Author Archive admin

Os desafios de se investir no mercado imobiliário

Por Felipe Souto

A pandemia da Covid-19 pegou todo mundo de surpresa, impactando diversos setores empresariais e com o imobiliário não foi diferente. A CNN Brasil, um dos maiores canais de televisão brasileira, realizou uma pesquisa com especialistas em que 86% disseram que tiveram que adiar a decisão de comprar ou locar um imóvel. Além disso, 54% dos profissionais afirmaram que houve um aumento no número de cancelamentos de vendas desde o início da quarentena.

A boa notícia é que nenhuma tempestade dura para sempre. O que temos visto nos últimos meses é que o ramo imobiliário brasileiro tem passado por um processo de transformação em que ocasionou uma redução dos juros para financiamento, permitindo um aumento, por parte das pessoas, na busca pela casa própria e também uma alta demanda de novos investidores por ofertas de produtos por meio da modalidade de dívida ou equity, já que o segmento de imóveis aos poucos vem demonstrando sua resiliência na economia.

No mercado de investimentos alternativos, esse setor pode ser considerado como um dos mais seguros, uma vez que não sofrem com a volatilidade da bolsa de valores. Vale lembrar que o maior desafio de investir em imóveis está em encontrar projetos de fácil acesso e entendimento comum. Algumas fintechs especializadas em crowdfunding estão aí para sanar esse problema, permitindo que os empreendedores tenham acesso a oportunidades seguras e diversificadas.

Atualmente, há alguns riscos no investimento imobiliário aqui no Brasil, principalmente levando em consideração as imprevisibilidades fiscais e políticas. Ainda é preciso melhorar a previsibilidade no médio e longo prazo, pois os projetos levam um certo tempo para serem desenvolvidos. Porém, empresários atuantes conseguem encarar essas incertezas com mais naturalidade, considerando variações em cenários macroeconômicos futuros para que não tenha nenhum tipo de contratempo.

Para quem ainda não conhece a captação alternativa, afirmo que devido à grande inovação tecnológica e regulatória, o mercado imobiliário vislumbra crescimento. Isso porque as pessoas de modo geral passaram a valorizar mais os seus lares, utilizando o espaço como lugar para trabalhar e exercer suas atividades. E foi durante a pandemia que surgiu uma nova experiência de moradia, sem nenhuma burocracia de apartamentos compartilhados, como é o caso da Yuca. A empresa já realizou três rodadas de captação, totalizando aproximadamente R$ 5 milhões, buscando rentabilidade alvo na faixa de 18.40% ao ano, o que equivale a quase 1.000% do CDI.

Até pouco tempo atrás, acessar essa classe era algo exclusivo a quem tinha grandes fortunas. Porém, com a regulamentação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que permitiu a atuação das crowdfundings de investimentos no país, esse cenário mudou, impactado positivamente pelo coronavírus. Eu desejo que os empreendedores que estão buscando diversificação passem a ficar de olho também nessa categoria, já que o mercado tem mostrado diversas oportunidades positivas.

Felipe Souto, CEO da Bloxs Investimentos, plataforma pioneira em investimentos alternativos no Brasil

Construtora Bidese lança nova identidade visual, com foco em design e inovação

A Bidese, construtora e incorporadora de alto padrão com sede em Curitiba (PR), lançou nesta semana uma nova identidade visual, aproximando a linguagem da empresa aos grandes escritórios de arquitetura do Brasil e do exterior. Além de traduzir a essência moderna e cosmopolita, a nova marca reforça o cuidado da construtora com design e inovação em seus projetos. 

“A Bidese sempre foi pautada na experiência do cliente e no cuidado com os mínimos detalhes do primeiro atendimento até a entrega dos imóveis. A identidade visual marca um novo ciclo e consolida a empresa no mercado, além de agregar valor para os nossos clientes, colaboradores e investidores”, destaca Thiago Bidese, CEO da empresa. 

Os pilares que guiam a nova marca são: modernidade, vanguarda, exclusividade, segurança e seriedade.  

Modernidade – a empresa está sempre em movimento, pensando com criatividade para trazer o que há de mais moderno na engenharia, na arquitetura e no design.

Jovem & Vanguarda: alia a seriedade da engenharia com a criatividade da arquitetura e do design.

Lifestyle exclusivo: quem compra um Bidese tem um imóvel único.

Segurança e seriedade da engenharia: nessa nova identidade, fica claro o peso e a qualidade da engenharia em cada projeto. A Bidese conta com engenheiros experientes com grande bagagem de mercado e muitas obras no currículo. 

“Temos um objetivo muito claro: criar espaços e conexões para que o público interaja ainda mais com a nossa empresa. E isso começa com a construção dessa nova identidade. Nós pensamos sempre em trazer um valor agregado acima da média, seja para quem compra um Bidese, como para os investidores e colaboradores. Essa nova identidade vem para consolidar a construtora como uma empresa preocupada com o design e a inovação”, explica Adriano Bianchi Ribeiro, head de Marketing da Bidese.

A agência Capim, de São Paulo, foi a responsável pelo projeto. Preto, azul teal e laranja tijolo são as cores da nova identidade. “As barras nas letras B e E exercem funções importantes. A barra abaixo do B representa solidez e alicerce e o traço acima do E traz movimento e encaixe. A marca Bidese funciona como um universo que pode absorver diferentes cores, padronagens e fotografias. Essa janela pode se atualizar conforme o contexto, ocasião ou o negócio que estiver acompanhando. Assim, criamos espaço para todas as iniciativas e toda a criatividade que existe na Bidese, detalha Gustavo da Mata, CEO da agência. 

CAIXA apresenta resultado recorde no crédito imobiliário em 2020

Clientes terão, a partir de 01 de março, mais uma opção de financiamento imobiliário, com taxa de juros variável conforme rendimento da Poupança

A carteira de crédito habitacional da CAIXA alcançou mais de meio trilhão de reais em 2020, atingindo o volume de R$ 509,8 bilhões e 5,6 milhões de contratos. O Banco segue como o maior financiador da casa própria no país, com 68,8% do mercado. Esse resultado é fruto direto de ações dos últimos dois anos, que incluem as reduções de taxas, criação de produtos e implementação da jornada digital do financiamento.

Em dezembro do ano passado, a CAIXA atingiu o maior volume de concessão de crédito imobiliário da história. Foram R$ 116,0 bilhões contratados em 2020, um crescimento de 42,4% nos últimos dois anos, com 564,6 mil novos financiamentos. O banco possibilitou uma nova moradia a cerca de 2,0 milhões de brasileiros.

Em 2020, a CAIXA contratou a construção de 2,3 mil novos empreendimentos, totalizando 286,3 mil novas unidades habitacionais. Ao todo, o Banco tem 6 mil contratos de obras em execução, com um total de 786,6 mil unidades em produção.  O apoio ao setor da construção civil garantiu cerca de 1,9 milhão de empregos diretos e indiretos, com impacto positivo na economia brasileira.

As contratações de crédito imobiliário com recursos da poupança (SBPE) evoluíram de R$ 13,5 bilhões em 2018, para R$ 53,7 bilhões em 2020, crescimento de 298%. Em relação a 2019, o crescimento foi de 103%.

Além do volume recorde de contratação, as medidas adotadas pelo Banco para auxiliar os clientes a enfrentar os efeitos causados pela pandemia COVID 19 refletiram no resultado. Dentre as ações, a CAIXA disponibilizou a possibilidade de pausa no pagamento das parcelas dos contratos habitacionais, desonerando o orçamento das famílias e empresas brasileiras. Cerca de 2,53 milhões de contratos foram pausados no período e, atualmente, 97,8% desses contratos já encerraram o período de pausa. A inadimplência da carteira habitacional pessoa física encerrou 2020 em 1,28%.

“Em um ano desafiador, adotamos medidas estruturantes que contribuíram para manter ativo o mercado da construção civil, com crédito acessível para este setor que é um dos maiores empregadores no país”, explica o presidente da CAIXA, Pedro Guimarães. “Hoje o cliente pode contratar digitalmente e escolher a melhor taxa, isso tudo aliado à preocupação social do Banco com a habitação para pessoas de baixa renda”, completa.

A CAIXA é o principal agente financeiro do Programa Casa Verde e Amarela, com 96,6% de contratação dos recursos do FGTS destinados à habitação em 2020, um total de R$ 62,3 bilhões aplicados.

Para famílias com renda mensal de até R$ 1.800,00, o Banco entregou 52,6 mil unidades habitacionais de interesse social, beneficiando cerca de 210,3 mil pessoas.

Crédito Imobiliário Poupança CAIXA:

A CAIXA lança nesta quinta-feira (25), a linha de crédito imobiliário Poupança CAIXA, que estará disponível para contratação a partir de 01 de março. Nessa modalidade a taxa de juros é variável conforme rendimento da Poupança e de acordo com o perfil do cliente. As taxas efetivas partem de 3,35% ao ano, somados à remuneração adicional da poupança: 70% da taxa SELIC, quando esta for igual ou menor a 8,5% ao ano, ou 6,17% ao ano, quando a SELIC superar 8,5% ao ano. O saldo devedor do financiamento é atualizado mensalmente pela TR.

A nova modalidade traz ainda mais liberdade de escolha para os clientes da CAIXA. São 4 opções para financiamento imobiliário com recursos do SBPE, para aquisição de imóvel novo ou usado, construção e reforma, conforme quadro a seguir:

Com o lançamento do Crédito Imobiliário Poupança CAIXA, a CAIXA apresenta a melhor condição de financiamento imobiliário disponível no mercado: menor taxa, hoje a partir de 4,75% a.a., e maior prazo, com até 35 anos para pagamento.

Veja como é composta a taxa do Crédito Imobiliário Poupança CAIXA (de acordo com o perfil do cliente):

A partir de março, a nova opção também estará disponível para clientes de outros bancos que queiram trazer seu financiamento para CAIXA (portabilidade).

A CAIXA prevê contratar R$ 30 bilhões nessa nova modalidade de financiamento, orçamento que pode ser incrementado conforme demanda. A partir de 01 de março os clientes poderão fazer simulações no site www.caixa.gov.br ou no APP Habitação CAIXA e, caso decidam pela contratação, podem seguir pelo próprio aplicativo, ou através de um correspondente CAIXA Aqui e ainda, em qualquer agência da CAIXA.

Fonte: CAIXA

Plataforma de tecnologia imobiliária aponta tendências que devem revolucionar o mercado de compra e venda de imóveis

Contrato digital, visita mediada remota, pesquisa jurídica prévia
e comparador de imóveis são algumas das ferramentas em alta

A Homehub busca fortalecer o mercado imobiliário e melhorar a experiência de compra e venda dos clientes por meio da tecnologia. Com as mudanças vivenciadas pelo setor devido à pandemia, a tecnologia tem sido uma importante aliada em tornar mais eficientes os processos complexos e demorados inerentes ao ramo.

Para o fundador e CEO da Homehub, Rodolfo Judice, o período pandêmico permitiu impulsionar a transformação digital em muitos setores da economia brasileira. “Somos uma plataforma de tecnologia imobiliária e trabalhamos na estrutura figital, que agrega o físico e o digital. Dessa forma, oferecemos aos nossos franqueados um modelo de negócio mais atrativo”.

Segundo o executivo, a tecnologia permite acelerar todos os processos imobiliários, da pesquisa inicial, passando pela documentação dos imóveis, visita remota e até assinatura do contrato. “No início da operação, notamos como os recursos tecnológicos poderiam contribuir com os negócios e, ainda, gerar novas oportunidades aos nossos franqueados”, comenta.

Abaixo, algumas tecnologias que são importantes aliadas na desburocratização dos processos de compra e venda de imóveis que devem se tornar tendência entre as imobiliárias:

Contrato digital: Os sistemas de assinatura digital permitem validar juridicamente os contratos. As imobiliárias podem usar esse recurso para facilitar o processo de locação, compra e venda de imóveis.

Visita mediada remota: Indo além do tradicional tour virtual, a visita mediada remota está em alta no setor imobiliário. A facilidade tem conquistado corretores e clientes pela forma de manter o distanciamento social enquanto leva os interessados a conhecer os diferentes cômodos dos imóveis.

Pesquisa jurídica prévia: Com essa ferramenta, é possível conhecer a situação jurídica dos imóveis desejados rapidamente, evitando surpresas desagradáveis ao final do processo que podem até inviabilizar o fechamento do contrato.

Comparador de imóveis: O recurso permite criar perfis e comparativos de acordo com as características dos imóveis buscados, basta o corretor ou comprador colocar os imóveis de interesse lado a lado para visualizar uma comparação completa, incluindo valores, taxas e metragem.

Personalização: Os algoritmos da HomeHub permitem que o usuário visualize os imóveis ordenados pelo percentual de relevância, de acordo com o perfil criado na plataforma. Isso permite uma navegação personalizada para cada usuário.

Construção civil tem previsões positivas para 2021 no Paraná

MRV, líder do mercado na América Latina, prevê lançar mais de 5 mil novas unidades habitacionais no estado; expectativa da empresa é de fazer pelo menos 446 novas contratações nos próximos meses

Poucos setores se adaptaram tão bem aos desafios impostos em 2020 como a construção civil. A procura pela casa própria foi impulsionada em um momento em que muitas pessoas tiveram que passar mais tempo em seus lares. De acordo com os últimos dados divulgados pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic), nos primeiros nove meses de 2020 as vendas de imóveis novos tiveram um aumento de 8,4% em comparação com o mesmo período do ano anterior. E a perspectiva para 2021 é de mais crescimento.

A MRV, construtora residencial líder na América Latina, projeta lançar 22 novos empreendimentos no Paraná em 2021. Ao todo, os lançamentos vão somar 5.118 unidades habitacionais em sete cidades paranaenses: Londrina, Cambé, Maringá, Curitiba, Arapongas, Araucária e São José dos Pinhais. Segundo o gestor executivo de vendas da MRV, Willians Ribeiro, além da procura maior dos paranaenses pela casa própria, o cenário de juros também favorece os consumidores. “O país atingiu a taxa de juros mais baixa da história. Como resultado disso, temos financiamentos mais baratos para quem está em busca de realizar esse sonho. De nossa parte, também temos oferecido condições especiais de pagamento e descontos para os clientes no Paraná”, afirma o executivo.

Mercado de Trabalho

O aquecimento do setor também é positivo para o mercado de trabalho. Segundo o Cadastro Nacional de Empregados e Desempregados (Caged), o setor da construção teve o segundo maior saldo de novos postos de trabalho criados em 2020, atrás apenas do agronegócio. Nos próximos meses, a MRV prevê realizar pelo menos 446 novas contratações no estado.

Em 2020, a MRV registrou nacionalmente o maior volume de vendas da história da companhia, com alta de 39,1% nas vendas líquidas em relação ao ano anterior. “O ano passado nos exigiu uma série de adaptações em tempo recorde, como o desenvolvimento da nossa plataforma de vendas digitais. Mas essa reinvenção se refletiu em bons resultados, com perspectivas ainda melhores para 2021, realizando novos investimentos e gerando empregos no setor”, comemora Willians Ribeiro.

Accor adiciona 14 novos hotéis ao seu portfólio na América do Sul em 2020 e planeja abrir outros 30 em 2021

Perspectiva da piscina privativa em um dos quartos do MGallery Pipa, em Rio Grande do Norte

Em um ano difícil como 2020, com a pandemia afetando todos os setores, sendo o de Turismo um dos mais impactados economicamente, a Accor encerrou 2020 com resultados abaixo de 2019, como esperado.

A receita consolidada do grupo foi de € 1.621 milhões em 2020, uma redução de 54,8% em termos comparáveis e de 60,0% conforme reportado, ambos em comparação com o ano de 2019. Já na América do Sul, a receita foi de € 76 milhões, representando uma queda de 58% like-for-like e de 69% com relação a 2019, conforme reportado.

De acordo com o comunicado global divulgado no dia 24 de fevereiro, a Accor demonstrou resiliência e adaptabilidade em relação aos desafios do ano anterior, sem precedentes na história do turismo. E, apesar dos resultados consolidados, vem demostrando sinais de recuperação desde o último trimestre na América do Sul, além de Ásia, Oriente Médio e África.

Esse impacto na receita é o reflexo da queda do RevPAR como resultado das diversas medidas tomadas pelos governos com o objetivo de conter os contágios do coronavirus. Dessa forma, a queda de RevPAR foi de 62% com relação a 2019, em like-for-like basis, principalmente resultado da redução da taxa de ocupação, que ficou em 32%.

Na América do Sul, a taxa de ocupação ficou em 23%, uma queda de 34 pontos em relação a 2019, que foi o principal motivo para a redução de RevPAR de 61,9%, em like-for-like basis, com impacto similar em todos os segmentos.

“Apesar de números que nos colocam em patamares abaixo dos anos recentes, já tínhamos essa visão de que fecharíamos o ano em queda. Porém, trazemos também notícias boas como aberturas e o lançamento de novos serviços”, declarou Thomas Dubaere, CEO Accor América do Sul, que chegou à região em outubro do ano passado.

Foram 14 novos hotéis abertos em 2020 na América do Sul (1.800 quartos), além da assinatura de 13 novos contratos (1.565 quartos), um ritmo semelhante ao dos anos anteriores. “A América do Sul é uma região muito importante para a Accor, onde somos líderes de mercado e, para a expansão do turismo, tem um grande potencial de crescimento no segmento de lazer. Por esse motivo, estamos focados em dar continuidade ao nosso plano de expansão na região, que ainda conta com muito espaço para novos hotéis e excelentes opções de investimentos. Já assinamos 3 novos contratos em 2021 e esperamos outros mais”, comentou Dubaere.

Para 2021 estão previstas 30 aberturas na América do Sul, com destaque para: SLS Puerto Madero (Argentina), Sofitel Baru (Colômbia), MGallery Montevidéu (Uruguai), Pullman Miraflores (Peru), Novotel e ibis Santa Cruz de la Sierra (Bolivia), Sofitel Ipanema, MGallery Pipa, Novotel São Paulo Jardins, Novotel Lençóis Paulista, JO&JOE Largo do Boticário e combo Novotel BH Savassi e ibis budget BH Savassi – todos no Brasil.

Quarto no Novotel BH Savassi

Ainda neste ano, o objetivo é ampliar as franquias e focar nas categorias de luxo e lifestyle. “Lançamos o plano de expansão 42k24 para a América do Sul, com o objetivo de chegar a 42 mil quartos de hotéis franqueados até 2024 na região, e acreditamos muito na expansão da nossa rede com essa estratégia”, disse Abel Castro, vice-presidente sênior de Desenvolvimento e Novos Negócios Accor América do Sul.

Atualmente, são cerca de 62 mil apartamentos, em 393 hotéis, sendo 170 franquias. “Na América do Sul, mais de 70% dos hotéis hoje ainda são independentes. Por isso, existe um mercado enorme, com potencial muito grande para conversões e acreditamos que 2021 será o ano das franquias no Turismo”, comentou Castro.

Foi pensando nessas possibilidades que, em 2021, a Accor anunciou a chegada do primeiro hotel ‘By Mercure’ na região, uma marca inovadora, projetada para acolher hotéis de qualidade e médio porte à valiosa família Mercure. O Thermas de Olímpia Resorts By Mercure, no estado de São Paulo, Brasil, é o primeiro hotel do mundo a receber a designação “By Mercure”.

O ano de 2021 também trouxe outra novidade: o anúncio do ibis Styles Maragogi. Localizado em uma das regiões mais procuradas pelos turistas brasileiros, o primeiro resort da marca ibis Styles deve iniciar suas atividades em 2024.

Os segmentos midscale e econômico também terão outras novidades, com a previsão de 24 aberturas, e, dentre elas, três conversões. Além disso, teremos duas reaberturas de hotéis que foram remodelados: Mercure Rio de Janeiro Copacabana e Novotel Salvador. “Temos boas perspectivas com as novidades deste ano. Estamos chegando a cidades que ainda não tinham hotéis com padrão internacional, porém que têm bastante potencial turístico”, comenta Olivier Hick, COO das marcas midscale e econômicas da Accor no Brasil.

O lançamento de novos produtos também rendeu bons frutos em 2020, como o Room-Office, o Long Stay e o Dark Kitchen no Brasil. O Room-Office, inclusive, teve mais de 1.200 diárias vendidas, e hoje faz parte do WOJO, marca lançada no Brasil no início deste ano.

Com isso, os hotéis Accor pelo Brasil passam a oferecer três serviços: o WOJO SPOT, SALAS PRIVATIVAS BY WOJO e o ROOM OFFICE BY WOJO. “Nosso objetivo é lançar o produto WOJO SPOT em 100 hotéis até o final de 2021 e, até 2022, termos quase 100% dos hotéis da Accor no país com esse produto em funcionamento”, disse Hick.

E 2021 trouxe mais novidades para a América do Sul, bem como para todo o universo Accor, com o anúncio da parceria com o Faena, presente em Buenos Aires e Miami, uma das marcas com maior impacto mundial na indústria hoteleira e no segmento de lifestyle de luxo, visando a expansão da marca para destinos estratégicos em todo o mundo.

Além do Faena, as marcas já tradicionais de luxo e lifestyle da Accor permanecem em crescimento na região, com 6 inaugurações previstas para o ano, sendo uma delas uma conversão. Também estão passando por uma revitalização hotéis importantes destes segmentos, como o Grand Mercure Recife, Grand Mercure Copacabana e Pullman Vitacura em Santiago do Chile.

“Com todos esses movimentos nos últimos anos, nosso objetivo é transformar nossas marcas em líderes indiscutíveis no segmento de luxo e lifestyle, tornando-as provedoras de experiências inesquecíveis”, declarou Philippe Trapp, COO das marcas luxo e lifestyle da Accor na América do Sul.

E, para dar suporte a todas essas estratégias, está o ALL – Accor Live Limitless, novo programa de fidelidade da Accor que completou um ano em 2020. Já consolidado entre os públicos da empresa, agora ele conta com todo o portfólio de marcas Accor na América do Sul, com a recente inclusão do ibis budget em seu ecossistema. Para se ter uma ideia, em 2020, 50% das estadias nos hotéis Accor na região foram de clientes ALL – Accor Live Limitless .

“O ALL – Accor Live Limitless é muito importante para a nossa estratégia e em 2021 não será diferente. Continuaremos inovando o nosso programa e oferecendo cada vez mais benefícios aos nossos associados, com parcerias, hospitalidade estendida, ofertas em A&B e em soluções de trabalho, com o WOJO, por exemplo. Continuaremos nos apoiando muito nas agências e agentes de viagens também”, comentou André Sena, CCO Accor América do Sul.

Destaques por país:
Argentina

No início de 2020, inauguramos o primeiro ibis Styles do país, o ibis Styles Buenos Aires Florida. Após o início da pandemia, o ibis Obelisco e o ibis Congreso tornaram-se residências de saúde para receber pacientes de COVID-19, sob gestão da prefeitura local. Os hotéis que permaneceram abertos, além de implementarem os protocolos ALLSAFE, começaram a criar outras oportunidades de negócios, como o MGallery Palladio, que lançou seu delivery, ou o Novotel Buenos Aires, que desenvolveu o conceito Room-Office. No último trimestre do ano, começaram a reabrir os hotéis que estavam fechados.

Ainda em 2021, junto com a promoção de conversões de hotéis para apoiar redes locais independentes em dificuldades devido à pandemia, foi anunciada a aliança da Accor com Faena, de origem argentina, que oferece uma nova oportunidade de crescimento para o luxo e o lifestyle, já que o objetivo é desenvolver a marca para que Faena chegue a novos destinos, como Dubai.

Também em 2021, no primeiro semestre, será inaugurado em Puerto Madero o primeiro SLS da América do Sul, com 59 quartos. Hoje, temos 12 hotéis em operação, com 1.580 quartos, 5 Franquias e 7 operados.

Bolívia

Em 2020, iniciamos as operações na Bolívia com a inauguração do Swissôtel em Santa Cruz de la Sierra (138 quartos). Já em 2021, a previsão é de inaugurarmos os hotéis ibis Santa Cruz de la Sierra (148 quartos) e Novotel Santa Cruz de la Sierra (144 quartos), somando mais de 400 quartos ao portfólio da Accor no país.

Chile

Durante o ano de 2020, começaram as reformas e redesenho dos antigos hotéis Atton, agora Pullman Santiago Vitacura, Pullman Santiago El Bosque e Novotel Santiago Las Condes. Além disso, o Mercure Santiago Centro foi reformado e adicionamos oficialmente ao portfólio o Mercure Concepción (ex Atton), que completou sua fase de rebranding. “Desde a pandemia, 6 hotéis do grupo tornaram-se Residências de Saúde em todo o Chile para apoiar as autoridades locais na luta contra o COVID-19 (ibis Valparaíso, ibis Copiapó, ibis Puerto Montt, ibis Iquique, Novotel Viña del Mar e, recentemente, ibis Calama).

“Como parte do reconhecimento ao empenho das equipes, o time do ibis Copiapó foi o primeiro do Grupo a ser vacinado pelas autoridades sanitárias”, explica Franck Pruvost, COO das marcas Econômicas e Midscale Países Hispânicos Accor América do Sul.

O Mercure Concepción e o Novotel Providencia se destacam, pois sempre mantiveram as portas abertas, implementando os protocolos ALLSAFE e as inovações do grupo, como o Room-Office. A partir de setembro, iniciou-se a reabertura gradativa de outros destinos e, hoje, apenas o Pullman El Bosque permanece fechado ao público devido à sua grande reforma. Além disso, o Pullman Vitacura lançou seu programa Long Stay, enquanto o Novotel Santiago Providencia lançou seu novo espaço Burger v/s Pizza.

Hoje, temos 23 hotéis em operação, o equivalente a 3.740 quartos e 10 em desenvolvimento.

Colômbia

No início de 2020, inauguramos o ibis budget Barranquilla (154 quartos) e o ibis Chia (96 quartos), oitavo hotel da marca no país, além de anunciar a chegada da nova marca JO&JOE a Medellín (54 quartos y 198 camas) nos próximos anos. Após a pandemia, a maioria dos hotéis fechou as portas, porém o país recuperou sua atividade com maior rapidez na região.

Hoje, todos continuam funcionando, exceto o Mercure Bogotá 100, que está passando por um processo de renovação. Também aqui vários hotéis instalaram Room Office.

Em relação às marcas de luxo, Sofitel Legend Santa Clara Cartagena abriu seu restaurante em formato delivery e inaugurou o Bar Boticário, uma opção segura e ao ar livre. Já o Sofitel Bogotá Victoria Regia reabriu totalmente reformado. Ambos os hotéis de luxo foram reconhecidos internacionalmente como os melhores da América do Sul pela Condé Nast Traveller.

Para 2021, está prevista a inauguração do ibis budget Bogotá Marly (120 quartos) e, no final do ano, o esperado Sofitel Barú (187 quartos). Hoje, temos 19 hotéis em operação (2.465 quartos) e 7 em pipeline.

Equador

Atualmente, temos 3 hotéis operando no Equador, com 573 quartos, e dois em pipeline.

Paraguai

No Paraguai temos em operação o ibis Asunción com 120 quartos (franquia).

Peru

Em 2020 inauguramos o ibis Styles Lima Miraflores Benavides, com um design inspirado na cultura local e nas linhas Nazca, e o ibis budget Lima Miraflores, o primeiro da marca no país. Desde o início da pandemia, uma nova linha de negócios se desenvolveu, proporcionando acomodação a grupos exclusivos de empresas que necessitavam de apoio aos seus trabalhadores, especialmente grupos de mineração.

O confinamento prolongado do Peru levou a uma recuperação mais lenta em comparação ao resto da América do Sul. Atualmente, o Pullman San Isidro está passando por reformas e, para 2021, está prevista a inauguração do ibis Styles Lima Blondet San Isidro (184 quartos) e do Pullman Miraflores (237 quartos).

Atualmente, temos 10 hotéis em operação (1.685 quartos) e 7 em pipeline.

Uruguai

Atualmente, contamos com 4 hotéis em operação, incluindo o icônico Sofitel Montevideo Casino Carrasco & Spa, que comemora seus 100 anos de história, e o ibis Montevideo, que lançou o Room-Office no país. Para 2021, está prevista a inauguração do MGallery Montevidéu, com 92 quartos e inspirado na cultura urbana local.

Hotéis abertos em 2020 na América do Sul
Novotel Criciúma – Brasil

ibis Ribeirão Preto Vila do Golf – Brasil

ibis budget Ribeirão Preto Vila do Golf – Brasil

ibis Cuiabá Shopping – Brasil

ibis Ponta Grossa – Brasil

ibis Caucaia Porto de Pecém – Brasil

ibis budget Leme – Brasil

ibis budget Salvador – Brasil

ibis Styles Lima Miraflores Benavides – Peru

ibis budget Lima Miraflores – Peru

Swissôtel Santa Cruz de La Sierra – Bolivia

ibis Styles Buenos Aires Florida – Argentina

ibis budget Barranquilla – Colômbia

ibis Chia – Colômbia

Com cenário positivo para o crédito no setor imobiliário, facilidade e agilidade na aprovação do processo são essenciais para aproveitar oportunidades

Os financiamentos imobiliários estão em alta. Dados do Boletim Crédito de dezembro de 2020, estudo conduzido pelo Centro de Pesquisa em Economia Regional da FUNDACE, apontam crescimento de 3,3% e 4,6%, nas médias nacional e estadual, respectivamente. Entre os municípios analisados, destaque para Sertãozinho (14,6%) e Araraquara (12,8%) e na Região Metropolitana de Ribeirão Preto e na própria cidade, houve elevação de 5,5% e 2,7%, respectivamente.


O cenário positivo, que tem relação com a baixa histórica da taxa Selic, pode ser confirmado pela Felí, startup de Ribeirão Preto que atua como correspondente bancário digital e que completa um ano 2021.
Para Fernanda Machado, co-founder da Felí, embora apresente alta, todos os trâmites, validações e documentos envolvidos no processo podem apresentar inúmeras dificuldades para obtenção do crédito e, às vezes, até desestimular as pessoas a procurarem opções para conseguir um financiamento.

Com um time com experiência de mais de nove anos na área, a Felí foi fundada em janeiro de 2020 exatamente para tornar a vida de quem deseja obter um financiamento imobiliário mais ágil e fácil, uma experiência descomplicada e feliz. Daí a inspiração para o nome da startup que tem uma base sólida no setor imobiliário por pertencer a um grupo que tem entre suas empresas construtoras de destaque como a Bild Desenvolvimento Imobiliário e a Vitta Residencial.

“Tivemos um ano intenso e surpreendente de trabalho mesmo em um cenário de vulnerabilidade na saúde que impôs algumas limitações. Nossos números nos mostram o setor aquecido: foram mais de meio bilhão de reais em crédito disponibilizado em 2020. Mas mais do que números, sabemos que realizamos o sonho de pessoas e famílias e que facilitamos o dia a dia delas. com nossas tecnologias e processos, e com nosso time de especialistas engajados na solução de qualquer dificuldade dos clientes relacionadas a aprovação de crédito”, explica Fernanda.


Facilidade digital, experiência que conecta pessoas ao sonho da moradia – Um dos principais diferenciais da empresa é a facilitação do passo a passo burocrático para aprovação de crédito. As tecnologias próprias, desenvolvidas pela empresa, garantem um processo mais assertivo.


“Muitas vezes uma pessoa em busca de financiamento tem o crédito negado pelo banco e não sabem o porquê, o que leva as pessoas a desistirem. Outras vezes a parte processual, de documentos e análise é tão desgastante que gera até mesmo um trauma. E não precisa ser assim. E conseguimos mostrar que não é”, avalia a executiva.


Hoje a Felí conta com uma plataforma própria, totalmente digital, para análise documental. O objetivo foi justamente investir em ferramentas que facilitam o dia a dia do cliente e de incorporadoras, construtoras e imobiliárias que precisem de assessoria de crédito imobiliário e repasse.
“Do momento da busca pelo crédito até a aprovação do financiamento, quase todo processo pode ser feito de forma digital, com uma economia de tempo e também de custos considerável. Em muitos casos, a aprovação pode ser feita em duas horas e o repasse em 30 dias. Isso não é uma regra, mas evidencia como o serviço é ágil devido às tecnologias desenvolvidas internamente. E o mais gratificante é ver quando as pessoas conseguem o crédito depois de tentativas frustradas e saem realmente felízes e realizadas”, complementa.

Ferramentas que auxiliam a jornada do cliente – Em apenas um ano atuando como uma startup, a empresa já desenha novos produtos, que serão lançados em breve, além de disponibilizar, de forma gratuita, ferramentas que auxiliam a jornada das pessoas que já possuem um financiamento, mas que podem melhorar condições de pagamentos de taxas e parcelas.


É o caso da Calculadora de Economia de Juros Portabilidade. Voltada para pessoas que tem um financiamento ativo de um imóvel pronto, anterior às baixas dos juros, a ferramenta realiza uma simulação que indica taxas que podem ser mais atrativas em diferentes bancos, e assim, é possível realizar o movimento que se chama ‘portabilidade do financiamento imobiliário’, com o grande objetivo de reduzir os valores do financiamento anteriormente contratado.


“Existem casos de pessoas que pagam taxas próximos a 12%, 13% ao ano, que poderiam estar pagando abaixo de 6,99%”, comenta Fernanda.

“Esta portabilidade vai seguir os mesmos critérios da primeira contratação. Então, se o cliente segue tabela PRICE, ela vai se manter na PRICE. A quantidade de parcelas também não muda. O que muda é a taxa de juros, que serão menores, gerando parcelas menores e um saldo devedor menor.

A portabilidade pode ser feita no mesmo banco ou o interessado pode mudar de banco”, explica a especialista, que acrescenta:
“Em uma simulação, uma pessoa que financiou um imóvel que vale R$ 310 mil com juros de 9,14% ao ano e vai pagar em 346 meses, o valor total ao final do financiamento vai ser em torno de R$ 371 mil. Com a portabilidade e calculando com juros de 6,99% ao ano que é hoje praticado no mercado, o valor final pode chegar a R$ 320.312. É uma economia de quase R$ 51 mil, reduzindo praticamente R$ 200 no valor das parcelas e uma economia anual de R$ 2.4 mil”, diz.

Todo o processo pode ser feito diretamente pela pessoa interessada junto ao seu banco, entretanto, a Felí, como correspondente bancário digital, tem expertise nos trâmites internos dos bancos e consegue acelerar o processo, que passa inicialmente por quatro etapas: o primeiro deles é a pré-análise de toda documentação do primeiro financiamento para saber se o cliente é apto à portabilidade.


O segundo, é a aprovação do novo crédito, consultando as possibilidades de pagamento. Na sequência, a contratação do novo crédito e, por fim, o registro do novo contrato.
A ferramenta é gratuita e está disponível em 

https://portabilidade.feli.com.vc/.

2021 começa com aumento nos preços dos imóveis em Curitiba

 No primeiro mês do ano, o aluguel mensal de um apartamento padrão (65m², 2 quartos e 1 vaga na garagem) em Curitiba ficou em torno de R$ 1.246,00, de acordo com levantamento do Imovelweb, um dos maiores portais imobiliários do País. Dessa forma, houve um crescimento de 0,9% no valor médio da locação em relação a dezembro, além de um incremento de 4,3% nos últimos 12 meses.

O relatório do Imovelweb também aponta que Campo de Santana (R$ 988/mês) foi o bairro onde o aluguel mais aumentou nos últimos 12 meses, com um crescimento de 19,9%. Os outros bairros onde o preço de locação mais subiu foram: Santa Cândida (R$ 1.157/mês), com um acréscimo de 19,1%, e Xaxim (R$ 1.238/mês), com aumento de 17,9%.

Já Vila Izabel (R$ 1.406/mês) foi o bairro onde o preço de locação mais diminuiu, com uma queda de 19,8%. Em CIC (R$ 1.251/mês) o valor do aluguel caiu 12,1% e em São Braz (R$ 1.294/mês) a diminuição foi de 10,4%. Na tabela abaixo estão os bairros com os preços de aluguel mais baratos e mais caros na cidade:

Mais baratos (mensal)Variação mensalVariação anual
Cachoeira (Boa Vista)R$ 9092,7%-1,9%
Tatuquara (Pinheirinho)R$ 9242,6%-1,1%
Barreirinha (Boa Vista)R$ 9411,2%5,4%
Mais caros (mensal)Variação mensalVariação anual
Mercês (Matriz)R$ 1.858-1,5%14,1%
Prado Velho (Matriz)R$ 2.0842,1%7,6%
Santo Inácio (Santa Felicidade)R$ 2.3780,7%S/D

Valor do m² também sobe em Curitiba

O relatório também mostrou que o valor de compra de um imóvel em Curitiba teve um aumento de 5,6% nos últimos 12 meses. Assim, em janeiro de 2021, o preço médio do m² na cidade era de R$ 5.045, 0,8% a mais do que o mês anterior. Dessa forma, um apartamento padrão fica em torno de R$ 327.600,00 na cidade.

Os bairros onde os preços dos imóveis mais aumentaram nos últimos 12 meses foram Campina do Siqueira (R$ 8.919/m², +14,1%), Taboo (R$ 4.398/m², +14,2%) e Pilarzinho (R$ 6.370/m², +19,8%). Já os locais onde os preços mais caíram foram São João (R$ 4.331/m², -11,4%), Santa Cândida (R$ 3.425/m², -8,9%) e Bom Retiro (R$ 5.141/m², -7,9%).
Os valores mais altos e mais baixos do m² em Curitiba estão na tabela abaixo:

Mais baratos (m²)Variação mensalVariação anual
Cachoeira (Boa Vista)R$ 2.8810,8%0,7%
Augusta (Cidade Industrial De Curitiba)R$ 2.8920,3%-1,2%
Campo de Santana (Pinheirinho)R$ 2.9790,5%7,1%
Mais caros (m²)Variação mensalVariação anual
Mercês (Matriz)R$ 8.5811,0%10,5%
Campina do Siqueira (Santa Felicidade)R$ 8.9191,8%14,1%
Batel (Matriz)R$ 9.7320,8%3,8%

Investimento em imóveis

O índice de rentabilidade imobiliária do Imovelweb relaciona o preço do aluguel anual com o preço de venda. No relatório sobre o mês de janeiro, o índice foi de 4,7%, o que significa que são necessários 21,1 anos de aluguel para recuperar o investimento da compra, tempo 2,9% menor que há um ano. Confira as regiões mais e menos rentáveis em Curitiba:

Mais rentáveis Variação no mês Variação no ano 
Bairro Novo 6,3% EstabilidadeAlta 
Cajuru5,1% QuedaEstabilidade
Pinheirinho  5% Alta Alta 
Menos rentáveis Variação no mês Variação no ano 
Santa Felicidade4,4% Queda Estabilidade 
Cidade Industrial de Curitiba 4,1% Estabilidade Queda 
Matriz 4,0% Estabilidade Estabilidade 

Incorporadora You,inc anuncia CFO, COO e Head de RI

A You,inc, incorporadora paulista referência em apartamentos compactos, anuncia a contratação de três novos profissionais: Bruno Vasques, novo Chief Financial Officer (CFO), Mauricio Belo, como Chief Operating Officer (COO) e Bruna Gambôa que assume como head de Relações com Investidores.

Como CFO, Bruno Vasques ficará responsável pela estrutura administrativa e financeira e terá como desafio central suportar a execução da estratégia de lançamentos e aquisição de terrenos maximizando a geração de valor para acionistas e parceiros. Vasques é formado em Economia pela Universidade de São Paulo (USP), com especialização em finanças pela London Business School. Possui mais de 20 anos de experiência em finanças em diferentes segmentos econômicos. Vasques atuou como diretor financeiro na Caloi, De´Longhi e Haribo. Antes de assumir como CFO na You Inc, foi CEO da Ducoco Alimentos.

Maurício Belo chega como COO para fomentar a expansão da Companhia via aquisição de terrenos. O executivo é formado em Engenharia Civil pela Universidade Mackenzie, com MBA em tecnologia e gestão da produção de edifícios pela Universidade de São Paulo. Possui mais de 20 anos de experiência no setor imobiliário, com passagens por empresas como Even Construtora e Tegra Incorporadora.

Bruna Gambôa, head de Relações com Investidores da You,inc, chegou para assumir a área e preparar a companhia para um IPO previsto para 2021. Gambôa é formada em Economia pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), com pós-graduação em Finanças pelo INSPER. Com mais quatorze de experiência na área de relações com investidores e transações de mercado de capitais, a profissional já passou por empresas como ANBIMA, BM&FBOVESPA, GPA, JHSF e CSU CardSystem.

Pormade Portas eleva faturamento em 265% e planeja inaugurar 36 novas franquias em 2021

Franqueadora registrou negócios de, aproximadamente, R﹩ 16 milhões no último ano e segue em plena expansão para todo o Brasil

O segmento de casa e construção está entre os que mais se destacaram, em 2020, não só no franchising, mas também na economia brasileira em geral, mesmo em meio à crise. A Pormade Portas faz parte dessa estatística e segue em plena expansão por meio de suas franquias. A empresa, com sede em União da Vitória, interior do Paraná, encerrou o ano anterior com 19 lojas franqueadas e um faturamento de, aproximadamente, R﹩ 16 milhões, um aumento de 265% referente ao ano anterior. Até o final de 2021, a meta da empresa é abrir 36 novos pontos.

“Queremos expandir a atuação para todo o Brasil, focando nas cidades em que ainda não estamos presentes e gerar assim, ainda mais conveniência ao consumidor local, transformando a maneira como ele adquire portas e outros acessórios”, afirma Daniel Zini, diretor comercial da Pormade. “Nos próximos cinco anos, esperamos atingir a marca de 200 franquias e alcançar um faturamento de R﹩ 120 milhões”, reforça.

A Pormade é uma das maiores indústrias de portas do Brasil e o crescimento exponencial do seu modelo de franquia, no último ano, se deve à mudança de comportamento do cliente durante a pandemia e aos investimentos no e-commerce da empresa. Por conta do isolamento social, o cliente Pormade passou a consumir ainda mais de forma online, buscar assessoria especializada e, cada vez mais, produtos de qualidade alinhados a um preço justo. Em 2020, o e-commerce da empresa registrou um crescimento de 33% em faturamento em comparação ao ano anterior, aumento que reflete diretamente no resultado das unidades franqueadas.

“Somos uma franquia de demonstração, no qual o franqueado com sua loja, um showroom físico, recebe suporte e bagagem para realizar vendas através do e-commerce da empresa. Como não precisa dispor de estoque, nem de equipe administrativa, uma vez que pagamentos e recebimentos são controlados pela franqueadora, o franqueado e sua equipe podem se dedicar 100% ao processo de prospecção, atendimento ao cliente e vendas via plataforma digital”, reforça Claudio Zini, diretor-presidente da Pormade.

O portfólio de produtos da Pormade engloba kits prontos e avulsos de portas, rodapés, biombos, papéis de parede, fechaduras e outros acessórios. As lojas da Pormade estão localizadas nos Estados do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Tocantins e no Distrito Federal. Para se tornar um franqueado, é necessário investir cerca de R﹩ 60 mil, valor que já inclui a taxa de franquia e showroom com produtos.