Vitacon adota modelo híbrido de trabalho para o pós-pandemia

Vitacon adota modelo híbrido de trabalho para o pós-pandemia

A Vitacon, incorporadora imobiliária que trabalha com o propósito de reinventar a cidade, vai adotar um modelo híbrido de trabalho para o pós-pandemia. A empresa, que aderiu ao home office para todos os colaboradores de seu escritório com o início das medidas de distanciamento social, diminuirá pela metade as posições de trabalho em sua nova sede, que será em um prédio retrofitado na rua Haddock Lobo, Jardim Paulista, e contará com mais áreas de descompressão e de reunião.

Com a mudança, as instalações da Vitacon sairão de uma laje corporativa de 628 metros quadrados, com 75 postos de trabalho, para um prédio com 526 metros quadrados e 34 posições. O novo espaço ainda terá um café aberto para a cidade, uma loja de experiência da marca, com unidade decorada seguindo o conceito de inovação e interfaces digitais para auto atendimento de informações sobre seus empreendimentos. O escritório deverá ser finalizado até julho de 2021.

“Nossa ideia é oferecer um local de trabalho no esquema de coworking, sem posições fixas e mais voltado para encontros e troca de ideias. O modelo híbrido traz grandes vantagens para todos os colaboradores. Não perdemos o conforto de trabalhar em nossas próprias casas, mas contamos com um espaço preparado para os dias em que o trabalho presencial é necessário”, destaca o CEO da Vitacon, Ariel Frankel.

Humanização e engajamento durante a pandemia

Neste período de pandemia, a Vitacon fortaleceu os seus pilares relacionados ao ESG (sigla em inglês para governança corporativa, ações sociais e de sustentabilidade), com foco na gestão humanizada e na hierarquia horizontal para construir relações de confiança e fazer com que todos tenham voz. “Procuramos uma forma para que as soluções possam nascer da constante colaboração entre as equipes, em um ambiente profissional estimulante e humano, com bastante leveza e alegria”, explica Frankel.

Outra preocupação da Vitacon foi com a saúde mental e física de seus colaboradores. “Buscamos ajuda de profissionais que promoveram rodas de conversa e forneceram ferramentas para autoconhecimento, equilíbrio e controle. Em paralelo, atividades descontraídas foram propostas, promovendo integração e muita diversão. Incentivamos a prática de atividades físicas, com ações semanais para que os profissionais pudessem fazer exercícios sem sair de casa, com toda a segurança”, complementa o CEO.

Para manter o engajamento em alta, o CEO e a governança também mantiveram um canal aberto de diálogo com todas as equipes para fortalecer a expressão de ideias e a integração entre todos os colaboradores. Dessa forma, a construção de um novo Código de Ética, book de métricas e dashboards, revisão de processos e diversos comitês de assuntos estratégicos tomaram conta da agenda dos profissionais, bem como a introdução de metodologias ágeis.

“Mesmo que não tenhamos uma data certa para voltarmos às nossas vidas como antes, é preciso que a liderança seja otimista e transmita positividade aos demais. É preciso se reinventar, assim como nos propusemos a reinventar as cidades. Unir forças com o time é gerar comprometimento e vida longa ao nosso negócio”, conclui o CEO.

Comments are closed