Category Mercado Imobiliário

Ampliar prazo de Financiamento do Casa Verde Amarela é uma medida simples que ajuda na recuperação do crescimento econômico brasileiro

Por Luiz Antônio França, presidente da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias

Estamos vivendo um cenário econômico bastante desafiador. A crise mundial causada pelo Covid-19 e agravada pelos efeitos da guerra entre Rússia e Ucrânia causou uma grande desordem nas cadeias produtivas em todo o mundo. O resultado foi uma forte inflação, que corrói o poder de compra principalmente das famílias mais pobres. Uma prova disso é que a cesta de consumo das famílias de baixa renda no Brasil cresceu 17% em 2021, acima do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que findou o mesmo período com a variação de 10,06%. Além disso, houve um expressivo aumento nos custos de construção, o que pode ser constatado com a variação positiva de 14% do INCC (Índice Nacional de Custos da Construção), calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) no ano passado. A situação se agrava quando contatamos que esse mesmo indicador aumentou 27% desde 2020. Essa combinação está inviabilizando a compra de moradias.
 

Essa piora na performance do programa habitacional de baixa renda causa impactos diretos tanto no combate ao elevado Déficit Habitacional (de 7,8 milhões de famílias) como na geração de emprego e renda. Em 2021, o Casa Verde Amarela foi responsável pela geração de 1,4 milhão de postos de trabalho, de acordo com dados do próprio governo. O programa não somente melhora a qualidade de vida das famílias mais necessitadas como também é a principal fonte de geração de emprego aos mais pobrespois grande parte dos trabalhadores da construção civil é oriunda dessa parte de nossa população. Dessa forma, é urgente implantar medidas que recuperam o poder de compra das famílias mais necessitadas em relação a aquisição de imóveis. Precisamos considerar que 93% do Déficit Habitacional brasileiro está concentrado em famílias com renda até três salários-mínimos. Pesquisa realizada pela Consultoria Brain mostra que 77% das aquisições de imóveis realizadas em 2021 só puderam ser concretizadas devido aos benefícios disponibilizados pelo programa CVA.
 

O governo está bastante sensível em relação a essa questão, tanto que várias propostas já estão sendo discutidas com intuito de garantir que a produção do programa habitacional cumpra seu papel social para as pessoas mais necessitadas.
 

Em adição às diversas medidas que estão sendo avaliadas, devemos considerar a ampliação do prazo de financiamento de 30 para 35 anos. Essa alternativa é de fácil implantação, sem impactos para o resultado do FGTS e sem necessidade de uso de recursos da União. A Caixa já adota esse prazo para financiamentos com recursos da poupança, sendo que em bancos privados é possível fazer financiamentos em até 40 anos. Tal medida seria suficiente para elevar em cerca de 7% o poder de compra dos consumidores, o que implica em tornar elegíveis ao financiamento 4 milhões de pessoas. Este público, que perdeu renda no último ano, estaria novamente em condições de realizar o sonho da casa própria.
 

É fundamental a implantação desse e outras propostas de forma iminente, pois o desempenho da construção, que cresceu 9% em 2021, foi vital para o crescimento de 4,6% do PIB Brasileiro no ano passado. A construção civil é o setor que mais impulsiona a atividade econômica, uma vez que consegue ativar uma complexa rede de 97 atividades econômicas, gerando 10% de todos os empregos do Brasil. Dessa forma, precisamos implantar medidas que viabilizem a construção de novos projetos habitacionais para o público baixa renda.
 

Já foram propostas emendas as Medidas Provisórias 1.105/2022 e 1.110/2022, ambas propostas pelo deputado federal Hildo Rocha (MDB/MA), que propõe a ampliação do prazo de financiamento para 35 anos. Essa é sem dúvida questão fundamental para que o desenvolvimento econômico-social brasileiros não fiquem ameaçados.

Com VGV total de R$ 275 milhões, You,Inc lança dois projetos inovadores e modernos nos bairros mais desejados de São Paulo

São Paulo vai ganhar dois empreendimentos que apostam na inovação, sofisticação e interação com a cidade. Com localização privilegiada, perto de eixos de mobilidade urbana e em bairros aspiracionais, a You,Inc, incorporadora paulista líder em apartamentos compactos e inovadores na cidade de São Paulo, anuncia seus dois lançamentos: o Art Vila Mariana, localizado na Rua Humberto Primo, no coração do bairro da Vila Mariana e o Moema Signature na esquina mais desejada da região, na Rua Gaivota com a Rua Sábia. O lançamento será de forma faseada, iniciando em maio deste ano as vendas das tipologias de 141m² e com previsão para o segundo semestre as unidades de studio+.

Além disso a You,inc oferece o serviço You,do, que possibilita a personalização das unidades, com soluções que otimizam o aproveitamento de todos os ambientes do apartamento.

O Art Vila Mariana possui única torre com 288 unidades e 5 lojas no total sendo 234 studios+ que vão de 23 a 31m²; 34 apartamentos de 1 dormitório+ com metragem de 29 a 37m² e 20 unidades que possuem metragem de 36m² com vaga de garagem. O projeto com arquitetura autoral traz o conceito dos Studios+ e 1 dormitório+ com o pé direito exclusivo You,inc com 3,70 metros, o que proporciona maior versatilidade, uso dos espaços, amplitude e iluminação. Pioneira nesse modelo, a You,inc oferece soluções inovadoras e valor agregado para seu cliente. 

Localizado ao lado das universidades ESPM, Belas Artes e a 650 metros da estação de metrô Vila Mariana, o empreendimento tem fácil acesso a todos os serviços que o bairro tem a oferecer: comércio, lazer e cultura.

Com o lazer completo, a piscina com solarium e o espaço fitness foram projetados no rooftop com vista panorâmica para a cidade. Além disso, a área comum do edifício possui bicicletário, salão de festas, coworking, espaço delivery, pet place, churrasqueira gourmet, lavanderia, redário, horta e delivery.

O Art Vila Mariana conta com assinatura arquitetônica de Konigsberger & Vanucci, paisagismo Núcleo Arquitetura Paisagística e decoração por Studio Ro+ca.

O Moema Signature é um empreendimento que apresenta toda a sofisticação e modernidade na esquina mais desejada de Moema. O projeto possui 30 unidades com 2 apartamentos por andar com tipologia de 141m², com 2 possibilidades de planta, 3 suítes ou 4 dormitórios e uma varanda gourmet em formato L que propicia mais iluminação e ventilação, hall privativo e duas vagas de garagem demarcadas, além de 63 unidades de studios+ de 23 a 32m² com pé direito exclusivo You,inc de 3,70 metros e 2 lojas. As diferentes tipologias possuem acesso e lazer independentes, sendo as unidades de 141m² com entrada exclusiva pela Rua Gaivota e os Studio+ pela Av. Sabiá.

“Buscando entender as características diferentes dos usos do prédio, criamos acessos distintos e exclusivos, trazendo maior sinergia entre o exterior e o interior do edifício, além de aprimorar a experiência ao usuário. Esta solução de compreensão às necessidades dos moradores permite a criação de usos inteligentes como o coworking ou a lavanderia com terraço para estúdios; lazer exclusivo para unidades de 3 suítes, contendo raia de 25m, sauna, espaço de massagem, e claro, o rooftop com uma incrível vista 360°.” Douglas Tolaine — Perkins & Will.

A maior tipologia possui um Skylounge e um mirante no rooftop, que proporciona uma vista panorâmica 360° da cidade para o parque do Ibirapuera. Além disso, a área comum do edifício contará com salão de festas, brinquedoteca, espaço delivery, pet place, piscina com deck molhado e raia de 25 metros, solárium, piscina infantil, fitness, sauna seca, sala de massagem e bicicletário.

Já os Studios+ possuem áreas comuns de coworking, fitness, churrasqueira, spa, lavanderia, espaço delivery e bicicletário.

Localizado ao lado da Av. Faria Lima e com vista para o Parque Ibirapuera, em um dos bairros mais completos de São Paulo, o empreendimento tem fácil circulação a todos os serviços que o bairro oferece, estando próximo das mais conceituadas escolas Móbile e Consa (Colégio Franciscano Nossa Senhora Aparecida) e a 400 metros da estação de metrô Moema.

Moema Signature possui arquitetura autoral com torre única e assinatura do escritório internacional Perkins & Will Arquitetura, Paisagismo de Cardim Arquitetura Paisagística e Decoração de Melina Romano.

Aluguel em Belo Horizonte sobe no ritmo do IGP-M, segundo relatório do Imovelweb

O Imovelweb,um dos maiores portais imobiliários do País, divulga seu relatório mensal de preços de abril na cidade de Belo Horizonte. Em abril, o valor médio mensal para alugar um apartamento de 65m² e dois quartos na capital mineira ficou em R$ 1.709, subindo 0,8% no mês.

Em 2022, o valor do aluguel em BH subiu no ritmo do Índice Geral de Preços do Mercado – IGP-M e quase no dobro da velocidade da inflação. Nos últimos 12 meses, o incremento de preços foi de 1.6 p.p. acima da inflação, mas abaixo do IGP-M.

Os dados do relatório mensal de preços do Imovelweb, também chamado de Index, são gerados com base em 100% dos imóveis listados no portal, seja aluguel ou venda, mostrando o preço médio das propriedades.

Na análise por região, o relatório apontou que Centro-Sul fechou abril com o maior preço médio, custando R$ 2.136 por mês. Venda Nova ficou com o menor valor médio (R$ 1.089 mensal)

Valores do aluguel por região:

RegiãoValor do aluguel (R$)Variação MensalVariação Anual
VENDA NOVA1.0890,2%16,6%
NORTE1.119-1,0%-0,9%
NOROESTE1.239-1,3%-8,8%
NORDESTE1.423-0,2%3,8%
LESTE1.5350,9%14,8%
OESTE1.6060,4%17,0%
PAMPULHA1.6491,6%S/D
CENTRO-SUL2.1361,2%13,5%

Já no levantamento por bairros, Savassi sai na frente com o maior preço médio (R$ 3.184). Em contrapartida, Jaqueline é o bairro mais econômico, com o valor de aluguel mensal de R$ 904.

Preço médio do aluguel mensal nos demais bairros de BH:

Mais baratos (R$)Variação MensalVariação Anual
Jaqueline904-1,8%12,8%
Juliana1.018-1,9%S/D
Bonfim1.039-2,0%S/D
Mais caros (R$)Variação MensalVariação Anual
Liberdade2.715 S/DS/D
Belvedere2.991-1,1%5,5%
Savassi3.184-3,8%7,3%

Imóveis para compra

O relatório mostra que o preço médio do m² em abril em BH ficou em R$ 5.635, subindo 0,3% no mês. Os valores aumentaram abaixo da inflação: em 2022, subiram 2,5% enquanto a inflação acumula +4,3%. Nos últimos 12 meses, a queda real do preço ficou em 5,2% p.p.

Santo Agostinho é o bairro mais caro para comprar um imóvel, com um preço médio de R$ 12.016 por m². Para quem deseja economizar na hora de adquirir uma propriedade, o bairro Ribeiro de Abreu fechou abril como o mais econômico.

Preço médio m² nos demais bairros de BH:


Mais baratos (R$/m²)
Variação MensalVariação Anual
Ribeiro de Abreu2.338-3,77%-1,3%
Flávio de Oliveira2.492-0,73%2,8%
Conjunto Califórnia II2.574-0,64%-21,9%
Mais caros (R$/m²)Variação MensalVariação Anual
Braúnas11.5000,00%0,0%
Savassi11.614-0,71%16,1%
Santo Agostinho12.0161,30%8,0%

Rentabilidade em Belo Horizone

O índice de rentabilidade imobiliária relaciona o preço de venda e valor de locação do imóvel para verificar o tempo necessário para recuperar o dinheiro utilizado na aquisição do imóvel. O relatório de abril apontou um índice de 3.29% bruto anual, o que significa que são necessários 30,3 anos de aluguel para reembolsar o investimento de compra, 3,4% a mais que um ano atrás.

Venda Nova é a região com maior retorno. Carlos Prates e Paquetá são os melhores bairros para os investidores que buscam renda.

Rentabilidade por região:

RegiãoRentabilidade
NORTE1,9%
NORDESTE2,3%
OESTE3,1%
LESTE3,1%
PAMPULHA3,4%
NOROESTE3,4%
CENTRO-SUL3,6%
VENDA NOVA3,7%

Índice Nacional de Custo da Construção sobe 1,49% em maio

O Índice Nacional de Custo da Construção — M (INCC-M) subiu 1,49% em maio, percentual superior ao apurado no mês anterior, quando o índice registrou taxa de 0,87%. Com este resultado, o índice acumula alta de 4,27% no ano e 11,20% em 12 meses. Em maio de 2021, o índice subira 1,80% no mês e acumulava alta de 14,62% em 12 meses. A taxa do índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços passou de 1,24% em abril para 1,55% em maio. O índice referente à Mão de Obra subiu 1,43% em maio, após variar 0,46%, em abril. 

Materiais, Equipamentos e Serviços

No grupo Materiais, Equipamentos e Serviços, a taxa correspondente a Materiais e Equipamentos subiu 1,67% em maio, após variar 1,35% no mês anterior. Três dos quatro subgrupos componentes apresentaram acréscimo em suas taxas de variação, destacando-se materiais para estrutura, cuja taxa passou de 1,96% para 2,39%. A variação relativa a Serviços passou de 0,73% em abril 0,92% em maio. Neste grupo, vale destacar o avanço da taxa do item aluguel de máquinas e equipamentos, que passou de 1,49% para 2,36%.

Mão de obra

A taxa de variação referente ao índice da Mão de Obra subiu 1,43% em maio, após variar 0,46%, em abril. 

Capitais

Seis capitais apresentaram acréscimo em suas taxas de variação: Salvador, Brasília, Recife, Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo. Em contrapartida, apenas Belo Horizonte apresentou decréscimo em sua taxa de variação.

eXp World Holdings tem receita recorde de US$ 3,8 bilhões

A eXp World Holdings, Inc. (Nasdaq: EXPI), a holding da eXp Realty , Virbela e SUCCESS Enterprises, acaba de anunciar os resultados financeiros do último trimestre de 2021. A empresa, que atua no Brasil há um ano, registrou um aumento de 110% em receita, para US$ 3,8 bilhões em 2021.

A companhia é a imobiliária digital que mais cresce no mundo, estando presente em 19 países, e conta com uma rede de mais de 73 mil agentes imobiliários. Só no Brasil, são mais de 200 profissionais. Entre os principais diferenciais competitivos da eXp no Brasil está o fato de que os agentes imobiliários da companhia podem ser recompensados com ações da empresa.

“2021 foi outro ano de tremendo crescimento para a eXp, pois nosso foco principal em inovação nos permitiu receber quase 30 mil novos agentes em seis continentes para a eXp”, disse Glenn Sanford, fundador, presidente e CEO da eXp World Holdings. “À medida que os profissionais do setor imobiliário se voltam cada vez mais para soluções baseadas em tecnologia para produtividade e colaboração, nossa plataforma baseada em nuvem nos deu uma vantagem pioneira para escalar nossa corretagem na taxa mais rápida do setor. Atraímos os melhores agentes que valorizam a liberdade, a compensação e a comunidade”, diz. 

De acordo com a eXp Brasil, o crescimento da companhia em solo nacional se dá pelos diferenciais competitivos da empresa, pioneira em tecnologias digitais para o setor imobiliário. “Os agentes vêem na eXp Brasil as vantagens criativas e atraentes da nova economia, como acesso à tecnologia, melhor suporte e colaboração ilimitada entre as dezenas de milhares de corretores da eXp no mundo”, afirma Elisa Tawill, Head de Growth da eXp Brasil.

Confira aqui os destaques financeiros do quarto trimestre e do ano de 2021 em comparação com o mesmo período do ano anterior:

  • A receita aumentou 110% para US$ 3,8 bilhões em 2021. Só no último trimestre, chegou a US$ 1,1 bilhão.
  • O lucro bruto aumentou 85% para US$ 296,0 milhões em 2021, um crescimento 65% (para US$ 83,1 milhões) no quarto trimestre de 2021, em comparação ao ano anterior.
  • O lucro líquido aumentou 162% para US$ 81,2 milhões, sendo US$ 15,5 milhões no quarto trimestre de 2021.
  • O lucro por ação diluída aumentou 143% para US$ 0,51 em 2021 e aumentou 100% para US$ 0,10 por ação diluída no quarto trimestre de 2021.
  • O EBITDA ajustado (uma medida financeira não GAAP) aumentou 35% para US$ 78,0 milhões em 2021. O EBITDA ajustado foi de US$ 13,1 milhões no quarto trimestre de 2021 em comparação com US$ 16,6 milhões no quarto trimestre de 2020. Excluindo um acordo legal único de US$ 10 milhões no quarto trimestre, o EBITDA ajustado aumentou 52%, para US$ 88,0 milhões em 2021, e aumentou 39%, para US$ 23,1 milhões no quarto trimestre de 2021.
  • Em 31 de dezembro de 2021, caixa e equivalentes de caixa totalizavam US$ 108,2 milhões, em comparação com US$ 100,1 milhões em 31 de dezembro de 2020. A Empresa recomprou aproximadamente US$ 172,0 milhões em ações ordinárias durante 2021.
  • A Empresa pagou um dividendo em dinheiro no quarto trimestre de 2021 de US$ 0,04 por ação ordinária em 15 de novembro de 2021. Em 17 de fevereiro de 2022, o Conselho de Administração da Empresa declarou um dividendo em dinheiro de US$ 0,04 por ação ordinária para o primeiro trimestre de 2022 deverá ser pago em 31 de março de 2022 aos acionistas registrados em 11 de março de 2022.

Números da empresa em 2021:

  • Agentes e corretores na plataforma eXp Realty aumentaram 72% para 71.137 em 31 de dezembro de 2021.
  • As transações imobiliárias fechadas aumentaram 86% para 444.367 em 2021 e aumentaram 52% para 125.029 no quarto trimestre de 2021.
  • O volume de transações imobiliárias aumentou 116% para US$ 156,1 bilhões em 2021 e aumentou 82% para US$ 44,9 bilhões no quarto trimestre de 2021.
  • A eXp Realty expandiu-se para nove novos locais internacionais em 2021, incluindo Porto Rico, Brasil, Itália, Hong Kong, Colômbia, Espanha, Israel, Panamá e Alemanha. Em fevereiro de 2022, a empresa foi lançada com sucesso na República Dominicana e anunciou planos para estabelecer operações na Grécia e na Nova Zelândia no primeiro trimestre de 2022.
  • SUCCESS ® Lending, LLC – uma joint venture de empréstimos residenciais com a Kind Lending, LLC – foi estabelecida e o SUCCESS Coaching™ – um programa de coaching para empreendedores e profissionais de negócios – foi lançado.
  • A eXp Realty encerrou 2021 com um Net Promoter Score global de 71, uma medida de satisfação do agente como parte do foco intenso da empresa em melhorar a experiência do agente.

Condomínio de luxo surpreende cidade de cinco mil habitantes do Sul

Itaara Reserve — Condomínio Serra Clube foi desenvolvido pela Construtora Itaara e tem projeto urbanístico, paisagístico, arquitetônico e interiores do Lineastudio
 

Com inspiração nos melhores condomínios fechados do Brasil, a cidade de Itaara está recebendo um empreendimento inédito na região Central do Rio Grande do Sul. O residencial Itaara Reserve — Condomínio Serra Clube propõe qualidade de vida em meio ao clima serrano, em contato com a natureza, além de uma nova experiência de lazer e bem-estar. Desenvolvido pela Construtora Itaara, o empreendimento tem projeto urbanístico, paisagístico, arquitetônico e interiores do Lineastudio Arquiteturas. 
 

O condomínio tem a identidade de Itaara como referência. Uma região serrana, com a natureza preservada, com morros e matas que encantam e estão entre as paisagens mais lindas do Estado. De acordo com Zé Barbosa, responsável pelo projeto urbanístico e arquitetônico ao lado de Luara Mayer, a linguagem arquitetônica das edificações é perceptível a partir da contemporaneidade dos materiais autênticos como pedra, vidro e concreto aparente. “É um trabalho que evidencia a qualidade urbana e paisagística emoldurada pela arquitetura. Temos edificações minimalistas em que o destaque é a materialidade e as relações com o entorno”, destaca o arquiteto.
 

Ao todo, são 199 lotes residenciais amplos, cuja ocupação promove a harmonia com a natureza. As futuras edificações manterão um afastamento generoso entre si, garantindo privacidade e conforto para os moradores. Além disso, a infraestrutura de lazer contempla dois lagos artificiais internos, com criação de peixes e disponibilidade para esportes náuticos. Há ainda setor esportivo com quadras e vestiários, espaço gourmet, club house com fitness, brinquedoteca, sala de massagem, sauna, piscina (coberta e descoberta), espaço gourmet, rooftop.

Sustentabilidade e linguagem contemporânea
 

O Itaara Reserve conta com pomar, pista de caminhada, espaço especial para os pets e playground adventure para as crianças. Em relação à sustentabilidade, o empreendimento revestiu suas ruas com basalto, o que permite a permeabilidade do solo. Já o traçado das vias e a distribuição dos lotes proporcionam a contemplação dos lagos e áreas de preservação permanente.

Os interiores seguem uma linguagem contemporânea, sóbria e elegante. “Um dos destaques é o uso da madeira, que proporciona a sensação de aconchego, e a paleta de cores neutras”, reforça a arquiteta Lisian Ceolin, que assina o projeto. Já o paisagismo contempla espécies nativas, que foram coordenadas com espécies exóticas escolhidas pelos atributos estéticos e utilizadas em pontos estratégicos, como junto ao pórtico de acesso e aos lagos, pela imponência e importância destes locais. “Outro ponto importante foi a setorização paisagística coordenada com o urbanismo”, destaca a engenheira agrônoma Verônica Viero, ressaltando que o cuidado em utilizar espécies nativas do bioma local é fundamental para preservar e atrair a fauna.

Preços de imóveis em Brasília sobem no mês de abril

O relatório realizado pelo Wimoveis, maior portal imobiliário do Distrito Federal, mostra que os preços dos imóveis em Brasília subiram no mês de abril tanto para locação quanto para compra.

Os dados do relatório mensal de preços do Wimoveis, também chamado de Index, são gerados com base em 100% dos imóveis listados no portal, seja aluguel ou venda, mostrando o preço médio das propriedades.

Para quem deseja locar uma propriedade, o preço médio mensal do aluguel em Brasília fechou o mês de abril em R$ 2.794, subindo 0,9% no mês. No acumulado de 2022, o valor aumentou 2,4% abaixo da inflação (4,3%), o que implica em uma queda real de 1,9%. Já nos últimos 12 meses, o preço médio teve um incremento de 2,4% também abaixo da inflação e muito abaixo do ajuste do Índice Geral de Preços do Mercado – IGP-M.

Setor Hoteleiro Norte (Brasília) é o local onde o aluguel é mais caro, com um preço médio mensal de R$ 5.481. Em contrapartida, Ceilândia Norte é o mais econômico para alugar uma propriedade, com um valor médio mensal de R$ 1046.

Confira os valores médios mensais de aluguel nas demais localidades do Distrito Federal:

Mais baratos (R$)Variação MensalVariação Anual
Ceilândia Norte1.0460,50%-4,80%
Taguatinga Norte1.1641,30%3,40%
Ceilândia Sul1.2003,10%10,60%
Mais caros (R$)Variação MensalVariação Anual
Noroeste3.703-0,40%5,90%
Setor de Hotéis e Turismo Norte4.2892,40%-4,90%
Setor Hoteleiro Norte5.4815,60%6,20%

Imóveis à venda: preços abaixo da inflação

O index de abril da Wimoveis ainda aponta que preço dos apartamentos em Brasília fechou em R$ 11.538 por m², subindo 1% no mês. Os valores nos últimos 12 meses aumentaram 10,4% abaixo da inflação, implicando em uma queda real de 1.6 p.p. e muito acima da variação do tipo de câmbio, o que gera um incremento do preço medido em dólares.

Setor de Clubes Esportivos Sul lidera como a região mais cara no Distrito Federal, com um preço médio de R$ 14.706 por m². Já o Setor Habitacional Contagem é o mais econômico para adquirir um imóvel, custando R$ 2.525 por m².
Valores médios para compra nas demais regiões do Distrito Federal:

Mais baratos (R$/m²)Variação MensalVariação Anual
Setor Habitacional Contagem2.5251,5%10,7%
Área de Desenvolvimento Econômico2.676-3,3%0,6%
Santa Maria2.790-2,7%-5,5%
Mais caros (R$/m²)Variação MensalVariação Anual
Lago Sul13.801-3,3%1,5%
Superquadra Noroeste14.2810,5%10,2%
Setor De Clubes Esportivos Sul14.7061,7%11,4%

Rentabilidade

O índice de rentabilidade imobiliária relaciona o preço de venda e valor de locação do imóvel para verificar o tempo necessário para recuperar o dinheiro utilizado na aquisição do imóvel. O relatório de abril apontou um índice de 4% bruto anual, o que significa que são necessários 25,1 anos de aluguel para reembolsar o investimento de compra, 8,8% a mais que um ano atrás.

Rentabilidade por região:

RegiãoRentabilidade
Guará4,5%
Cruzeiro4,6%
Ceilândia4,8%
Taguatinga5,0%
Águas Claras5,0%
Núcleo Bandeirante5,1%
Samambaia5,6%
Sobradinho5,8%
Riacho Fundo6,7%
Vicente Pires6,8%

Conheça 5 fatores que mostram a importância do condomínio na hora de escolher o novo apartamento

São inúmeros os fatores que permeiam a escolha de um novo apartamento: o valor de investimento, localização, disposição e conservação dos cômodos e vagas disponíveis na garagem, por exemplo. Porém, o condomínio também tem sido um ponto crucial para a compra ou aluguel de um imóvel. O bom funcionamento da vida em comum entre os condôminos, a organização dos espaços compartilhados e a praticidade do dia a dia são requisitos essenciais para avaliar a qualidade dos serviços prestados por uma boa administradora.

Angélica Arbex, Diretora de Marketing da Lello Condomínios, líder no Brasil e a quinta maior do mundo na administração de residenciais e imóveis, explica que o perfil do consumidor atual é diferente comparado há uma década. “As pessoas já entenderam que não é possível viver em uma bolha, uma ilha. Tudo que está em volta do seu apartamento importa tanto quanto o que você tem porta adentro. Escolher o ambiente onde você vai viver é um fator decisivo para o índice de felicidade que você vai ter em sua nova casa. E isto está nos detalhes e muitas vezes no que não pode ser percebido em apenas uma ou duas visitas. ”, explica.

A escolha do condomínio não deve ser mensurada apenas pelo valor que cabe ou não no bolso do consumidor. Segundo Angélica, aqui é preciso ativar o alerta sobre o que ele oferece e de que maneira isso tem afinidade com o seu jeito de viver. O condomínio deve ser um facilitador na vida do morador. E o quanto ele consegue agregar na rotina dos condôminos, fornecendo soluções para a dia a dia, é o que será levado em conta na hora de escolher o novo apartamento.

Para auxiliar quem está à procura de um novo imóvel, Angélica Arbex elenca cinco fatores que hoje são tidos como essenciais para a escolha de um condomínio. Dessa forma, os interessados em alugar ou comprar um novo apartamento podem avaliar as opções e tomar uma decisão mais acertada e consciente.

Conheça o condomínio

O primeiro passo é o mais importante. É preciso conhecer o condomínio e o que ele costuma oferecer aos moradores do residencial. Conhecer significa perguntar, principalmente para as pessoas que não têm interesse direto na realização da transação imobiliária. Se você puder, converse com o zelador do condomínio. Faça perguntas despretensiosas sobre o perfil dos moradores. Descubra se é um condomínio mais família, mais jovem. Outra coisa que ajuda é saber se os moradores são unidos, se fazem festas de natal e festas juninas. E observe as áreas comuns. Veja se existem iniciativas contemporâneas como hortas, por exemplo. Tudo isso vai te trazendo pistas sobre como é, de verdade, morar naquele lugar.

Se você adora animais, conheça as regras do condomínio. Pergunte sobre os espaços para pets. Caso tenha crianças ou queira aumentar a família, veja quantos espaços comuns são destinados a elas. Assim, combinando a sua expectativa com o que o condomínio oferece, as chances de acertar são muito maiores.

Soluções em poucos cliques

Na correria do dia a dia, resolver um problema de forma rápida e prática é um diferencial. Por isso, é importante considerar uma administradora que preza por inovação e possa oferecer soluções digitais para questões comuns à rotina de uma vida condominial, como: reserva das áreas comuns, acesso aos boletos e correspondências, visualização de comunicados, autorização de entrada de visitantes, cadastro de seus veículos e a comunicação com a portaria.

“Pensando na vida corrida que os moradores têm, lançamos, em 2021, um app que é um facilitador dos condôminos e atende às necessidades mais corriqueiras, além de possibilitar a contratação de serviços de limpeza e lavanderia e um seguro residencial, por exemplo. O condomínio é um serviço, você precisa que ele seja tão digital quanto todos os outros serviços que você consome.”, destaca a executiva.

Assembleias

Saber como funcionam as assembleias condominiais é um ponto essencial. Quem mora em comunidade compreende a importância democrática de tomar decisões para o bem comum dos moradores. Uma responsabilidade necessária, que muitas vezes não consegue ser adotada por todos os condôminos. Angélica explica que nos últimos 25 meses, as reuniões tiveram um corpo presente mais robusto. “Desde que adotamos as assembleias digitais, a princípio como uma medida emergencial para sanar as condições sanitárias impostas pela pandemia, alcançamos uma média de 60% de presença dos condôminos, o dobro comparado com o modelo presencial e um registo de 100% das atas. Tornar essa mudança algo permanente nos condomínios que administramos foi nossa luta a partir de então”, explica.

Outra dica da especialista é ler a última ata de aprovação de orçamento ou eleição de síndico no condomínio que você pretende morar. Esse documento dirá muito sobre o perfil dos moradores e pode te dar uma ideia de como poderá ser a relação com os seus futuros vizinhos.

Cotas e boletos

As cotas condominiais são valores cobrados mensalmente de cada condômino para arcar com as despesas comuns da vida em comunidade, como os serviços, manutenções e melhorias das áreas comuns. As despesas relativas às partes de uso exclusivo de cada morador não entram no rateio. Porém, há condomínios que conseguem unificar algumas despesas comuns como água e gás no valor total das cotas condominiais.


Outra maneira de tornar a experiência de viver em um residencial é ter a praticidade de boletos digitais.  “Desde 2019, adotamos o Papel Zero, um projeto idealizado por nós para diminuir o uso de papel e tornar a vida dos nossos condôminos mais prática”, relata Angélica. Ela sinaliza que a campanha já gerou benefícios para o meio ambiente e mais de 202,7 mil boletos deixaram de ser impressos mensalmente, representando mais de 2,4 milhões por ano, além de todo volume de impressões na empresa, que caiu drasticamente nos últimos 38 meses.   

Soluções sustentáveis

Condomínios que contam com soluções que promovam a qualidade de vida, a formação de comunidades mais fortes e unidas e a responsabilidade ambiental têm ganhado visibilidade. “Foi pensando nisso que criamos o LelloLab, um laboratório da vida comum. Nele, experimentamos, criamos e cocriamos soluções para quem vive nos condomínios administrados por nós e toda a sociedade no entorno.  Um dos nossos projetos, em parceria com o Instituto Muda, é o LelloRecicla, uma forma de promover treinamentos com nossos colaboradores, condôminos e funcionários do lar para a coleta consciente do lixo”, revela Arbex.

Outras ações como a implementação de hortas urbanas, energia renovável e economia de água também são ações ativas que estão presentes nos residenciais e imóveis administrados pelo Grupo Lello. Esses e outros benefícios podem ser um bom atrativo não só para o dia a dia do morador, mas também um ativo que agrega valor ao imóvel.

Liberação de crédito imobiliário da Minha Casa Financiada cresce 262% no primeiro trimestre de 2022

As proptechs vivem dias conturbados. O cenário econômico cada vez mais pessimista no Brasil e a instabilidade financeira mexem com o rumo do setor. Um dos motivos para esse prenúncio de crise podem estar nos indicadores. O IPCA-15 obteve alta de 1,73% em abril (maior número em 27 anos); há projeções dos especialistas de termos taxa Selic em patamar próximo dos 14% até o final do ano e, como se não bastasse, uma onda de demissões em massa atingiu o setor de surpresa. 

Apesar do cenário geral de insegurança, existem empresas que estão andando na contramão desse movimento, crescendo e conquistando cada vez mais seu espaço. Como é o caso da startup Minha Casa Financiada. A proptech de crédito, que tem o propósito de desburocratizar a construção de imóveis, fechou o primeiro trimestre de 2022 anunciando crescimento de 262% nos créditos imobiliários liberados para a região sudeste do Brasil. 

O estado que mais apresentou crescimento foi o de São Paulo. Comparando o primeiro trimestre de 2022 com 2021, houve um aumento de R$129 milhões (R$34 milhões para R$163 milhões). Seguido pelo Rio de Janeiro, com R$59 mi (de R$ 23 mi para R$ 82 mi) Minas Gerais, com aumento de R$12 mi (de R$ 12 mi para R$ 24 mi) e Espírito Santo, com crescimento de R$4 mi (R$ 9 mi para R$ 13 mi).

Segundo o CEO da Minha Casa Financiada,Vinicius Motta, a instabilidade econômica tem feito com que investidores busquem novas formas de aplicar seu capital, e a construção financiada tem se mostrado uma opção viável.

“Muitos investidores estão optando por aplicações mais seguras a longo prazo, com isso o setor de crédito imobiliário vive um ótimo momento. Nossas linhas de crédito contam também com incorporação, de casas ou prédios, para quem tem a intenção de revender. Esse movimento do mercado colabora para o bom desempenho do nosso negócio, afirma Motta.

Crescimento consistente no longo prazo

Fundada em dezembro de 2019, a Minha Casa Financiada se caracteriza, também, por nunca ter recebido aportes. Todo o crescimento da participação de mercado da empresa aconteceu em formato bootstrapping. O faturamento, em 2019, foi de R$2,5 milhões, total que passou para R$ 8,2 milhões em 2020, chegando a R$14,1 milhões em 2021 e a expectativa para 2022 é alcançar os R$27 milhões, cerca de 93% de crescimento em comparação ao ano anterior..

Motta revela também que o modelo de negócio da empresa proporciona um crescimento saudável e consciente, dessa forma o negócio se mantém estável independente dos movimentos do mercado. 

“Conseguimos criar um negócio que é extremamente competitivo e supre uma necessidade do mercado: a falta de verba das pessoas para construir seu lar. Nossas decisões são tomadas de forma que o crescimento seja focado em solidez e no longo prazo. Ao suprir uma necessidade do mercado, trabalhando com as melhores taxas do mercado, conseguimos intermediar mais de R$2,2 bilhões de créditos imobiliários em 2021 e projetamos terminar o ano com R$ 3,5 bi”, analisou o CEO da MCF. 

App de ativação condominial conquista jovens pela sua praticidade

A busca por apartamentos no Brasil segue em alta, dados da Pesquisa DataZAP+ apontam que 42% dos entrevistados têm preferência por esse tipo de imóvel, o levantamento ainda mostra que 18% das pessoas que buscam por uma propriedade são os Millennials. Conhecidos por serem conectados e atentos às novidades, os jovens prezam por boas experiências, bem-estar e inovações que proporcionam agilidade e economia de tempo, principalmente, em suas residências. 

Com mais de 13 mil usuários, majoritariamente, na faixa etária entre 25 e 45 anos,  o apepê,  é um aplicativo de conexão e ativação condominial pensado para os moradores, que possibilita a vida mais fácil no condomínio em um único app, e oferece serviços que proporcionam agilidade e comodidade aos condôminos. “São jovens que conquistaram recentemente a sua independência financeira ou, então, novos casais que não querem perder tempo com ferramentas de gestão de condomínio que mais atrapalham do que auxiliam. Eles querem resolver suas atividades no seu tempo e da melhor forma”, conta Carlos Castro, CEO do apepê.

O sistema do app é intuitivo e tudo pode ser resolvido em poucos cliques. “O que motiva as pessoas a usarem o apepê é a sua usabilidade, ele é extremamente fácil. Por exemplo, reserva de espaços comuns, tudo pode ser feito pelo app de forma automatizada em que o morador tem acesso aos dias e horários disponíveis e realiza o agendamento pelo app descartando a necessidade de aguardar pela confirmação de terceiros. Tudo em uma única tela, com apenas um clique”, explica o CEO do apepê. 

A pandemia de Covid-19 mudou os hábitos da sociedade e também como as pessoas estão trabalhando. “Em geral, os usuários do apepê trabalham de forma híbrida e precisam do seu momento de concentração, por isso, a comunicação precisa ser assertiva entre moradores e funcionários. No app temos um feed de notícias e chat privado sem a necessidade de passar o seu número de celular”, esclarece Castro.

Para atender as atuais necessidades e proporcionar uma nova experiência de morar e viver aos residentes de condomínios, o apepê une uma boa usabilidade da ferramenta com a comodidade de ter acesso aos principais serviços, sejam do condomínio ou não, num único app. “O que os moradores estão acostumados hoje em dia são com aplicativos de gestão do condomínio, essencialmente básicos para emissão do boleto da taxa condominial e visualização das contas. O apepê quebra este paradigma, uma vez que pela primeira vez um sistema trouxe praticidade e facilidade para demandas essenciais no dia a dia”, finaliza o CEO da empresa.