Future of Making: os insights de especialistas no maior evento de transformação digital para a construção

Future of Making: os insights de especialistas no maior evento de transformação digital para a construção

Inteligência artificial, captura de dados remotos, potencialização e humanização da tecnologia na experiência do cliente foram assuntos abordados no primeiro dia do FastBuilt Experience 2021

Grandes nomes do mercado brasileiro de construção e inovação marcaram presença no primeiro dia do FastBuilt Experience, um dos maiores eventos para o setor no país, que neste ano acontece de forma híbrida (presencial e online). Pela manhã do dia 4, uma palestra de destaque foi de Admar Cruz, diretor de vendas da QuintoAndar, startup focada no aluguel e venda de imóveis. “Compartilhar informações abre a cabeça, e um mercado forte é bom para todos os players do mercado, gerando competição por qualidade e excelência. O FastBuilt Experience vem para agregar muito a toda a cadeia”, comentou.

O especialista abordou a potencialização da tecnologia e humanização nas atividades. “Há o cliente que quer o mínimo de contato possível. Já outros precisam estar presencialmente no local, conversar com o corretor cara a cara. A tecnologia potencializa o trabalho do corretor, aumentando produtividade e chance de bons resultados.  Hoje a informação é pública, o corretor precisa estar preparado para atender com excelência todo tipo de cliente”, destacou.

O primeiro dia do FastBuilt Experience trouxe também o painel Reality Capture Experience, com foco na inteligência artificial direcionada para a construção. Chase Olson, CEO e fundador da Smart Sky, hub de solução e tecnologias para captura da realidade, foi um dos painelistas. “São várias tecnologias que estão disponíveis no mercado que utilizam a realidade aumentada, por exemplo, usando dados que não são disponibilizados em uma planta baixa. Com a nossa tecnologia e uso de dados, é possível disponibilizar para a construtora e clientes imagens do projeto ‘as-built’ em tempo reduzido e com riqueza de detalhes e resolução”, afirmou.

No painel estava presente também Ana Julia Caetano e Souza, arquiteta e urbanista. Ana abordou as soluções disponíveis para usuários de softwares de informação geográfica: “Utilizando esse tipo de tecnologia, é possível ter um estudo preliminar da área onde se pretende realizar a obra, onde vou colocar a minha equipe, qual o melhor espaço para iniciar uma construção, um projeto”.Podemos ter acesso a que tipo de resultado a obra poderia trazer, tanto para a construtora quanto para os comércios localizados no entorno, porque temos acesso até ao faturamento médio das lojas que ficam na localidade”.

Maria Augusta Zanella, engenheira civil e especialista técnica da PARS, empresa distribuidora de soluções como o AutoCad, software muito utilizado na confecção de plantas e projetos para a construção, também esteve presente no painel. Para ela, a realidade das cidades atualmente é de rápida expansão, porém com recursos naturais escassos, “por isso é necessário construir mais com menos, gerando menor impacto no ambiente. Grande parte da população vive nos grandes centros e a mobilização para bairros mais afastados é inevitável”. Maria Augusta também bateu na tecla do uso racional de dados. “Não adianta coletar dados e não saber usá-los. O bom uso das informações permite evitar desperdício de tempo e dinheiro, que é o que todo profissional deseja. Nossas tecnologias só tem valor se o mercado entende o valor do dado”, finalizou.

Ao todo, mais de 40 palestrantes compõem a programação, que pode ser conferida em www.fastbuiltexperience.com.br, onde também é possível acompanhar o evento online, além de assistir a entrevistas exclusivas com os palestrantes e ter acesso a muito mais informações.

Comments are closed