Acreditando na retomada gradativa do mercado, Setin projeta lançamentos com VGV na casa de R$ 1 bilhão

Acreditando na retomada gradativa do mercado, Setin projeta lançamentos com VGV na casa de R$ 1 bilhão


Antonio Setin, presidente da Setin Incorporadora (Divulgação)

Um dos setores mais sensíveis e importantes da indústria nacional, a construção civil tem dado sinais de melhora nos últimos meses. Para 2020, a expectativa é a de que avance um pouco mais, trazendo novos negócios e oportunidades para consumidores e investidores interessados em adquirir imóveis.

Com a taxa Selic a 4,25%, menor índice da história, além da crescente concorrência dos bancos pelos clientes de financiamentos imobiliários — uma forma de conquistar e manter o cliente por muito tempo —, o crédito para aquisição de imóveis tornou-se algo facilitado e mais acessível. Alguns bancos lançaram financiamentos atualizados pelo IPCA mais 2,95% ao mês, disponibilizando uma alternativa à TR para aqueles que acreditam na inflação controlada. As linhas de crédito tradicionais oferecem juros que podem chegar a 6,5% ao mês, e que ainda possuem margem para diminuição.

Ainda sobre o mercado imobiliário, deve-se levar em conta a melhora da taxa de retorno dos aluguéis, em 2019, na casa de 1,63%, segundo o FipeZap. Isso, somado a outros aspectos conjunturais, como a sedimentação das reformas propostas pelo Governo Federal, e a possível melhora da atividade econômica, impulsionada por investimentos externos podem fazer o ano ser positivo para o setor.

Pelo menos essa é a perspectiva da Setin Incorporadora. “Acreditamos que 2020 será um ano ainda melhor. O mercado está reagindo positivamente. Estamos com seis lançamentos previstos e investindo em novos terrenos, em valores que podem chegar a R$ 800 milhões, em busca de outras e melhores oportunidades de incorporação para os próximos anos. Imóvel é e continuará sendo um investimento seguro e lucrativo”, garante Antonio Setin, presidente da empresa.

Destaque para empreendimentos na Praça da República, Vila Mariana, Jardins e Pinheiros. Esse último, um mixed-use que pode converter-se em um verdadeiro ponto de referência para toda a área, com residencial de alto padrão, que inclui studios, lojas e laje corporativa, com lançamento previsto para setembro e R$ 310 milhões de Valor Geral de Vendas (VGV).

Comments are closed