Rooftop aloca R$ 80 milhões do primeiro fundo imobiliário

Rooftop aloca R$ 80 milhões do primeiro fundo imobiliário

Rooftop, proptech que oferece gestão inteligente de transações ao conectar imóveis em situações especiais a potenciais compradores e investidores, alocou 80% do seu primeiro fundo, chamado ROOF11, com patrimônio líquido de R$ 80 milhões. A BlueMacaw, gestora de fundos de investimentos imobiliários alternativos, é acionista da operação e prevê um retorno sobre capital investido de 30% ao ano.

Um total de 170 imóveis residenciais foram comprados pelo fundo, sendo 66% dos quais localizados na cidade de São Paulo. O valor médio das unidades é de R$ 400 mil, compradas com 40% de desconto em relação ao valor de mercado, e a expectativa de retorno anual para os investidores é de 30%. As primeiras unidades compradas pelo fundo no primeiro semestre deste ano, já desembaraçadas, foram revendidas. A Rooftop atua nos chamados imóveis em situações especiais, que são aqueles retomados por bancos ou atrelados a algum processo judicial, e utiliza tecnologia que permite monitorar essas unidades vinculadas a processo judicial, extrajudicial, leilão ou pendente de regularização.

Após o mapeamento e investigação detalhada da situação de cada imovel, a proptech realiza a aquisição e regulariza as unidades para venda sempre com valor abaixo do mercado, para atrair os potenciais clientes, sejam eles investidores locais ou clientes finais. “As revendas das primeiras unidades regularizadas já apresentam uma TIR líquida expressiva superior a 50% em algumas transações, o que representa um desempenho significativo em relação à subscrição e ao mercado imobiliário”, afirma Daniel Gava, fundador e CEO da Rooftop.

Roberto Dib, sócio e gestor do portfólio do BlueMacaw Renda+ FOF – FII, explica que o fundo Renda+ decidiu investir no fundo ROOF11 porque viu uma oportunidade de acessar um mercado com margens atrativas de uma forma profissionalizada. Tudo isso com escala sustentada por tecnologia em um momento particularmente interessante, dada a situação econômica pós-covid. “Um total de 15% dos ativos do FOF Renda+ foram adquiridos em ofertas restritas, não abertas ao público em geral, que conseguimos acessar devido à nossa base de relacionamentos. Tais investimentos não estão disponíveis para o investidor comum”, destaca.

Programa InCasa
Além da aquisição, regularização e venda de imóveis especiais, a Rooftop também atua com o programa Rooftop InCasa, que tem a proposta de ajudar proprietários de imóveis quitados ou vinculados a um financiamento bancário e que estejam passando por dificuldades financeiras, correndo o risco de ter a propriedade retomada por meio de processos judiciais e extrajudiciais. Também se aplica a donos de imóveis que simplesmente estão sem acesso a banco e capital.

O programa compra o imóvel pagando à vista e o antigo proprietário permanece como locatário, com direito contratual de recomprar em até 36 meses pelo mesmo valor que vendeu atualizado pelo IPCA. Também há a possibilidade de venda a terceiros. É uma alternativa a empréstimo bancário para quem teve pedido de crédito consignado com imóvel como garantia negado.

A ideia foi do fundador e CEO Daniel Gava que investe seus recursos pessoais há mais de 10 anos em imóveis adquiridos via leilões para revenda no mercado imobiliário. Daniel percebeu que muitas famílias poderiam ter mantido seus lares se tivessem uma alternativa que oferecesse liquidez imediata, evitando assim as perdas do investimento realizado na casa própria atreladas aos descontos aplicados nos leilões. Às vezes, dívidas de pequeno ou médio porte prejudicam muito o patrimônio de quem perde o imóvel. A Rooftop já iniciou a estruturação de um novo fundo, com previsão de captar R$ 250 milhões, que combina as duas estratégias da empresa.

Comments are closed