Monthly Archive setembro 2019

Construtoras movimentam cerca de R$ 76 milhões em evento em Belo Horizonte

O 1º Show da Casa Própria, realizado na última semana, levou cerca de 700 pessoas à sede do Sebrae em Belo Horizonte. Nos dois dias de evento, foram realizados aproximadamente 440 atendimentos, totalizando R$ 76 milhões de negócios encaminhados. O feirão, que ocorreu dentro da programação do Minascon 2019, foi uma iniciativa do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG), em parceria com Sistema Fiemg e Sebrae Minas, com o patrocínio da Caixa e do Governo Federal.

O megafeirão de imóveis reuniu as principais construtoras do mercado mineiro e nacional em um mesmo local para conversar com o cliente e negociar a melhor oferta. As construtoras participantes disponibilizaram imóveis localizados em cidades de toda a Região Metropolitana de Belo Horizonte.

“A primeira edição do Show da Casa Própria teve ótimos resultados e a meta é que o evento entre para o calendário oficial de Belo Horizonte”, observou o vice-presidente da Área Imobiliária do Sinduscon-MG, Renato Michel. Ele destacou que essa iniciativa, inédita no Brasil, foi a maior ação de vendas já realizada por entidades representativas do setor da construção e da indústria em prol do mercado imobiliário.

O superintendente Regional da Caixa, Marcelo Bomfim, ressaltou o Show da Casa Própria como uma oportunidade para o banco apoiar o setor da construção civil. “Temos muito a agradecer aos nossos parceiros, que fizeram um evento representativo da força do segmento da construção civil na nossa região”, disse o superintendente.

A Caixa esteve presente no Show da Casa Própria com um estante em forma de agência bancária de 250 metros quadrados. No local, corretores credenciados pelo banco ofereceram imóveis com condições especiais de financiamento e negociação. A Caixa também promoveu palestras com especialistas para explicar as novas regras de financiamento anunciadas pelo banco e as oportunidades oferecidas.

“Além de movimentar a economia, o Show da Casa Própria possibilitou que os compradores tivessem acesso, no mesmo lugar, a negociação e simulação, para entender qual parcela cabe no seu bolso. E isso é muito significativo”, afirmou Marcelo Bomfim. “A participação nesse feirão foi mais uma medida para a Caixa democratizar a forma de financiar imóveis.”

Estiveram no 1º Show da Casa Própria as empresas Alicerce, Celta Engenharia, CAC, Construtora M Matos, Construtora Saba, Construtora Você, Direcional Engenharia, Donum, Emccamp, Mais Lar, MRV, Neocasa, Novolar, Precon Engenharia, Pro Domo, Quartzo, RML Construtora, Tenda, Unenco, Via Sul e VIC Engenharia.

Casa do Construtor marca presença na Feira do Empreendedor

Com uma expectativa de, pelo menos, 150 mil visitantes entre os dias 5 e 8 de outubro no Parque Anhembi, em São Paulo, a Feira do Empreendedor 2019 deve ser o maior evento do gênero neste ano no Brasil, segundo o Sebrae-SP, que promove a iniciativa. A Casa do Construtor não ficará de fora deste palco de projetos e ideias. Consultores da rede estarão à disposição para avaliar planos de negócio, dar orientações e prestar todas as informações para os interessados em abrir uma unidade da franquia.

A feira terá uma área de 45 mil metros quadrados, um espaço destinado exclusivamente ao empreendedorismo feminino, salas de jogos que simulam as situações reais tanto para quem já tem um negócio como para quem pensa em empreender e lojas-modelo para o público conhecer a rotina de determinados empreendimentos, entre outras atrações.

A Casa do Construtor oferece locação de equipamentos para construção civil, limpeza e jardinagem. Atualmente, conta com mais de 270 unidades franqueadas no Brasil e uma no Paraguai. Do total, 143 lojas estão no Interior de São Paulo, onde a empresa foi fundada em 1993.

Os dois sócios, Altino Cristofoletti Jr. e Expedito Eloel Arena, eram construtores e perceberam a tendência do mercado optar pela locação de equipamentos do setor. A marca se tornou uma franquia em 1998 e atende empreiteiras, condomínios, engenheiros e arquitetos autônomos e um número crescente de pessoas que adotam o estilo “faça você mesmo”. As unidades alugam ferramentas e equipamentos como andaimes, furadeiras, betoneiras, geradores, compressores, escadas, compactadores, além de uma linha focada em jardinagem e limpeza.

Em São Paulo, poucos municípios ainda não têm uma unidade da Casa do Construtor, mas essa ausência não deve durar muito, segundo o Gerente de Operações, Fábio Spina. ” O faturamento da rede cresceu 25% no primeiro semestre de 2019 em comparação com o mesmo período de 2018, e a expectativa é de que o montante chegue a R$ 270 milhões no ano ” – completa.

Atualmente, a Casa do Construtor conta com cerca de 2 mil colaboradores em todo o país. A meta é chegar a mil unidades franqueadas até 2026.

Além da Feira do Empreendedor 2019, a Casa do Construtor também deve participar da Feira Franchise4U, em Manaus, a partir do dia 10 de outubro.

Investimentos no setor imobiliário: Quais as vantagens do crowdfunding comparado com o FII?

Para quem gosta de investir no setor imobiliários, os Fundos são sempre um ponto de discussão e de atenção entre os investidores. Mas, com o crescente número de plataformas que fazem crowdfunding para o setor, os investidores começaram se questionar sobre quais são as diferenças entre as duas modalidades e qual é mais rentável.

Os Fundos de Investimentos Imobiliários, mais conhecidos como FII, são investimentos divididos por frações, ou seja, a aquisição das cotas deve ser obrigatoriamente realizada por meio de uma corretora de valores ou por uma instituição autorizada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Já o crowdfunding de investimento é algo muito mais simples. O investidor deve possuir uma conta em alguma plataforma, como a da Glebba, fintech que faz crowdfunding para o setor imobiliário, por exemplo, e em seguida realizar o aporte de valor desejado, por meio de transferência via TED, DOC ou Boleto, podendo escolher em qual tipo de empreendimento quer investir.

Outra diferença entre os Fundos de Investimento Imobiliário e o Crowdfunding de Investimento é na rentabilidade. No FII, a rentabilidade acontece por meio dos resultados do fundo, por exemplo, pelo aluguel de um empreendimento ou pela venda de cotas do Fundo em instituições financeiras. O retorno é mensal e referente ao “aluguel” da cota.

Segundo Francisco Perez, head de investimentos da Glebba, no crowdfunding a rentabilidade é previamente projetada de acordo com um estudo do empreendimento, por isso, torna a modalidade menos burocrática, de baixo custo e com menor risco. “Cada produto tem sua peculiaridade e cabe ao investidor avaliar de acordo com a com a estratégia traçada, se vale ou não a pena agregar o investimento à sua carteira. O cálculo da rentabilidade é feito a partir do valor geral de vendas, de acordo com o percentual de cada investidor”, explica Perez.

De acordo com o especialista, quando se pensa nos custos para o investidor, no investimento via crowdfunding só se tem gastos com o valor da transferência bancária do aporte e desconto do imposto de renda sobre o valor dos rendimentos. “Nos Fundos, o valor de transação é cobrado pela corretora, além de taxas administrativas, de performance e impostos de renda sobre o lucro líquido na venda das cotas”, conta esclarece o head de investimentos da Glebba.

O Brasil possui várias possibilidades de desenvolvimento imobiliário, muitas das quais poderiam ser captadas através de plataformas de crowdfunding. ” O mercado imobiliário é um dos mais sólidos e tradicionais aqui no Brasil. Por isso, precisamos investir em novas formas para fazer esse setor crescer ainda mais. Dois mil e dezenove é o ano da retomada e acreditamos que investir em plataformas de crowdfunding é uma grande tendência para isso aconteça”, enfatiza Perez.

Vitacon adota o slogan “Life is on” e aposta em identidade jovem e tecnológica

A Vitacon, referência no desenvolvimento de tecnologias para moradia inteligente, estreia, neste mês, o novo slogan da marca – “Life is On”, que substitui o anterior, “Reinventar a Cidade”. A mudança faz parte da reestruturação visual e de comunicação da proptech, que traz uma linguaguem mais dinâmica e tecnológica no logotipo, slogan e em todos os materiais de comunicação da companhia.

O novo formato permite variações de aplicação da marca, sem padrões e pantones, assumindo diferentes formas, tamanhos e cores, e fortalecendo a ideia de diversidade, acessibilidade e mobilidade. O fio-condutor e primeiro movimento nesse sentido é o lançamento de um vídeo manifesto, com a mensagem central da vida “ON”, ou seja, mais conectada, dinâmica e fluída, alinhada com o lifestyle de moradia on demand da empresa.

Com a nova cara, a empresa se distancia cada vez mais dos seus concorrentes, “deixamos de ser uma empresa de tijolos e entramos no mercado de bytes, de desenvolvimento de tecnologia e moradia inteligente. Acreditamos na moradia como serviço, totalmente integrada ao mundo digital”, afirma Alexandre Frankel, CEO da Vitacon.

A aposta em mídias sociais também é forte, hoje a empresa alcança, mensalmente, mais 14 milhões de usuários do Facebook e Instagram. “Os leads que chegam pelos nossos canais e anúncios online representam 40% das nossas vendas. Por isso, o nosso site passou por reformulações, com uma interface moderna, jovem e acessível, com foco na boa experiência de navegação do usuário”, explica Stephanie Dornelles, gerente de marketing da Vitacon.

Além disso, a marca lançará um título impresso próprio – a ON Mag – que abordará temas relacionados ao lifestyle Vitacon: mais praticidade, mobilidade, conexão, compartilhamento e vida em comunidade. A revista não tem uma periodicidade definida, as edições acompanharão as datas de lançamento dos prédios e serão distribuidas em bancas de revistas da região. ON Mag abordará temas comportamentais e sugestões do que fazer nos bairros, além de uma entrevista especial com personalidades e influenciadores que tenham o lifestyle da empresa.

Multipropriedade: novo modelo imobiliário em crescimento

Em recente evento em Fortaleza, vários presidentes estaduais do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci) visitavam o Concept Store de um dos empreendimentos de mais sucesso em vendas no momento no mercado de multipropriedade: o Residence Club at the Hard Rock Hotel Fortaleza. O motivo da visita: entender mais sobre este modelo de negócio que vem causando grande impacto no setor imobiliário no Brasil, após a sua regulamentação completa ter ocorrido no final do ano passado com o sancionamento da Lei da Multipropriedade (13.777/2018).

Seguindo o conceito da nova economia compartilhada, que já faz sucesso nas áreas digitais, de mobilidade urbana e nas locações de curto período, a fração imobiliária é o modelo de vendas de imóveis que mais cresce no mundo. Consiste em um grupo de pessoas que compra separadamente um mesmo imóvel e o usufrui em datas alternadas pré-definidas no momento do contrato. O grande diferencial desse modelo é que o proprietário possui escritura individual e definitiva do patrimônio. Dentro deste modelo imobiliário a VCI é a empresa brasileira que mais vem inovando no Brasil, tornando-se em pouco mais de um ano a líder nacional em volume de venda por empreendimento próprio, hoje já são mais de 40 milhões de reais por mês e crescendo, graças às suas inovações.

“Somos a primeira empresa a trazer uma marca global para atuar no segmento de multipropriedade no Brasil, a primeira a acreditar que o modelo funcionaria bem para as férias da classe A, e a primeira a inovar na diversificação dos canais de venda, rompendo assim com três grandes tabus convencionais do segmento”, pontua o presidente da VCI, Samuel Sicchierolli. A empresa é responsável pela criação do Residence Club atrelado à comercialização da marca Hard Rock Hotel e já abriu vendas de dois empreendimentos no país: Fortaleza (CE) e Ilha do Sol (PR). “O sucesso se comprovou em números: o Residence Club at the Hard Rock Hotel Fortaleza, na praia de Lagoinha, tem previsão de inauguração em dezembro de 2020 e já possui quase 50% das unidades comercializadas; já o Residence Club at the Hard Hotel Ilha do Sol, que fica em uma ilha paradisíaca a 50 minutos de Londrina, deve inaugurar no primeiro semestre de 2021 e em três meses já comercializou 25% das unidades”, conta Sicchierolli.

Tradicionalmente comercializadas em salas de venda onde o cliente é convidado a assistir uma apresentação, a venda das frações de casas e apartamentos de férias em empreendimentos hoteleiros através de imobiliárias, praticada no Brasil somente pela VCI há mais de um ano, entusiasmou os presidentes do CRECI de vários estados do país durante o encontro que tiveram na sede da VCI em Fortaleza para entender o novo modelo. O presidente do Creci-SP, José Augusto Viana Neto, acredita que pelo vínculo com a propriedade de um bem imóvel a fração imobiliária é uma excelente oportunidade para aqueles que querem resguardar e proteger o seu investimento em férias: “A propriedade compartilhada é resultado da evolução da sociedade. Há hoje pessoas que não querem estar fixas em um só local, que preferem estar disponíveis em qualquer canto do mundo, de acordo com suas necessidades, e a multipropriedade atende essa nova necessidade”, destacou, “é a tendência da economia compartilhada se expandindo para o setor de imóveis.”

Já o presidente do Creci-CE, Tibério Benevides, ao referir-se à possibilidade de intercâmbio das frações compradas com outros destinos, destaca que “após a aprovação da nova lei, ficou bem definido o que é multipropriedade, um sistema vantajoso porque não há necessidade de um investimento milionário para se ter acesso a um imóvel de alto padrão. O interessado pode comprar uma fração e usufruir do imóvel. E no caso específico do Residence Club at the Hard Rock, pode usufruir não só no Ceará, mas no Brasil e no mundo, porque trata-se de uma bandeira internacional respeitada por sua organização e seus critérios, daí o sucesso nas vendas”.

O segmento de multipropriedade projeta para 2019 um total de vendas no mercado de R$ 22,3 bi, tendo crescido cerca de 15% desde 2018, um resultado impressionante para um momento em que ainda estamos na casa de 0,9% de projeção do PIB nacional para 2019. Este resultado tem a ver com a inovação do modelo, que se adapta melhor às atuais necessidades e novos comportamentos de consumo. Só que para surfar nesta onda é preciso entender como olhar para a frente e como aplicar a cultura das inovações no dia a dia da empresa. Com um VGV de R$ 5bi previsto para concretização nos próximos 5 anos, quase 25% do tamanho do segmento hoje, a VCI vem fazendo sua lição de casa, e promete: você ainda vai trocar seu apartamento de praia ou campo por uma fração imobiliária de um imóvel de férias. “Se hoje você paga os custos de um ano inteiro pelo seu imóvel de férias mas usa apenas algumas semanas ou finais de semana, por que não trocar e passar a pagar apenas pelo tempo que realmente pode usar?”, diz Sicchierolli. Pelo sucesso do modelo, parece que isto está fazendo sentido.

OGFI Governance é destaque em evento da Ademi-PR em parceria com o Sinduscon-PR sobre sustentabilidade e capital no setor

A Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi-PR) em parceria com o Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Paraná (Sinduscon-PR), promoveu, no último dia 17/09, em Curitiba, um importante encontro para a região – que é uma das mais bem estruturadas do Brasil. O evento apresentou novas soluções para levantar capital e conquistar clientes. A OGFI Governance foi um dos destaques.

“A missão de transformar as empresas de incorporação imobiliária em agentes sustentáveis para todos os envolvidos neste setor – um dos mais estratégicos para a Economia do País – é desafiadora, porém, o nosso trabalho é uma prova concreta das boas oportunidades para investimentos em compliance, revisão e melhoria de planejamento, enfim, ajustes e, às vezes, correções de rota, que podem mudar de patamar as buscas por crédito e capital na indústria de construção civil do estado do Paraná. Aliás, o mercado da região acumulou neste primeiro semestre do ano mais de 7.300 mil vagas de emprego, registrando aumento em 6,08%. Em Curitiba, no mesmo período, foram criadas quase duas mil vagas, registrando um aumento de 5,11%, segundo dados do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e da Agência de Notícias do Paraná”, finaliza Gênesis Pazzetto Baptista, sócio e diretor da OGFI Governance.

Leonardo Pissetti, presidente da Ademi-PR, a organizadora do evento, ressaltou que o encontro foi especialmente esclarecedor sobre um dos temas mais importantes para a nova economia, o compliance. “Basicamente, hoje não importa se as companhias desfrutam de grande estrutura empresarial e respaldo de mercado, se não houver organização das informações e governança, isto é, controle inteligente de gestão, ficará muito difícil sobreviver a determinadas situações de mercado. É fundamental compreender a importância dessa mentalidade financeira, da prospecção de fouding, enfim, da maneira correta de mostrar para um equity, por exemplo, que os projetos são líquidos, são confiáveis, é uma junção de confiança e qualidade de informação”, completa Pissetti.

Instituto de Engenharia e Camargo Corrêa Infra fecham parceria para realização de curso sobre BIM

O Instituto de Engenharia (IE) fechou uma parceria com a Camargo Corrêa Infra para realização do curso “Especialização em BIM aplicado à implantação de obras de Infraestrutura”, que utilizará plataforma da Autodesk com a orientação de professores da Frazillio & Ferroni e da própria Camargo Corrêa Infra e do Instituto de Engenharia. As aulas, que acontecem entre os dias 27 de setembro e 14 de dezembro de 2019, serão voltadas para engenheiros, arquitetos e tecnólogos formados.

Essa ação reforça o compromisso do IE em capacitar profissionais no processo de Building Information Modeling (BIM), que está promovendo uma revolução nas áreas de engenharia, arquitetura e construção no Brasil e também pelo mundo. Essa sincronia entre as organizações se deu mais facilmente, pois a Camargo Corrêa Infra e a Autodesk inovaram o mercado no que diz respeito aos avanços tecnológicos, como uso de tecnologia móvel no canteiro de obras, possibilitada por meio do Autodesk BIM 360.

“Há dois anos, entendemos que deveríamos dar um passo além, e desenvolver uma metodologia que permitisse a democratização do BIM em nossas operações. Isso significou levar os modelos 3D e 4D para todas as equipes envolvidas na obra desenvolvendo uma rede de colaboração e resolução das principais questões que afetam a produção e avanço do cronograma”, comenta Marcelo Nonato, especialista em Construção Virtual da Camargo Corrêa Infra.

Para Ivan Whately, diretor do Departamento de Mobilidade e Logística do Instituto de Engenharia, o sentimento é bem parecido. “Visualizamos uma demanda do mercado em saber mais sobre BIM. Com isso, promovemos desde o início do ano, um treinamento chamado “Terças de BIM”, que leva mais de 200 pessoas ao IE. Esse fato chamou atenção da Camargo Corrêa Infra e, após reuniões, estruturamos esse curso, que terá material totalmente interativo, com utilização de plataforma da Autodesk, professores da Frazillio & Ferroni e está consolidando o IE como um importante centro de estudos de BIM no Brasil”, conclui Whately.

O curso será ministrado às sextas-feiras e sábados das 18h às 22h15 e das 8h30 às 17h30, respectivamente. Os assuntos abordados serão: Contextualização e características de obras de infraestrutura; Plano Estratégico de Execução BIM; Processo de conversão de projetos 2D para modelos 3D; Estudos para implantação de canteiros de obras e acessos; Projeto de acesso à obra e platôs de canteiros; Trabalho com nuvem de pontos; Levantamento de quantidades; Programação e Controle em 4D; Uso do BIM na frente de serviço.

Esta metodologia, que engloba software, hardware e profissionais treinados, permite que, desde o início do projeto, diversos detalhes possam ser mapeados antes da construção ser iniciada, o que evita erros e desperdício de tempo e ativos. A construção é feita virtualmente antes do início dos trabalhos em campo.

O valor do curso para associado do IE é de R$ 3.500 e para não associados é de R$ 4.500. Ele contempla, ainda, uma visita técnica a uma construção da Camargo Corrêa Infra onde os alunos poderão ver na prática a aplicabilidade da tecnologia BIM em uma obra de infraestrutura.

Serviço

Especialização em BIM aplicado à implantação de obras de Infraestrutura

Período: De 27 de setembro a 14 de dezembro de 2019

Horários: Sextas-feiras e sábados, das 18h às 22h15 e das 8h30 às 17h30

Valor: Associados do IE – R$ 3.500 / Não associados do IE – R$ 4.500

Local: Instituto de Engenharia – Av. Dr. Dante Pazzanese, 120 — V. Mariana – São Paulo / SP

Inscrições: www.institutodeengenharia.org.br/site/events/especializacao-em-bim-aplicado-a-implantacao-de-obras-de-infraestrutura

OLX e Credimorar firmam parceria para facilitar financiamento imobiliário

O Instituto de Engenharia (IE) fechou uma parceria com a Camargo Corrêa Infra para realização do curso “Especialização em BIM aplicado à implantação de obras de Infraestrutura”, que utilizará plataforma da Autodesk com a orientação de professores da Frazillio & Ferroni e da própria Camargo Corrêa Infra e do Instituto de Engenharia. As aulas, que acontecem entre os dias 27 de setembro e 14 de dezembro de 2019, serão voltadas para engenheiros, arquitetos e tecnólogos formados.

Essa ação reforça o compromisso do IE em capacitar profissionais no processo de Building Information Modeling (BIM), que está promovendo uma revolução nas áreas de engenharia, arquitetura e construção no Brasil e também pelo mundo. Essa sincronia entre as organizações se deu mais facilmente, pois a Camargo Corrêa Infra e a Autodesk inovaram o mercado no que diz respeito aos avanços tecnológicos, como uso de tecnologia móvel no canteiro de obras, possibilitada por meio do Autodesk BIM 360.

“Há dois anos, entendemos que deveríamos dar um passo além, e desenvolver uma metodologia que permitisse a democratização do BIM em nossas operações. Isso significou levar os modelos 3D e 4D para todas as equipes envolvidas na obra desenvolvendo uma rede de colaboração e resolução das principais questões que afetam a produção e avanço do cronograma”, comenta Marcelo Nonato, especialista em Construção Virtual da Camargo Corrêa Infra.

Para Ivan Whately, diretor do Departamento de Mobilidade e Logística do Instituto de Engenharia, o sentimento é bem parecido. “Visualizamos uma demanda do mercado em saber mais sobre BIM. Com isso, promovemos desde o início do ano, um treinamento chamado “Terças de BIM”, que leva mais de 200 pessoas ao IE. Esse fato chamou atenção da Camargo Corrêa Infra e, após reuniões, estruturamos esse curso, que terá material totalmente interativo, com utilização de plataforma da Autodesk, professores da Frazillio & Ferroni e está consolidando o IE como um importante centro de estudos de BIM no Brasil”, conclui Whately.

O curso será ministrado às sextas-feiras e sábados das 18h às 22h15 e das 8h30 às 17h30, respectivamente. Os assuntos abordados serão: Contextualização e características de obras de infraestrutura; Plano Estratégico de Execução BIM; Processo de conversão de projetos 2D para modelos 3D; Estudos para implantação de canteiros de obras e acessos; Projeto de acesso à obra e platôs de canteiros; Trabalho com nuvem de pontos; Levantamento de quantidades; Programação e Controle em 4D; Uso do BIM na frente de serviço.

Esta metodologia, que engloba software, hardware e profissionais treinados, permite que, desde o início do projeto, diversos detalhes possam ser mapeados antes da construção ser iniciada, o que evita erros e desperdício de tempo e ativos. A construção é feita virtualmente antes do início dos trabalhos em campo.

O valor do curso para associado do IE é de R$ 3.500 e para não associados é de R$ 4.500. Ele contempla, ainda, uma visita técnica a uma construção da Camargo Corrêa Infra onde os alunos poderão ver na prática a aplicabilidade da tecnologia BIM em uma obra de infraestrutura.

Serviço

Especialização em BIM aplicado à implantação de obras de Infraestrutura

Período: De 27 de setembro a 14 de dezembro de 2019

Horários: Sextas-feiras e sábados, das 18h às 22h15 e das 8h30 às 17h30

Valor: Associados do IE – R$ 3.500 / Não associados do IE – R$ 4.500

Local: Instituto de Engenharia – Av. Dr. Dante Pazzanese, 120 — V. Mariana – São Paulo / SP

Inscrições: www.institutodeengenharia.org.br/site/events/especializacao-em-bim-aplicado-a-implantacao-de-obras-de-infraestrutura

OLX e Credimorar firmam parceria para facilitar financiamento imobiliário

A OLX, maior plataforma de compra e venda online do Brasil, e a Credimorar, fintech especializada em financiamento imobiliário do grupo Brasil Brokers, anunciam parceria que pode possibilitar a concretização do sonho do imóvel próprio. Ao encontrar o imóvel que caiba no seu orçamento, o usuário da OLX poderá clicar no botão “simular financiamento” no próprio anúncio para, em poucos cliques, ter acesso a possibilidades de crédito em diferentes instituições financeiras por intermédio da Credimorar.

Para ter acesso à simulação de financiamento, basta preencher alguns campos com o valor do imóvel, da entrada e do prazo de pagamento, além de informações básicas como nome, CPF, e-mail e telefone. Com o cadastro, a Credimorar avaliará junto às principais instituições financeiras do país diferentes possibilidades de crédito e poderá fornecer um certificado de crédito que pode ser usado por até 60 dias pelo interessado no imóvel. Ao escolher uma das opções, o cliente passa a negociar com o banco a melhor forma de pagamento.

“A OLX é a plataforma mais lembrada pelo usuário para compra, locação e venda de imóveis no Brasil. Com mais de 310 milhões de buscas na categoria todos os meses, a parceria com a Credimorar vem para complementar a jornada de compra do usuário interessado em adquirir a casa própria e facilitar o acesso ao financiamento imobiliário”, explica Marcelo Dadian, Diretor de Imóveis da OLX.

O lançamento parte de uma série de estudos profundos sobre a experiência de compra na plataforma, que possui a maior audiência do mercado. Após a escolha da melhor opção de financiamento, a OLX indica que o comprador conheça o imóvel e, se houver interesse, formalize um contrato no momento da aquisição.

As novas experiências já estão disponíveis no site e aplicativo da OLX para Android.

Tags, ,

Empresários debatem perspectivas da construção civil em Minas Gerais

Grandes nomes do mercado imobiliário mineiro e nacional se reuniram, neste mês, no 1º Congresso do Mercado Imobiliário, realizado em Belo Horizonte, para discutir os principais desafios e tendências do setor. O evento, realizado pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG), integrou a programação do MinasCon 2019, evento unificado da construção civil e ponto de encontro entre todos os envolvidos na cadeia produtiva do segmento.

Na abertura do congresso, no dia 19 de setembro, o vice-presidente da Área Imobiliária do Sinduscon-MG, Renato Michel, destacou a importância da iniciativa para fomentar o setor. “Juntos, temos mais força. Criamos um ambiente para compartilhar ideias, estratégias e expectativas. Acreditamos que 2019 continuará a ser um bom ano o setor da construção.”

O vice-presidente da Fiemg e presidente da Câmara da Indústria da Construção, Teodomiro Diniz, afirmou que o congresso possibilita o encontro da cadeia produtiva da construção com os profissionais do mercado imobiliário. “Unimos quem vende e quem constrói; isso cria um ambiente de negócios saudável e próspero, atendendo com qualidade e eficiência a demanda do cliente”, observou.

O superintendente do Sebrae Minas, Afonso Maria Rocha, disse que o maior desafio da instituição é fazer com que o mercado imobiliário seja competitivo e inovador. “Podemos dizer que estamos contribuindo para a formalização do trabalho em um universo de grande desemprego. São mais de 103 mil microempreendedores individuais ligados ao setor da construção e, por isso, entendemos a importância de investir em educação empreendedora”, pontuou.

O diretor executivo de Habitação da Caixa, Matheus Neves Sinibaldi, também participou da abertura do 1º Congresso do Mercado Imobiliário. Ele ressaltou o comprometimento da Caixa no apoio ao crescimento do setor da construção. “Estamos trabalhando para formar parcerias cada vez mais positivas para o mercado imobiliário. Uma das conquistas recentes é a nova linha de financiamento imobiliário, indexada ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). A modalidade cobrará, além da inflação, uma taxa que varia de 2,95% a 4,95% ao ano. Quanto melhor a relação do cliente com o banco, menor a taxa”, avaliou. Os contratos terão prazo máximo de 360 meses e cota de financiamento de até 80% do valor do imóvel.

O diretor explicou que a linha de crédito vinculada à TR tinha um risco no longo prazo. “A TR não estava bem definida; era escolhida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), com um componente subjetivo”, conta. Sinibaldi também lembrou que o crédito imobiliário tem uma participação ainda pequena na economia brasileira, diferentemente do que acontece na Europa e nos Estados Unidos. “A dinâmica de crédito imobiliário estava engatinhando porque tinha a taxa referencial de juros”, afirma.

Sinibaldi abordou, ainda, a implementação do Painel da Construtora, que possibilitará às empresas acompanharem eletronicamente, em tempo real, o andamento de seus processos na Caixa. Em novembro, deverá ser assinado o primeiro contrato de financiamento no formato de banco digital, com o envio de toda a documentação à Caixa por meio eletrônico; o cliente irá à agência apenas para assinar o contrato. Em dezembro, diversos serviços poderão ser acessados por aplicativo.

O presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins, pontuou que o setor da construção civil é a locomotiva da economia brasileira. “Presente desde o sonho da moradia digna até o emprego formal, o bom desempenho do setor contribui em muito para o aumento do investimento e do crescimento do país de maneira sustentável”, observou.

Ele enfatizou que, a cada R$ 1 milhão investidos na construção civil, são gerados cerca de 11,4 empregos diretos e indiretos, além de R$ 772 mil em renda direta e indireta. “As regiões Sudeste e Centro-Oeste estão puxando o crescimento do mercado imobiliário no Brasil. No Sudeste, principalmente, a melhora se deve à economia mais pujante do que em outros Estados, especialmente em São Paulo”, disse.

Em relação à nova linha de crédito imobiliário indexada ao IPCA, o presidente da CBIC acredita que o setor da construção verá um impacto imediato nas vendas, mas não uma significância tão grande. Os financiamentos da nova linha devem somar cerca de R$ 10 bilhões, o equivalente a cerca de 10% dos financiamentos já previstos no ano.

“O setor da construção tem que ser valorizado e medidas que impulsionam o setor precisam ser tomadas. A esperança é que a equipe econômica do governo federal consiga ajustar as contas públicas, gerar mais empregos, melhorar a renda do trabalhador e manter a tendência de queda dos juros aplicados nos financiamentos de imóveis”, enfatizou.