Buscas por imóveis residenciais acima de R$ 1 milhão aumentam 46% no segundo trimestre do ano

Buscas por imóveis residenciais acima de R$ 1 milhão aumentam 46% no segundo trimestre do ano

O interesse por imóveis residenciais mais caros aumentou no segundo trimestre do ano na OLX Brasil em comparação com o mesmo período do ano passado. De acordo com o levantamento da plataforma, as buscas por casas e apartamentos à venda com valor acima de R$ 1 milhão cresceram 46%. A locação, por sua vez, teve aumento de 35% nas buscas por imóveis com preço acima de R$ 2.000.

Os imóveis com mais espaço também tiveram maior crescimento nas buscas: os que têm quatro quartos tiveram aumento de 27% na procura, seguido pelos de três quartos (20%), dois quartos (10%) e um quarto (9%).

“Os dados mostram que os interessados em imóveis estão dispostos a avaliar ambientes maiores e com valores mais altos. Entendemos que isso vem acontecendo por conta do período de isolamento que exigiu que as pessoas passassem mais tempo em casa, dividindo o espaço com a família enquanto trabalham, estudam e praticam exercícios físicos. O conforto e a privacidade passaram a fazer parte da lista de prioridades de muitos brasileiros que buscam casas e apartamentos”, comenta Marcelo Dadian, diretor de Imóveis da OLX Brasil.

Aquecimento do mercado

Seja qual for o tamanho ou valor do imóvel, o mercado está aquecido: as buscas por casas e apartamentos na OLX cresceram 15% no segundo trimestre do ano em comparação com o mesmo período do ano passado. A demanda pela compra teve alta de 21%, enquanto as buscas por aluguel cresceram 7%.

Em relação ao tipo de imóvel, os apartamentos tiveram crescimento de 22% nas buscas para compra e de 12% na procura por locação. Já a demanda por casas teve alta de 10% para compra e de 9% para aluguel.

O levantamento também mostrou que todas as regiões brasileiras tiveram crescimento na busca por imóveis no segundo trimestre deste ano em comparação com o mesmo período de 2019. A região Nordeste e a Centro-Oeste tiveram tiveram alta de 21%, a Sudeste de 13%, a Sul de 11%, e a Norte de 3% na procura por casas e apartamentos.

Comments are closed