variação inferior à inflação registrada tanto pelo IPCA/IBGE (+10,54%) quanto pelo IGP-M/FGV (+16,12%) no período. Também neste horizonte todas as 25 cidades monitoradas pelo índice registram elevação nominal em seus respectivos preços de locação de imóveis residenciais, destacando-se as seguintes variações nas capitais: Curitiba (+15,73%), Fortaleza (+14,37%), Goiânia (+14,10%), Florianópolis (+13,46%), Recife (+12,54%), Belo Horizonte (+8,24%), Salvador (+6,30%), Brasília (+6,09%), Rio de Janeiro (+5,53%), Porto Alegre (+1,94%) e São Paulo (+1,13%).
 

 Preço médio de locação residencial: com base em dados de 25 cidades monitoradas pelo Índice FipeZAP+ de Locação Residencial, o preço médio do aluguel de imóveis residenciais foi de R$ 32,26/m² em fevereiro de 2022. Comparando-se a apuração nesse mês nas capitais acompanhadas, São Paulo apresentou o preço médio de locação residencial mais elevado no último período (R$ 40,25/m²), seguida pelos valores médios registrados em: Recife (R$ 36,77/m²), Brasília (R$ 34,62/m²) e Rio de Janeiro (R$ 32,91/m²). Já as capitais monitoradas com menor valor de locação residencial no último período incluíram: Fortaleza (R$ 19,65/m²), Goiânia (R$ 21,36/m²), Curitiba (R$ 24,70/m²) e Porto Alegre (R$ 24,99/m²).

 Rentabilidade do aluguel: a razão entre o preço médio de locação e o preço médio de venda dos imóveis é uma medida de rentabilidade (rental yield) para o investidor que opta em adquirir o imóvel com a finalidade de obter renda com aluguel. Na prática, o indicador pode ser utilizado para avaliar a atratividade do mercado imobiliário em relação a alternativas de investimentos disponíveis. Com base nas últimas informações, o retorno médio do aluguel residencial foi de 4,73% ao ano – percentual inferior à rentabilidade média projetada para aplicações financeiras de referência nos próximos 12 meses.


Nota (*): os preços considerados se referem a anúncios para novos aluguéis. O Índice FipeZAP+ de Locação Residencial não incorpora em seu cálculo a correção dos aluguéis vigentes, cujos valores são reajustados periodicamente de acordo com o especificado em contrato. Como resultado, o índice capta de forma mais dinâmica a evolução da oferta e da demanda por moradia ao longo do tempo.

Engeform Engenharia lança segunda edição da rodada de desafios de inovação aberta

Em parceira com o Distrito, a empresa busca startups que ofereçam soluções para contribuir com a transformação digital nos negócios

Com o objetivo de impulsionar a transformação digital em diferentes níveis dos negócios, a Engeform Engenharia, uma das cinco empresas nacionais do mercado da Construção Civil que mais investem em inovação aberta, anuncia a segunda edição do “Desafio Engeform”, idealizado em parceria com o Distrito. Trata-se de uma jornada de desafios direcionados para startups e empreendedores com soluções relacionadas à gestão financeira, comunicação, automatização, construção civil e ESG.

Ao todo, serão cinco desafios focados em encontrar alternativas do mercado para a gestão financeira; intranet que centralize a comunicação interna e processos da empresa; ferramenta para buscar editais de maneira automática; gestão de ESG; e sistema de IoT para a gestão de equipamentos da linha amarela.

Para participar, as startups e profissionais interessados devem se cadastrar na página oficial do Distrito, disponível neste link. Na plataforma, será possível acessar a comunidade da Engeform para visualizar os desafios e apresentar as propostas até o dia 14 de abril de 2022. O time de inovação da empresa avaliará as iniciativas, selecionando as melhores para a segunda fase do pitch, até o dia 20 de abril deste ano.

“Estamos empolgados por, mais uma vez, unir nossa expertise como uma das empresas do ramo da construção civil que mais fomentam a inovação aberta com soluções de novas empresas do mercado. No último ano, iniciamos nossa parceria com o Distrito com a primeira rodada de desafios e, hoje, já temos cinco startups da edição sendo estudadas para seguirmos com os projetos-piloto em nossos negócios. Agora, o nosso principal foco é otimizar nossos processos, dando mais um passo na caminhada da transformação digital na Engeform”, explica Rafael Alpire, especialista em Inovação e Gestão do Conhecimento na Engeform.

Etapas do desafio

Inscrição: as startups e profissionais interessados devem se cadastrar e apresentar suas soluções pelo link a seguir -> https://bit.ly/3wa9D68

Período de inscrição: de 14/3 a 14/4/2022

Curadoria: a equipe de Gestão do Conhecimento e Inovação da Engeform fará a curadoria a partir do cadastro e das informações enviadas pelos participantes.

Resultado: a Engeform entrará em contato com as startups e profissionais selecionados.

Seguro residencial: escolha requer cuidados, diz PROTESTE

Recentemente, a PROTESTE avaliou 112 apólices de seguro residencial, e resultado foi publicado na edição 220 da revista da associação. O serviço é fundamental para a proteção do patrimônio e o estudo aponta soluções de pouco investimento, mas, no geral, ainda tem muito o que melhorar. Por isso, a seguir, Adriano Fonseca, especialista em Direito do Consumidor da PROTESTE, dá algumas orientações para o consumidor contratar um seguro residencial evitando armadilhas e explica o que fazer caso surja algum problema na hora de usar o serviço.


Contratação


Os seguros residenciais, usualmente, são contratados por meio de um corretor, que faz a intermediação entre o consumidor e a seguradora. Mas atenção: o profissional precisa ser registrado na Superintendência de Seguros Privados (Susep). “É necessário também ter cuidados na escolha da seguradora. O primeiro passo é conhecer sua reputação, o que pode ser feito através da internet, como em páginas de reclamação, redes sociais, comentários de outros consumidores”, alerta Adriano.


Depois de se assegurar que o corretor e a seguradora são idôneos, o próximo passo é ler o contrato com atenção, antes de assiná-lo. “Muitas vezes, as seguradoras apresentam diversos tipos de seguro e o mais econômico chama a atenção. Então, o ideal é que o consumidor avalie se os serviços essenciais para a sua realidade estão incluídos na modalidade escolhida”, afirma o especialista. Outro ponto importante: antes de contratar, o consumidor deve esclarecer todas as dúvidas sobre o procedimento a seguir em caso de sinistro (motivo para acionar o seguro).

Também é preciso que o consumidor preste bastante atenção sobre o que fica de fora das coberturas (exclusões do contrato), ou seja, quais são os riscos que a seguradora não cobre e quais são os bens que não estão compreendidos no seguro.

“Prazos e canais de atendimento é tem que estar indicado na apólice, o documento que reúne as cláusulas contratuais como direitos e obrigações dos envolvidos e situações que possuem cobertura”, esclarece.


Cancelamento


O seguro residencial pode ser cancelado de duas formas: por iniciativa da seguradora ou do segurado. De acordo com as normas da Susep, em ambos os casos, a empresa deve restituir ao consumidor parte do prêmio (valor pago para ter o serviço), levando em consideração, no cálculo, o tempo decorrido. Por exemplo: se já passou 60% do prazo de vigência do seguro, a seguradora poderá reter 60% do valor do prêmio, restituindo 40% ao beneficiário. Embora a orientação da superintendência seja clara, as regras de cancelamento devem estar descritas na apólice, podendo o consumidor questionar eventual cobrança ou restituição em desacordo com o indicado. “Importante deixar claro que o cancelamento não pode gerar multa nem negativação do nome do consumidor”, avisa Adriano. Vale destacar ainda que, em caso de inadimplência, a segurado pode suspender ou até cancelar o seguro. Isso também pode ocorrer quando o segurado apresenta declarações falsas ou incorretas.


Como solucionar um problema


A Susep é o órgão responsável pelo setor, mas, para solucionar um problema relacionado ao seguro residencial, o especialista aconselha que o consumidor procure primeiro o seu corretor — caso o tenha, claro. Do contrário, é indicado o contato direto com a empresa seguradora, por meio de seus canais de atendimento.

“Se não conseguir resolver sozinho, o consumidor deve recorrer à Susep, que possui competência fiscalizadora e pode impor advertência, suspensão do exercício das atividades. Nos casos de valores eventualmente pagos e não restituídos, estes também podem ser discutidos por meio de órgãos do sistema nacional de proteção ao consumidor, como a PROTESTE. Basta encaminhar a queixa pelo canal RECLAME”, finaliza Adriano.


Busque seus direitos com a PROTESTE


A PROTESTE, maior associação de consumidores da América Latina, tem o compromisso de informar sobre as principais dúvidas do mercado a fim de reduzir os problemas entre os fornecedores de produtos e serviços e seus clientes.

A associação realiza testes comparativos com os principais produtos do mercado que fazem parte do dia a dia do brasileiro. Nossos especialistas avaliam as principais características dos itens em laboratórios credenciados por órgãos fiscalizadores.

Conheça também o canal Reclame, espaço disponível para consumidores enviarem suas reclamações sobre problemas de consumo. A mensagem é encaminhada para a empresa em busca de uma respostas. Os associados PROTESTE possuem acompanhamento dos nossos especialistas em defesa do consumidor. Também é possível entrar em contato com o canal pelo 4020-7747.

São Paulo ganha empreendimento com jardim mais alto da cidade

Contrastando o cinza da cidade a uma opção de área verde com vegetação nativa da Mata Atlântica, em um dos pontos mais cobiçados da cidade de São Paulo, a Gamaro, incorporadora que desenvolve empreendimentos imobiliários que transformam a cidade, uniu elementos internacionais ao conceito brasileiro em seu mais novo empreendimento. O Jardim Lobato, está localizado a 350m do metrô Vila Madalena, em São Paulo, com lançamento previsto para março, apresenta a proposta de jardim suspenso que, posicionado estrategicamente no 27º andar, proporciona uma vista panorâmica da cidade, sendo o jardim privado mais alto de São Paulo. 

Inspirado em empreendimentos como East Village Rooftop Garden, em Nova York, Roof Terrace In Holland Park, na Inglaterra, e Green Roof + Garden, no Canadá, o Jardim Lobato traz em sua fachada a estética de uma formação rochosa da Argentina, chamada Quebrada das Conchas. Desta forma, toda a estrutura do prédio é escalonada e, assim como na Quebrada, seus níveis possuem cores e, em seu topo, encontra-se a flora da região. A construção é totalmente pensada de forma verde e leva em sua identidade a ideia de sustentabilidade, atendendo os requisitos para conquistar o selo EDGE (certificação para projetos de edifícios sustentáveis, criada pelo Banco Mundial, para países emergentes). 

“O Jardim Lobato oferece uma área verde inspirada nos cumes das serras de parques nacionais a 300 quilômetros da cidade de São Paulo. A sua praça suspensa, com a vista a partir de  um dos locais mais altos da metrópole, recria uma paisagem de Mata Atlântica típica dos altos da Serra da Bocaina, localizada na divisa entre os estados do Rio de Janeiro e de São Paulo, tornando-se um refúgio da cidade dentro dela mesma. Além disso, tem toda a infraestrutura necessária para proporcionar segurança, tranquilidade e conforto”, explica o biólogo e paisagista Ricardo Cardim.  

Unindo tranquilidade, sofisticação e infraestrutura, o Jardim Lobato é um empreendimento de uso misto, a 350 metros do metrô Vila Madalena, cercado por três dos bairros mais desejados da cidade de São Paulo – Perdizes, Pompéia e Vila Madalena, os quais abrigam shoppings, hospitais, faculdades, bares, restaurantes, galerias de arte e pontos turísticos da cidade, além do Sesc Pompéia e o Allianz Parque, ponto de grandes eventos e shows internacionais.

Em um terreno de 1.315,37m2, o empreendimento dispõe de apartamentos únicos e diversos, com o propósito de unir pluralidade em um só local. São studios de 17,50m2 até 41m2 e apartamentos de 41,22 m2 a 205,90m2. A estrutura conta com quatro pavimentos dedicados para as áreas de lazer, sendo uma prainha (bar de apoio à piscina), piscina, brinquedoteca, playground, lounge gourmet, terraço de jogos, academia, espaço zen (yoga/pilates), sala de massagem, sauna, cinema a céu aberto, coworking, bar e lavanderia coletiva, tudo para o uso residencial. As lavanderias dos espaços comerciais são separadas das residências, assim como as entradas, e ambas contam com vagas de bicicletário e garagem nos três subsolos.

Pesquisa do Imovelweb mostra que o desejo de mudar de casa ainda está entre as preferências dos brasileiros

O Imovelweb,um dos maiores portais imobiliários do País, realizou em fevereiro a segunda edição da pesquisa “Mercado Imobiliário pós-Covid-19”. Feita com 2405 pessoas, entre proprietários e inquilinos de todo o Brasil, o novo levantamento aponta que o desejo de mudar de imóvel continua na lista dos brasileiros. Dos respondentes, 77,78% querem morar em outra propriedade, percentual similar encontrado na pesquisa realizada em junho de 2021.

A compra de imóvel prevalece na nova pesquisa: 80,62% responderam que gostariam de adquirir uma propriedade contra 15,95% que buscam por locação, preferência também encontrada nas respostas da pesquisa de 2021 (79,67% e 15,32% respectivamente).

Cenário atual

Segundo a nova pesquisa, questões como a falta de oferta de imóveis no mercado, preço do aluguel e espaço refletem o cenário atual dos brasileiros quando se trata de imóveis. Para 25,44% dos respondentes, a falta de oferta de imóveis dificulta achar propriedades para morar. 23,68% afirmaram que não conseguem encontrar um apartamento para alugar dentro do orçamento. O mesmo percentual de participantes respondeu que procura por um lugar com espaço ao ar livre. Já para 21,05%, o espaço atual é pequeno, contra 35,19% dos participantes em 2021. Outros pontos levantados foram:

  • 14,91% acreditam que a situação econômica gera insegurança e isso dificulta a decisão de mudar;
  • 13,16% estão com o aluguel expirado e precisam mudar porque o locador aumentou muito o valor;
  • 8,77% também estão com o aluguel expirado, porém o proprietário irá vender o imóvel;
  • 8,77% não conseguem fechar o contrato de locação, pois as condições mudam com frequência;
  • 7,89% não podem continuar pagando o aluguel atual. Em 2021, 24,07% dos entrevistados afirmaram que não podiam pagar o aluguel, mostrando que, atualmente, mais brasileiros estão conseguindo arcar com os custos de locar um imóvel;
  • 7,89% têm dificuldade de visitar propriedades no cenário atual;
  • 5,26% são inseguros por não ter trabalho e salário fixo e, por isso, não mudam. No ano passado, 9,26% mencionaram essa situação.

Valor do aluguel em alta

Quando perguntados sobre quanto o aluguel aumentou em comparação ao período anterior à pandemia, 38,91% dos respondentes afirmaram que o valor cresceu até 10%. Na pesquisa realizada em 2021, 56.52% dos entrevistados mencionaram esse aumento entre 0% e 10%. Para 38,55% o acréscimo variou entre 10% e 30%. O preço também subiu entre 30% e 50% para 15,27% dos entrevistados e 5,45% responderam que o valor da locação subiu mais de 50%. 1,82% mencionaram que o aluguel aumentou mais de 100%.

Sobre os motivos que facilitariam a troca de imóvel para locação, a maioria (49,06%) gostaria de ter um desconto no aluguel contra 54,84% dos respondentes da pesquisa de 2021. Para 43,07% a flexibilidade nas condições para locar um imóvel aparece com prioridade. Já 27,72% apontaram a permissão de animais de estimação. Para 17,60% o aumento na renda mensal é um ponto que ajudaria. Cerca de 7,49% dos participantes responderam sobre a retomada da vida antes da pandemia, na pesquisa de 2021, esse motivo foi mencionado por 18,06% dos participantes. 14,23% apontaram uma melhora da situação econômica em geral. Por fim, 12,36% dos entrevistados citaram um serviço de mudança mais barato.

Com relação ao tempo de mudança, 29,84% dos participantes planejam mudar em 6 meses. Para 34,65% a mudança deve ocorrer em menos de 1 ano e para 29,70% em menos de dois anos. Por fim, 5,81% pretendem trocar de imóvel em menos de um mês.

Características na hora de mudar de imóvel

Para a troca de imóveis, os pontos a seguir foram citados como facilitadores na hora de planejar a mudança:

  • 49,04% gostariam de ter um desconto na compra;
  • 26,99% acreditam que a possibilidade de acesso a um crédito;
  • 23,81% gostariam de maior flexibilidade nos pagamentos do imóvel;
  • 21,58% gostariam de poder vender o imóvel atual para comprar outro;
  • 20,06% querem taxas de imposto sobre a propriedade mais baixas;
  • 13,14% tiveram uma melhora na situação econômica geral;
  • 12,02% disseram que um aumento na renda mensal ajudaria;
  • 3,58% desejam um serviço de mudança barato;
  • 4,70% citaram a retomada da vida antes da pandemia.

A pesquisa também apontou as prioridades dos entrevistados com relação a uma nova propriedade:

  • Quintal ou terraço: 39,35%
  • Varanda: 31,88%
  • Mais m2: 27,04%
  • Mais ambientes: 25,38%
  • Que a propriedade fique em um bairro fechado: 17,98%
  • Jardim: 15,91%
  • Que seja na periferia da cidade: 5,74%

Grupo Decolar anuncia a aquisição da Stays.net, empresa de aluguel para temporada no Brasil

O Grupo Decolar, empresa de viagens líder na América Latina, anunciou hoje que firmou a aquisição de uma participação de 51% na Stays.net, Channel Manager de aluguéis para temporada líder no Brasil, por um preço total de R$ 15,65 milhões (US$ 3 milhões), sujeito a certas condições de fechamento.

Stays.net, fundada em 2016, é uma empresa SaaS que oferece um sistema completo de gestão de propriedades para aluguel de temporada (Channel Manager, Property Management System, ERP e E-Commerce booking system integrado) aos donos, corretores e administradores de acomodações temporárias no Brasil. A companhia é hoje um dos principais parceiros de integração das plataformas de reservas mais importantes a nível global. A Stays.net possui atualmente um portfólio de 17.000 imóveis localizados principalmente no Brasil.

Marcelo Grether, Chief M&A and New Business do Grupo Decolar, comentou: “Stays.net reforça nossa estratégia de crescimento inorgânico com foco no Brasil, além de fortalecer a vertical de acomodações temporárias. Com a Stays.net, oferecemos uma solução completa aos administradores de propriedades e aprimoramos nossa proposta de valor, acrescentando novas opções. Como apenas 10% dos proprietários de acomodações temporárias da América Latina utilizam a gestão de canais digitais – em comparação com 90% na Europa –, há muito espaço para que nossa nova parceria com a Stays.net cresça e prospere”.

“Na Stays.net, estamos ansiosos para trabalhar com a equipe de Decolar. Esta parceria permite expandir nosso alcance geográfico em toda a América Latina e oferecer aos administradores e proprietários de imóveis para temporada o benefício de se unir à empresa de viagens líder na América Latina. Além de aumentar as reservas, o canal digital de gestão da Stays.net ajuda os anfitriões a alcançar padrões profissionais, ampliar seus negócios de aluguel de temporada e aprimorar as experiências dos hóspedes”, comentou Sven dos Santos, CEO da Stays.net.

Osher anuncia novo executivo no setor imobiliário

Com mais de 40 anos de experiência, Cláudio Borges chega à Osher Realty para impulsionar os negócios

A Osher Realty, unidade de negócio da Osher Investimentos, anuncia a chegada do executivo Cláudio Borges, que foi diretor estatutário do Banco Bradesco, vice-presidente da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (ABECIP), com conhecimento dos mercados imobiliários dos EUA e Espanha.

Borges possui grande expertise no segmento imobiliário, já tendo atuado nos segmentos de loteamentos e incorporações residenciais e comerciais. Com mais de 40 anos de experiência no mercado imobiliário, atuou na área de crédito imobiliário em bancos como Itaú, BCN e Bradesco. 

O objetivo da Osher Realty com esta contratação é avançar não apenas nos volumes de investimentos realizados no segmento, mas principalmente na inovação dos seus modelos de negócio. “A experiência de Cláudio Borges vai encurtar nossa curva de aprendizado, expandir nossos relacionamentos e permitir termos soluções ainda mais diferenciadas para os players do mercado imobiliário”, afirma o CEO da Osher, Marco Rennó. Para este ano a Osher Realty aposta em novo crescimento relevante dos projetos imobiliários coinvestidos, superando a marca de R$ 687 milhões de VGV (Valor Geral de Vendas) do ano de 2021.

Além do incremento de volume, os coinvestimentos na indústria de Venture Capital voltados ao setor de construtechs e proptechs serão da ordem de 50% em relação ao exercício de 2021. E, por último, a Osher Realty este ano inicia sua atuação no mercado de Distressed Assets imobiliários, ampliando ainda mais o seu portfólio no segmento.

Banco para condomínios CondoConta é selecionado para Scale-Up Endeavor

Rodrigo Della Rocca, CEO e cofundador do CondoConta

Endeavor, rede global formada pelas empreendedoras e empreendedores à frente das empresas que mais crescem no mundo, acaba de anunciar as 87 empresas selecionadas para o programa de aceleração Scale-Up Endeavor 2022.1, principal programa do país, cujas startups selecionadas apresentam crescimento médio de 78%. Entre as startups selecionadas estão Nomoo, Caju, e o CondoConta – banco para condomínios. Com o anúncio, a fintech catarinense CondoConta alcança a trinca dos principais programas de aceleração brasileiros, a empresa também foi acelerada pela Darwin Startups e BoostLAB.

As empresas selecionadas para o Scale-Up são aceleradas por 5 meses, nos quais têm empregadas no negócio metodologias que auxiliam a enfrentar os desafios de ganhar escala. Entre os principais tópicos estão liderança, desenvolvimento de talentos, estratégias de crescimento e acesso a capital, ensinados por meio de mentorias individuais, troca entre pares e empresas parceiras. Entre os mentores do programa estão alguns dos principais nomes do empreendedorismo brasileiro, como Luiza Helena, do Magazine Luiza; Ann Williams, da Creditas; Antônio Pipponzi, da RaiaDrogasil; e Stelleo Tolda, do Mercado Livre.

“Estamos muito felizes em contar com o CondoConta no grupo de empresas aceleradas no Scale-Up Endeavor. Sabemos que existem desafios específicos para as empreendedoras e empreendedores que estão à frente de scale-ups e contar com o apoio de quem já viveu essa jornada é essencial para que essas empresas continuem crescendo de forma acelerada. Queremos ser decisivos nesse processo, abrindo os caminhos para que essas scale-ups saiam com uma visão de impacto ainda maior do que quando chegaram”, afirma Vinicius Bergamini, Gerente do Scale-Up Endeavor. As empresas selecionadas para essa edição empregam, em média, 68 pessoas em cada uma delas e tem crescimento esperado de 156%.

“Fazer parte do time selecionado no Scale-Up Endeavor 2022 é um grande reconhecimento para todos no ecossistema CondoConta, desde nosso próprio time até os gestores condominiais, síndicos e moradores que nos ajudam a escrever a nova história nos condomínios. Particularmente, a Endeavor sempre foi uma fonte de inspiração e nutrição desde os primeiros dias de CondoConta. Contar com esse grande condomínio de gente boa chamado Endeavor e acrescentar valor ao ecossistema condominial brasileiro, não tem preço”, afirma Rodrigo Della Rocca, CEO e cofundador do CondoConta.

Além da trinca de acelerações, o CondoConta apresentou um crescimento acima de 2.000% no número de condomínios clientes no último ano. Em 2021, a fintech recebeu três aportes, dois da Redpoint eVentures, investidora de startups como Creditas, Rappi, Gympass e Housi, em conjunto com a Darwin Startups, e outro da Igah Ventures, fundo que tem os unicórnios como Infracommerce e Único no portfólio. Os investimentos posicionaram a fintech na lista das que mais receberam incentivos nos primeiros meses de atuação, a soma é de R$22,2MM em pouco menos de um ano. No final de 2021, a empresa ainda foi eleita Darwin Star, startup do portfólio Darwin que mais se destacou no ano.