ABRAINC: venda de imóveis é recorde em setembro, após alta de 13,5%

ABRAINC: venda de imóveis é recorde em setembro, após alta de 13,5%

O indicador mensal da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (ABRAINC), elaborado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), registrou aumento de 13,5% nas vendas de novas unidades habitacionais em setembro na comparação com o mesmo mês em 2019. Foi o melhor resultado mensal do indicador Abrainc/Fipe desde maio de 2014.

“O setor segue pontuando ótimo fluxo de vendas em um ano marcado por um elevado nível de desemprego e impacto negativo da pandemia. Isso mostra que a construção civil, que gerou mais de 154 mil empregos nos últimos três meses, segundo Caged, mantém-se como setor de tração da recuperação econômica”, avalia o presidente da Abrainc, Luiz Antonio França.

Com base nas informações repassadas pelas associadas à entidade, o trimestre móvel encerrado em setembro do indicador Abrainc-Fipe mostra que as vendas da incorporação estabeleceram novo recorde histórico, após aumento de 39,7% nas unidades vendidas em comparação com o mesmo período de 2019.

Já no acumulado em 12 meses, as unidades comercializadas superaram em 13,5% o volume vendido nos 12 meses anteriores.

Em setembro, os lançamentos de novos empreendimentos tiveram ligeira oscilação negativa de 0,9%. Nos últimos 12 meses, a queda acumulada foi de 2,3% em relação ao observado nos 12 meses precedentes, carregando ainda efeitos do início da pandemia. Apesar desse movimento, os lançamentos acumularam alta de 7,8% no terceiro trimestre deste ano, na comparação com o mesmo período de 2019.

Segmentação
Os empreendimentos do segmento de imóveis voltado para a baixa renda, responsável por 84,4% dos lançamentos e 76,2% das vendas residenciais, registrou elevação de 3,7% nos lançamentos em setembro e de 14,5% no terceiro trimestre e 8,6% no acumulado em 12 meses.

Já no âmbito das vendas, o segmento de habitação popular encerrou setembro com uma alta de 19,3% em relação ao mesmo mês de 2019, colaborando para uma elevação de 50,3%, no terceiro trimestre, e de 24,7% nos últimos 12 meses.

Os empreendimentos do segmento de Médio e Alto Padrão (MAP), relativamente mais afetados pelos efeitos da pandemia nos grandes centros urbanos, tiveram recuo de 41% em setembro de 2020 (em relação a setembro de 2019), queda de 27,5% no terceiro trimestre e de 36,7% nos últimos 12 meses. Já as vendas do segmento MAP oscilaram -1,9% em setembro de 2020.

Apesar do movimento negativo em setembro, as vendas do MAP avançaram 10,9% no terceiro trimestre de 2020.

Comments are closed