Category Archive imobiliárias

Líder em alto padrão, Axis 21 parte para construção de casas em Curitiba

Referência no mercado imobiliário em Curitiba, a Axis 21 Imóveis inicia os planos de construção de casas em condomínios. A empresa aproveita o aquecimento do setor, que teve alta procura dos clientes por residências mais amplas e com mais conforto durante a pandemia da Covid-19.

Já foram adquiridos terrenos em bairros nobres como Santa Felicidade e Campo Comprido, na capital paranaense, para os primeiros projetos. A ideia é atender, na medida exata, as necessidades de quem quer uma moradia confortável e funcional para o chamado “novo normal” das grandes cidades. 


Os diretores da empresa apostam em um movimento cada vez maior de compra desses imóveis nos próximos anos. “O mercado está muito aquecido, com alta demanda e a faixa de alto padrão é de grande domínio da Axis 21. Vamos usar a expertise da imobiliária para atender o alto nível de exigência do consumidor curitibano”, explica Milton Ribeiro. 


Izabel Martins Campos explica o interesse cada vez maior dos clientes na procura por residências em condomínios fechados. “As famílias passam mais tempo em casa, trabalhando, estudando. A maioria das pessoas percebeu a falta de quartos a mais, um escritório, uma área aberta privativa para tomar um sol, por exemplo”. 

Tags, , , , ,

Os desafios do Real Estate com a LGPD: impacto e urgência nas adequações

Por Rosangela Carmanini de SouzaTainã Dias da Silva

A Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) entrou em vigor em setembro e trouxe a urgência da adaptação de todas as empresas. Com os direitos das pessoas físicas assegurados pela Lei, as organizações terão de criar toda uma estrutura, que antes não existia, para atender as demandas dos titulares de dados. Nos setores que precisam coletar um alto volume de informações para viabilizar o seu negócio, como é o caso do segmento imobiliário, esta tarefa é ainda mais árdua.

Acostumados a coletar os dados de leads e clientes de forma física ou digital, as incorporadoras tinham o hábito de fazer a distribuição destas informações para os setores internos com o intuito de tirar o máximo de benefício possível. Assim, os dados fornecidos na ocasião de uma visita a um empreendimento ou mesmo por meio de sites e redes sociais seriam insumos para criar uma base de dados de envio de e-mail marketing, conteúdos e informes, ou ainda poderiam ser compartilhados com terceiros para possibilitar vendas de serviços, como decoração e móveis planejados, por exemplo.

Outra ação corriqueira no mercado real estate é a compra para o enriquecimento de base de dados visando identificar potenciais clientes e prospecção de imóveis. No entanto, com a LGPD, todas essas práticas não poderão mais acontecer de forma desenfreada, sem respeitar as disposições da Lei.

Para as bases de dados já adquiridas, uma alternativa de adequação à LGPD é solicitar o consentimento dos leads, uma vez que a empresa não tem como garantir que houve prévia solicitação. Essa ação poderá gerar, inicialmente, uma redução da base por baixa aderência, mas manterá apenas os interessados nos produtos ofertados pelas empresas, permitindo estratégias de marketing mais assertivas.

Para a coleta de novos dados pessoais de leads, cabe à organização solicitar o consentimento contendo informações claras sobre o que será feito com os dados pessoais e quais as possibilidades de compartilhamento. Quanto ao tratamento de dados indevido por terceiros, as empresas terão que implementar medidas de segurança da informação e de controle e restrição de acesso de usuários em seus sistemas, cláusulas contratuais, incluindo responsabilidades acerca das disposições da LGPD.

A empresa tem a obrigação de ser transparente com o titular ao coletar suas informações, deixando claro e explícito quais serão as finalidades, as formas de tratamento e o descarte ou anonimização após o uso. Além disso, é necessária uma atenção especial para o tratamento de dados sensíveis, que deverá contar com o consentimento específico e destacado do titular, bem como as finalidades de uso, que devem ser igualmente específicas, ou seu tratamento estar justificado em uma das outras bases previstas no artigo 11 da LGPD, que são aplicáveis a depender da finalidade da atividade.

Com isso, o que se percebe é a necessidade imperativa de remodelar a forma de uso dos dados coletados pelo setor imobiliário principalmente no que tange as áreas de marketing e comercial, tendo como diretriz as bases legais (Art. 7º e 11º da Lei 13.709/2018), que suportam os tratamentos, bem como adequar seus contratos com parceiros de negócio para garantir a liberdade e privacidade dos titulares de dados.

Portanto, com a LGPD em vigor, o setor imobiliário possui um grande desafio pela frente para adequar suas bases de dados, estratégias de marketing e comerciais, além de demais atividades que envolvem tratamento de dados pessoais. Para tanto, é urgente o início da conscientização dos colaboradores sob o aspecto da proteção dos dados e privacidade dos titulares, prevenindo e corrigindo ações que gerem riscos de tratamento inadequado ou mesmo de vazamento de dados, além de prover aos titulares de dados possibilidades e oportunidades de exercer seus direitos.

Rosangela Carmanini e Tainã Dias da Silva , consultoras seniores de Data Privacy da ICTS Protiviti, empresa especializada em soluções para gestão de riscos, compliance, auditoria interna, investigação, proteção e privacidade de dados

Tags, ,

Gerenciamento de empresas no setor imobiliário: 3 tendências para o “novo normal”

Por Regis Souza

Mesmo em meio a pandemia causada pelo COVID-19, o mercado imobiliário começa a retomar e respirar com mais tranquilidade. Após anos de gargalo, enfrentados principalmente na recessão de 2014 a 2016, o setor começa a aquecer devido a medidas do governo, ampliação do crédito e taxas mais baixas de juros, como a Selic que está em 2% ao ano, menor patamar desde 1999. Para se ter uma ideia, as vendas no primeiro semestre de 2020 foram as maiores para o período desde 2014. Foram mais de 61.600 imóveis vendidos entre janeiro e junho, o que representa um crescimento de 10,6% em relação aos primeiros seis meses de 2019. O mês de maio foi o melhor desde março de 2015, com 12.707 imóveis vendidos, segundo a Abrainc e a Fipe. 

É necessário verificar se esses imóveis se enquadram em todas as medidas de segurança e legislação. Para garantir a manutenção das operações e eliminação de multas, além de prejuízos financeiros e de reputação da marca, é necessário que imóveis de uso comercial e industrial estejam legalizados nos Órgãos Públicos. É preciso ter uma clara visualização das necessidades de cada imóvel, realizando o estudo de viabilidade do empreendimento, é possível analisar detalhadamente a legislação afim de obter todo o histórico do imóvel perante aos Órgãos Públicos e os próximos passos na legalização da atividade do cliente. 

O mercado imobiliário e as empresas do setor também devem adotar medidas para se enquadrar na cultura e tendências de um “novo normal”. Tudo se torna cada dia mais digital, o home office passou a ser visto com bons olhos, assim como medidas mais flexíveis de trabalho. As pessoas buscam ainda mais relações humanizadas, de qualidade e com o auxílio da tecnologia, por isso tanto as construtoras, consultorias e incorporações devem adotar processos de qualidade interna e com os clientes.

Abaixo, listo três tendências e pontos que o mercado deve se atentar e adotar para o “novo normal”. Confira: 

1 – Análise da Regularidade Documental do Imóvel: quem aluga imóveis para instalação de suas atividades deve verificar se o local está com as suas licenças em dia e atendendo todas as exigências legais. É preciso verificar se o projeto está aprovado na prefeitura e possui toda documentação atualizada, como o Habite-se, por exemplo. Além disso, fique atento, com documentos como o Auto de Vistoria do corpo de bombeiros, Projeto aprovado em Prefeitura e se a atividade pretendida é permitida na zona do imóvel. 

2 – Utilização da tecnologia: com a revolução tecnológica, torna-se necessário adoção de ferramentas em diversos setores – no setor imobiliário isso não foi diferente. Pensando nisso foi desenvolvido um software pela empresa levando em consideração todas as necessidades do cliente para o gerenciamento dos seus ativos imobiliários próprios e locados, sendo eles Bens de Uso – BDU ou Bens Não de Uso – BNDU. O PropertyDocs permite acesso em tempo real aos imóveis da carteira, além da centralização e facilidade no controle da situação patrimonial de cada imóvel com relatórios e análises gráficas, também permite o controle das pendências e obrigações, assegurando a mitigação de multas e associadas às irregularidades dos imóveis. 

3 – Mais humanização e qualidade nos processos internos: com o crescimento do setor e a migração para o digital é necessário garantir a otimização de processos e a agilidade no desenvolvimento de produtos para levar satisfação aos clientes, colaboradores e empresas. A tendência de crescimento do setor é uma realidade, por isso é importante adotar a ISO 9001, um sistema de gestão da qualidade, focado em garantir que o negócio forneça um nível consistente de qualidade aos seus clientes, oferecendo processos e procedimentos bem definidos e regularmente revistos. Esse sistema também se integra aos procedimentos de negócios já presentes e ainda se torna parte da cultura dentro da organização. 

Também é preciso olhar para oito princípios essenciais de negócios, entre eles: foco no cliente, liderança, envolvimento de pessoas, processos de abordagem, abordagem do sistema à gestão, melhoria contínua, abordagem factual para a tomada de decisões e relações mutuamente benéficas com fornecedores. Além disso, é preciso focar na gestão do negócio assim como na gestão das demandas dos clientes. 

Regis Souza, CEO da Property Management

QuintoAndar fecha aquisição do SíndicoNet

O QuintoAndar, plataforma imobiliária digital com mais de R$ 30 bilhões em ativos sob gestão, fechou a aquisição do SíndicoNet, companhia especializada em conteúdo e marketplace de serviços para condomínios. A empresa vai continuar atuando de forma independente, sem mudanças em sua estrutura operacional. O fundador do SíndicoNet, Julio Paim, e os co-fundadores Marjorie Albuquerque e André Agostinho continuarão à frente do negócio, que receberá investimentos para acelerar expansão e ampliar oferta de serviços para condomínios.

O investimento vai fortalecer a atuação do SíndicoNet pelo acesso à tecnologia e know-how do QuintoAndar. A união permite alavancar a experiência de 20 anos e a rede de relacionamento e parceiros do SíndicoNet com a ajuda da cultura de inovação e alcance da nova controladora.

O QuintoAndar vê na aquisição uma forma de fortalecer estrategicamente o negócio, ampliando sua presença em segmentos com impacto direto na experiência das pessoas com moradia.

“O QuintoAndar tem muito a oferecer, em termos de tecnologia e conhecimento, para que o SíndicoNet possa consolidar ainda mais sua história de 20 anos no mercado”, diz Gabriel Braga, CEO e co-fundador do QuintoAndar. “A experiência deles é a sua principal força e estamos confiantes que, com nosso apoio, o SíndicoNet vai poder oferecer um serviço ainda melhor a seus clientes.”

“Essa é uma oportunidade única para o SíndicoNet. Vamos absorver e trocar muito conhecimento e experiências com o QuintoAndar, que é referência em inovação e visão de mercado. A ideia é canalizar isso na evolução do nosso produto e no que a gente oferece aos nossos clientes”, diz Júlio Paim, CEO e co-fundador do SíndicoNet. “Estamos muito animados em nos unir ao Gabriel, ao André e a toda equipe no QuintoAndar”

Tags, ,

QuintoAndar anuncia Denis Caldeira como VP de vendas e clientes

O QuintoAndar, plataforma imobiliária digital com mais de R$ 30 bilhões de ativos sob gestão, anuncia Denis Caldeira como Vice-Presidente de vendas e clientes. Com ampla expertise em operações de finanças, clientes e pequenos negócios, Caldeira chega para comandar as frentes de sales e experiência do cliente.

Com mais de 20 anos de atuação em empresas com atuação global, Denis passou os últimos seis anos como executivo sênior do Facebook, à frente da área de pequenos e médios negócios da empresa na América Latina. Antes disso, foi SMB Manager no Google e Finance Manager na Telefônica.

“O propósito do QuintoAndar, de tornar cada vez melhor a experiência de quem quer alugar, comprar ou vender uma casa, tem um impacto positivo tão grande para a sociedade e foi o que mais me atraiu na companhia, pois me permite fazer a diferença para a vida de muita gente. Quero alavancar toda minha experiência em empresas de ponta para ajudar a levar o QuintoAndar – e a experiência dos nossos clientes – a um novo patamar de forma sustentável e escalável”, diz Denis Caldeira, novo Vice-Presidente de Vendas e Experiência do Cliente do QuintoAndar. “A forma de trabalho do QuintoAndar, focada em resolver problemas, dando real autonomia ao time, tornou a minha decisão de vir ainda mais fácil. Até porque, sendo o primeiro vice presidente da empresa, tenho espaço, como negro, para manter meu engajamento com a causa de diversidade e inclusão e contribuir com as iniciativas que a empresa já tem.”

A chegada de Denis segue em linha com a estratégia do QuintoAndar, que vem buscando talentos de nível global para continuar acelerando o ritmo de introdução de produtos e serviços que beneficiem clientes e o mercado imobiliário brasileiro.

Tags, ,

Com fundo de R$ 400 mi, 1º marketplace imobiliário é lançado no Brasil

A plataforma Kenlo inicia suas operações, com uma solução capaz de atender de maneira diferenciada, rápida e totalmente digital imobiliárias, corretores, proprietários e interessados em comprar, alugar ou ter liquidez para investir em outros negócios. A plataforma oferece um novo modelo de negócio inovador para o segmento ao apostar que corretores e imobiliárias, uma rede amplamente disseminada no Brasil e, portanto, com muito conhecimento local, tenham mais opções de atuação, além da compra, venda e locação de imóveis, como seguro, empréstimo e até financiamento, tudo digitalmente.

“Kenlo é um marketplace que oferece uma série de serviços para digitalizar as imobiliárias e corretores, e também traz novas oportunidades de negócios e fontes de renda. Nela, é possível digitalizar, otimizar e desburocratizar processos, permitindo transações ainda mais eficientes entre imobiliárias, corretores e clientes”, explica Mickaël Israël Malka, CEO do Kenlo.

A inteligência de mercado por trás do Kenlo é fruto de uma parceria exclusiva com a inGaia, pioneira na digitalização do mercado imobiliário e líder no segmento, que traz sua expertise tecnológica e, principalmente, de mercado. “Conhecemos a força do corretor, é ele quem realiza os sonhos de milhares de pessoas que estão em busca de um novo lar. Nosso propósito é dar mais ferramentas para que ele foque cada vez mais no relacionamento e tenha uma oferta maior de produtos financeiros, que tornem cada vez mais sonhos em realidade”, acrescenta José Eduardo Andrade Junior, fundador e CEO da inGaia.

Crédito com garantia de imóvel traz liquidez para proprietários

A primeira linha de negócios conectada ao marketplace Kenlo é o crédito com garantia de imóveis, o Home Equity, que conta com um fundo de R﹩ 400 milhões, fruto de parceria com a Jive Investments, uma das maiores empresas de investimentos alternativos do país, com experiência no mercado financeiro e imobiliário. “O Home Equity é uma linha de crédito ainda pouco explorada no Brasil. Hoje, 75% dos proprietários de imóveis não conhecem esse produto financeiro e não sabem que é possível ter dinheiro por meio do seu imóvel. Os brasileiros não sabem que têm, literalmente, dinheiro dormindo em suas casas!”, explica Mickaël.

Taxas de juros e maturidade no Home Equity já são commodities, ferramentas de marketing para atrair clientes, mas que nem sempre são possíveis de serem concretizadas. O que o Kenlo busca é oferecer soluções financeiras adaptadas para os oito milhões de proprietários e compradores dos 42 mil corretores da inGaia. No Kenlo, cada cliente tem uma solução moldada para sua realidade econômica, com o objetivo de atender a todos, incluindo os 61 milhões de brasileiros que começaram o ano de 2020 com alguma dívida ou restrição no CPF.

Já estruturado e com a capacidade de execução de até 500 contratos por mês, o Home Equity oferecido pelo Kenlo conta com uma experiência 100% digital, incluindo o processo de reconhecimento de firma e cartório. “O impacto na economia pela pandemia deixou as pessoas sem acesso a crédito. O principal benefício para o mercado é conectar, no momento certo, com processos 100% digitais, o crédito ao proprietário, trazendo uma liquidez imediata. Tudo isso só é possível por meio do uso de big data, inteligência artificial e com o apoio fundamental das imobiliárias e corretores locais”, acrescenta Mickaël.

Contando com experiência na captação de recursos, estruturação de fundos e gestão de créditos, a Jive Investments, em parceria com a inGaia, proporcionou a criação do Home Equity oferecido pelo Kenlo. “Enxergamos na inGaia uma empresa com profunda experiência no mercado e que efetivamente valoriza a imobiliária e o corretor, colocando-os no centro dos negócios. Além disso, sabemos que a realidade brasileira, especialmente com a crise que vivemos, mostra uma população altamente endividada, e, por consequência, imóveis muitas vezes também problemáticos”, relata Diego Fonseca, Managing Partner da Jive.

Mais do que ter fundos de investimento e investir em ativos, a Jive tem um amplo portfólio de mercado e conta com um time de especialistas do setor imobiliário residencial. Isso faz toda a diferença, já que, mais do que oferecer soluções para o mercado imobiliário, as duas empresas se complementam por conhecerem muito bem o setor, somando o potencial da inGaia com suas mais de 7,2 mil imobiliárias, 42 mil corretores, oito milhões de clientes finais, dos quais três milhões são proprietários, com o expertise financeiro da Jive. “O casamento foi tão perfeito que rapidamente montamos um time de 80 pessoas fazendo isso acontecer do zero à primeira assinatura de contrato em menos de nove meses. Vamos distribuir produtos aliados à tecnologia, explorando parcerias estratégicas com outras fintechs e proptechs disruptivas dentro do mercado, através da nossa base de clientes”, complementa Mickaël.

Uma plataforma completa, digital e inovadora: o Kenlo prepara, treina e certifica os profissionais do segmento para aproveitar todo potencial das soluções disponíveis, método similar ao utilizado pela XP Investimentos. “Nosso objetivo é ser uma plataforma que – tal qual a XP transformou o mercado através dos assessores de investimento – promova todo o potencial que a enorme rede de imobiliárias e corretores pode oferecer. Não basta trazer soluções para o mercado imobiliário se você não prepara o profissional para trabalhá-las. Nós vamos treiná-los e transformá-los em gestores de patrimônios imobiliários”, completa José Eduardo.

Tags, ,

Pesquisa inédita apresenta dados sobre condomínios de galpões em Curitiba

O mercado de galpões industriais no Brasil vem crescendo nos últimos anos. Em outubro/2020, a capital paranaense e sua região metropolitana somaram 1.498.410 m² de área construída com uma taxa de vacância de 15,7% o que representa um bom índice para o Estado.

No 1° semestre/2020 houve um aumento de 47% no faturamento do e-commerce brasileiro (Fonte: Ebit Nielsen Webshoppers 42ª edição). Consequentemente, a procura por galpões logísticos vem aumentando seja para produtos eletrônicos, móveis e decoração, artigos esportivos, supermercados, farmácias, dentre outros.

Segundo Jaime Galperin, Diretor de Negócios Industriais e Logísticos da Top Soluções Imobiliárias “há 32 anos a Top vem mapeando o mercado de galpões e agora decidimos compartilhar os dados coletados pois entendemos que a divulgação e investimento em galpões é estratégico em todo o Estado”.

Ao longo dos anos, a Top Soluções Imobiliárias vem acompanhando o mercado de imóveis industriais, observando seu crescimento e analisando o perfil dos seus clientes. O estudo é uma coleta de dados quantitativa contemplando galpões classe A+, A e B e mostra dados como evolução da taxa de vacância, evolução do valor de locação, preço médio, absorção líquida, dentre outras informações.

Curitiba, por exemplo, concentra grandes e pequenos galpões na região sul da cidade, onde fica a maior parte de suas indústrias. Entretanto, sua proximidade com a região central favorece o last mile logístico. Já Pinhais é o município mais próximo da capital e ideal para distribuição de pequenas mercadorias. Também fazem parte da pesquisa cidades como São José dos Pinhais, Campina Grande do Sul, Araucária e Quatro Barras.

No Paraná, de maneira geral, o mercado tem fortes indícios de crescimento e oportunidades de construção de novos galpões classe A e B em regiões próximas à capital. Confira a pesquisa completa no link https://mkt.topsi.com.br/condominios-de-galpoes

Tags, , ,

QuintoAndar anuncia João Chueiri como novo CMO

O QuintoAndar, plataforma imobiliária digital com mais de R$ 30 bilhões de ativos sob gestão, anuncia João Chueiri como Chief Marketing Officer (CMO). Chueiri será responsável por comandar as estruturas de branding & content, performance, insights, comms & PR e product marketing.

Com ampla experiência em marcas globais, nos últimos seis anos João atuou como vice-presidente sênior de marketing na AB-Inbev. Foi diretor de marketing da Nike durante a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas do Rio de Janeiro em 2016. Antes, trabalhou em algumas das principais agências de publicidade do país, como F/Nazca Saatchi & Saatchi e J. Walter Thompson.

“Tenho total convicção no poder das marcas e que um negócio só é sustentável se resolver um problema real da vida das pessoas. O QuintoAndar fez exatamente isso ao reinventar, sem drama e para melhor, a forma como as pessoas alugam, compram e vende casas”, diz João Chueiri, CMO do QuintoAndar. “Participar da evolução dessa marca e contribuir com minha experiência num time de gente talentosa, inovadora e com muita visão, é uma oportunidade rara de ajudar a efetivamente a reinventar uma indústria, criar uma marca relevante e duradoura e causar impacto positivo na vida das pessoas.”

A chegada de Chueri está em linha com a estratégia do QuintoAndar, que vem buscando talentos de nível global para continuar acelerando o ritmo de introdução de produtos e serviços que beneficiem clientes e o mercado imobiliário brasileiro.

Tags, ,

Imobiliária Digital: Grupo Wichman cria rede de franquias voltada para o mercado imobiliário

A crise econômica e trabalhista gerada como consequência da pandemia do novo coronavírus, pode aumentar o número de desempregados no mundo em quase 25 milhões, segundo dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT). Para driblar esse problema e ajudar os mais de 389 mil corretores de imóveis que atuam no Brasil, os empresários e sócios Marluz Felipe Wichmann e Alberto Schaffer criaram a BIMOB Leads, rede de franquia home-office.

BIMOB Leads é uma plataforma digital, focada na inovação e novas tecnologias da área imobiliária, que atua por meio de franquias conectadas em rede. “Criamos a BIMOB Leads para desburocratizar o processo de compra, venda e aluguel de imóveis e tornar possível que corretores de diversos locais do Brasil consigam trabalhar independente do local em que se encontram”, afirma Wichmann.

Com investimento inicial a partir de R﹩ 4.997,00, o corretor pode oferecer aos seus clientes compra, venda e aluguel de mais de 10 mil imóveis em todo o Brasil. Além disso, ele também terá ganhos com venda compartilhada. “Se um corretor for de São Paulo e tiver um cliente com interesse em alugar ou comprar um imóvel no Rio Grande do Sul, ele pode indicar um corretor da cidade e dividir a comissão”, explica o sócio Alberto Schaffer.

O corretor terá ainda uma plataforma com uma rede de parceiros de diversos produtos e serviços extras, como, por exemplo, créditos e financiamentos imobiliários, vistorias, manutenções, seguros imobiliários, consórcios, imóveis, arquitetos, fretes para mudanças, pintura, eletricistas entre outros, além de descontos em diversos serviços. O principal objetivo é permitir que ele consiga arrecadar uma renda extra, além da venda ou aluguel dos imóveis.

“O grande diferencial da BIMOB Leads para as concorrentes é que vamos oferecer ao corretor todo o trabalho de marketing, trazendo assim mais leads, potencial investidores. Isso fará com que ele foque apenas no atendimento e na finalização do negócio junto a plataforma”, explica Wichman.

A BIMOB Leads tem sede em Itapema, Santa Catarina. A cidade ocupa o primeiro lugar no ranking de imóveis com maior valorização na região. A informação é do Anuário do Cenário Imobiliário em 2018, que acaba de ser concluído pelo Sindicato da Habitação (Secovi).

Além disso, ela faz parte do Grupo Wichman, especialista no mercado de franquias, que conta com mais de 30 anos de experiência, 400 franquias vendidas e 100 mil clientes atendidos em todo o Brasil.

Por que investir em uma franquia imobiliária Digital?

O mercado imobiliário vem sendo um dos maiores destaques da economia brasileira. Segundo uma pesquisa do Secovi-SP, em agosto de 2020 foram comercializadas mais de 6 mil unidades residenciais novas apenas em São Paulo, com um valor geral de vendas de R﹩ 2,49 bilhões.

O nicho é uma excelente oportunidade para quem quer entrar no mercado imobiliário, mas não sabe nem por onde começar, e também para quem já atua no setor, mas busca um modelo de gestão mais eficiente e uma marca sólida para impulsionar seus negócios.

Muitas franquias do ramo de serviços – especialmente as de menor investimento – funcionam no sistema home-based, ou seja, são administradas de casa. A BIMOB Leads é a primeira franquia imobiliária online do Brasil. Ao optar pela franquia imobiliária, você vai ter uma rotina de empresário, com um escritório próprio e equipe completa.

Além do custo operacional ser baixo, as margens de lucro são altas. Apesar de um imóvel ter um ciclo de venda mais longo que qualquer produto do varejo, a BIMOB Leads simplifica todo o processo e oferece os melhores valores absolutos no mercado. Então, por exemplo, um apartamento com um dormitório chega a custar mais de 400 mil reais em São Paulo. Tomando como base o padrão de mercado (6%), em apenas uma venda, a comissão é de 24 mil reais, ou seja, uma única venda representa 380% de lucro com base no investimento inicial da franquia.

Além de todas as vantagens apontadas acima, o franqueado da BIMOB Leads conta com benefícios exclusivos, como, por exemplo, ter acesso a um banco de dados com milhares de imóveis captados por toda a rede de franqueados. Outro ponto positivo é que ele recebe todo o suporte e capacitação para vender com mais eficiência, incluindo treinamentos e um sistema completo de gestão que permite acompanhar os resultados em detalhes.

“Conforme o número de franqueados for aumentando, temos a projeção de cadastrar mais de 200 mil imóveis dentro da plataforma e se tornar uma das maiores redes de imóveis do país”, finaliza Wichman.

Tags, , ,

QuintoAndar: proprietários estão mais abertos a negociar IGP-M por conta da pandemia

O índice Geral de Preço Mercado (IGP-M) segue em disparada e preocupa quem mora em casa de aluguel. Os últimos dados divulgados mostram uma alta de 4,34%, contra 2,74% em agosto. Observando o aumento crescente do Índice e a instabilidade causada pela a pandemia, o QuintoAndar, plataforma imobiliária com mais de R$ 30 bilhões em ativos sob gestão, iniciou uma força tarefa para auxiliar inquilinos a negociar com proprietários o valor do aluguel e a própria aplicação do IGP-M. A ação foi bem recebida e, desde abril, mais de 6.100 proprietários aceitaram negociar mudanças na aplicação do IGP-M para inquilinos.

O contexto de pandemia foi o principal fator para que os proprietários estivessem abertos para uma negociação, já que muitas famílias tiveram a renda reduzida. Para Jonas Marchetti, Diretor de Crédito do QuintoAndar, a melhor abordagem é ser transparente e deixar claro a intenção do reajuste para o proprietário. “Isso ajuda a deixar claro que a ideia é manter o aluguel em dia e evitar qualquer tipo de problema”, explica Jonas.

Mas vale ter em mente que a renda do dono do imóvel pode depender diretamente do aluguel e, por isso, nem sempre ele poderá abrir mão totalmente de um aumento. Nesse caso, o ideal é tentar chegar a um meio termo que seja viável para ambos.