Intenção de compra de imóveis ultrapassa o patamar de 2011, aponta estudo da Datastore

Intenção de compra de imóveis ultrapassa o patamar de 2011, aponta estudo da Datastore

O mercado imobiliário tem sido um dos condutores da economia brasileira durante a pandemia do coronavírus e um estudo realizado pela Datastore traz novos números que comprovam o fortalecimento do setor. Segundo o Datastore Series, em outubro de 2020, 7.014.645 de famílias brasileiras pretendiam comprar um imóvel nos próximos 12 meses. Esse número é grandioso e ultrapassa o maior patamar registrado nos últimos dez anos. Em 2011, quando as intenções de compra atingiram o auge e começaram a retrair, havia 6.299.368 famílias interessadas em adquirir um imóvel no prazo de um ano.

“A intenção de compra para os próximos 12 meses demonstra o vigor do mercado imobiliário brasileiro. Os compradores imediatos indicam que as negociações para as vendas acontecem com mais velocidade. Além disso, um detalhe importante: o mercado imobiliário urge por novos lançamentos para a demanda de mais de sete milhões de compradores, pois grande parte dos estoques já foram absorvidos”, afirma Marcus Araujo, CEO e fundador da Datastore.

Quando a intenção de compra de imóveis é feita para os próximos 24 meses, o resultado é ainda mais promissor e mostra que, em outubro, o Brasil igualou o mesmo número de famílias do mês de março, no período pré-pandemia. “Há um detalhe muito importante quando avaliamos a intenção de compra de imóvel por famílias brasileiras para os próximos dois anos: não é o mesmo grupo de pessoas de antes da pandemia. São novas famílias que atravessaram o período mais agudo da pandemia e se adaptaram às ferramentas digitais, mantendo ou ganhando mais renda”, completa Araujo.

Entre os fatores que podem explicar o excelente momento pelo qual o mercado imobiliário passa, pode-se destacar a redução da taxa Selic, a expectativa de queda nos preços, o aumento no número de lançamentos e a recuperação da atratividade dos imóveis como alternativa de investimento.

Comments are closed