Category Archive Latest News

A retomada da economia e o abastecimento de aço ao mercado doméstico

O Presidente da República, Jair Bolsonaro, recebeu hoje (27/11) o presidente do Conselho Diretor do Instituto Aço Brasil, Marcos Faraco (Gerdau) e o presidente executivo da entidade, Marco Polo de Mello Lopes, acompanhados por conselheiros do Instituto. A governança do Aço Brasil transmitiu ao Presidente o reconhecimento em relação às precisas e corajosas medidas adotadas pelo Governo no enfrentamento da pandemia que permitiram a retomada rápida e vigorosa da economia. Reforçaram a capacidade da indústria brasileira do aço de abastecer plenamente o mercado interno e informaram que, no momento, ajustes ainda estão sendo realizados no mercado face a necessidade da reposição de estoques na distribuição e consumidores. Além disso, os representantes do Aço Brasil levaram ao presidente as previsões de desempenho do setor para o ano que vem. Estiveram presentes na audiência o Ministro Chefe da Casa Civil, Braga Neto, Ministro da Economia, Paulo Guedes e o MInistro de Minas e Energia, Bento Albuquerque.

No ápice da pandemia de COVID-19 no Brasil, houve forte queda de consumo e a indústria brasileira do aço teve que abafar altos fornos e paralisar outras unidades de produção, chegando a operar com apenas 45% de sua capacidade instalada. Os prognósticos de queda do PIB eram então sombrios não só no Brasil como na grande maioria dos países. Logo que os sinais de recuperação da demanda de aço surgiram, o setor do aço religou seus equipamentos e reativou sua produção, para atender o retorno dos pedidos dos clientes. Hoje, a utilização da capacidade instalada (68,4%) já ultrapassou a de janeiro deste ano.

A vigorosa recuperação do mercado interno permitiu que as estimativas do Instituto para este ano em relação a 2019 sejam de relativa estabilidade nas vendas internas (0,5%), atingindo 18,9 milhões de toneladas, queda de apenas 01% no consumo aparente, que deve atingir 20,8 milhões de toneladas. No tocante à produção, a indústria brasileira do aço deve decrescer 5,6%, atingindo 30,7 milhões de toneladas este ano. As importações devem cair 17,4% em relação a 2019, totalizando 2 Mt e as exportações devem ter queda de 16,3%, atingindo 10,7 Mt.

O olhar da indústria brasileira do aço para 2021 é de otimismo, porque acredita na retomada do crescimento econômico sustentado. A expectativa é de aumento de 5,3% nas vendas internas e 5,8% no consumo de produtos siderúrgicos no próximo ano em comparação com 2020. Esse otimismo baseia-se na expectativa de um maior consumo de aço na construção civil, nas obras de infraestrutura, e uma maior participação da indústria nacional no setor de óleo e gás e energia renovável.

Foi levado também ao Presidente e aos Ministros presentes a necessidade da indústria de transformação, nela inserida a indústria do aço, de recuperar a sua competitividade, tanto na concorrência dos produtos importados quanto nas exportações. Para tanto é necessário que a abertura comercial da economia brasileira seja vinculada à correção das assimetrias competitivas (Custo Brasil), assim como sejam tomadas medidas de isonomia de tratamento entre o produto nacional e o importado. Na exportação, é preciso que a indústria tenha pelo menos ressarcimento de seus resíduos tributários (Reintegra).

Alphaville Urbanismo iniciará vendas do novo residencial Terras Alpha Nova Esplanada

Em breve, a Alphaville Urbanismo, líder em empreendimentos horizontais no Brasil, iniciará vendas do Terras Alpha Nova Esplanada em evento presencial, que oferecerá condições especiais do residencial de alto padrão, que contará com lotes a partir de 300 m². O empreendimento, localizado na melhor região de Sorocaba e Votorantim, junto aos demais residenciais da Alphaville Urbanismo, terá características como praças, bosque, bicicleta compartilhada, Alpha Market (loja autônoma com itens de consumo), entre outras.

O empreendimento proporcionará aos moradores a verdadeira sensação de viver sempre próximo à natureza. Com mais de 177 mil m² de áreas verdes, terá quatro praças temáticas com espaços kids, teen, pet e para contemplação. O empreendimento oferecerá aos moradores pomar comunitário, campo de futebol, quadra de tênis, quadra poliesportiva, piscinas adulto e infantil, salão de festas que será adaptado para servir como espaço coworking nos dias úteis, sala de ginástica, bicicleta compartilhada, deck seco e molhado, além de churrasqueira, salão de jogos, espaço kids, e o Alpha Market. Além desses itens, em frente ao empreendimento também haverá um amplo espaço verde de acesso público.

Com a pandemia e a possibilidade de trabalhar remotamente, o novo projeto da Alphaville Urbanismo foi pensando para oferecer ainda mais conforto àqueles que continuarem seguindo o modelo de home office. Para se adaptar às necessidades dos clientes, o empreendimento da marca terá espaço coworking disponível durante os dias úteis, que contará com toda infraestrutura necessária, wi-fi, mobília adaptada, entre outros. Além da busca por espaços adequados ao trabalho remoto, durante esse período, as construtoras e incorporadoras têm registrado um aumento nas buscas de casas mais espaçosas, com áreas externas e que ofereçam mais opções de lazer, segurança e qualidade de vida.

“Percebemos uma tendência expressiva de procura por casas em condomínios fechados e que permitam um contato constante com a natureza, e o Terras Alpha Nova Esplanada oferece esses requisitos. Neste empreendimento, todos os espaços dedicados a lazer, clube e área verde somam mais de 263 mil m². A nossa expertise de quase meio século urbanizando diferentes espaços faz com que estejamos cada vez mais aptos a entregar o que o público busca quando o assunto é moradia”, afirma Ricardo Castello Branco, diretor comercial da Alphaville Urbanismo.

O empreendimento fica estrategicamente localizado em uma região privilegiada, próximo a grandes centros comerciais, como o Shopping Iguatemi, e próximo a mercados, universidades, colégios e ao bairro Campolim.

Mais informações:
https://www.alphavilleurbanismo.com.br/residencial/terras-alpha-nova-esplanada

Yuca, pioneira na gestão de apartamentos compartilhados, lança seu primeiro Fundo de Investimento Imobiliário

A Yuca, startup focada na gestão de imóveis residenciais para locação, captou em seu primeiro FII – Fundo de Investimento Imobiliário – cerca de R﹩ 40 milhões, o primeiro FII no mundo com um portfólio majoritariamente de apartamentos residenciais compartilhados (“co-living”), além de entrar para o seleto grupo de fundos de investimentos residenciais do B3. A startup que surgiu com o objetivo de democratizar a moradia nas regiões centrais de grandes cidades, expande seu portfólio de investimentos e produtos que vão além da moradia compartilhada.

Distribuído pelo banco Itaú BBA através da Oferta 476 (oferta restrita a investidores profissionais), o YUCA FII começa a operar nesta semana sob o código YUFI11. As cotas foram ofertadas ao valor de R﹩100 e a expectativa de yield de dividendo supera os 8% ao ano.

“O residencial para renda tem muito espaço para crescer no Brasil. A queda dos juros e o perfil mais resiliente desse tipo de investimento fazem com que o setor tenha muito espaço para se desenvolver. O Yuca FII sai com 90% dos recursos alocados, a nossa expectativa é já no primeiro trimestre de 2021 fazer uma nova captação desse veículo, ampliando o portfólio e buscando entregar cada vez mais novos formatos de moradia na cidade, com preços acessíveis para o inquilino e retornos acima do mercado para os investidores”, conta Rafael Steinbruch, sócio fundador e Head de Real Estate da Yuca.

Com mais de 250 unidades sob gestão na cidade, a proptech espera terminar o ano de 2020 em mais de 400 unidades. A Yuca traz em sua essência o conceito de living-as-a-service (LaaS), entregando praticidade e qualidade de vida ao unir tecnologia e um design inovador em todos os seus empreendimentos. A inspiração veio de um modelo chinês de transformação urbana, que implementou esse formato em apartamentos espalhados em megacidades para atender a crescente demanda de jovens profissionais. Em São Paulo, a Yuca já conta unidades em mais de 70 prédios espalhados em bairros como Vila Olímpia, Pinheiros, Consolação, Bela Vista, Vila Madalena, entre outros.

Homer, Sebrae, IGlobal e sistema COFECI-CRECI promovem semana de capacitação a corretores de imóveis

O mercado imobiliário está em constante transformação e, com a pandemia, as mudanças aconteceram de forma mais acelerada. Com isso, estar por dentro das novidades do setor, entender bem de contratos finanças, e ter familiaridade dos corretores com o uso de ferramentas tecnológicas deixou de ser um diferencial, para se tornar uma necessidade. E para ajudá-los nessa adaptação, o Homer , plataforma que oferece soluções tecnológicas aos corretores de imóveis de todo o Brasil, se uniu ao Sebrae e ao sistema COFECI-CRECI para realizar o Saber Imobiliário, evento de capacitação 100% online e gratuito a esses profissionais.

Segundo Livia Rigueiral, CEO do Homer, o conhecimento é fundamental para que o setor cresça cada vez mais. “O Homer tem como principal objetivo fomentar o mercado imobiliário brasileiro, por isso, oferecemos subsídios aos corretores para que eles estejam preparados para os novos modelos de negócios que estão surgindo, e ampliem sua visão quanto a autogestão financeira, de carreira, e estejam por dentro de temas ligados a inovação”.

A semana de treinamento será entre os dias 30 de Novembro e 04 de Dezembro, das 19h30 às 21h30. Os temas abordados nas palestras serão:

• 30/11 – “As regras dos negócios mudaram. Você está preparado?”, sob o comando do especialista em gestão estratégica e vendas e coautor do best seller “Gestão do Amanhã”, Sandro Magaldi;


• 01/12 – “Mercado imobiliário gerando negócios com marketing digital”, por Camila Renaux, especialista em marketing estratégico, gestão de negócios digitais e inteligência artificial para negócios com mais de 12 anos de experiência;


• 02/12 – “Gestão de Contratos”, palestra ministrada por João Teodoro, presidente do COFECI;


• 03/12 – “Um olhar econômico sobre o setor imobiliários: projeções, gestão financeira e previsibilidade de renda”, com Luís Artur Nogueira, jornalista e economista que atua na IstoÉ Dinheiro e no IG nos cadernos de economia, e tem MBA em mercado financeiro;


• 04/12 – “Carreira e mercado”, por Max Gehringer, que está entre os 30 executivos mais cobiçados do Brasil, e já foi presidente da Pepsi, Pullman, e diretor da Elma Chips e Pepsi nos EUA.

Quem quiser participar do Saber Imobiliário precisa se inscrever pelo link https://saberimobiliario2020.com.br/. Os profissionais receberão certificado no final do treinamento.

Serviço:

Data: de 30 de novembro a 04 de dezembro de 2020

Horário: de 19h30 às 21h30

Inscrições: https://saberimobiliario2020.com.br/

Custo: 100% gratuito

Realização: Homer, Sistema Cofeci-Creci, Sebrae e IGlobal

QuintoAndar oferece antecipação do valor do aluguel de até seis meses para proprietários de imóveis

O QuintoAndar, plataforma imobiliária digital com mais de R$ 30 bilhões em ativos sob gestão, ampliou seu programa Aluguel Antecipado, oferecendo aos proprietários a possibilidade de antecipar até seis meses de aluguel. No modelo anterior, que permanece existindo, era possível antecipar o valor do aluguel apenas do mês seguinte.

Os proprietários que anteciparem mais de um mês de aluguel recebem o adiantamento em suas contas cadastradas no QuintoAndar, e a quitação pode ser feita em até 10 parcelas, descontadas diretamente do aluguel mensal. A taxa do adiantamento é de 2% ao mês, o que torna a operação uma das mais atraentes em relação aos produtos de crédito hoje disponíveis no mercado para pessoas físicas.

O QuintoAndar realizou uma primeira rodada de testes com o Aluguel Antecipado de longo prazo no fim do terceiro trimestre. Durante os testes, foram fechados 253 antecipações, no valor total de R$ 2 milhões.

A modalidade de antecipação mensal também continua ativa. Desde novembro do ano passado, quando foi lançado o serviço, o QuintoAndar antecipou mais de R$ 18 milhões aos proprietários clientes.

“Criamos esse serviço, com objetivo de ajudar o proprietário a lidar com os imprevistos, diz Gabriel Braga, CEO do QuintoAndar. “Queremos que os proprietários nos vejam como um parceiro durante toda a jornada”.

A viabilização da ação é feita pela fintech Mova, parceira do QuintoAndar também em ações pontuais, como a linha de crédito com custo subsidiado para auxiliar corretores e imobiliárias parceiros.

“Nosso modelo de Financeira as a service permite, em conjunto com o QuintoAndar, criar modelos que realmente fazem a diferença na vida dos clientes “, diz Roberto Tesch, CEO e fundador da Mova.

Cartórios de Notas passam a autenticar documentos de forma digital em blockchain

Serviço mais procurado nos Cartórios de Notas agora também pode feito pela plataforma eletrônica e-Notariado

Autenticação de documento por meio eletrônico assegurada por sistema na rede blockchain. Este é o novo serviço disponibilizado pelos Cartórios de Notas do Brasil, que passam a realizar a certificação de cópias de forma online pelo site https://www.cenad.e-notariado.org.br/, módulo integrante da plataforma de atos notariais eletrônicos chamada e-Notariado, e que possibilita a realização de atos de escrituras e procurações por videoconferência. O novo recurso permite a materialização e a desmaterialização de autenticações em diferentes cartórios, torna mais rápido o envio do documento certificado para pessoas ou órgãos, e verifica a autenticidade do arquivo digital.

O módulo da Central Notarial de Autenticação Digital (CENAD) – www.cenad.e-notariado.org.br/, disponível no e-Notariado – plataforma regulamentada pelo Provimento nº 100/20 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) -, é gerido pelo Colégio Notarial do Brasil – Conselho Federal (CNB/CF), entidade que reúne os Cartórios de Notas do País. A Central foi definida pelo Conselho como o único meio nacional válido para autenticação digital de documentos. O ato deve ser feito a partir do título original, ou seja, se for originalmente físico, o usuário deve apresentá-lo ao Cartório de Notas para digitalização e, se for digital, poderá ser enviado digitalmente para autenticação.

Presidente do Colégio Notarial do Brasil, Giselle Oliveira de Barros, explica que o novo procedimento permite ao usuário trabalhar com o documento eletrônico, mas com segurança jurídica. “Após o documento ser autenticado pela CENAD, ele pode ser enviado eletronicamente – por email, whatsapp ou qualquer outro meio – a órgãos públicos ou pessoas físicas e jurídicas para a concretização de negócios, tendo o mesmo valor que o documento original, físico ou digital, apresentado pelo cidadão”, explica.

O sistema e-Notariado, responsável por hospedar a Central Notarial de Autenticação, oferece ainda os serviços de assinatura digital de escrituras, procurações, atas notariais, testamentos, além de realizar separações e divórcios extrajudiciais de forma virtual.

Passo a passo

Para realizar este serviço, o usuário deve solicitar a autenticação digital a um Tabelionato de Notas de sua preferência e enviar o documento por email, caso o original seja digital. Caso o documento a ser autenticado seja físico, é necessário levar o impresso ao cartório para digitalização e autenticação. Ao receber o documento por meio da plataforma, que segue as normas de territorialidade para distribuição dos serviços, o tabelião verifica a autenticidade e a integridade do documento.

A autenticação notarial irá gerar um registro na plataforma, que conterá dados do notário ou responsável que a tenha assinado, a data e hora da assinatura, e código de verificação. O usuário, então, receberá um arquivo PDF assinado digitalmente pelo cartório. O envio do arquivo poderá ser feito por e-mail, WhatsApp ou outro meio eletrônico. A operação é assegurada e validada pelo Notarchain – rede blockchain exclusiva do notariado.

Comercialização de imóveis em Belo Horizonte teve alta de 17% em outubro

Apesar dos reflexos da pandemia de Covid-19 na economia, o mercado imobiliário bateu novo recorde de vendas em outubro deste ano. Em Belo Horizonte, foram comercializadas 2.248 unidades —entre imóveis residenciais e comerciais—, resultado 17% superior ao registrado no mesmo período do ano passado, de acordo com o Instituto Data Secovi, da CMI/Secovi-MG (Câmara do Mercado Imobiliário e Sindicato das Empresas do Mercado Imobiliário de Minas Gerais). A pesquisa indica que esse foi o melhor período desde março de 2014, quando foram comercializadas 2.567 unidades.

O resultado foi positivo em quase todas as regiões da capital mineira, com destaque para as regionais Norte e Leste, que registraram aumento de 133% e 54%, respectivamente, na comparação com o ano passado. O maior aumento foi observado no bairro Buritis, onde as vendas de imóveis (170 unidades) subiram 63% em relação ao mesmo mês no ano passado, quando foram comercializadas 104 unidades. O valor médio em outubro foi de R$ 324 mil, uma queda de 3,4% em relação ao ano anterior.

No acumulado dos 10 primeiros meses de 2020, houve queda de 4,3% (15.814 unidades) no número de unidades vendidas na comparação com o mesmo período de 2019 (16.530 unidades). O resultado ocorreu devido ao impacto do resultado obtido pelo segmento nos dois primeiros meses depois da adoção de medidas de isolamento social (abril e maio). No entanto, considerando apenas apartamento, que representa 70% dos imóveis comercializados, houve um aumento de 1,7% (11.724 unidades em 2020 contra 11.532 unidades em 2019).  Além disso, de julho a outubro, a recuperação do setor tem sido acelerada e foram comercializadas 5.752 unidades, o que representou uma alta de 12,8% em relação ao mesmo período do ano passado. “Há uma série de fatores que explicam esse desempenho. A taxa básica de juros despencou ao menor patamar da história e, ao mesmo tempo, foram reduzidas as taxas do financiamento imobiliário, criando melhores oportunidades para a compra de imóveis”, analisa Leonardo Matos, diretor da CMI/Secovi-MG e responsável pelo Data Secovi.

Investir em imóvel é mais rentável que aplicação em renda fixa

Os bons resultados do setor também são comprovados pelo aumento da rentabilidade do aluguel, quando comparada às aplicações em renda fixa. Atualmente, o ganho do aluguel está em 0,40%; enquanto o CDI caiu para 0,16%, segundo a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas. “Com a taxa básica de juros a 2% ao ano, o investimento em imóveis para locação volta a ser bem atraente, pois supera a remuneração média do CDI”, explica Matos.

Levantamento do Instituto Data Secovi comparou a rentabilidade do investimento em imóveis e a aplicação em renda fixa atrelada a 100% CDI (Certificado de Depósito Interbancário), de 2004 a setembro de 2020, e constatou que a valorização do bem imóvel é superior à aplicação financeira. Segundo dados do instituto, a valorização de um apartamento neste período é 6,4% superior em relação ao CDI.

O comparativo foi realizado com base no valor médio de apartamentos comercializados em Belo Horizonte —tipo imobiliário que representa 70% das vendas na capital—, versus a aplicação de 100% desse valor em renda fixa. Segundo Leonardo Matos, investir em imóvel pode trazer, ainda, outras rentabilidades, como a locação. “Ao considerarmos somente a valorização do bem imóvel, já temos uma rentabilidade maior que o CDI. Porém, ao adquiri-lo, o investidor também pode usufruir dele, seja para moradia própria ou para locação. A rentabilidade do aluguel residencial gira em torno de 5% ao ano”, explica. A comparação também foi realizada com outros tipos imobiliários —lote, sala/andar corrido, casa/barracão, galpão, loja e flat/apart hotel— e apenas o segmento de flat/apart hotel não apresentou maior rentabilidade que o CDI.Área de anexos

Aumenta busca por imóveis no interior de São Paulo

Entre março e outubro de 2020 houve um aumento de 26% na procura por imóveis residenciais no interior do estado de São Paulo, se comparado ao mesmo período do ano passado. A informação é do Imovelweb, um dos maiores portais imobiliários do País, e se refere às buscas por imóveis para compra e locação nas cidades de Campinas, Bragança Paulista, Jundiaí, Itu, São José dos Campos e Sorocaba.

Os dados ainda mostram que, entre março e outubro 2019, 82% das buscas eram por imóveis na capital, enquanto 18% dos usuários procuravam residências no interior. Em 2020 o percentual mudou: a busca para o interior aumentou para 23%, enquanto a procura de imóveis na capital diminuiu para 77%.

Para Angélica Quintela, gerente de marketing do Imovelweb, a pandemia teve influência nessa mudança de comportamento dos usuários. “A quarentena transformou diversos setores, inclusive o imobiliário. A casa agora é o local de lazer, de descanso e, também, de trabalho. Por isso, as pessoas estão em busca de locais mais confortáveis e espaçosos, que tornem possível ter um escritório dentro da residência, por exemplo. Além disso, como não há mais necessidade de ir todos os dias ao escritório, é possível morar em um local mais distante e ter mais qualidade de vida”, conta Quintela.

O Imovelweb também aponta um crescimento na busca de imóveis por temporada em 2020. No interior do estado de São Paulo, esse aumento foi de 468% se comparado o período de março a outubro de 2019.

Residências de alto padrão

Em 2020, também houve expansão na procura de residências de alto padrão, ou seja, que custam acima de R$ 1 milhão. De janeiro até outubro de 2020, o crescimento foi de 31%, segundo o Imovelweb.

“O interior se tornou um refúgio de segurança e qualidade de vida para muitas pessoas. As cidades são atraentes por possuírem boa infraestrutura, mas são menos agitadas e não possuem a insegurança presente em São Paulo. Um imóvel é sempre um bom investimento a se fazer, com as vantagens do interior se torna ainda mais atraente”, finaliza Angélica.

Amanco Wavin e SENAI oferecem curso gratuito sobre a metodologia BIM

Com o objetivo de cooperar para o desenvolvimento dos profissionais da construção civil e de colaborar para a transformação digital do setor, a Amanco Wavin ( amancowavin.com.br), marca comercial da Wavin ( wavin.com ), uma das maiores empresas mundiais em tubos e conexões, e o SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) oferecem curso gratuito sobre o uso da metodologia BIM em projetos hidráulicos. A expectativa é de que 1000 alunos sejam capacitados em todo o país.

Chamado de “Projeto de hidráulica com as bibliotecas BIM Amanco Wavin”, o curso tem duração de 15 horas e foi desenvolvido pela Wavin em parceria com o time técnico do SENAI. Todas as aulas serão realizadas no formato on-line e são direcionadas para projetistas, arquitetos, engenheiros e estudantes que estejam em busca de uma solução em BIM para projetos de redes hidrossanitárias.

O prazo para inscrições se estende até o fim de dezembro deste ano. Para mais informações, basta acessar a plataforma Mundo Senai, por meio do link: https://loja.mundosenai.com.br/senainacional/projeto-de-hidraulica-com-as-bibliotecas-bim-amanco-wavin.html .

LUCIO: incorporadora reforça sua atuação com parceiros, investimentos imobiliários e properties

Com 50 anos de mercado e mais de 2,2 milhões de metros quadrados contados nos capítulos de sua história, a LUCIO – uma das mais reconhecidas incorporadoras de São Paulo – preza pela excelência, por meio de seus empreendimentos e relacionamento com os clientes e parceiros.

Tendo a inovação como um de seus pilares, a empresa concentra alguns dos maiores cases do mercado imobiliário que se tornaram ícones – residenciais e corporativos – como os empreendimentos Central Park Mooca, que teve 554 unidades comercializadas em apenas 10 dias; o Bellini, no Ibirapuera, com um projeto ambicioso de altíssimo padrão elaborado para agradar os mais exigentes moradores, tornando-se uma referência na região; e os corporativos HL Faria Lima, empreendimento boutique, de altíssimo padrão e sede de conceituadas empresas do mercado financeiro – family offices, investidores e outros segmentos que valorizam o nobre endereço; e Infinity, também de altíssimo padrão e possui a mais moderna tecnologia para atender a demanda de grandes empresas, como Facebook, Apple, Bloomberg e Goldman Sachs. Ambos localizados em um dos principais eixos de São Paulo, a Faria Lima.

Novo posicionamento

A forte atuação da companhia em empreendimentos corporativos e residenciais de alta e altíssima renda é a marca registrada da incorporadora. Apesar do crescimento exponencial e forte investimento no setor, a LUCIO deseja expandir ainda mais seus negócios e, por isso, vem apostando em segmentos econômicos e média renda por meio de parcerias importantes.

Como parte dessa estratégia bem-sucedida, em agosto deste ano, a empresa formou uma Joint-Venture com a Direcional – com VGV de aproximadamente R﹩ 900M – visando desenvolver em conjunto empreendimentos imobiliários na capital paulista.

“A parceria tem a proporção de 50% de cada uma das empresas e inicia-se com desenvolvimento de seis projetos nos bairros de Pinheiros, Vila Olímpia e Bela Vista, com previsão de entrega de 2,7 mil unidades” afirma Lucio Júnior, sócio da LUCIO.

Além da nova estratégia adotada, um trabalho de planejamento estratégico realizado pela companhia determinou as atividades mais importantes que formam o seu cerne: incorporação de empreendimentos de alto/altíssimo padrão, investimentos/parcerias e properties.

O foco da empresa passou a orbitar no plano da inteligência de mercado com sua competência para desenvolver negócios e projetos em parcerias estratégicas com organizações chave, que tenham tradição e agreguem valor ao trabalho desenvolvido pela LUCIO.

“Em nosso plano, para continuar desenvolvendo esse mercado, buscamos não apenas parceiros que capitalizem nossos negócios, mas também desejamos ser parceiros de outros players aportando recursos e contribuindo com nossa expertise e visão de negócio no segmento imobiliário ” explica o sócio da LUCIO .

O outro pilar dessa mudança, a expansão do segmento de properties, que sempre existiu na história da LUCIO, potencializa o relacionamento com os investidores e promove negócios imobiliários e parcerias com importantes players do mercado.